A Próxima Vítima

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

A Dona do PedaçoO Sétimo GuardiãoSegundo SolO Outro Lado do ParaísoA Força do QuererA Lei do AmorVelho ChicoA Regra do JogoBabilôniaImpérioEm FamíliaAmor à VidaSalve JorgeAvenida BrasilFina EstampaInsensato CoraçãoPassioneViver a VidaCaminho das ÍndiasA FavoritaDuas CarasParaíso TropicalPáginas da VidaBelíssimaAméricaSenhora do DestinoMulheres ApaixonadasEsperançaO CloneLaços de FamíliaPor AmorA IndomadaO Rei do GadoO Fim do MundoExplode CoraçãoA Próxima VítimaFera FeridaRenascerDe Corpo e AlmaDancin' Days (1978)

Jason voorhees.jpg Este artigo é sobre um(a) ASSASSINO!

Este(a) louco(a) sadomasoquista provavelmente esquarteja suas vítimas, sofre de problemas mentais ou foi violentado(a) pelos pais. Se vandalizar o artigo, Dexter virá atrás de você!


Bandeira do Estado de São Paulo.svg.jpg Salve, truta! Este artigo é paulista: não gosta de gaúcho nem de carioca e se acha um puta trabalhador, né, meu! E não tá completo, pois o vacilão foi tomar um chôps e dois pastel, meu!


A90.jpg

Este artigo discute coisas intrínsecas aos Anos 90's!
Se você NÃO teve infância naquela época, com certeza você está no Facebook ou no Whatsapp neste instante.


Cquote1.png Ô, caralho, por que você cortou meu rosto e não meus pelos? Cquote2.png
Claudia Ohana

Cquote1.png Quem matou todo mundo? Cquote2.png
Tua mãe sobre o final dessa novela.
Cquote1.png Trágico! Cquote2.png
Senhor Omar sobre A Próxima Vitima

A Próxima Vítima será Anônimo!!!

A Próxima Vítima era uma novela da Rede Globo exibida em 1995. Segundo ela, todos podem morrer; qualquer um pode ser a próxima vítima. Até mesmo o assassino.

Como é a história?[editar]

Até mesmo candidatos a prefeitura podem ser as próximas vítimas!

Tudo começou em 1968, quando um navio tipo Titanic estava no porto de Santos, fazendo uma festinha da China, típico negócio da china (ops, isso é outra novela...), quando ocorreu de um homem, vestido de iceberg, afundar o navio com o dono dele dentro, matando-o instantaneamente. Aí, todos acharam que tinha sido um acidente, dane-se. No entanto, um babaca viu o cara se disfarçando de iceberg e disse que ia denunciá-lo pros homi. Irritado, o assassino começou a assistir filmes de Jigsaw, Jason, Freddy Krueger, Chucky, Michael Myers e Premonição (com a lista das vítimas! Esse ainda não tinha em 1995, mas dá no mesmo!) para preparar sua vingança.

Quem era o assassino?[editar]

Não sei, não quero saber e tenho raiva de quem sabe. Mas é claro que deve ser o viado do mordomo!

Mortes[editar]

  • Um foi jogado dentro de um baile funk e morreu após ser atacado por bundas gigantes (ou seja, teve um infarto emocional).
  • Outro tomou água sanitária achando que era um uísque, e se ferrou.
  • Uma morreu depois de um ataque histérico, após suas unhas serem quebradas.
  • Uma se afogou numa poça de lama rasa.
  • Um levou um piano na cabeça e, achando que era igual desenho animado, simplesmente esperou o trambolho cair na cabeça dele.
  • Tua mãe morreu após se cansar para descobrir quem diabos era o assassino.
  • Teu pai morreu após tentar pular o muro do Projac para tirar satisfações com o Silvio de Abreu e caiu de 30 metros de altura.
  • Você morreu após ler esse artigo. (ou seja, pode ir dando adeus à vida; após o fim desse artigo você estará morto!)

