Abbas Sofian

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Jason voorhees.jpg Este artigo é sobre um(a) ASSASSINO(A)!

Este(a) louco(a) sadomasoquista provavelmente esquarteja suas vítimas, sofre de problemas mentais ou foi violentado(a) pelos pais. Se vandalizar o artigo, Dexter virá atrás de você!

Donramontaliban.jpg

"Vai tomar no cu", em árabe
Brimo, este artigo é árabe!
Certamente, o autor louva Alá e come esfirra, sem dar ré no quibe.

Death99.png Abbas Sofian já morreu!

Vai zoando, o próximo pode ser você!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno


Cquote1.png Você quis dizer: Vandal Savage Cquote2.png
Google sobre Abbas Sofian
Cquote1.png Viado desgraçado, matou meu filho! Cquote2.png
Altaïr ibn-La'Ahad sobre Abbas Sofian


Abbas Sofian é um dos infinitos infelizes que estão filiados na Ordem dos Assassinos com carteira assinada, e faz parte da série de jogos Assassin's Creed. Caracterizado por ser um fracassado que por algum milagre veio a se tornar um mentor, Abbas Sofian é conhecido por seus constantes golpes de estado e motins pessoais que sempre resultam em sua própria humilhação, sobretudo, diante de Altaïr, que sempre o owna e o faz pagar mico na frente de todos os outros integrantes da Ordem.

História[editar]

Abbas Sofian não fazendo absolutamente nada que se tire algum proveito, apenas parado olhando para o nada.

Abbas Sofian nasceu em um beco escuro da Síria no ano de 1176, filho de um árabe figurante com uma mãe desconhecida. Começou a treinar em Masyaf, o local para onde eram despachados todos os vagabundos que não queriam trabalhar nas lavouras e fazendas da época e optavam por se tornar assassinos. Abbas teve uma infância muito difícil, pois sua mãe morreu de leptospirose ao andar descalça pelos esgotos do lugar, sendo que na época tudo ficava exposto à céu aberto, uma vez que não existiam fossas sépticas e saneamento básico (coisa que faz falta no Brasil até hoje). Por ter ficado orfão cedo, passou a infância toda adotando uma cabra como principal e única figura materna.

Quando Abbas Sofian atingiu os 10 anos de idade, presenciou a primeira batalha de sua vida. Um grupo de traficantes conhecidos como sarracenos invadiram Masyaf em busca de vingança contra os assassinos, que estavam assassinando razoável porcentagem de seus principais clientes, os Templários, o que por conseguinte diminuía a clientela e reduzia os lucros gerados com o tráfico ilegal de camelos e dromedários (sobretudo para o consumo, já que o clima do lugar não favorecia muito a agricultura e às vezes eles eram obrigados a se alimentar de petróleo, muito abundante na região).

Os traficantes atacavam a cúpula dos assassinos à cada duas horas, e nesse meio termo, se alojavam em acampamentos do outro lado da montanha, onde elaboravam estratégias de ataque das mais diversas. Então, o pai figurante de Abbas ao lado do pai de Altaïr, foram convocados para entrarem de penetras no acampamento dos traficantes, assassinar seus líderes para desestruturar a invasão e fazer os traficantes fugirem com o rabinho entre as pernas. Porém, os traficantes de alguma forma tem conhecimento da presença inimiga no acampamento, e antes de ser capturado, o pai de Altaïr assassina o líder do morro dos traficantes e foge do acampamento o mais rápido possível. Porém, o pai de Abbas é capturado e após longas sessões de tortura sendo obrigado a ouvir CD's dos ancestrais da banda Restart, acaba traindo a Ordem dos Assassinos e revelando o culpado.

Após a captura do pai de Altaïr e de sua execução, o jovem se dirigiu até o pai de Abbas, e começou a xingá-lo e jogar na sua cara o quanto o desgraçado era um traidor. Toda a pressão psicológica levou o pai de Abbas a se suicidar por não conseguir conviver com a culpa pela grande burrada que fez. Altaïr então, na maior cara de pau, foi até Abbas lhe passar a notícia com um sorriso no rosto, já que o pai de Abbas teve o que mereceu. A notícia pegou Abbas de surpresa, que após ficar um dia inteiro chorando a morte do pai, adquiriu uma raiva secreta pela Ordem dos Assassinos, mas que só foi descobrir isso mais tarde quando passou a ter fantasias onde todos os membros da Ordem dos Assassino sendo devorados por ursos selvagens.

