Acadêmicos do Grande Rio

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Jamelão Mangueira.jpg

"QUEM VAI-VAI VER A MANGUEIRA ENTRAR?"
"Quem não gosta de samba, bom sujeito não é: ou é emo, ou funkeiro, ou paulista, ou mané!"

Este artigo é sobre Carnaval. Pode também ser sobre uma escola-torcida, mas se você não é do samba, não vandalize. Seja engraçado e não apenas idiota, ou Sólon Tadeu vai atrás de você!
NewBouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Acadêmicos do Grande Rio.

Cquote1.png Foi um Grande Rio que passou em minha vida Cquote2.png
Famosa canção de Paulinho da Viola, sobre a sua escola do coração

Cquote1.png Você quis dizer: Grande Globo Cquote2.png
Google sobre sobre a Grande Rio

Cquote1.png Se a Grande Rio Chamou, eu vou! Se o assunto é coisa de pele, eu tô! Por isso bota a camisinha, bota meu amor, foi o velho guerreiro quem mandou! Cquote2.png
refrão antológico da Grande Rio

Cquote1.png Na apuração alegria e dor! Tristes dois décimos, e Vila Isabel levooou Cquote2.png
samba da Grande Rio 2006

O GRES Acadêmicos do Grande Rio é uma escola de samba carioca duquecaxiense, ligada à torcida organizada do Fluminense, conhecida pelo luxo, não de suas alegorias, mas dos relógios com os quais costumava presentear os jurados da LIESA. Também é a escola do coração de 8 entre 10 artistas da Globo (os outros 2 são Beija-Flor), sendo que destes, 7,9 não conseguem nem mesmo cantar o samba-enredo da escola até o fim. A escola tem como suas cores o vermelho, o verde e o branco, sendo que o vermelho representa a raiva dos sambistas (das outras escolas, é claro) injustiçados no Carnaval, e o verde, a cor das notas de dólar.

Os acadêmicos entrando no Grande Rio

Apesar de ser uma escola de fora da cidade do Rio de Janeiro, a Grande Rio se tornou uma agremiação carioca da gema depois de ser adotada pela comunidade de Jacarepaguá, mais especificamente a do sub-bairro de Vila Projac

Camarote da Brahma, jogando água no chope dos sambistas.

História[editar]

Pavilhão da Acadêmicos do Grande Rio.

A história da Grande Rio remonta à época onde Tenório Cavalcanti comandava com mão-de-ferro a Liga dos Blocos de Enredo de Duque de Caxias. Naquela época, a Unidos de Vila São Miguel era a agremiação mais famosa da cidade, e disputavam com ela outras grandes entidades do mundo do samba, tais como: Unidos do Lixão, Acabemos com o Grande Rio, Bafo de Bode da Feirinha de Caxias, Cartolinhas de Caxias e Explosão da Vila Beira-Mar.

A Vila São Miguel, além de ser a escola mais poderosa da cidade, contava com artistas globais como Zé Wilker e Suzana Vieira (na época em que ainda eram pobres e tinham que se contentar em desfilar em Caxias). Após um hepta-vice-campeonato, os dirigentes das escolas Acabemos com o Grande Rio e Cartolinhas de Caxias decidiram se fundir para dar origem a Grande Rio atual, que decidiu se inscrever na associação carioca.

Foi assim que a Grande Rio chegou ao Grupo Especial no início dos anos 90, onde permaneceria por toda a década sem incomodar ninguém.


A escola chegou a contratar Joãozinho Trinta, alugou um astronauta da NASA para voar no Sambódromo, presenteou jurados com relógios caríssimos, mas nada parecia que adiantaria para fazê-la campeã.

Cquote1.png Meu bem, lições de amor, o povo do Oriente ensinou Cquote2.png
samba da Grande Rio, 2004, sobre a cultura de povos do oriente

Em 2004, após "dar um banho de cultura" na avenida com um desfile sobre práticas milenares da religião Fudista, a Grande Rio teve suas alegorias censuradas. O presidente da escola, embora soubesse desde o início sobre o que elas se tratavam, decidiu por toda a culpa pelo fracasso no pobre-coitado do Joãozinho, que acabou demitido. Mas a Grande Rio não desistiu de tentar conquistar o caneco mesmo assim, pois foi adotada pela comunidade de Vila Projac, que fica bem próxima è tradicional favela da Portelinha, berço de sambistas do horário nobre.

