Companhia Brasileira de Alumínio

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Se procura o elemento da sua latinha de cerveja, consulte Alumínio.
Poluicaoatmosferica01.jpg Este artigo está poluído!

Pegue uma máscara de oxigênio e uma garrafa vazia
para carregar ar. COF! COF! COF!

Mazzaropi02.jpg Enxada-1.png Esti artigu é caipira, sô!! Enxada-2.png

Este tar di artigu pareci caipira, foi escritu purum caipira, ô ele é de fato
CAIPIIIIRRA!!!

Num istraga eli naum, si não nóis crava a inxada pra riba docê!


60px-Bouncywikilogo.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Alumínio (São Paulo).

Cquote1.png Você quis dizer: Antoniermiriópolis Cquote2.png
Google sobre Alumínio (São Paulo)
Cquote1.png Você quis dizer: Camelódromo Cquote2.png
Google sobre Alumínio (São Paulo)
Cquote1.png Você quis dizer: Aço Cquote2.png
Google sobre Alumínio (São Paulo)
Cquote1.png Você quis dizer: Canil ao céu aberto Cquote2.png
Google sobre Alumínio (São Paulo)
Cquote1.png Você quis dizer: Boteco Cquote2.png
Google sobre Alumínio (São Paulo)
Cquote1.png Moro em Sorocaba Cquote2.png
Aluminense falando com uma Guria Retardada pela Internet
Cquote1.png Tá nervoso? Vá pra Alumínio Cquote2.png
Piada regional sobre Alumínio
Cquote1.png Fui EU que fiz! Cquote2.png
Daltony Antônio Ermírio de Moraes sobre Alumínio
Cquote1.png Moro em Alumicity Cquote2.png
Guria Retardada sobre Alumínio

Seja bem-vindo(a) a Alumínio. Encha o peito com o ar puro do interiorrr...

Alumínio é uma cidade onde não há absolutamente nada, exceto uma empresa que sustenta tem grande participação na estrutura da cidade (que por sinal é uma porcaria), e uns clubezinhos matusquelas que servem para entreter um povinho que se diverte até com briga de formiga. Os humildes cidadãos de Alumínio são presenteados diariamente com um ar totalmente despoluído, liberado por uma empresa totalmente endividada comprometida com o próprio lucro a fauna, a flora e os habitantes desta incrível (?) cidade.

História[editar]

Foto panorâmica da fábrica da CBA cidade de Alumínio.

Alumínio foi fundido fundada em 1900 e guaraná com rolha, por uma empresa que produzia (adivinhem) alumínio, comandada por um senhor feudal. Após dar um tapa na pantera, ele resolveu socar construir sua fábrica (em um momento de pura alucinação) em buraco lotado de mato, no Acre em Mairinque. Posteriormente, a instalação desta empresa atraiu hordas de escravos colaboladores vindos do Nordeste, que começaram a impestar viver no bairro.

Para decidir o nome da cidade, levou-se em conta seus atributos, ou seja: mato, mato, mais mato, e alumínio. Decidiu-se então batizar a cidade como Alumínio, ainda que os moradores e qualquer outra alma que conheça o local o chame de Mato ou Alumicítio.

Geografia[editar]