Cquote1.png Porra, Altaïr, vai ficar aí parado o dia inteiro ou vai vir me ajudar de uma vez com esses templários, caralho? Cquote2.png

No dia seguinte, já mais calmo, Abbas passou a ser iniciado na Ordem dos Assassinos junto com Altaïr sob a falta de instrução de Rashid ad-Din Sinan, que lhes ensinou tudo o que precisavam saber sobre o ofício de assassino. Abbas foi apresentado ao básico da crença dos assassinos, e foi ingressado no incrível mundo do Le Parkour, aprendendo a saltar sobre os mais variados manumentos, telhados de igrejas, árvores e montanhas. Apesar disso, Abbas desde pequeno sempre teve inveja de Altaïr pelo mesmo ser melhor em tudo aquilo que fazia.

Certo dia, Abbas, devido a constante rivalidade que tinha com o Altaïr, ficou paranoico, e de uma hora para outro, começou a levantar a hipótese de que de alguma forma, Altaïr teria contribuido para morte de seu pai. Sua rivalidade com o jovem passou a se sustentar nesse pretexto, e Abbas ficou motivado a treinar unicamente para atacar Altaïr e se possível, matá-lo. Certo dia, acreditando-se apto o suficiente para derrotar Altaïr numa batalha, Abbas se dirige até o mesmo e o ataca com todas suas forças, com o intuito de derrotá-lo. Infelizmente, Altaïr, como sempre, msotrou sua superioridade ao aplicar uma surra divina em Abbas, humilhando-o na frente de todos os demais companheiros assassinos, virando a piada do ano dentro da ordem. Desse dia em diante, Altaïr passou a ver Abbas não mais como um companheiro de assassinatos, e sim como um alvo inimigo.

Vida de assassino[editar]

Abbas se deliciando com uma boa taça de sangue vinho.

Alguns anos mais tarde, todo mundo já tinha se esquecido do ocorrido, e ninguém mais zombava da cara de Abbas pelo vexame público pelo qual ele passou alguns anos antes. Além do mais, ninguém mais tinha tempo de se preocupar com aquilo, pois haviam coisas mais urgentes que mereciam atenção: a quantidade de templários teve um gradativo crescimento naquela época, e os mesmos passaram a se aliar aos padres católicos que queriam dominar Jerusalém e estabelecer lá suas prerrogativas ditatoriais em nome de sua religião, se apropriando do dízimo para extorquirem todas as riquezas dos habitantes de lá, que seriam obrigatoriamente ingressados no catolicismo. Como Masyaf era aliada da terra santa, coube à boa parte dos assassinos se dirigir para Israel e lá combater os templários e padres, dando início a uma sangrenta batalha entre os grupos.

Nesse mesmo ano porém, um dos assassinos revela-se como sendo um templário, e descobre-se que o ataque à Jerusalém não passou de um grande complô de sabotagem, e como os trouxas foram todos para Israel, a cidade de Masyaf ficara completamente desprotegida, com apenas 10 assassinos de guarda. Enquanto os assassinos enviados sofriam com uma emboscada em Israel organizada pelos católicos, uma porrada de templários se dirigia até Masyaf, com o intuito de assassinar os únicos assassinos que la restavam e dominar o lugar. Porém, para a infelicidade dos mesmos, um desses 10 assassinos era o próprio Altaïr, que praticamente sozinho, expulsou todos os templários do lugar, evitando a queda dos assassinos. Em vista desse grande feito, Altaïr foi promovido à Assassino-mor, deixando Abbas completamente verde de inveja. Abbas de tão puto, chegou a cuspir em Altaïr, dada a proporção de seu olho gordo.

Cquote1.png Droga, Altaïr, pra que diabos vai queimar esse defunto? Não está vendo que assim esse fedor desgraçado vai contaminar toda a cidade? Cquote2.png

Alguns anos mais tarde, Altaïr foi enviado para capturar uma maçã apodrecida que acreditava-se possuir poderes mágicos, e que se seria um verdadeiro perigo nas garras inimigas. Como Altaïr acaba caindo no sono no meio do caminho e decide dormir em cima de uma carroça de feno, ele fracassa, e volta para Masyaf com as mãos abanando. A primeira reação de Abbas foi a de xingar Altaïr numa recepção calorosa e amigável, chamando-o de burro e imprestável. Altaïr então se prepara para assassinar Abbas, mas esse, assustado feito uma galinha medrosa diz que foi tudo brincadeirinha.

Foi então que Abbas novamente passou a tramar contra Altaïr. Assim que o mesmo virou as costas, o infeliz se dirigiu até uma cidade próxima dominada pelos templários, e escreveu carta para os mesmos xingando suas mães, falsificando a assinatura e assinando com o nome de "Altaïr". Putos com aquilo, os templários saíram da cidade que dominavam e resolveram atacar Masyaf em busca do responsável, dando origem mais uma grande batalha na cidade. Novamente Altaïr expulsa todos os inimigos de lá, porém Abbas solta seu veneno e explica toda a causa do problema, atribuindo à Altaïr a culpa de toda aquela situação. Altaïr então foi levado a julgamento e rebaixado de Assassino-mor para novato em vista de sua suposta má conduta. Enquanto isso, Abbas assistia ao julgamento aos risos enquanto presenciava a desgraça alheia, ao passo que Abbas foi promovido à mentor-chefe por ser ser um fofoqueiro revelar a verdade.

