Airbus A320

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Boieng da Trans Brasil indo pro brejo.jpg Olha o(a) Airbus A320 vindo!
Olha o(a) Airbus A320 indo!

Este artigo fala sobre coisas que avuam pro alto.
Clique aqui pra ver quem mais vai pelos ares. Literalmente.
NewBouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Airbus A320.
Airbus A320
Perfeito nos pousos
Fabricação Francesa
Fabricante Airbus, claro
Primeiro voo Não me lembro direito
Missão Causar desastres aéreos e com eles caos nos aeroportos
Peso 50000 kg
Motores Dois no total
Velocidade máxima 1000 km/h, velocidade de aproximação do alvo
Velocidade mínima 0 km/h, pegando fogo num acidente

Cquote1.png Você quis dizer: Kamikaze Cquote2.png
Google sobre Airbus A320
Cquote1.png Depois do acidente em Congonhas, eu tenho medo Cquote2.png
Você sobre Airbus A320
Cquote1.png AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!! Cquote2.png
Passageiros sobre acidente com o Airbus A320
Cquote1.png Na Holanda, o Airbus A320 se pilota sozinho, não precisa de VOCÊ!! Cquote2.png
Reversão Holandesa sobre Airbus A320
Cquote1.png Eu gostei dele Cquote2.png
Osama Bin Laden sobre Airbus A320
Cquote1.png Na Russia, Quem cai em cima do Airbus é VOCÊ!! Cquote2.png
Reversão Russa sobre Airbus A320

Airbus A320 fazendo um pouso bem-sucedido.

O Airbus A320 é uma aeronave da Airbus, que como a grande maioria dos modelos dessa empresa, seu nome é A300 e alguma coisa. Ele é usado para levar passageiros a curtas e médias distâncias, o que limita sua capacidade de matar passageiros. Ele é um dos jatos mais populares da história, pois é muito utilizado por terroristas para atentados suicidas, como o que ocorreu em Congonhas em 2007.

Ele foi um dos primeiros aviões a ser comandado por um computador independente. Não que isso tenha representado um avanço tecnológico, já que esse sistema caousou vários acidentes, pois o computador sempre ficava com a Tela Azul da Morte e parava de funcionar, ou ele era tomado por hackers. Porém, graças a esse sistema, muitos desastres causados pela incompetência dos pilitos foram evitados.

Desenvolvimento[editar]

Mais um de uma série de pousos perfeitos dessa faiscante belezinha.

O projeto do Airbus A320 teve início quando, apesar do A300 e A310 (avós do A320) estarem vendendo bem na África Bambaataa, no Tadjiquistão Oriental e no Taiti, a Al Qaeda e demais grandes redes de lanchonetes de fast-fuck, se mostraram publicamente inclinadas a preferir fazer terrorismo usando aviões americanos. E da Boeing. E especialmente o 737, que na época já se mostrava muito eficiente em causar tragédias aéreas totais (depois de bater em um Emgraer Legacy, jato 10 vezes menor do que ele, e nada acontecer à esse, o Boeing se lascou todo e foi destruído no ar), matando muitos e deixando como bônus o maravilhoso Apagão Aéreo brasileiro.

Os chefes da Airbus ficaram com muita inveja dessa capacidade de miserê e decidiram criar um rival idiota para o 737 imbecil. Como nada se cria e tudo se copia, o projeto inicial seria um plágio descarado do avião da Boeing. Durante o planejamento do novo aviãozinho de papel, nerds analfabetos foram contratados para criar um sistema computadorizado que pudesse controlar o avião sozinho, no caso do piloto ser noob a ponto de não alcançar o alvo da tragédia selecionada.

O futuro A320 também vinha com novas tecnologias para economizar combustível, essencial para as explosões nos desastres, como usar winglets ilegais (aquelas asinhas nas pontas das asonas, inventadas pela Boeing e copiadas sem pagar direitos de uso), misturar etanol e urina de bode ao querosene e outras tecnologias complicadas, que não são da conta de ninguém que não seja francês. Com isso, o Airbus economizava boa parte do combustível, que seria usado para intensificar o incêndio durante o desastre. Assim, depois de alguns anos, e de muita cola de sapateiro e soldas de portão, alguns protótipos ficaram prontos e foram testados com grande sucesso (seus computadores só faziam o que queriam, fazendo-os cair sempre que podiam). Por isso, o modelo passou a ser produzido, vendido em boulangeries (padarias para frescos) e finalmente usado pelas companhias aéreas.

Testes[editar]

A cabine de comando do A320, onde o HAL 9000 não deixa os pilotos trabalharem. Tão simples que eu, você e até um cachorro pode pilotar e derrubar.

O primeiro voo do Airbus A320 partiu do Los Santos, passou por Omã, Butão e Suazilândia, indo até Nova Nova Nova Nova Iorque, onde seus pilotos planejavam derrubar o World Trade Center. O plano foi cancelado depois que perceberam que as torres gêmeas ficavam em Nova Iorque, com apenas um "Nova". O responsável pelo plano de voo foi executado, com uma banana, pela elite do Exército Francês (Le Moulin Rouge unité, Guidi Guidi Iaia ia-iaaa).

