Década de 1990

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Anos 90)
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é relacionado à história.

Não se surpreenda quando ler que a Rússia ganhou a guerra. 3 vezes.

Batmanhieroglifo.jpg
A90.jpg Este artigo discute coisas intrínsecas aos anos 90's!

Portanto, ele se refere às coisas daquela época, como os Mamonas Assassinas, Super Nintendo e Banheira do Gugu.


George Bush inicia a sua carreira de invadir o país alheio.


Cquote1.png Você quis dizer: Década dos grunges Cquote2.png
Google sobre Década de 1990
Cquote1.png Você quis dizer: Mamonas Assassinas Cquote2.png
Google sobre Década de 1990
Cquote1.png Você quis dizer: Macarena Cquote2.png
Google sobre Década de 1990
Cquote1.png Essa foi a época que eu lancei minha única música que presta Cquote2.png
Vinny sobre Mexe a Cadeira
Cquote1.png Guerra do Golfo! Cquote2.png
George Bush sobre Anos 90
Cquote1.png Metallica começou a fazer merda, Guns N' Roses demorou a lançar um disco que era uma bosta, o emo estava nascendo, pop, axé, pagode e lambada também, apareceram um monte de boiola bands e Zezé Di Camargo e Luciano começaram infernizar as rádios brasileiras... Definitivamente, esses não foram os meus anos... Cquote2.png
Música sobre Anos 90
Cquote1.png Esse foi o meus anos... Cquote2.png
Pager, Mega Drive, Spice Girls, Guerra do Golfo.
Cquote1.png Companheroff of anof noventaf foif uf porref! Cquote2.png
Lula sobre Anos 90
Cquote1.png É!!! Cquote2.png
Michael Jackson sobre Anos 90
Cquote1.png Eu vou deixar a vida me levar! Cquote2.png
Samuel Rosa sobre Anos 90
Cquote1.png Maravilha... Cquote2.png
Bicha sobre Anos 90
Cquote1.png Tenho certeza que você nasceu nessa década Cquote2.png
Gênio Akhinator sobre Anos 90
Cquote1.png Ai, que tempo! Cquote2.png
Sua e a Minha mãe sobre anos 90
Cquote1.png Eu era criança nessa época Cquote2.png
Milllenial sobre Anos 90
Cquote1.png Eu fiquei famoso nessa época! Cquote2.png
Sonic sobre Anos 90
Cquote1.png Mama mia! Já eu sou famoso desde os Anos 80! Cquote2.png
Super Mario sobre comentário acima
Cquote1.png Que que há velhinho!Eu sou famoso desde os Anos 40! Cquote2.png
Pernalonga sobre comentários acima
Cquote1.png Eu sou famoso desde os Anos 30 Cquote2.png
Mickey Mouse sobre comentários acima
Cquote1.png Eu era muito famoso nos Anos 20! Até esse rato roubar a minha fama! E pra piorar parece que ninguém mais lembra de mim. Cquote2.png
Gato Félix sobre comentário acima


Anos 1990, ou anos 90, ou Década de 1990 foi uma época compreendida entre 1990 e 1999, ou seja, aquela década entre a Década de 1980 e a Década de 2000. Foi a última década do Século XX.

A morte da Princesa Diana em 1997 foi uma das grandes tragédias da década, com muita gente a suicidar-se logo de seguida. Ou não.

Foi uma década difícil que durou 10 anos, mas que pareceu que durou 3475 anos (e parecia que nunca ia acabar) que sucedeu os Anos 80 e foi sucedida pelos Anos 2000, sendo conhecida como a década da Viadagem, e por ser a década da Guerra do Golfo, do fim da Guerra Fria, do surgimento do politicamente correto, do Windows 95, Mamonas Assassinas, Banheira do Gugu, Carla Perez, É o Tchan, Super Nintendo, Manchete, Cavaleiros do Zodíaco, Nana Gouvêa, Samuel Rosa, Cazuza, Vinny(nem vem dizer que você não lembra) e outras porcarias da época.

Os Anos 90 foram os anos que o Rio Grande do Sul, Fresno e Campinas se fortaleceram, o Maradona ganho uma copa (maldito quem deu o prêmio para ele...) e Pelé quebrou mais um recorde, assim como o Michael Jackson fez sua milésima cirugia no nariz. Também foi a década que revolucionou a informática, que o George Bush mandou todo mundo tomar no cu para a Guerra do Golfo e que o Padre Quevedo disse pela milésima nona vez Isto non ecziste. Essa década também revolucionou a história com o clipe Gay, Gay, Gay e Gay, um dos maiores sucessos da época. Também fez sucesso com a Dança do Emo e a candidatura de Clodovil como deputado.

