Éowyn

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
I love nerds.jpg

Sim, Nerds Gostosas existem!
E por mais que você não acredite, este artigo trata sobre uma delas!

60px-Bouncywikilogo.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Éowyn.
Possivel imagem da Éowyn. Então, vai encara-la?

Cquote1.png Você quis dizer: Lara Croft Cquote2.png
Google sobre Éowyn
Cquote1.png Mamãe! Quero mamar! Cquote2.png
Merry sobre Éowyn
Cquote1.png Foi a minha melhor aluna. Cquote2.png
Xena sobre a Éowyn

Dentro da trilogia "O Senhor dos Anéis", criada pelo emaconhado J.R.R. Tolkien, Éowyn é a sobrinha do Rei Théoden de Rohan, filha de Théodwyn e Éomund, e irmã de Éomer, sendo também conhecida como cavaleira Amazonica.

Sua história[editar]

Éowyn nasceu em 2995 da Terceira Era, em Rohan, filha de Théodwyn, a amada irmã do Rei Théoden e de Éomund, um dos grandes Marechais da Terra dos Cavaleiros, onde iria ser treinada para ser uma mera princesinha se reino ou uma prostituta. Era também a irmã mais nova de Éomer, que viria a tornar-se o Terceiro Marechal da Terra dos Cavaleiros e Rei de Rohan e mulher de cama dele.

Descrita como uma mulher bela, com longos cabelos louros, olhos cinzentos e pele branca como a neve, era esguia e alta, tendo uma graça e uma altivez herdadas do sul, de Morwen de Lossarnach, a quem os rohirrim haviam chamado Brilho do Aço o que faz com que até mesmo Orcs ficasse excitado ao ve-la pelada.

...Éowyn após saber que o namorado queria terminar com ela

Mas ela não desejava apenas ser uma mulhezinha qualquer. Secretamente viveu treinando as artes de uma guerreira poderosa com um mestre, assim podendo derrubar até mesmo gigantes dando um chutão no saco deles na porrada.

Uma vez adulta, o rei ordenou novamente que Éowyn fosse a regente e protegesse e divertisse o povo durante sua ausência. Mas ela já estava decidida que lutaria e secretamente, vestida como um homem e usando um pepino no meio das pernas e o pseudônimo de Dernhelm, cavalgou com o exército de Rohan em direção a capital de Gondor, Minas Tirith, juntamente com Meriadoc Brandebuque, um hobbit e integrante da Sociedade do Anel que nada sabia sobre sua verdadeira identidade. Quando os rohirrim atacaram as hordas de orcs, Éowyn estava entre eles, e lutou com bravura (mas anonimamente) até o momento que o rei foi abatido. O Rei dos Bruxos de Angmar, o capitão dos Nazgûl, atacou Théoden e ela se pôs entre eles. O Nazgûl riu de sua valentia, já que pensava tratar-se de um homem, mas quando tirou seu capacete e revelou ser mulher após mostrar seus documentos para ele, irrompeu em fúria e medo, pois uma antiga profecia diria que ele nunca poderia ser morto pela mão de um homem e Éowyn não era um homem. Conta-se que nesse feito Éowyn teve ajuda de seu companheiro, Merry. Mas Éowyn é que meteu a espada nesse Rei Bruxo, mandando-o para o quinto dos infernos.

O final da Éowyn[editar]

Foi em 3020 da Terceira Era, que ocorreu o casamento de Éowyn e Faramir, sendo que ela se tornou a machona dentro de casa, machoina em termos de querer proteger a sua familia, ve se não pensem em bobagens. Em 3019, ela era conhecida no Reino de Gondor como “Senhora Branca de Rohan que matou o Rei Bruxo de Agmar” e passou a viver nas colinas de Emyn Arnen. Viveu como Princesa de Ithilien e amiga do Rei Elessar. Não existem registros de sua morte, apenas de seu único filho: Elboron, que não fez nada de importante, ao contrário que fez os seus pais.

v d e h
Universo Tolkieniano
LOTR.png