O complô[editar]

Abbas sendo corrompido pelo poder da maçã apodrecida.
Abbas se auto-promovendo numa carta de baralho.

Após batalhas e mais batalhas, Altaïr passou a lutar para recuperar toda a honra e a dignidade dos assassinos. Porém, enquanto Altaïr dava duro fazendo tudo o que fosse necessário para conseguir recuperar sua fama de melhor assassino de sua época, Rashid, o suposto mentor de Altaïr, tramava a dominação de toda Masyaf com os poderes da maçã apodrecida, que lhe foi entregue por ele na verdade ser um templário disfarçado. Vendo uma ótima oportunidade de ter uma participação razoável no poder, Abbas tornou-se o puxa-saco oficial de Rashid, fazendo tudo o que o mesmo mandava.

Altaïr, ao voltar de uma missão humilhante que consistia em pegar 10 galinhas fugitivas da fazenda de Rashid, descobre que o mesmo se tratava de um grande traidor que pretendia usar o poder da maçã apodrecida para dominar toda Masyaf, e o assassina quando o mesmo vai tomar um ar puro na varanda de sua casa. Em seguida, pega o cadáver do velho e se dirige até Abbas, explicando tudo o que se passava. Porém, para a surpresa de Altaïr, Abbas liberou uma risada maligna e agradeceu a Altaïr por se livrar daquele velho inútil, que estava atrapalhando seus planos. Logo, Abbas toma posse da maçã apodrecida e dá-se início a uma guerra interna entre os assassinos de Abbas e os assassinos de Altaïr.

A batalha terminou com a derrota de Altaïr e sua gangue, sendo que ele e sua família foram exilados para a Mongólia, onde viveriam por 20 longos anos. Sem Altaïr para lhe impedir, Abbas estava livre para fazer o que desse na telha, e usando o poder da maçã apodrecida, dominou toda Masyaf, estabelecendo uma verdadeira ditadura da qual ele seria o líder. Ainda por cima, mandou um de seus escravo capangas executarem o filho mais novo de Altaïr, que tinha ficado em Masyaf escondido debaixo da cama até ser encontrado.

Durante a ausência de Altaïr, Abbas deu início a um reinado de Terror em Masyaf: os impostos aumentaram, o tráfico de drogas passou a ser legalizado, a prostituição tomou conta das ruas, os mendigos foram obrigados a trabalhar nas plantações de arroz sem direito a um salário ou à férias, a corrupção passou a habitar cada beco sujo da cidade e ainda por cima, originou-se uma grande parceria da cidade com os padres católicos, que passaram a deter uma parcela do poder e ajudar a dominar a população com seu fanatismo sensacionalista.

Porém, Altaïr não podia esperar 20 anos de mãos atadas enquanto um traidor fazia de gato e sapato a cidade onde passou os melhores momentos de sua vida. Altaïr então reuniu um grupo de vagabundos que quebravam os vidros das escolas e mais alguns assassinos também renegados, e deu origem a uma invasão em pequena escala à cidade de Masyaf ao lado de sua esposa. Chegando lá, Altaïr finalmente ficou cara a cara com Abbas. Isso não significava nada, pois Abbas, por ser um covarde, só sabia enviar seus capangas para atacar Altaïr. Porém, Altaïr tem um ataque de fúria quando um dos servos de Abbas mata sua esposa. No momento de fúria, Altaïr mata o servo e mata todos os demais seguidores de Abbas. Altaïr estava disposto a perdoar Abbas e deixá-lo viver, porém, muda de ideia repentinamente quando o mesmo o chama de "filho da puta", acertando-o com um tiro de pistola.

Curiosidades[editar]

  • A morte do pai de Abbas foi de grande impacto no psicológico do infeliz, porém, o que contribuiu para sua paranoia, é que toda noite em que ele resolvia deitar-se para dormir, ele era visitado por um bom velhinho conhecido como Freddy Krueger, que ficava atormentando-o sempre que podia, lhe fazendo ter a visão de seu pai se suicidando consecutivas vezes.
  • Abbas na verdade atua como um verdadeiro figurante no jogo Assassin's Creed, porém, ele representa um papel razoavelmente importante no livro Asssassin's Creed - A Cruzada Secreta. Inclusive, por ser um completo inútil nos jogos, só sabe-se que seu nome é "Sofian" pro causa do livro.
  • Acredita-se que Abbas, dada a grande semelhança, seja na verdade o próprio Vandal Savage nos primeiros anos de sua interminavelmente inesgotável vida.

Ver também[editar]