24 Hour Party People

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Spoiler5.JPG ATENÇÃO! O texto abaixo pode conter (ou não) um ou mais SPOILERS!

Ou seja, além de deixar o artigo com mais pressão aerodinâmica nas retas e mais estável nas curvas de alta, ele pode revelar, por exemplo, que Shinji se torna Deus e todo mundo vira suco de laranja, ou que Morpheus não morre.

Spoiler3.jpg
Indiemo.jpg Let's see any iranian film?

Este é um artigo INDIE!

E seu maior sonho é ir para São Petersburgo.

Undersk.jpg
Wikisplode.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: 24 Hour Party People.
A Zueira Never Ends
200px-24 hour party people.jpg
Que dancinha é essa meu filho!!
umas horas ai
Direção Michael Bottomdoinverno
Elenco Steve Coogan
Murta que geme
Smeagol
Gênero Indie
Cult
Comédia
Produtora Factory Records
Lançamento 2002
Idioma Britânico Manchesteriano
Exibição Telecine Cult

Cquote1.png Você quis dizer: Fracasso Cquote2.png
Google sobre 24 Hour Party People
Cquote1.png Você quis dizer: Ecstasy Cquote2.png
Google sobre 24 Hour Party People
Cquote1.png Você quis dizer: Madchester Cquote2.png
Google sobre 24 Hour Party People

Cquote1.png Um filme sobre Tony Wilson Cquote2.png
Tony Wilson sobre 24 Hour Party People

Cquote1.png O segundo maior babaca de Manchester interpretando o primeiro Cquote2.png
Peter Hook sobre Steve Coogan interpretando o Tony Wilson

Cquote1.png Quem foi que escolheu o ator que interpretou o Bernard Sumner? PQP viu! Cquote2.png
Fã do New Order quando assistiu o filme

Cquote1.png Caraca que doidera, o cara ganha um boquete de uma puta com a murta que geme vendo e depois ela continua com ele. Só na Europa mesmo. Cquote2.png
Brasileiro assistindo 24 hour party people

Cquote1.png Quantas pessoas havia na Santa Ceia? Cquote2.png
Tony Wilson e o seu bordão chato

Cquote1.png Nós não somos donos de nada: a banda detém tudo Cquote2.png
A grande burrice do Tony Wilson com a sua gravadora Factory Records

Cquote1.png 40 MIL NUMA MESA??????? Cquote2.png
Rob Gretton brigando com Tony Wilson numa cena do filme

Cquote1.png Sabe como eu chamo a televisão? A caixa idiota. Cquote2.png
Tonay dono do bar fudido lá com a sua inteligentíssima frase

Cquote1.png Há dois Tony's, é uma questão de hierarquia, ele vai ser o Sr. Tony e eu apenas Tony. Eu preciso de credibilidade. Cquote2.png
Tony Wilson enchendo o saco por causa do Tonay numa cena

Cquote1.png Por que não o chama de Don? Que tal? Cquote2.png
Alan Erasmus sobre o comentário acima na mesma cena

Cquote1.png IAN CURTIS! LEAD SINGEEER OF JOY DIVISION...HAS DIEEED TODAAAAAAAAAY!!!! AYEEEEY!!! AYEEEEY!! AYEEEEEEEYYYY!! Cquote2.png
Velho vestido de capitão e muito louco anunciando a morte do Ian Curtis

Cquote1.png Bom, bom, bom, bom, bom, bom, superbom Cquote2.png
Shaun Ryder mostrando o nível das suas letras

Cquote1.png LUUELUUEUEEEEEEEEEY OOOOOOOOOOOOU AYUUHUEHUOEOHOEOOOU YEYEYEYEEEEEAH!!!! Cquote2.png
Carinha doidão que sempre aparece no filme quando termina um show e canta Louie Louie no microfone


24 Hour Party People é um filme/documentário britânico lançado em 2002 que conta a história do fatídico Tony Wilson e sua trupe da Factory Records que reinventaram a cidade de Manchester em meados dos anos 80 com um novo movimento musical chamado Madchester e construíram um clube chamado Haçienda que foi um ponto de encontro pra ficar doidão de ecstasy uma casa noturna. É um filme indie onde a maioria que assistiu foram os fãs das bandinhas principais do filme: Joy Division, New Order e Happy Mondays e conta mais da trajetória da Factory-merda Records do que das próprias bandas. Então se você não viu o filme e pretende ver: desista.

Enredo[editar]

Spoiler5.JPG ATENÇÃO! O texto abaixo pode conter (ou não) um ou mais SPOILERS!

Ou seja, além de deixar o artigo com mais pressão aerodinâmica nas retas e mais estável nas curvas de alta, ele pode revelar, por exemplo, que Shinji se torna Deus e todo mundo vira suco de laranja, ou que Morpheus não morre.

Spoiler3.jpg

O filme começa com o Tony Wilson fazendo um salto de paraquedas para um de seus programas na TV Granada: uma rede de televisão que só passava merda e surpreendentemente ele trabalhava lá de repórter e apresentador musical. Cansado de só apresentar as bandas pro pessoal de Manchester e de ir nos shows, após assistir uma espécie de apresentação para meia duzia de gente dos Sex Pistols e achar o som incrível, ele resolve abrir uma espécie de casa de shows para bandinhas locais. Encontra o bar de um tal de Tonay com a sua mulher e o seu amigo Alan Erasmus e posteriormente começa a divulgar o lugar no seu programa como "Factory" e assim começa a medíocre "gravadora".