Como não havia aeroportos na cidade nem em lugar algum daquele buraco urbano, o Airbus teve que fazer um pouso forçado na rua principal da cidade, fazendo suas primeiras vítimas, ao matar os dois pilotos de testes, 125 convidados a bordo e 248 em terra (pessoas casadas e seus/suas amantes que estavam num motel, no horário do almoço). Só de saber que o A320 conseguiu fazer suas primeiras mortes, o voo inicial foi considerado um tremendo sucesso de público e crítica. Logo, a (má) fama desse teco-teco se espalhou pelo mundo, as vendas explodiram (brincadeirinha...), superando seus concorrentes (principalmente os aviões da Boeing) no quesito desastres.

Variantes[editar]

O Airbus A320 possui muitas variantes, isto é, modelos com diferenças imperceptíveis, mas são diferentes (pelo menos a Airbus jura que são). A principal diferença patente das variantes para o original é o tamanho, aproximadamente 5 centímetros a menos ou a mais, dependerá de qual quintal foi feito ou se o marceneiro bebeu ou não. Que diferença isso faz? Nenhuma. Elas, as versões, só foram feitas para confundir a cabeça das pessoas, como você e a avó do Jaques Cousteau. Em baixo, alguns exemplos. Se o leitor notar alguma diferença, técnica e nítida, entre elas, provavelmente precisa de óculos (visão degradada ou terçol).

A320[editar]

Um A320. Ou talvez um A319. Ou um A321. Ou um A318. Tanto faz. Pode ser a inflação ou a variação cambial.

É o original, portanto recuse imitações e prefira ele. Existe o A320-100 e o A320-200. O primero nem chegou a ser fabricado. Muito ruim, cheirava a pum. O segundo é uma cópia exata do primeiro, com a diferença que este foi fabricado em série e é usado até hoje para criar acidentes profissionais.

A319[editar]

O A319 é mais uma cópia do A320, com a diferença de que ele é cerca de 3 centímentros menor do que o original e tem um número a menos no nome. Segundo os fabricantes, seu tamanho reduzido ajuda esse avião a não ser detectado facilmente pelo radar, facilitando atentados-surpresa. Indicado para aniversários e festas na empresa.

A321[editar]

Ele é um pouco maior do que o A320. Como o A319, a mudança é mínima (tem um número a mais que o A320!). Seu tamanho avantajado permite a ele carregar maior quantidade de explosivos em forma de líquidos inflamáveis e causar maiores tragédias. Só?

A318[editar]

A 320 estacionado em um aeroporto no meio da selva de Guiné Boçal.

O A318 tem dois números a menos no nome que o A320 e é o mais diferente, por ser minúsculo. Ele é tão pequeno que nem grandes desastres pode fazer, portanto é o mais inútil e incompetente. Geralmente, ele é usado para treinar pilotos noobs, já que qualquer problema que aconteça durante seu voo não será algo importante para a empresa (matará menos de 150).

A330[editar]

Um dos mais recentes modelos. Além de também utilizar duas panquecas como motores, possui como item de série uma caixa-preta extra, para o caso de danificarem as duas originais numa curva mais fechada na esquina ou num looping.

Acidentes[editar]

O Airbus A320 é uma aeronave recordista em acidentes, com mais de 666 tragédias registradas, de acordo com o Instituté Internacionalité de Desgracé Aerienné. São tantos que não dá para falar de todos, então, abaixo são citados apenas alguns casos mais famosos que ninguém nunca ouviu falar.

  • Na França, um Airbus A320 parou no ar (o piloto era português, capitão-de-fragata Juaquim Vagaroso, e achou que o avião poderia voar sem os motores funcionando), caiu no solo e matou 1 pessoa. Até que foi pouco. O computador de bordo queria mais.
  • Na Índia, um Airbus pousava no aeroporto com a pista molhada quando escorregou, bateu numa vaca pastando, e explodiu, matando 90% dos ocupantes. A Airbus foi amaldiçoada por sacerdotes hindus por ter matado a vaquinha, sagrada.
  • Em outro país, que não me lembro o nome, um A320 bateu numa montanha e matou todo mundo, inclusive os anciões McDonnell e Douglas.
  • Em um aeroporto do Acre, República Federativa das Bananas, novamente o avião escorregou na pista molhada e matou grande parte dos dinossauros passageiros, na verdade, todos.
  • A mesma coisa do anterior, só que no sul da Ásia.
  • A mesma coisa do anterior, só que aconteceu na Rússia.
  • A mesma coisa do anterior, só que aconteceu na África.
  • Novamente na África, guerrilheiros sequestram um A320 e matam metade dos passageiros. No meio do percurso, toda a tripulação. E assim, caem no mar, morrendo e matando o restante.
  • Aconteceu no Brasil, e todo mundo já sabe o que houve (ou não).
  • Em Portugal, um Airbus caiu de nariz num cemitério local matando todos os seus ocupantes. Até agora, já foram encontrados mais de 2000 corpos.

Ver também[editar]