A Guerra Fria chegou ao fim nessa década e a União Soviética morreu... por razões desconhecidas.

Os Estados Unidos se deram bem, os Russos se deram mal e a MTV ainda passava música na sua programação. Não existia bullying e as drogas ficaram marcantes para a época. Marcada por grandes momentos como a entrada do Gugu para o SBT, assim como o ano que Kassab chamou mais alguém de Vagabundo, o ano da França no Mundo inteiro e o ano da Parada Gay. Os EUA ganharam a Guerra Fria e os Comunistas se fuderam de vez. Mas, como nem tudo dá certo, os EUA tiveram que aturar a gangue do Obama Osama que queria tomar a bufunfa dos gringos. Países que eram comunistas tiveram que se conformar com a derrota e resolveram passar pro outro lado. Hoje eles estão ricos por causa do petróleo e gás natural. Nessa época, a galera começou a usar a Internet com mais uma maravilha dos anos 90, o Internet Explorer, e Bill Gates começou a ficar ainda mais rico do que já era.

Mas, nem tudo são flores. Os países inúteis pobrinhos, como o Brasil, enfrentaram perrengues por causa da sua pobreza. A galerinha teen inventou um monte de tribos sociais que só serviram para diferenciar umas pessoas das outras em patricinhas e ralés. Surgiram nessa época os emos, os góticos, os ecochatos, as patricinhas, etc. Foi moda o uso de tatuagens e piercings e o consumo de drogas (maconha, cheiramento de gatinhos, ecstasy). No Brasil, a galerinha ficou cada vez mais pevertida e drogada. Muitos viados famosos morreram de AIDS e Michael Jackson foi acusado de comer criancinhas.

Tecnologia[editar]

Um grande exemplo da tecnologia dos anos 90.

Ciência[editar]

Política[editar]

Típicos terroristas soldados da Bósnia, prontos pra levar o kebab ao mundo inteiro.
Os anos 90 foram uma época de crescimento económico para os EUA.

Economia[editar]

A Economia dos Anos 90 foi baseada na venda de camisas roxas e fluorescentes.

Desastres[editar]

Esportes[editar]

Os anos 90 foram uma grande época para os basquetebolistas norte-americanos.

Cultura[editar]

Cinema[editar]

Os dinossauros horripilantes foram uma grande tendência no cinema e na televisão dos anos 90.
Todo Natal tinha essa porra.

A década é marcada por filmes de ficção científica, comédias bizarras e dramas românticos que faziam as delícias de tua mãe.

Os grandes astros da década eram, na sua maioria, drogados ou saídos de sitcoms e outros seriados bregas semelhantes ou "durões" tais como Jennifer Aniston, Sarah Jessica Parker, Lisa Kudrow, Ethan Hawke, Courteney Cox, River Phoenix, Brad Pitt, Johnny Depp, Winona Ryder, Leonardo Di Caprio, Drew Barrymore, Meg Ryan, Chuck Norris, Nicholas Cage, Angelina Jolie, Keanu Reeves, Sarah Michelle Gellar, Mel Gibson, Julia Roberts, Cameron Diaz, Sandra Bullock, Demi Moore, Tom Cruise, Michelle Pfeiffer, Matthew Broderick, Jennifer Love Hewitt, Pamela Anderson, Denzel Washington, Richard Gere, Jackie Chan, Kate Winslet, Gwyneth Paltrow, Steven Seagal, Liv Tyler, Hugh Grant, Gary Oldman, Nicole Kidman, Val Kilmer, Samuel L. Jackson, Jodie Foster, Tom Hanks, Charlie Sheen, Brendan Fraser, Morgan Freeman, Renée Zellweger, Edward Norton, Alicia Silverstone, Christian Slater, Will Smith, entre outros.

Titanic (1997) inspirou milhares de apaixonados em todo mundo a replicar a famosa cena do filme.

