Águas Formosas

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapaminas.gif Uai sô, ocê num intendeu?
Este artigo é humor mineiro, uai, e foi inscrito pur um minerim! Se ele inda num tá completo é por causo de que o disgramado deve tá comeno um pão de quêjo, um paster de milho ou a vaca atolada da tua mãe purque minêro come quéto!


Cquote1.png Vou tirar as subidas e deixar as descidas! Cquote2.png
Candidato a vereador em campanha em Águas Formosas.
Cquote1.png Vou trazer o mar para Águas Formosas! Cquote2.png
Mesmo candidato.

Águas Formosas é uma cidade do Vale do Mucuri, uma das cidades baianas de Minas Gerais.

História[editar]

Existem duas versões oficiosas para o surgimento da cidade:

A primeira versão é que a cidade surgiu a partir do empreendedorismo de Teófilo Otoni, que chegando ao fim do mundo, a futura Águas Belas, fez a demarcação dá área e proibiu todas as pessoas de ultrapassarem o limite, por que adentrariam o vale do Jequitinhonha e aí seria tarde demais. A partir dessa proibição todos os criminosos, baitolas, gays, homossexuais, bichas, preguiçosos, prostitutas e pessoas de bem se aglomeraram na área ás margens do límpido rio Pampam, fundando a cidade.

A segunda versão é que a cidade foi fundada por extraterrestres, que abduziram grande parte da população de Campinas, Rubim e outras meigas cidadezinhas, desmemorizando os mesmos e estabelecendo, a partir de então, a moradia dessa população no deságue do Águas Belas ,com casas de pau-a-pique, uiuiui.

Atualmente Águas Formosas é uma cidade próspera. Próspera no tráfico de drogas, próspera na prostituição, próspera no analfabetismo, próspera na boiolagem, próspera na vagabundagem, próspera nos assassinatos. Só perde para Joaíma.


Economia[editar]

A economia de Águas Formosas baseia-se na agropecuária, isso quando as chuvas não atrapalham a chegada dessas mercadorias, provenientes de outras cidades. As chuvas, que acabam prejudicando o asfalto de péssima qualidade, é responsável por levar pontes e manilhas da estrada, sendo Águas Formosas, portanto, a única cidade do mundo que quando chove falta hortaliças, verduras e frutas.

A pecuária da cidade se baseia na criação de rebanho bovino para corte e leite e na fabricação de derivados, como queijo, requeijão e manteiga. O queijo produzido pela indústria local é de fama nacional, o não sendo conhecido pelos moradores locais. A maioria nunca comeu uma fatia do queijo produzido pela fábrica. Existe na cidade um sindicato dos "produtores" rurais, que defendem os interesses da classe, como o interesse de ficar à toa coçando o saco, na porta das lojas de medicamentos para o gado, observando as (mulheres) pessoas que passam. Os fazendeiros (sic) têm o cérebro de uma ameba e só sabem falar, obviamente de gado. São chamados de Gigolôs de vaca.

O comércio da cidade e bem estruturado com enorme variedade de lojas de diversos segmentos de atividades (bugingangas, camelôs, ambulantes e traficantes de drogas,sendo esse último o ramo do comércio que mais cresce na cidade).

Os bancos da cidade e os ensaios de banco (banco postal e os caixa aqui) são instituições de grande valia e atividade na cidade. O Itaú está prestes a fechar as portas. Tem mais funcionários do que clientes (2 funcionários). O Sicoob é o banco dos "produtores", que já repartiram todas as suas terras entre os herdeiros mas ainda não perderam a majestade e se auto denominam de fazendeiros.A casa lotérica é o banco dos pobres, principalmente das mulheres, cuja base de renda é a bolsa família. Aliás, a Bolsa Família é o grande estimulador do crescimento populacional da cidade e da economia da cidade. O aumento do número médio de filhos por casal (atualmente na média de 10 por casal) acaba por influenciar no crescimento do número de creches e escolas, além de garantir a continuidade da prática de avião entre as crianças e adolescentes.

Cultura[editar]

O nível cultural da maioria da população é de dá pena. É a microcultura do nordeste de Minas Gerais. Bonde do arrocha, Bonde do maluco, e vários outros bondes da música popular brasileira, além da Pisadinha, Calcinha Preta, Companhia do Calypso, Calypso,quarto de empregada, (dizem que é diferente, que tem uma banda que é falsa e outra verdadeira) (sic) contribuem decisivamente para o engrandecimento intelectual e cultural da população águasformosense, que acabam por se caracterizarem pelo elevado QI (semelhante ao de uma criança de 2 anos). Se alguém curtir outro estilo musical, e não gostar dos citados, pode desistir. Só se comprar pela Internet. E não ouvir a rádio local e nem visitar a casa de ninguém. E nem sair às ruas, não ir à nenhuma festa, ou seja, deixar de ser radical e entrar no jogo, ou virar um eremita.

Em dia de "show" é um alvoroço danado. Primeiro chegam as bandas em um ônibus personalizado. Só o fato de chegarem em ônibus já dão aos "cantores" o status de estrela. Pedem música na "rádia", como dizem, ganham "inglessos" e na hora do "show" se vestem com extrema elegância (hehehe). Um boné na cabeça, uma calça e uma camisa da Favorita (kkkkkkk) e um tênis do lojão São Paulo. São pessoas finas e de um grau de intelecto invejável.

Atualmente a modinha Restart chegou pra ficar, os adolescentes da cidade estão aderindo à moda de usar uma calça verde, um tênis amarelo, e uma camisa com gola "V" roxa. Isso porque eles acham que estão super na moda. Nem é preciso falar que estão com fama de viados e todos os outros rapazes estão se afastando deles.

Lazer[editar]

O principal lazer da população local é curtir a música típica do local, a pisadinha. É uma febre como o rock n'roll nas décadas de 60 e 70. A grande maioria da população não conhece outros "artistas" a não ser os cantores da pisadinha ou arrocha... não sei qual a diferença. O talento dos artistas é evidente na letra das músicas, pérolas do cancioneiro popular brasileiro, além da habilidade em relação aos instrumentos musicais... um teclado. Gostam tanto de dançar a tal da pisadinha ou arrocha... que escutam em festas, dentro de casa, na rua, no mp3 player, no celular, no som do carro... em todos os lugares. É o inferno...

Outro lazer da população, isso para quem tem carro é de curtir o tal do arrocha ou pisadinha... pelo amor de Deus alguém me explique a diferença... Abrem o bagageiro do carro e soltam o som na máxima potência... não respeitam hospitais, escolas, prédios públicos, ninguém. Temos que andar de tapa ouvido para não sermos afetados pela febre da música local. Impressionante é a satisfação dos motoristas dos carros ao ouvir as músicas, olham para gente com um tom de desprezo e ao mesmo tempo de felicidade. Felicidade por andarem de carro e por ouvirem tão enebriante melodia. Ficam com a carinha de bobo como se estivesse a se lambuzar do mais perfeito néctar.

Além da música e do som dos automóveis, outra forma de lazer da população local é o uso do telefone celular. Foi a última região do mundo a ter o serviço. Foi a cidade com o maior número proporcional de celulares do universo. Até os cachorros e as cadelas da cidade tem um. É celular na sala de aula, no hospital, na rua, nas reuniões, em todo o lugar. Só perde para o inferno do som. O celular serve para tirar foto, ouvir música, principalmente pisadinha e arrocha... pela última vez, alguém poderia me explicar o que é essa joça... e, por último, para ligar.

A bebida é uma das formas de lazer mais notáveis entre a população local. É a única das cidades mundiais que o vício da bebida começa logo aos 7 anos de idade. Começam aos 7 porque é a idade de começam a estudar. E as escolas tem sempre às suas proximidades um boteco, que acama por interromper o estudo e influenciar as crianças no caminho do aguardente, da cerveja, do vinho e do Conhaque Presidente, um dos favoritos pela população local. A partir da existência na cidade de uma competição para verificar qual som de carro tem o volume mais potente, verificado toda a noite próximo à Escola José Quaresma da Costa, surgiu uma nova forma de competição: o campeonato de beber Presidente. O vitorioso sempre acaba com a cara no chão, em cima do próprio vômito.

Há na cidade a boate do Maurão (essa é boa) um espaço pior do que o New Texas de BH. é cobrado o valor de 2,00 para quem se aventurar a entrar, sendo que muitas pessoas não se dispoe a pagar tal valor e ficam na porta da boate.No interior da "boate". O calor chega a quase 60 graus, não possui ventilação e apesar disso alguns corajosos frequentam assiduamente este local. Em seu interior o povo se dispõe da seguinte forma: no fundo da "boate" ficam as pessoas de baixa renda, "neguinhas" que são na verdade mulheres mais receptivas a uma boa amizade e algo mais, muitas dançam descalças nesta parte ficam também bebados e etc. Quanto mais vai se aproximando da saida da "boate" o nível econômico dos frequentadores vai aumentando mas o nível cultural e intelectual em grante parte é sempre o mesmo independentemente do nível economico.

Educação[editar]

As escolas da cidade convivem com bares, restaurantes, carros de som, parquinhos de diversão, que acabam por rivalizar com a própria escola, que acaba perdendo.

Diversão é muito melhor na cabecinha dos habitantes. Estudar não leva a nada. Quando está muito quente, quando está muito frio, durante as férias (dezembro, janeiro e julho), o carnaval, o campeonato brasileiro, a semana santa, as festas juninas, as comemorações do padroeiro, a feira agropecuária, o aniversário da cidade e de 4 em 4 anos, a copa do mundo, é proibido estudar. Durante todo o restante do ano tudo bem, mas nesse período é demais. Ninguém é de ferro e consegue estudar tanto!