No primeiro dia da abertura do bar/casa de shows, tocaram algumas bandinhas, até que chega a vez do Joy Division com o seu epilético vocalista Ian Curtis, já não indo com a cara do Tony Wilson de começo e prevendo o futuro, sem conhece-lo que ele era um babaca. Após essa cena que eles fazem a performance, Tony Wilson ganha um boquete e sua mulher o trai, sendo que não era necessário os telespectadores saberem disso já que o filme é sobre o Madchester, enfim, depois dessas cenas desperdiçadas, Tony resolve produzir a banda Joy Division e convida eles para fazerem parte da Factory Records, não assinando nenhum contrato, mas para selar o compromisso Tony escreve com o próprio sangue "Nós não somos donos de nada: a banda detém tudo". A grande burrice master da gravadora que enfim não era gravadora bosta nenhuma.

Após a "contratação" eles chamam o bicho-grilo-tapa-na-pantera Martin Hannett para produzir o disco deles que aceita e põe defeito em tudo que fazem na gravação, fazendo hora mesmo, pois ele precisava de dinheiro pras drogas dele e o Tony estava pagando do próprio bolso. Eles terminam o disco, e dentro do carro colocam no para ouvir "She's Lost Control" e todo mundo perde o controle viaja na música, alegando ser muito boa. O Sr. Wilson resolve também "contratar" umas bandinha-merda chamadas A Certain Ratio e Durutti Column só pra ver se o negoço andava.

Depois de muitas cenas, Ian Curtis tem um ataque epilético no meio de um show, assustando o pessoal todo, e uns dias depois ele se enforca com uma corda após assistir TV Granada um filme ridículo e ouvir Iggy Pop: o idiota, na sua própria casa. Ai acontece o funeral e aquela homenagem toda ao cara e depois a mulher do Tony resolve abandona-lo e blá, blá, blá, cenas desperdiçadas e chega na parte da Haçienda: a casa-noturna-boca-de-ecstasy, que gastaram 700 mil para construir e tiraram do orçamento musical, fazendo o bicho-grilo-tapa-na-pantera Martin Hannett cascar fora, pois ele sacou que o pessoal não ia mais pagar as droga dele.




Mil cenas desnecessárias depois....




O New Order, a bandinha que se formou com o resto do Joy Division, grava o seu grande hit "Blue Monday" e não vê nem a cor do dinheiro do sucesso que fez, pois eles eram sócios da Haçienda, então o dinheiro foi todo para as dívidas da casa.

Ai chega a outra parte do filme: os Happy Mondays, que segundo o filme foi formado após o vocalista Shaun Ryder, avistar um ser alienígena chamado Bez, que foi o responsável da banda ser tão narcótica e futuramente iria fazer umas danças bem loucas no palco. Tocaram numa batalha de banda na Haçienda e ficaram em último, mas o babaca Tony Wilson os contratou do mesmo jeito. Daí, eles gravam o primeiro disco, e a Haçienda enche de drogado ao longo dos anos, e começam a levar não só bandinhas, mas DJ's também, sendo valorizados e aplaudidos na casa noturna (só drogado mesmo). Aiiiiiiiiiiiii quando o Martin Hannett percebe que esse é o auge da Factory-merda Records ele volta para a trupe mais gordo do que sua mãe, para produzir um disco do Happy Mondays visando é claro: dorgas

Depois disso é só merda o filme, porque a Factory finalmente quebra, e o babaca do Tony Wilson paga mais de 8 MIL 40 MIL numa mesa ridícula de feia pro novo escritório, sendo que eles estavam devendo até a alma das dívidas do lugarzinho lá, ai vendem a "gravadora de mentira" para outra bosta da cidade, só que essa pelo menos é registrada e acontecem merdas, merdas e mais merdas.


Enfim o final: Tony Wilson fuma um cigarrinho do Shaun Ryder que era tão poderoso que ele vê Deus que é ele mesmo. ¬¬'


Personagens[editar]

Tony Wilson: babaca, ridículo e narcisista, é o personagem principal do filme, pois fundou a já citada "gravadora" e a casa noturna que mudou a cidade-favela de industriários: Manchester. Além disso, acredita que essa cidade é a Florença do Renascentismo, ou seja: nada. É namorado da murta que geme que o abandona no meio do filme e trabalha na TV Granada: A TV que explode cabeças. Gosta de música ruim e de boquetes e é interpretado por Steve Coogan que é outro babaca.

Ian Curtis: É o epilético vocalista da banda de Tony: Joy Division. É bem conturbado e tem uma dançinha própria nos shows. Morre na metade do filme após se apaixonar por uma corda e ganha depois uma homenagem. É interpretado por Sean Harris que é muito esquisito e dá medo.

Cquote1.png Eu tenho medo... Cquote2.png
Regina Duarte sobre o ator que interpretou o Ian Curtis

Bernard Sumner: Guitarrista do Joy Division e futuramente vocalista do New Order, Bernard é o personagem mais criticado pelos fãs da banda no filme. Razões:

  • O ator que escolheram é ridículo
  • Não se parece nem um pouco com o original
  • O ator usou desde 1977 o mesmo cabelo até 1990
  • Não mudou nem as roupas
  • Canta desafinado
  • Protagonizou o clipe da música oficial do filme e pra cagar mais ainda dublou a voz do original.
  • E ele é hétero

Como é um filme indie já era de se esperar que isso acontecesse.

Shaun Ryder: Nato cheirador de gatinhos e amigo do Jeremias, é o vocalista do Happy Mondays e chegado no amigo/mendigo Bez, passa metade do filme fazendo e falando besteiras. Escreve mal, passa fome, tem um nariz torto e uma voz irritante. É interpretado por Danny Cunningham que é parente do original.

o resto não importa.... são todos babacas amigos do Tony.

Fotos do filme[editar]

Ver também[editar]