Titanic (1997) foi um dos grandes êxitos da década: de todas as estórias verdadeiras do desastre náutico, James Cameron decidiu produzir esta estória falsa e tornar a Celine Dion famosa com uma canção que não vai sair da sua cabeça por mais que tente. Na onda de filmes românticos surgem outros êxitos bregas e dramáticos em que sempre alguém morre como Ghost: Do Outro Lado da Vida (1990), O Guarda-Costas (1992), Romeu + Julieta (1996), Cidade dos Anjos (1998) e Shakespeare Apaixonado (1998). As comédias romànticas também ganham atenção com coisas como Uma Linda Mulher (1990), Quatro Casamentos e um Funeral (1994), O Casamento do Meu Melhor Amigo (1997), Quem Vai Ficar com Mary? (1998), Nunca Fui Beijada (1999) e Um Lugar Chamado Notting Hill (1999).

Os filmes de comédia disparatada com personagens trapalhões e cheios de bizarrias também tiveram muito êxito nos anos 90. Comediantes como Jim Carrey, Eddie Murphy, Whoopi Goldberg e outros cujo nome caiu no esquecimento alcançaram grande sucesso nessa década com filmes como O Pai da Noiva (1991), Mudança de Hábito (1992), Ace Ventura (1994), O Máskara (1994), Debi & Loide - Dois Idiotas em Apuros (1994), O Professor Aloprado (1996), Um Ninja da Pesada (1997), Austin Powers (1997), George, o Rei da Floresta (1997), Mr. Magoo (1997) e Dr. Dolittle (1998).

Na década de 90 também foram muito populares os filmes familiares com coisas como a irritante franquia Esqueceram de Mim (1990), Hook - A Volta do Capitão Gancho (1991), Beethoven, O Magnífico (1992), Uma Babá Quase Perfeita (1993), Lassie (1994), Gasparzinho, o Fantasminha Camarada (1995), Coração de Dragão (1996), Matilda (1996), Space Jam: O Jogo do Século (1996) e Operação Cupido (1998). Nessa década, Hollywood também estava decidida a assustar criancinhas com filmes causadores de pesadelos como A Família Addams (1991), Abracadabra (1993), Jurassic Park (1993), Jumanji (1995) e Godzilla (1998)

Os gays começam a ganhar lugar no cinema e televisão durante a década de 1990.

Os dramas adolescentes também ganham protagonismo e as guria retardadas deliram com os protagonistas em parvoíces como Cry-Baby (1990), Jovens, Loucos e Rebeldes (1993), Caindo na Real (1994), Clueless (1995), Marcação Cerrada (1999), Ela É Demais (1999), 10 Coisas que Eu Odeio em Você (1999) e Segundas Intenções (1999). Os punheteiros ganham seu filme em American Pie (1999).

Continua nessa década o interesse por coisas monstruosas, em especial: serial killers em O Silêncio dos Inocentes (1991), Se7en (1995) e A Outra História Americana (1998); vampiros (que seriam assassinados na década seguinte), com Drácula de Bram Stoker (1992), Entrevista com o Vampiro (1994) e Blade (1998); extraterrestres em Marte Ataca! (1996); serpentes em Anaconda (1997); gays com acessos de histerismo em O Quinto Elemento (1997), múmias em A Múmia (1999); bruxas em A Bruxa de Blair (1999) e A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça (1999); pedofilia em Beleza Americana (1999) e crianças que falam com mortos em O Sexto Sentido (1999). Os filmes de catástrofe também se tornam grandes êxitos, talvez como preparação para o ano 2000: Apollo 13 - Do Desastre ao Triunfo (1995), Independence Day (1996), Volcano (1997), Impacto Profundo (1998) e Armageddon (1998).

Os filmes não-assim-tão-históricos e cheios de erros também ganham importância na década de 90 com Danças com Lobos (1990), A Lista de Schindler (1993), Coração Valente (1995), Sete Anos no Tibet (1997), O Resgate do Soldado Ryan (1998), O Homem da Máscara de Ferro (1998) e A Máscara do Zorro (1998).

Os filmes de macho continuam a ter grande êxito, com atores como Steven Seagal, Jean-Claude Van Damme, Bruce Willis e Jackie Chan. Clássicos como Difícil de Matar (1990), Marcado para a Morte (1990), Leão Branco - O Lutador sem Lei (1991), A Força em Alerta (1992), O Demolidor (1993), Speed (1994), Em Terreno Selvagem (1994), Assassinos por Natureza (1994), Timecop (1994), Pulp Fiction (1994), Bad Boys (1995), Duro de Matar (1995), Morte Súbita (1995), Um Drink no Inferno (1996), Missão: Impossível (1996), Primeiro Impacto (1997), Donnie Brasco (1997), MIB - Homens de Preto (1997), Jackie Brown (1997) e Clube da Luta (1999) inspiraram toda uma geração de durões.