"Como assim?"[editar]

Veja a mira da pistola em cima de você:

"Que mira?"[editar]

BANG! BANG!

"ARGH!"[editar]

Cquote1.png Lamentamos informar, mas o leitor desse artigo acaba de ser a próxima vítima!!! Cquote2.png
Plantão da Globo sobre você.

Elenco[editar]

Ator Personagem
José Wilker Marcelo Barreto Rossi, um safadão traíra, pegador de todas e mais algumas. Sempre é confundido com o assassino, mas não é ele.
Susana Vieira Ana Carvalho Menezes Rossi, um dos casos de Marcelo, tem 3 filhos com ele (na verdade dele são só 2, o outro é bastardo). Pizzaiola de quinta, vive descabelada e falando alto feito doida. Nasceu em Minas, mas fala com sotaque italiano. Típico papel de Susana Vieira, claro...
Cláudia Ohana Isabela Ferreto Vasconcelos, uma piriguete numa família rica, metida a dona do mundo e outro dos casos de Marcelo. Ela também pegou outros 2 personagens dessa novela e poderia ter pego mais, não tivesse ela uma boceta cabeluda ficado com uma puta cicatriz na cara após trair o Marcelo com um de seus amantes, o Bruno. Matou uma, e ajudou a matar outra, mas foi só; não é a assassina principal, portanto. E daí, todos os homens queriam ver a novela só por ela...
Tony Ramos Juca (José Carlos Mestieri), um feirante que gostava muito da Ana, até fez um filho nela (só não sabia disso), só que cansado de dar em cima da pobretona, decidiu dar o golpe do baú e se juntou com a ricaça da Helena, a "gostosona".
Aracy Balabanian Filomena Ferreto Giardini, uma "poderosa chefã" italiana, podre de rica e ambiciosa para cacete. Não é a assassina, mas se dependesse dela, ela mesma mataria todos os personagens da novela por serem todos inúteis (menos a sua sobrinha Isabela, a "bambina").
Gianfrancesco Guarnieri Eliseo Giardini, marido da Filomena, curtia dar umas saídas com uma gostosa chamada Solange Lopes, mesmo sem ter grana para pagar essa putinha. Morreu sufocado após ligar o carro com a garagem trancada, ficando sufocado. Na segunda versão da novela, ele é um dos assassinos também, mas quem se importa?
Tereza Rachel Francesca Ferreto Rossi, esposa verdadeira do Marcelo, velha decrépita e revoltadinha. A causadora de toda a desgraceira da novela, pois pediu para um de seus 3 amantes (ou mais, sei lá) matar o seu antigo marido, Gigio. Após isso começa a putaria toda que segue pelo resto da novela. Se fingiu de morta para não morrer de verdade e depois de descoberta ainda ficou chamando todos de abutres.
Lima Duarte Zé Bolacha (José Mestieri), caminhoneiro pedófilo e tarado, pai do Juca e pai de criação do Marcelo. Queria comer a Irene, mas não deu. Todo mané que assistia essa novela achou que ele era o assassino, porque ele sempre agia feito maluco. Erraram feio, manés!
Yoná Magalhães Carmela Ferreto Vasconcelos, uma das 4 irmãs Ferreto, sendo a mais novinha da família (mas nem por isso deixava de ser uma velha acabada). Deu um golpe junto com seu marido (ou ex-marido, sei lá), Adalberto, para catar parte da empresa da família das mãos da Filomena. Traiu o marido com um motorista da família.
Rosamaria Murtinho Romana Ferreto, a quarta e esquecida irmã Ferreto. Vive viajando pelo mundo com seu "filho" Bruno (que na verdade é amante dela - incesto é feio, porra!). Tomadora de calmantes mesmo sem sua vontade, morreu após tomar uma dose boa disso e ir brincar na piscina com o Bruno.
Cecil Thiré Adalberto Vasconcelos, marido da Carmela, um verdadeiro inútil e aproveitador. Na primeira versão da novela, ele é o responsável por 90% das mortes da novela (e sim, ele era o assassino misterioso da lista chinesa). Na segunda versão, ele é só um inútil mesmo.