A geografia da cidade se contitui em:
  • Sala forno 1
  • Sala forno 2
  • Sala forno 3
  • Sala forno 4
  • Sala forno 5
  • Sala forno 6
  • Sala forno 7
  • Sala forno 8
  • Sala forno 9
  • Sala forno 10
  • Sala forno 11
  • Sala forno 12
  • Sala forno 13
  • Sala forno 14
  • Sala forno 15
  • Sala forno 16
  • Sala forno 17
  • Sala forno 18
  • Sala forno 19 Desativada devido a um acidente de trabalho com vítimas fatais
  • Sala forno 20
  • Sala forno 21
  • Sala forno 22
  • Sala forno 23
  • Sala forno 24
  • Sala forno 25
  • Sala forno 26
  • Sala forno 27
  • Sala forno 28
  • Sala forno 29
  • Sala forno 30
  • Sala forno 31
  • Sala forno 32
  • Sala forno 33
  • Sala forno 34
  • Sala forno 35
  • Sala forno 36
  • Sala forno 37
  • Sala forno 38
  • Sala forno 39
  • Sala forno 40
  • Sala forno 41
  • Sala forno 42
  • Sala forno 43
  • Sala forno 44
  • Sala forno 45
  • Sala forno 46
  • Sala forno 47
  • Sala forno 48
  • Sala forno 49
  • Sala forno 50
  • Sala forno 51
  • Sala forno 52
  • Sala forno 53
  • Sala forno 54
  • Sala forno 55
  • Sala forno 56
  • Sala forno 57
  • Sala forno 58
  • Sala forno 59
  • Sala forno 60
  • Sala forno 61
  • Sala forno 62
  • Sala forno 63
  • Sala forno 64
  • Sala forno 65
  • Sala forno 66
  • Sala forno 67
  • Sala forno 68
  • Sala forno 69
  • Sala forno 70
  • Sala forno 71
  • Sala forno 72
  • Sala forno 73
  • Sala forno 74
  • Sala forno 75
  • Sala forno 76
  • Sala forno 77
  • Sala forno 78
  • Sala forno 79
  • Sala forno 80
  • Sala forno 81
  • Sala forno 82
  • Sala forno 83
  • Sala forno 84
  • Sala forno 85
  • Sala forno 86
  • Sala forno 87
  • Sala forno 88
  • Sala forno 89
  • Sala forno 90
  • Sala forno 91
  • Sala forno 92
  • Sala forno 93
  • Sala forno 94
  • Sala forno 95
  • Sala forno 96
  • Sala forno 97
  • Sala forno 98
  • Sala forno 99
  • Sala forno 100
  • Sala forno 101
  • Sala forno 102
  • Sala forno 103
  • Sala forno 104
  • Sala forno 105
  • Sala forno 106
  • Sala forno 107
  • Sala forno 108
  • Sala forno 109
  • Sala forno 110
  • Sala forno 111
  • Sala forno 112
  • Sala forno 113
  • Sala forno 114
  • Sala forno 115
  • Sala forno 116
  • Sala forno 117
  • Sala forno 118
  • Sala forno 119
  • Sala forno 120
  • Sala forno 121
  • Sala forno 122
  • Sala forno 123
  • Sala forno 124
  • Sala forno 125
  • Sala forno 126
  • Sala forno 127
  • Sala forno 128
  • Sala forno 129
  • Sala forno 130
  • Sala forno 131
  • Sala forno 132
  • Sala forno 133
  • Sala forno 134
  • Sala forno 135
  • Sala forno 136
  • Sala forno 137
  • Sala forno 138
  • Sala forno 139
  • Sala forno 140
  • Sala forno 141
  • Sala forno 142
  • Sala forno 143
  • Sala forno 144
  • Sala forno 145
  • Sala forno 146
  • Sala forno 147
  • Sala forno 148
  • Sala forno 149
  • Sala forno 150
  • Sala forno 151
  • Sala forno 152
  • Sala forno 153
  • Sala forno 154
  • Sala forno 155
  • Sala forno 156
  • Sala forno 157
  • Sala forno 158
  • Sala forno 159
  • Sala forno 160
  • Sala forno 161
  • Sala forno 162
  • Sala forno 163
  • Sala forno 164
  • Sala forno 165
  • Sala forno 166
  • Sala forno 167
  • Sala forno 168
  • Sala forno 169
  • Sala forno 170
  • Sala forno 171
  • Sala forno 172
  • Sala forno 173
  • Sala forno 174
  • Sala forno 175
  • Sala forno 176
  • Sala forno 177
  • Sala forno 178
  • Sala forno 179
  • Sala forno 180
  • Sala forno 181
  • Sala forno 182
  • Sala forno 183
  • Sala forno 184
  • Sala forno 185
  • Sala forno 186
  • Sala forno 187
  • Sala forno 188
  • Sala forno 189
  • Sala forno 190
  • Sala forno 191
  • Sala forno 192
  • Sala forno 193
  • Sala forno 194
  • Sala forno 195
  • Sala forno 196
  • Sala forno 197
  • Sala forno 198
  • Sala forno 199
  • Sala forno 200
  • Sala forno 201
  • Sala forno 202
  • Sala forno 203
  • Sala forno 204
  • Sala forno 205
  • Sala forno 206
  • Sala forno 207
  • Sala forno 208
  • Sala forno 209
  • Sala forno 210
  • Sala forno 211
  • Sala forno 212
  • Sala forno 213
  • Sala forno 214
  • Sala forno 215
  • Sala forno 216
  • Sala forno 217
  • Sala forno 218
  • Sala forno 219
  • Sala forno 220
  • Sala forno 221
  • Sala forno 222
  • Sala forno 223
  • Sala forno 224
  • Sala forno 225
  • Sala forno 226
  • Sala forno 227
  • Sala forno 228
  • Sala forno 229
  • Sala forno 230
  • Sala forno 231
  • Sala forno 232
  • Sala forno 233
  • Sala forno 234
  • Sala forno 235
  • Sala forno 236
  • Sala forno 237
  • Sala forno 238
  • Sala forno 239
  • Sala forno 240
  • Sala forno 241
  • Sala forno 242
  • Sala forno 243
  • Sala forno 244
  • Sala forno 245
  • Sala forno 246
  • Sala forno 247
  • Sala forno 248
  • Sala forno 249
  • Sala forno 250
  • Sala forno 251
  • Sala forno 252
  • Sala forno 253
  • Sala forno 254
  • Sala forno 255
  • Sala forno 256
  • Sala forno 257
  • Sala forno 258
  • Sala forno 259
  • Sala forno 260
  • Sala forno 261
  • Sala forno 262
  • Sala forno 263
  • Sala forno 264
  • Sala forno 265
  • Sala forno 266
  • Sala forno 267
  • Sala forno 268
  • Sala forno 269
  • Sala forno 270
  • Sala forno 271
  • Sala forno 272
  • Sala forno 273
  • Sala forno 274
  • Sala forno 275
  • Sala forno 276
  • Sala forno 277
  • Sala forno 278
  • Sala forno 279
  • Sala forno 280
  • Sala forno 281
  • Sala forno 282
  • Sala forno 283
  • Sala forno 284
  • Sala forno 285
  • Sala forno 286
  • Sala forno 287
  • Sala forno 288
  • Sala forno 289
  • Sala forno 290
  • Sala forno 291
  • Sala forno 292
  • Sala forno 293
  • Sala forno 294
  • Sala forno 295
  • Sala forno 296

Entretenimento[editar]

Nota-se como tudo neste garimpo nesta acolhedora cidade foi projetado visando o lucro o menor impacto ambiental possível, resultando em qualidade de vida para seus escravos moradores.

Como a maioria da poupulação da bodega cidade possui baixa renda (e os demais estão abaixo da linha da pobreza) um dos poucos entretenimentos possíveis são as igrejas. A população é extremamente religiosa, e frequenta as igrejas todos os domingos em um ato de fé (na verdade eles não tem o que fazer, então saem para a igreja). Por incrível que pareça, os jovens também se interesam pela religião, e todos os sábados à noite eles se reunem e realizam coitos cultos que começam às 23:30 e duram até as 5:00 do dia seguinte, mostrando assim sua imensa religiosidade. Os pais desses jovens dormem despreocupados, sabendo que seus abortos filhos estão bem encaminhados pela igreja - e todos nós acreditamos nisso, certo?

Há também o cemitério da cidade, visitado semanalmente pelos vários 4 únicos jovens emos góticos da cidade. Todo o resto são Corintianos ou Descolados.

Existe o Baile Mix esperado por todos os peões das empreiteiras moradores, que vão todo mês pular que nem macacos com fimose, achando que estão numa festa rave, mas na verdade estão se apertando em meio a um monte de homens na quadra da AAA (Associação Atlética Alumínio).