A Disney viveu a sua época de renascimento nos anos 90, com mensagens escondidas de putaria.

Nos filmes para a criançada, a Disney reinava suprema, com o monopólio dos filmes de animação. É a sua "época da Renascença", em que você implorava pra teus pais pela VHS de cada novo filme que era lançado no mercado e que fazem os millennials se queixar que as animações de hoje em dia não valem porra nenhuma. Grandes clássicos como A Bela e a Fera (1991), Aladdin (1992), O Rei Leão (1994), Toy Story (1995), Pocahontas (1995), O Corcunda de Notre Dame (1996), Hércules (1997), Mulan (1998), Vida de Inseto (1998), Fantasia 2000 (1999) e Tarzan (1999) fizeram grande êxito entre a pequenada. Outros sucessos incluíram A Polegarzinha (1994), Anastasia (1997), O Príncipe do Egito (1998) e O Pequeno Stuart Little (1999).

Música[editar]

As Spice Girls foram um grandes êxitos dos anos 90... por alguma razão.
A música dos mano torna-se popular entre os brancos nessa década.

Os anos 90 ficaram conhecidos como o ano em que a música morreu: todas as porcarias do mundo foram criadas nessa época. Surgiram as aberrações das "Boybands" com BackStreet Boys, 'N Sync, 98 Degrees e Hanson, e das "Girlbands" como as Spice Girls e Destiny's Child. As cantoras pop ainda eram feias, barangas e dançavam músicas ainda mais idiotas com um grupo de garotas igualmente idiotas, ainda mais feias e sem nenhum talento musical, mas ficaram famosérrimas e ganharam milhões. Gente sem talento como Britney Spears, Christina Aguilera, Ricky Martin, Jessica Simpson, Mandy Moore, Natalie Imbruglia, Enrique Iglesias, Kylie Minogue, Jennifer Lopez e Paulina Rubio alcançaram grande fama nessa década. Divas como Mariah Carey, Whitney Houston, Toni Braxton e Celine Dion encheram os bolsos fazendo tua mãe chorar.

O rap ficou famoso por culpa do Tupac Shakur, The Notorious B.I.G. e outros rappers que morreram baleados no guetto por causa de rivalidades entre gangs. Já sem ideias, o hip hop limita-se a remixar hits antigos, sobretudo idiotas de um só êxito como MC Hammer. Entre os sobreviventes sucessos da década estão Dr. Dre, Ice Cube, Puff Daddy, The Fugees, LL Cool J, Will Smith, Wu-Tang Clan, Busta Rhymes e o único branco Eminem.

"Macarena" foi um dos grandes êxitos da década. Quem cantava isso, ninguém sabia.

A década foi marcada por muitos "artistas" (bota aspas nisso) de um hit só, coisas como: Macarena, Mambo No. 5, The Bad Touch, Freestyler, Barbie Girl, O Bicho e aquele ruído que eu sei que eu ouvia do Mexe a Cadeira, na voz rouca daquele punheteiro chamado Vinny (agora você está se sentindo velho).

A cena grunge nasce nos anos 90, considerado o pior rótulo feito desde sempre no universo, com bandas podres e sem criatividade nenhuma, que na verdade tocavam metal ou tocavam punk. Ou tocavam punheta. E era isso. Além disso, ser depressivo e esquisito estava na moda, e quanto mais estranho você fosse, mais chance de ter uma banda você teria. Onde acabaria morrendo dando um tiro na cabeça com agulhas enfiadas na bunda. Coisas como Nirvana, que fazia plágio atrás do outro e imitava músicas dos Sonic Youth e dos Pixies, eram considerados a "salvação do rock" pelos mais alienados. Também aparecem coisas como Soundgarden, Alice in Chains e Pearl Jam, que não eram melhores. No Reino Unido, surgiam loiros retardados que se diziam perdedores e fumavam um Beck, como Radiohead (com um vocalista vesgo, dentuço e homossexual que falava como se sentia mal sendo vesgo, dentuço e homossexual), Oasis, The Verve, The Cranberries e Blur. Maníacos psicopatas com sérios problemas mentais tornam-se famosos com Nine Inch Nails, uma banda imaginária que não tinha integrante algum, e Marilyn Manson.