Vivianne Pasmanter Irene Ribeiro, uma filhinha de papai que sabe-se lá porque chongas quer virar investigadora. ACHA que descobriu tudo do mistério da novela - iludida a menina, não? - e no final casa com o Diego Bueno. (quem?)
Marcos Frota Diego Bueno, um babacão que tomou um chifre da Isabela no dia do casamento deles. Depois não importa muito sobre ele, só o fato dele ficar "IRENE, PARA DE SE METER COM POLÍCIA, CARAI!"
Paulo Betti Olavo Rodrigues de Melo, investigador pamonha que nunca descobria porra nenhuma. Dizem que ele descobriu o misterioso Assassino da Lista Chinesa, mas isso é coisa de novela, quem acredita nisso?
Natália do Valle Helena Braga Ribeiro, uma coroa gostosinha e esposa de Hélio, um advogado filho da puta traíra. Ela casou com ele por pura sorte, já que sua irmã Júlia era bem mais gostosa que ela na época e tentou dar pro Hélio anos antes. Depois que enviuvou, tentou dar pro Olavo, mas viu que a pistola dele era pequena demais, e ficou com o Juca no final.
Reginaldo Faria Paulo Soares/Arnaldo Roncalho, um puto que ninguém lembraria (ainda mais por ter DOIS nomes), até porque esse mané morreu atropelado na primeira cena da novela.
Glória Menezes Júlia Braga, uma ex-gostosa que tentou várias vezes salvar seu sobrinho das garras do vício em maconha cajuzinho. Morreu após tentar fugir logo que percebeu que iam matar ela, mas mesmo assim ela morreu mesmo assim. Hã?
Francisco Cuoco Hélio Ribeiro, advogado escroto e safado, ganhou muito dinheiro após um caso impressionante (o de ocultar o responsável pela morte de Giggio de Angelis), mas vivia dando couro na cabeça da esposa. Morreu após confundir xixi de rato misturado com chumbinho com uísque alemão e morreu.
Maria Helena Dias Leontina Mestieri; dane-se quem é ela, morreu após cair de um cavalo.
Carlos Eduardo Dolabella Giggio de Angelis, o pai do filhinho de papai primeiro marido oficial da Francesca. Sua morte em 1968 foi a causa de todas as outras que se seguiram após ele mesmo. Que desgraçado! Morre e ainda fode todo mundo!
Otávio Augusto Ulisses Carvalho, falso cozinheiro e comparsa do assassino, morreu após fumar maconha no depósito de gás da pizzaria. Na segunda versão da novela, tudo isso é mentira, porque ELE era o assassino. Ele morreu mesmo após achar que uma arma que tava na delegacia tava carregada de festim e atirar contra sua própria cabeça.
Vera Holtz Quitéria Quarta-Feira, uma puta-paga por opção (sim, isso não é piada), dá pros outros por vontade própria. O tio Vitinho até tentou comer, mas não conseguiu, mesmo pagando. Diziam que ela ia morrer, mas desistiram porque a Associação das Putas Pagas do Brasil ameaçou processar a Globo.
Alexandre Borges Bruno Biondi, um gigolô de quinta que fingia ser filho da Romana para comer ela pegar a grana dos Ferreto. Comeu a Isabella e matou a Romana (e na segunda versão da novela o Eliseo também). Na segunda versão da novela, descobriram que ele era filho do Ulisses, que nem se chamava Ulisses, que mesmo quando o Olavo descobriu que não se chamava Ulisses ainda o chamou de Ulisses, e essa porra é toda uma merda.
Nicette Bruno Nina Jiovanni, uma solteirona velha para cacete. Só conseguiria um namorado na vida, um tal de Astrogildo aí...
Flávio Migliaccio Tio Vitinho (Vitório Jiovanni), um velho descabelado e escroto que curtia viver na punheta em cinemas pornô. Também conhecido como Pedra.
Zezé Motta Fátima Noronha, Xica da Silva esposa de um empresário respeitado e cheia das grana (coisa rara, negros ricos em uma novela). Ignorem qualquer outra informação.
