Êxodo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Êxodo é o segundo livro de ficção da bíblia, também é o que adiciona um caráter comunista à estória, com luta dos trabalhadores e muitas mortes, introduzindo a figura do líder comunista Moisés Guevara, que como todo bom comunista, também era um assassino foragido, ele queria a reforma agrária para os israelitas, contra a vontade do imperialismo capitalista opressor do Egito.

Capítulo 1[editar]

A saga começa com Jacó trabalhando de coiote, trazendo vários israelitas ilegalmente para o Egito. O novo faraó, vendo todos aqueles israelitas vagabundos que não faziam nada, mandou a Receita Faraônica cobrar impostos deles, também mandou as parteiras do SUS matarem somente os filhos homens dos Israelitas (as mulheres se deram bem nessa), mas elas não não conseguiram fazer porque os hospitais do Egito eram super lotados e os filhos nasciam no corredor do hospital antes mesmo de serem atendidos.

Depois, como recompensa, Deus deu uma de Lula e fraudou escrituras nos corruptos cartórios do Egito dando presente para elas algumas casas do programa Minha Casa Minha Vida, enquanto o resto do povo tem que se foder trabalhando para conseguir uma.

O faraó ficou puto, e mandou jogarem todos os meninos homens no rio (meninas e meninos gays se deram bem nessa).

Capítulo 2[editar]

A filha de Levi tem um filho fora do casamento e esconde o moleque por 3 meses, depois, vendo que a situação estava preta, joga o moleque no rio, a filha do faraó foi tomar banho peladinha com suas amigas no rio e viu o moleque chorando, ela achou o moleque fofinho e mandou uma israelita criá-lo e ainda deu uma pensão para ela ficar trocando as fraldas.

Quando o moleque deixou de ser cagão, foi trazido de volta à filha do faraó e ela deu o nome de Moisés. Um belo dia, vendo uma treta entre um egípcio e um israelita, Moisés foi lá, viu que não tinha ninguém, matou o egípcio e escondeu o corpo (Êxodo 2:12), já demonstrando suas habilidades para o crime.

Obviamente, o faraó descobriu que algum vagabundo tinha matado um egípcio, e mandou a polícia ir atrás do criminoso Moisés, que como bom criminoso, no final conseguiu fugir pra Midiã, chegando lá viu uns tarados querendo pegar 7 novinhas filhas do sacerdote, Moisés foi lá e defendeu as moças, como recompensa o sacerdote Jetro deu a filha sua filha mais gostosa, Zípora, para Moisés parar de ficar só na punheta.

Aí o faraó morreu, e os israelitas ficaram gemendo pra Deus.

Local do mapa-mundí onde toda essa treta rola.

Capítulo 3[editar]

Um belo dia Moisés tava levando o rebanho do sogrão ao monte Horebe (de propriedade de Deus), quando tava dando uma cagada teve contato com um anjo imaginário queimando em fogo, depois apareceu o grande mestre dos amigos imaginários (Deus) e mandou Moisés tirar os sapatos pq aqueles grãos de areia eram santos, (percebam como Deus foi bem sacana em resolver falar justamente com um assassino foragido), o Deus imaginário se apresentou dizendo que era o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó (mostrando que existem outros deuses também), ele disse que os israelitas estão precisando de um líder revolucionário para mandá-los a uma terra que jorra leite e mel, mas só podia levar 7 etnias, afinal, Deus é racista, mandou o assassino Moisés formar uma gangue com os anciãos.

Deus sabia que o faraó não ia deixar, e, num claro gesto de amor, disse à Moisés que ia foder os egípcios e, num claro gesto de não vaidade, ainda disse que as mulheres egípcias iam dar todas as suas bijuterias para as israelitas.

Capítulo 4[editar]

Moisés sabia que só dizer não ia adiantar nada, aí Deus mandou jogar a vara dele no chão e Deus transformou a vara numa cobra (sim, Deus curte uma zueira), depois mandou Moisés botar a mão no peito pra pegar lepra, depois mandou botar de novo pra curá-la só de zueira.

Deus ainda disse que se continuarem não acreditando vai chamar uma enchente e derramar sangue sobre a Terra (que Deus bondoso!), Moisés também tinha medo de virar motivo de piada porque falava errado igual o Lula, mas Deus disse que ia então mandar o irmão alfabetizado Arão para não passar vergonha.

Deus disse que o crime dele já tinhas prescrito porque a justiça do Egito já era um lixo naquela época, e ele não era mais procurado. Agora Moisés já não era mais assassino, mas ainda era analfabeto.

Depois o próprio Deus do amor diz que vai fazer o faraó não liberar os israelitas ele vai matar o filho primogênito dele. Ele fez circuncisão no filho dele, o que deixou Zípora tão puta que xingou Moisés de sanguinário (Êxodo 4:26), depois Deus falou com Arão e ele foi pro deserto dar um beijo em Moisés (ver Incesto).

Capítulo 5[editar]

O ex-assassino analfabeto Moisés e seu irmão Arão chegaram ao novo faraó e disseram pra liberar o povo de Israel pra fazer uma micareta no deserto, o Faraó não deixou, os dois insistiram dizendo que tinha sido o Deus monoteísta deles que mandou eles levarem o povo pra fazer oferendas à Iemanjá ao deus deles, o faraó bateu o pé, disse que não, mandou cobrar dinheiro dos tijolos e disse que não ia dar mais palha ao povo porque os israelitas estavam vadiando demais, enfim, Moisés e sua gangue fizeram uma merda muito grande, atiçaram a ira do faraó e agora estavam fodidos.

Capítulo 6[editar]

O Deus imaginário mandou dizer ao ex-assassino Moisés que daria a fazenda Canaã para o povo de Israel e que faria a reforma agrária lá, Moisés disse isso ao povo, mas como eles tinham que trabalhar, ninguém ligou para ele, exceto umas famílias tradicionais da sociedade egípcia.

Capítulo 7[editar]

Deus disse pra Moisés que ia endurecer o coração do faraó para provocar um infarto, depois Deus diz que vai tirar os SEUS exércitos (Deus não era amor?) e o SEU povo (Deus racista?)(Êxodo 7:4). Moisés e Arão foram bater um papo e fizeram um truque de mágica que transformou uma vara em uma cobra, depois conseguiu repetir o truque com os sacerdotes, no final, a cobra de Moisés engoliu todas as outras (o que mostra que ela estava com muita fome) o faraó não gostou muito.

No outro dia, o ex-assassino Moisés foi encher o saco do Faraó no rio, dizendo que Deus disse pra ele que ia transformar a água do rio em sangue, que vai matar os peixes e que vai poluir o rio (não existia estação de tratamento de esgoto naquela época). Deus também transformou em sangue a água dos vasos de pedra e de madeira (quem tinha vaso de barro se deu bem!) por 7 dias, o faraó não queria saber daquela baderna e foi pra casa. os egípcios começaram a fazer empresas de perfuração de poços.

Moisés vira o primeiro dominador da água e corta o oceano no meio.

Capítulo 8[editar]

O Deus do amor continuou trollando o faraó e mandou o ex-assassino e agora baderneiro Moisés e alguns magos mandarem uma peste de pererecas rãs no Egito.

Agora, veja só, o faraó fez um acordo com Moisés para que Deus tirasse as rãs do Egito (Êxodo 8:8), Moisés ainda disse que as rãs iriam para o rio (Êxodo 8:11), mas Moisés era bem malandro e falou para Deus que ele só precisaria matar as rãs, as rãs foram devidamente mortas, mas os corpos ficaram la espalhando o mal cheiro nas casas do povo egípcio (Êxodo 8:13 e 8:14), o faraó obviamente ficou puto com aquela situação de calamidade pública.

Deus começou a trollar ainda mais e Moisés transformou cada pó de terra do Egito em piolhos, mas ficaram apenas nos homens e no gado deles (as mulheres se deram bem nessa). Deus tava com muita pressa para que os isralitas o servisse, e mandou uma peste de moscas no Egito, Deus também movimentou a placa tectônica de Gósen para que o pessoal de lá não fosse atingido, e o Deus racista provoca mais uma separação de etnias (Êxodo 8:23), o faraó disse que no outro dia ia liberar os isralitas, caso tirasse a peste de moscas, mas o faraó também estava trollando.

Capítulo 9[editar]

O Deus do amor antes estava jogando as pragas pra todo mundo, tanto egípcios quanto israelitas, depois ele finalmente se toca e começa a separação de bens entre eles, com o intuito somente de privilegiar os israelitas, claro, no outro dia ele matou todos os animaizinhos indefezos dos egípcios, depois o Deus do amor manda moisés pegar umas cinzas para transformar tudo em sarna para arrebentar as úlceras dos homens (mulheres não) e do gado....peraí? os egípcios já não tinham mais gado, isso quer dizer que Deus acabou botando sarnas no gado dos israelitas HUAHUAHUAHUAH! Depois o Deus do amor fica puto e diz que vai destruir todos os egípcios (Êxodo 8:14 e 8:15), mas Deus era gente boa e não vai fazer o faraó passar pelas pragas (pobre, só se fode). Depois deus manda uma chuva de saraiva (pedras), Deus avisa que todo mundo que for atingido pela saraiva vai morrer, e caiu uma chuva de meteoros no Egito, menos em Gósen. O faraó reconheceu que era um merdão e pediu a moisés para que acabasse com aquela merda, de alguma forma, só houve prejuízo na produção de linho e cevada, no final o faraó trollou de novo e não deixou os israelitas irem.

Capítulo 10[editar]

No outro dias, Moisés voltou de novo para encher o saco do faraó, dizendo que o Deus do amor ia corbrir a terra com uma praga de gafanhotos que iam comer tudo (bom para os gafanhotos) e das casas dos coitados dos egípcios, o faraó concordou, mas Moisés pediu que os bois (vacas não) e as ovelhas (carneiros não) também, mas o faraó trollou de novo e disse que não ia liberar os israelitas, o Deus do amor ficou puto e espalhou a praga de gafanhotos, o faraó se arrependeu e arregou pra Moisés, que foi lá e mandou os gafanhotos pro mar vermelho, o coração do faraó não estava bem e endureceu de novo, e o Deus do amor mandou a praga da "treva palpável" (???), só os israelitas tinham luzes em suas casas (porque pagaram a energia em dia). O faraó disse que OK, mas pediu que não matassem as vaquinhas e as ovelhas, logo depois, o faraó teve uma dor de infarto e mudou de ideia, e disse pra Moisés parar de encher o saco dele.