Em 2006, com um criativo (!!) enredo sobre a Amazônia, a Grande Rio estava confiante de que iria conquistar o caneco, afinal, ninguém mais aguentava a Beija-Flor campeã pela quarta vez consecutiva, e todos sabiam que Paulo Barros seria garfado mais uma vez.

No entanto, os sambistas globo-caxienses não contavam que um estouro de tempo lhes tiraria dois preciosos décimos, que deram a vitória à Vila Isabel de Hugo Chavez.

Em 2007, porém, a Grande Rio não se deixou abater e veio novamente forte, ficando em segundo lugar, perdendo apenas para a Beija-Flor, (afinal, esta mesmo sendo escola da modinha, ao menos tem comunidade presente). Após a prisão de Anísio Teixeira, patrono da Beija-Flor, parece que uma nova vitória da azul-e-branco de Nilópolis seria muita cara-de-pau, logo, por uma questão de hierarquia, a Grande Rio passou a ser novamente a favorita ao título do Carnaval carioca.

Grande samba da Grande Rio - 2007[editar]

Aqui rola componente sem paixão,
Ninguém sabe nem a letra e nem sambar de pé no chão.
Nem o Zeca Pagodinho foi capaz de nos levar
Mas com um pouco mais de grana o carnaval vou faturar!

"Vou falar da minha Terra (GlobôÔÔ)
Aquela grande lixeira...
Vou sair lá do lixão
e um jurado da LIESA vou comprar
ái que enredinho "popular"
coisa para global sambar
virou um puleiro
Quem não gostou (Ô ô)
foi o Salgueiro
que fez o melhor desfile
e não ficou nem em terceiro
E o Paulo Barros
ficou tão tristão
reclamou com o sindicato:
'segunda vez, eu não aguento isso mais não!

Minha escola tem dinheiro e muito global
e tem até estrangeiro que vem desfilar
E o povo caxiense que fica de fora
Não faz nada pra mudar, pra melhorar
É o Jaider que decreeeeeeeta...
E a voz do povo ja pereceu!
E não mude de estação
Que a Unidos do Projac ainda não venceu!

"Comprei o enredo e quero Camarote Número 1 na letra do samba, to pagaaaando!!!"


Quando a coisa tava preta
ninguém se lixava
Aí a Globo foi chegando
E animando a caxiada!
Salve a Patrícia Pilar
O Fagundes diz no pé!
Tem até o Zé Colméia,
Só não desfila quem não quer!

Quero falar a verdade
Na sinceridade
Não temos raiz
A nossa folia
É toda da Globo
e o nosso povo fica a assistir...
A nossa Duque de caxiiiiiiiiias
Nunca foi muito de revelação.
Tiramos o Wander lá na Mocidade
Com a promessa de pagar meio milhão...

Nova derrota em 2008[editar]

Apesar do favoritismo, em 2008 uma onça sem cabeça e um desfile que mais parecia a São Silvestre fizeram com que a escola perdesse alguns poucos pontos (perto da São Clemente não foi nada), o suficiente no entanto para terminar em terceiro lugar.

Para o presidente de fato de honra da entidade, Jaider Soares, o bode expiatório da vez foi o intérprete Wander Pires, que também acabou demitido. No entanto, para o próximo ano a Grande Rio deverá tentar manter a sua tradição de enredos vendidos, pedindo dessa vez o patrocíno para alguma fábrica de automóveis que lhe arrume um carro que não deixe na mão.

Carnaval vendido em 2010[editar]

Escola de enredos prostituídos patrocinados, a Grande Rio passou de todos os limites do bom-senso sambístico em 2009, quando anunciou, para o ano seguinte, que seu enredo seria o Camarote da Brahma, tentando convencer a todos que pode dar samba um enredo falando sobre um local onde se toca funk, techno, house, e outros tantos ritmos não-carnavalescos, recheado de gente que não ta nem aí pro desfile e só quer aparecer as custas do carnaval.