Antônio Pitanga Cléber Noronha, marido da acima citada. O único que sabia desde o início que ia morrer nas mãos do assassino. E ele morreu mesmo. Sua morte foi uma das mais cômicas da história (típica de negro em cinema americano): caiu no poço de um elevador e seus sapatos foram contratados pelas Sapatos Airlines, após uma execução fabulosa de voo em dupla.
Vera Gimenez Andréa Barcellos, uma secretária dos Ferreto e acobertadora das putarias da Isabella. Foi morta por esta após falar mais do que devia sobre as aventuras sexuais da menina e por entregar que ela tinha a boceta cabeluda.
Liana Duval Ivete Bezerra, uma velha safada que fingia para todo mundo que era uma inválida, mas tal como a filha Quitéria, vivia rodando bolsinha por aí à noite. Morreu depois de tomar uma pauladentrada no rabo.
José Augusto Branco Josias da Silva, um garçon meio derrubado, com um filho bandido e traficante. Morreu após escorregar numa nasca de bacana e cair na linha do trem, sendo transformado em carne moída.
Lídia Mattos Diva; não lembro que é essa puta. Parece que era a empregada dos Ferreto, ou governanta, para ser politicamente correto. Já para Romana, é só "gente mixa".
Élcio Romar Investigador Eurípedes Lopes, quem? Ah, ele é o banana que começou a investigar as mortes, mas era tão imbecil que esqueceram logo dele.
Patrícia Travassos Solange Lopes, uma safadinha que dava para todos com dinheiro na novela.
Edgard Amorim Marioldo... era o investigador auxiliar do Olavo, e atendedor de telefone nas horas vagas.
Mila Moreira Carla, uma ricaça metida a fodona e típica Sônia Abrão e arroz-de-festa.
Lugui Palhares Adriano Raposo do Amaral, o mulequinho que a Carmela decidiu dar para ele.
Norton Nascimento Sidney Noronha, um dos filhos do Kléber Noronha, dane-se.
Andréa Avancini Teca... afffffff, só aparecia uma vez perdida.
André Gonçalves Sandrinho (Sandro Carvalho Rossi), um dos dois gays da novela e futuro Casa dos Artistas.
Lui Mendes Jefferson Noronha, o namorado do citado acima. Era até um pouco mais machinho que o outro, o que levanta suspeitas de ele ser o gay ativo da dupla.
Isabel Fillardis Rosângela Moraes, uma empregadinha gostosa e nada mais.
Roberto Battaglin Cláudio Ramos. QUEM?
Georgiana Góes Iara Mestieri, filha do Juca e namorada do viciado citado abaixo. Falava tudo errado, mas como o drogadinho tava sempre lombradão, gostou dela e eles namoraram.
Pedro Vasconcelos Lucas Braga Ribeiro, um viciado em drogas maluco, que só se liberta por pura cagada.
Eduardo Felipe Giulio Carvalho Rossi, filho bastardo do Marcelo. Na verdade é filho do Juca.
Marcelo Barros Cuca, filho da puta Cuca? Ou do Seu Cuca?
Catarina Abdalla Marizete, a única capaz de querer dar pro Vitinho.
Vítor Branco Alfredo, o porteiro e motorista principal dos Ferreto. Ganha uma nota na loteria e fica ricão. Apesar disso, o ator é tão inútil que nem na Wikipédia tem artigo dele (e nem aqui, possivelmente).
Selton Mello Tonico (Antônio Carlos Mestieri), não lembro que porra o Selton fazia nessa novela, na boa.
Deborah Secco Carina Carvalho Rossi, uma das filhas do Marcelo com a Ana (a outra é o Sandrinho). Pediu "SOCORRO" a novela toda, mas foi a única que não morreu.
Camila Pitanga Patrícia Noronha, gostosa. Só isso.
Nizo Neto Marco; porra cara, têm altos personagens que eu nem faço ideia.
Patrick de Oliveira Arizinho; puta merda viu, quem? Ah, o menino que dublou o Simba, e depois sumiu. Onde caralhos ele se enfiou?
Washington Gonzales Duda Maluco, o traficante da novela.
Hilda Rebello Dona Zulmira. Uma velha inútil que só ficava comendo de graça no restaurante da Ana. Ganhou o papel por nepotismo, pois a atriz é mãe do diretor Jorge Fernando.

