Airbag

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Se você procura pela música do Coldplay Radiohead, consulte Airbag (música).


NewBouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Airbag.
Até mesmo as pessoas que não tem muito dinheiro podem usar um airbag, este adaptado na bicicleta.

Cquote1.png O certo não é airbag, e sim bolsa de ar Cquote2.png
Professora de língua portuguesa sobre Airbag
Cquote1.png Eu uso uma almofada, tem o mesmo efeito Cquote2.png
Você sobre airbag
Cquote1.png Vem com 42 airbags, ABS, direção hidráilca... Cquote2.png
Propaganda de carro sobre airbag e outras coisas que os consumidores não fazem a mínima ideia do que seja.

O Airbag (ou Eírbégui nos países faladores de português) é um equipamento presente nos veículos destinado a salvar (ou matar) as vidas de pessoas que fazem besteiras ao volante. Graças ao airbag, muita gente que dirige embriagada está viva, tendo a oportunidade de fazer mais besteiras ainda e matar o máximo possível antes de ser detido pela polícia.

Ele é composto por uma espécie de saco vazio, e quando acontece uma colisão, algo secreto acontece (uma espécie de magia negra) e de repente surge um gás, que enche o saco e amortece o impacto do irresponsável motorista, salvando sua vida. Só a vida do motorista e dos passageiros, porque quem estiver fora do carro se ferra, ou no mínimo fica com a perna, o baço e o fígado machucados. Tenha cuidado, oh gays!

História[editar]

Um airbag fazendo mais uma vítima. Repare que ela tenta a todo custo respirar, mas o airbag a sufoca impiedosamente.

O Airbag foi inventado nos Estados Unidos por um homem comum, chefe de família. Naquela época, como a Coca-Cola utilizava bebidas alcóolicas na fabricação de seu produto, muitos americanos ficavam embriagados, dirigindo bêbados quando voltavam do McDonalds. Esse fato, somado ao tamanho GG dos carros de lá, multiplicou o número de acidentes e mortes nos EUA.

Assim, para proteger sua família e a si próprio, um carinha foi ao Brasil estudar segurança no trânsito, já que esse país possui tradição em motoristas alcoolizados, como Lula, Jeremias e Leonaldo, e por isso tem mais experiênciar em tratar desse assunto. Depois de um ano no Brasil, ele desenvolveu um saco que se enche de ar ou outros gases e protege o motorista e passageiros.

Esse cara percebeu que poderia lucrar muito com seu invento. Para ganhar dinheiro sem ter que aturar o chefe ou ralar duro, ele patenteou o airbag e passou a vendê-lo para bêbados, motoristas irresponsáveis, entre outros seres perigosos ao volante. O inventor desse negócio, a princípio, achou que o airbag ajudaria a humanidade. Mas logo descobriu que era o contrário, pois quem se beneficiava com isso era os motoristas ruins, que causavam acidentes e cometiam infrações graves.

O silicone também serve como ótimo airbag.

Afinal, quem firige bem raramente se envolveem acidentes, sendo a grande maioria dos acidentados pessoas que acham que estão jogando Need for Speed com seu veículo potente. Mas como ninguém se interessa com isso e sim no dinheiro, as vendas contnuaram. Nos anos seguintes, o airbag fez forte concorrência com os cintos de segurança, e os fabricantes disputavam para ver qual equipamento era o melhor para a segurança do motorista irresponsável e embriagado. Se o inútil estiver sem o cinto de não-segurança, ele se fode porque meteu uma porrada no sacolão.

Os consumidores perferiam ser sufocados por um saco gigante cheio de ar do que apertados até uma mutilação por um cinto, o que garantiu a vitória (temporária) do saco gigante cheio de ar airbag. Logo, eles se espalharam pelo mundo para sufocar o máximo de motoristas, assim como salvar a vida de irresponsáveis. Hoje, não bastando os carros, os airbags estão em motos, bicicletas, patinetes, naves espaciais, aviões, helicópteros, OVNIs, entre outros.

Funcionamento[editar]

O que acontece quando algo dá errado nas reações químicas produzidas dentro de um airbag.

Os airbags funcionam da seguinte forma: Dentro dos sacos gigantes, existem substâncias com nomes tão complicados que nem escrevendo aqui você entenderia. Essas substâncias são compostos químicos resultantes da mistura de bactérias intestinais com outros negócios complicados.

Quando você ou outro motorista está brincando de corrida com seu carro e de alguma forma isso dá merda, o sistema computadorizado inteligente [1] manda uma mensagem para o airbag dizendo que é hora de funcionar. Nesse instante, ocorre as seguintes reações químicas. Se você não entender nada, não se preocupe, ninguém entende:


+

Nesse instante, magicamente aparece um gás do nada e enche o airbag. O idiota que bateu com o veículo motorista e demais passageiros se chocam com o saco cheio de ar. E acabou.

Perigos[editar]

Mais um airbag salvando a vida de alguém.

Devido a alta instabilidade dos elementos químicos que formam os gases, eles são muito instáveis e imprevisíveis. Se acontecer algum erro na fabricação do airbag, isso gera uma pequena explosão, capaz de destruir o carro, dar uma passagem de ida para o céu (ou ao inferno) para os passageiros; e ainda deixar um cheiro fedido no local do desastre.

Não bastando esse risco, o airbag também pode fazer vítimas de outras maneiras. Por exemplo, quando ele enche, a pessoa bate de cara no aparelho. O negócio pode prender a cabeça do azarado e bloquear as vias respiratórias, impedindo a respiração. O cara morre sufocado. Não bastando isso, o gás que preenche os airgabs é cheira muito mal, e por isso é tóxico. Qualquer vazamento resulta na intoxicação dos passageiros e motoristas.

Acredita-se que os problemas dos airbags foram criados propositalmente pelas indústrias e pelo governo, com o objetivo de matar os motoristas ruins (principais utilizadores do airbag) e pacificar o trânsito. Mas tirando esses problemas e outros defeitos, o airbag é um equipamento muito seguro.

Notas[editar]

  1. Mais do que o motorista, com certeza

Ver também[editar]