Amarildo Dias de Souza

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
ATENÇÃO: Leia este artigo com bom humor!

A Desciclopédia é um site de humor, não venha nos dizer que pegamos pesado.
Se você não é capaz de apreciar o bom humor afrodescendente, visite outro artigo.

Por que o leproso não passou no teste de direção? Porque deixou o pé no acelerador.

Bob Mauley.jpg Fala, mano! É o seguinte: isso aqui é uma coisa que os mano da quebrada curte, tá ligado?
Não zoa com o artigo, não, véio, senão vai dar em treta, morô?
Última foto de Amarildo antes de seu suposto desaparecimento.

Cquote1.svg Você quis dizer: Wally Cquote2.svg
Google sobre Amarildo Dias de Souza

Amarildo Dias de Souza (Rio de Janeiro, 1965/1966, na mesma cidade "maravilhosa", 14 de julho de 2013 - ou não) foi um ajudante de pedreiro brazuca que ficou conhecido no Brasil inteiro (e em grande parte do mundo também) depois de realizar um incrível truque de mágica com a ajuda de alguns policiais militares, quando estes o levaram de sua casa até uma UPP (unidade de putaria passadora) do bairro da Rocinha. Esse truque consistiu em desaparecer completamente de todos, e aparentemente desde então o mesmo se sumiu-se sem deixar rastros, o que indica um possível erro na tentativa de realizar o truque de mágica, podendo ele ter ido para a quinta dimensão ou até ter ido parar no colo do capeta. Os policiais negam e dizem que a culpa muito provavelmente foi de uns traficantes que forneceram os materiais da mágica diretamente do Paraguai. O caso ainda é um tremendo mistério. E eu não sei porque ele sumiu e esqueceu de terminar de construir minha casa, miserável!

Biografia[editar]

Morava na Rocinha desde que nasceu. Era analfabeto, casou e tinha seis filhos. E só. Típica biografia random de favelado.

Cquote1.svg Seu nazista FDP! Cquote2.svg
Você sobre minha descrição acima

Não gostou? Devia ter lido a primeira predefinição acima! Não tenho medo de você!

Ok, eu tenho medo de você, mas quem é você?

A verdade sobre o desaparecimento[editar]

Amarildo na realidade era um ex-agente da KGB infiltrado no país na época da Guerra Fria de modo a espionar as favelas brasileiras.

Entre os dias 13 e 14 de julho de 2013, uma operação batizada de Paz Cagada mobilizou os 300 de Esparta e que também eram PM na Rocinha e prendeu suspeitos sem passagem pela polícia apenas para fazer um reality show na cadeia, logo depois de um arrastão ocorrido nas proximidades da favela, e de acordo com a polícia, 30 pessoas foram presas, entre elas Amarildo. DE ACORDO com a polícia, ele foi arrastado pra UPP e depois liberado após uma partida de dominó. Só que ele sumiu depois disso, já que nem da porta pra fora da UPP ele foi visto a seguir.

Segundo a versão da polícia, eles confundiram Amarildo com Wally, a quem estavam procurando a dias e não encontravam de maneira alguma. Como estava vestindo um gorro e uma roupicha cor-sim-cor-não de pescador igualzinha a do Wally, ele acabou detido. IRONICAMENTE, na noite em que ele foi detido, das 84 câmeras da comunidade, justamente as duas câmeras que vigiavam a UPP deram problemas e os GPS das viaturas simplesmente foram esquecidos em casa pelos policiais que confundiram os GPS com um Nintendo 3DS.

Mas na realidade Amarildo fora convocado de volta a Moscow e ao sair da UPP virou fumaça reaparecendo as portas do Kremlim.

Até o momento, nenhum sinal de Amarildo foi descoberto, o que levou a muitas pessoas no Facebook criarem um joguinho virtual chamado Onde está Wally Amarildo, joguinho já jogado por mais de 50 milhões de pessoas no mundo todo, mas até hoje nenhuma conseguiu até o momento zerar o jogo.

O que aconteceria se Obama estivesse interessado[editar]

Haveria inúmeras entrevistas com analistas internacionais que produzem uma "primavera", elogiando a mobilização dos jovens para o protesto através de redes sociais.

Governos do mundo teriam expressado preocupação sobre a ascensão do racismo no país e no estado violência. Eles condenaram o tratamento das minorias étnicas e a corrupção das forças de segurança na gestão de casos de brutalidade policial.

Washington tinha emitido um comunicado: "Apelamos ao regime para parar os agentes do Estado que brutalizam membros de minorias étnicas para executarem uma igual aplicação da lei e do respeito pelos direitos humanos de todos os cidadãos são de segurança, seja ele preto ou branco, o que é essencial para uma democracia saudável" e que "a revolução não será televisionada".

A ONU, por sua vez, também teria emitido um comunicado: "Nós condenamos a militarização e violência policial que temos visto nos últimos meses nós recomendamos fortemente que as forças de segurança para lançar uma investigação completa sobre a morte de Amarildo no Rio de Janeiro, não há nenhuma desculpa para a violência policial excessiva ". Além disso, teria instado o Governo a fazer bases de dados públicas sobre a violência da polícia para melhorar a transparência e reduzir a corrupção no sistema judicial.

Grupos internacionais de defesa dos direitos humanos fariam pressão à comunidade internacional, pedindo asilo político fácil para as minorias étnicas negras do país.[1]

Link externo[editar]

CoffinDance.jpg

Amarildo Dias de Souza já morreu!

Foi trabalhar na padaria do inferno!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno