Alagoinhas Atlético Clube

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Alagoinhas Atlético Clube
Escudo do Atlético Alagoinhas.png
Brasão
Hino Avante meu Patético!
Nome Oficial Clube Patético Baiano
Origem link={{{3}}} Bahia-Alagoinhas
Apelidos Patético de Alagoinhas
Torcedores Tiozões do Churrasco
Torcidas Nação Carcada
Fatos Inúteis
Mascote Encarcarado (ave típica da cidade)
Torcedor Ilustre O alfaiate da cidade, Anônimo
Estádio Carneirão
Capacidade 17.000 bistecas
Sede Banheiro público n° 5
Presidente Leite Albino
Coisas do Time
Treinador seu tiozão engraçadão
Pior Jogador da história Nuvola apps core.png Aleijadinho
Melhor Jogador da história Crystal Clear action bookmark.svg.png Gordinho safado
Patrocinador Arrecadação dos jogadores nas noites da cidade
Time
Material Esportivo Vovó Diná
Liga Campeonato Brasileiro
Divisão Série Z50
Títulos protestados (muitos)
Ranking Nacional 55.599° CBF
Uniformes Uniforme Alagoinhas 1.jpg
Uniforme Alagoinhas 2.jpg



Alagoinhas Patético Clube é o nome de um grupo de peladeiros da cidade baiana de Alagoinhas, e por falta de maiores times na Bahia, é convidado a fazer número num tradicional circo e show de horrores conhecido como campeonato baiano de futebol.

História[editar]

Timaço vice-campeão baiano de 1973, formado 100% por tiozões de churrasco.

Antigamente Alagoinahs tinham vários times peladeiros que se reuniam em churrascos nos fins de semana, e jogavam partidas narradas pelo rockgol. Os times que disputaram o campeonatinho de totó de 1969 foram Gremio (sem acento), Ferroviário, Agulha, Juventus, Botafogo, Gato Preto, Piratas e o tradicional Arranca-Toco. No ano seguinte aquele bando de cachaceiros decidem criar a Seleção de Alagoinhas, e em 1970 surgia oficialmente o Alagoinhas Patético Clube, que embora seja orgulho para os torcedores farofeiros da cidade, é exemplo de péssimo futebol em todo o estado.

O original distintivo do clube foi desenhado por Elba Ramalho, e usa as cores do Vitória e simbologia ocultista da umbanda, o que garante muitas derrotas ao time.

Já na estreia no futebol profissional, perdeu para o grande rival Fluminense de Feira de Santana pelo placar de 1 x 0, de quem é freguês histórico, tanto que para ele só perde por mais de 3 gols nos últimos anos. Mostrando a que veio no cenário do futebol baiano.

Durante a sua imensa trajetória de inglórias, o Petético de Alagoinhas conseguiu atingir a incrível marca de ter perdido 500 vezes consecutivas para o Vitória e nucna ter ganho o campeonato baiano.

O time tradicionalmente é formado por jogadores que de tarde jogam pelo Patético de Alagoinhas e de noite frequentam festas vestidos de drag queens (para conseguirem levar o pão para casa).

Atualmente o time baiano conta com a maior quantidade de craques internacionais na Bahia, apostando em promessas de São Tomé e Príncipe, República Democrática do Congo e Angola, usando escravos como jogadores de futebol.

O Patético de Alagoinhas é o 478935° colocado no rank de clubes da FIFA, com -567 pontos, atrás do NK SAŠK Napredak Slaven Živinice da Bósnia e Herzegovina e na frente do Santos Football Club do Haiti.

Em 2009 o time foi medíocre ao ponto de ter sido o laterna da série D do campeonato brasileiro de 2009, quanta humilhação...

Estádio[editar]

O Patético manda seus jogos no Estádio Carneirão, conhecido assim graças aos tradicionais tiozões do churrasco que acompanham o Alagoinhas e vendem churrasco na porta do estádio.

Títulos[editar]

Não há títulos nem de segunda divisão.

  • Vice-Campeonato Baiano: 1973
  • Vice-Campeonato Baiano da Segunda Divisão: 1993 e 1998
  • Vice-Campeonato da Taça Governador do Estado: 2010 e 2011

O Atlético de Alagoinhas é o maior vice do interior da Bahia.