Há também a festa do ano: o aniversário da cidade, onde lutadores e dançarinas de pernas tortas (efeito causado pela radiação eletromagnética emitida pelos fornos da CBA, que extraem alumínio à partir da bauxita através de processos eletrolíticos) desfilam pela rua com seus sorrisos aluminados(sic), felizes da vida (ou não).

Já a diversão dos peões de empreiteiras (120% deles são nordestinos) é encher a cara de pinga barata e dançar forró com a primeira baranga que entrar nos imundos limpíssimos e modernos biroscas pubs de Alumínio, para depois cair e dormir nas calçadas da cidade, geralmente na frente de uma loja. Há também aqueles que se exibem em suas CG's totalmente depenadas e com o inconfundivel estalador, empinando e estourando o motor para que todos possam ver a cara de boboca deles.

População[editar]

  • 50% - Trabalhadores da Companhia Brasileira de Alumínio - CBA;
  • 45% - Trabalhadores de empreiteiras que, por sua vez, trabalham para a CBA;
  • 1% - ex-escravos Ex-trabalhadores das empreiteiras da CBA que não conseguiram economizar dinheiro suficiente para voltar ao Nordeste, por que passaram muito tempo do bar da Santinha. Desde então, fixaram-se na cidade, e enviam cartas para o Domingo Legal, numa última esperança de participar do quadro "De Volta Para Minha Terra".
  • 1% - Mulheres e quase mulheres.

Nota: Como alguns habitantes desaparecem misteriosamente poucas horas após editarem esta página da Desciclopédia, a soma total dos percentuais acima nunca chega a cem por cento.

Economia[editar]

Foto aérea da fábrica da CBA cidade de Alumínio onde está localizado o único rio de soda cáustica das Américas e o segundo maior do planeta.

CBA, CBA e... CBA! Esta empresa sustenta, mantém, arruma, arregaça, faz e desfaz qualquer trabalho em sua propriedade particular na cidade de Alumínio.

A outra potência econômica da cidade são as lan houses, que crescem cada dia mais em número. Atualmente Alumínio conta com a VR, a WR, a VSI, a VSF, a VTNC entre outras, além do Toco Games, o pioneiro, que sobrevive até hoje graças aos meninos do fliperama e aos favelados moradores da Angola vila Paraíso que vão lá jogar meia hora de GTA.

Alumínio também se destaca pelo grande número de camelôs e ambulantes, que vêm para cá fugindo da fiscalização de cidades como Sorocaba. Eles vendem de tudo:

  • Capas para carros
  • Carteiras
  • Cintos
  • CD's piratas
  • Chapéus
  • Limpador de para-brisas
  • Feijão verde
  • Meias
  • Cuecas
  • Livros de crente
  • Creminho para polir carro
  • Recarregador de celular
  • Churrasquinho
  • Alface
  • Panelas
  • Ursões Puff de pelúcia
  • Redes
  • Tapetes
  • Maquininhas de serrar
  • Laranja
  • Morango
  • Pamonha
  • Mexerica Ponkan
  • Bolas gigantes (em troca de Tele-sena)
  • Churros (cujos carros sempre aparecem de noite)
  • Peixe
  • Pão doce
  • Livros infantis
  • Algodão-doce
  • Cofres
  • Chocolate (onde eles botam um carro de som falando que o caminhão quebrou, a carga não chegará ao destino e resolvem vender lá mesmo)
  • Cofrinhos em forma de porco
  • Pica-Paus de pelúcia
  • Garapa
  • Salgados
  • Trufas
  • Sandálias
  • Motocicletas
  • Carros
  • Ovos
  • Baleias de pelúcia
  • E outras coisas mais (e a variedade cresce a cada dia)...

É variedade para nenhuma rua 25 de Março botar defeito, onde você economiza e tem qualidade garantida; a comodidade é tanta que eles vêm até nos Domingos, quando a cidade está vazia e não há uma alma viva nas ruas. Tudo isto faz com que Alumínio seja um enorme camelódromo em forma de cidade.