Elenco de apoio[editar]

Quem se interessa por isso?

Participações especiais[editar]

  • Antônio Fagundes: Com o nome "Astrogildo", conseguiu ficar mais pobre do que fazendo caminhoneiro em Carga Pesada. Só aparece no final para namorar com a Nina;
  • Cláudia Raia: Ninguém disse qual o nome da personagem que ela faria, mas só sei que o Olavo tenta comer ela, mas ela morre no fim da novela sem explicação alguma. Será que existe outro assassino? Veremos em "A Próxima Vítima II - Procurando Por Mais IBOPE".

Trilha sonora[editar]

  • Com dois volumes lançados e, CD, LP e K7. No disco nacional, destacam-se os sucessos Pacato Cidadão (Skank) e Catedral (Zélia Duncan), versão da Tanita Tikaram para Cathedral Song, além de dois temas em italiano. No álbum internacional, destaque para Black Roses (Inner Circle), I Got a Name (Jim Croce) e quatro canções do gênero eurodance, em alta naquela época.

Nacional[editar]

Capa: Camila Pitanga

  1. Quem é Você - Simone
  2. Sereia - Lulu Santos
  3. Pacato Cidadão - Skank
  4. Trilhas (Traces) - Guilherme Arantes
  5. Happy Hour - Eduardo Dussek
  6. Aliás - Djavan
  7. Vítima - Rita Lee e Roberto de Carvalho (tema de abertura)
  8. Pareço um Menino - Fábio Jr.
  9. Aleluie-me Baby - Bad Girls
  10. Catedral (Cathedral Song) - Zélia Duncan
  11. Alguém Que Olhe Por Mim - Cauby Peixoto e Ângela Maria
  12. Io Che Amo Solo Te - Sergio Endrigo
  13. Estação São Paulo - Adryana Ribeiro & Da Garoa
  14. E Lucevan le Stelle - Fernando Portari

Internacional[editar]

Capa: Selton Mello
1. Black Roses - Inner Circle
2. I Live my Life for You - Firehouse
3. Be my Lover [radio edit] - La Bouche (também conhecida como "música da Arara")
4. I Got a Name - Jim Croce
5. More Than a Woman - Flava to da Bone
6. Bizarre Love Triangle - Frente!
8. Let's Stay Together - Bobby Ross Avila
9. Holding On to You - Terence Trent D'Arby
10. Be Around the World - East 17
11. That's the Way (I Like It) - Double You
12. Independent Love Song - Scarlet
13. Tough Girl - Martine
14. Fotonovela - Alexis de San Nicolas

Abertura[editar]

Com a sutileza de um furacão
Você vai tomando conta do meu coração, baby
Com o sangue frio de um torturador
Eu planejo passo a passo atacar seu amor, baby
Com o jeito estranho de um cara normal
Chego perto do seu corpo acariciando um punhal
Com a boca seca num deserto sem fim
Nem me toco que você é só miragem pra mim, baby

Cquote1.png “Sou temperamental, às vezes passo mal no meio da festa Detesto multidão, conheço tanta gente sem atração…” Cquote2.png

Do meu esconderijo no milésimo andar
Espio noite e dia sua vida secreta
O frio de São Paulo me faz transpirar
Sou vítima… vítima…
Vítima... da sua janela indiscreta

Ver também (se você ainda tiver vivo)[editar]