Pra tentar melhorar um pouquinho o enredo, a Grande Rio disfarçou colocando referências a história do Sambódromo na sinopse, homenageando sambistas como Jamelão e Joãozinho Trinta. Mas não foi a Grande Rio que escorraçou o João em 2004?

Ainda assim, alguns bons sambas se destacaram na disputa interna da escola, mas o patrocinador, a cerveja Brahma, novamente maltratou os sambistas ao exigir que todas as composições em disputa tivessem em suas letras a "póetica" expressão "camarote número um". Isso mesmo, não satisfeita em ser o enredo, a cervejaria ainda queria ser explicitamente citada e dar palpite nos sambas, sendo totalmente ignorado pela Rede Glóbulo de Televisão que era patrocinada pela cerveja Xixiscariol.

A disputa interna da Grande Rio segue emocionante, ainda assim com ótimos sambas concorrendo, mas como se sabe, no fim das contas, vencerá mesmo o do Arlindo, porque Deus o patrocinador assim quer.

Grande Brahma Samba da Grande Rio 2010[editar]

Grande Rio,eu sou brahmeiro
Sou brasileiro e faço meu ziriguidum pô
Quebra a arquibancada,implode
Por camarote nº1

Amor é hora,vai embora
A minha enregia vai acabar
O yaya é o samba que chama a minha cidade
E no despertar de um bobão
Tem o horror de um barracão
Onde o pesadelo vira realidade
Num simples toque das mãos
Depois de vendaval de Catrinas
Minha fantasia tá toda estragada
Lágrimas,sorrisos fazem parte desse teu visual
De eu paraíso de burruce sem igual

Ai que extorção!
Meu coração sai a mil
Quando a sirene quebrar
A passarela ferver o homem pode se queimar
Sobre ratos e urubus veio á globalização
Quero mais de nota 30 pra burrice do João

No Ita afundando lá vou eu
Ouvindo a sereia chorar
Morte da raça, Kizomba a ditadura no ar
Daqui pra lá, de lá pra cá do seu Braguinha
Fez o mundo inteiro se ferrar
No tempo dos bambas, cagadas do samba
A arte se consolou,
saudade
Da horrível voz de que se matou, eu sou bobo!
Eu sou bobo!
No seu protesto, nuca foi um bom ator...
Será que no terceito milênio ficará
Queimada cigana na avenida?
O amanhã vai piorar?
DNA, inferno da vida
O brahmista com sorriso letal
Na apoteose do planeta global

Tapetão[editar]

Em 2018, após ser rebaixada, a escola contratou o advogado do Fluminense e conseguiu uma virada de mesa para permanecer no Grupo Especial. Para 2019 fará uma homenagem à cantora Anitta, numa referência também ao próprio pavilhão, com o enredo "Vai malandra"

A Comissão de Frente terá "O show das poderosas", onde serão representadas Anita e as bailarinas com os pavilhões das poderosas da Liesa fazendo reverencia à Grande Rio). O Primeiro Setor terá o Carro abre-alas "Prepara que agora é hora!" - rica e poderosa a escola de caxias mostra que não só ficou no especial como chegou a hora de vencer o carnaval.

No Setor 2, haverá o carro "Blá! Blá! Blá!" - pode falar a vontade, viramos a mesa e seremos campeões, esse carro e o segundo setor aborda as "más linguás". No 3º Setor o carro "ZEN" - estava tranquila, Zen, sabendo que não ia cair enquanto vcs aguardavam ansiosamente a "reunião da liga". Na bateria, A paradinha. No 4º setor o carro "Você partiu me coração" - uma referência ao júri da Liesa que em 2018 não foi bonzinho com a escola, mas a Grande Rio é do baralho: "quem dá as cartas sou eu".

No 5º Setor o último carro "Vai malandra!!", a escola brincará com o seu BUMBUM! - Uma singela homenagem a todos vocês que pagam ingresso, tomam chuva, viagem de longe para ver o grande circo do carnaval, estamos brincando com você, aliás com o sua bunda![1]