A cidade também é uma com maior número de bares do mundo, com uma incrível concentração de dois habitantes/bar. Em qualquer ponto da cidade, é muito fácil achar uma birosca, sempre daquele jeito: cornonejo, forró no último volume, mulher (muito) feia, bêbados, ambiente sujo e encardido; enfim, uma combinação para um pai de família sério nem pensar em passar em frente. Ultimamente, os bares de Alumínio vem recebendo uma nova clientela nada amigável: os manos, que ouvem aquele rap dos Racionais no último volume nos jukeboxes. E quando há alguma batida da Polícia, 75% dos bares fecham as portas e voltam a funcionar no dia seguinte.


Há também em Alumínio o Campeonato Diário dos Carros de Som: diariamente, todos os carros de som da região circulam pelas duas ruas de Alumínio, disputando quem faz mais barulho e consegue irritar mais rapidamente a população; não é raro ver cinco ou seis carros de som passando um atrás do outro na mesma rua, anunciando desde ofertas de lojas de Mairinque até festas de forró e sertanejo também em Mairinque. Quem trabalha de madrugada na CBA sofre durante o dia, já que os carros de som não deixam ninguém sossegado; fora também que tem aqueles que usam sucata sobre rodas carro velho com alto-falante para vender praticamente de tudo, entrando no campeonato também. E só em Alumínio você vê loja que bota um cone no meio-fio da rua para avisar que está aberta.

Vícios de aluminense[editar]

cena muito típica de se ver quando os trabalhadores chineses que são traficados em navios negreiros tomam folêgo e decide andar pela vila indústrial.
  • Soltar rojão para tudo que é motivo, mesmo quando não há motivo para soltar rojão.
  • Passar pela rua Paulo Dias, totalmente entupida de carros, mesmo sabendo que há um elefante branco uma avenida novinha e vazia bem próxima.
  • Ignorar faixas de sinalização e trafegar pela Raposo Tavares como se fosse uma estrada de boi.
  • Pedir pizza todo santo sábado.
  • Ouvir sertanejo no último volume nos sons do carro e até da charrete, obrigando as pessoas na rua a ouvir esta desgraça obra-prima da música brasileira.
  • Jogar no jogo do bicho.
  • Encher a cara nos 455.261 bares existentes na cidade.
  • Por a culpa de tudo de ruim nos peões das empreiteiras.
  • Comprar tudo em Sorocaba, até pão.
  • Abandonar carro no meio da rua, mesmo na principal via da cidade. Uma das entradas da cidade é um ferro-velho.
  • Ignorar sinalização e estacionar onde lhe der na telha.
  • Completar 16 anos e mandar seu currículo para o Supermercado Taraborelli.
  • Completar 18 anos e mandar seu currículo para a CBA.
  • Confiar nas orientações do Jacaré na hora de estacionar o carro.
  • Não ir à farmácia quando ela está de plantão, mas reclamar quando ela não está de plantão.
  • Criticar a "idade" dos livros da Biblioteca Municipal.
  • Votar na Lili Aimar, mesmo sabendo que ela está inelegível até 2015.
  • Comprar o jornal só para ler o horóscopo.

Dicas para quem visitar este lugar[editar]

  • Leve um MP3, MP4 ou alguma outra coisa que faça tocar música boa, pois quem anda pelas ruas de Alumínio é forçado a ouvir sertanejo, pagode e forró a volume bem alto em todos os lugares.
  • Se estiver dirigindo, cuidado com as carroças (literalmente) e com os carros de som que andam a 1 Km/h; são os tipos de veículos que mais trafegam em Alumínio.
  • Prefira pagar o pedágio da Viaoeste do que correr o risco na estrada do desvio.
  • Não se espante com a quantidade de bêbados caídos no chão nas ruas. Lembre-se que a cidade tem 2 bares/habitante.
  • Não mexa com os loucos que andam nas ruas do centro; eles falam com a mão fechada, e não com a boca.