Nessa década surge também a aberração do pop rock (uma designação sem sentido) com coisas como Norah Jones, Dido, Alanis Morissette, Tori Amos, Fiona Apple, Coldplay, Bryan Adams. Também surge o "pop country", outra idiotice, com Shania Twain e LeAnn Rimes.

Outra sensação musical da década foi a música eletrônica e a aberração da Eurodance. Coisas como Moby, The Prodigy, Alice Deejay, Haddaway, Gigi D'Agostino, Vengaboys, Ice MC, La Bouche, Eiffel 65, Scatman John, The Chemical Brothers e Fatboy Slim martelavam nos seus ouvidos e nas pistas de dança desse mundo fora.

Já no Brasil, a cena de rock acabou definitivamente. Tanto não levaram mais a sério que só os Mamonas Assassinas fizeram sucesso o tempo todo, mas viram purpurina em 1996. Todos os cantores brasileiros (TODOS) criaram uma versão brega e constrangedora de uma música estrangeira. No Rio de Janeiro, um cano da central de esgoto estourou e o Latino foi libertado. Também apareceram outras aberrações da natureza, como Braga Boys, Cia do Pagode, É O Tchan, Tiririca, Rodolfo & ET e Bonde do Tigrão.

Televisão[editar]

Os super-heróis dos anos 90.
Típico programa de TV das tardes de domingo.

Surgiram o Power Rangers, Cavaleiros do Zodíaco, Dragon Ball, Pokémon, Digimon, Berserk (nunca chegou no Brasil), Yu Yu Hakusho e Casseta e Planeta.

Os anos 90 foram uma década cheia de pattys duronas e gostosas.

Os gays e as pessoas faziam sexo e eram lésbicas começaram a aparecer nas novelas, mas os brasileiros ainda eram tradicionais nesse assunto e os coitados atores que tiveram o azar de pegar esses papéis foram agredidos e sacaneados. Nas novelas, a maquiagem era extremamente brega. Peitos e bundas pulavam em tudo que era canal, e uma nova modalidade de enquadramento de cena foi criada pelos técnicos e estudiosos do Gugu: O Close na Xana. A Rede Manchete ainda existia e a MTV (que chegou ao Brasil nesta época) ainda exibia música, as mulheres ganhavam o dinheiro sentando no pau e chupando tambem.

Jogos[editar]

O Sonic era um teste de paciência.
Allejo: um grande exemplo dos gráficos espetaculares dos anos 90.

A Sega assumiu a liderança e (por um certo tempo) lucrou muito mais que a Nintendo e seu Super Mario com seus jogos bem mais velozes e furiosos; entre alguns exemplos estão Sonic (conhecido no mundo gamer até hoje), Ristar (não muito conhecido), NiGHTS (jogo para bichas e gays em geral) e Alex Kidd (um plágio baseado em Mario Bros. da Sega). Aqui a Sony criou o PlayStation 1 e a Microsoft ainda pelejava pra melhorar o Ruindown 95 (uma bosta de PC...).

Os jogos de futebol virtuais no início da década eram todos uma merda, até que surgiu a revolução chamada Perfect Eleven Campeonato Brasileiro 96, que fez o mundo conhecer finalmente o jogador mais amado e esquecido do planeta, embora melhor de todos: Allejo.

Nesse tempo também existia uma coisa chamada fliperama, que você, juvenil dos tempos de hoje, não deve saber o que é, mas vamos explicar: é como se fosse uma lan house, só que sem essas frescuras de computador com Internet, e só com jogos. 11 em cada 10 fliperamas continham pelo menos um jogo de luta, os quais compunham em média 90% do total de jogos de cada estabelecimento. Eram tempos em que pessoas de todas as idades, raças, credos e empregos (ou não) se acotovelavam para tirar contras no Street Fighter e no Mortal Kombat, os fenômenos da época, que geravam uma renda diária de milhares de centavos por dia (naquele tempo, a ficha não custava nem um real). Do meio pro final da década, outro joguinho chamado The King of Fighters começou a dividir espaço com os dois anteriores e roubar lucro dos mesmos (especialmente de Mortal Kombat, pois o MK3 foi uma versão feita especialmente para que aqueles que foram criados em apartamento pudessem jogar em casa).

Moda[editar]

Exemplo de uma família feliz dos anos 90.
  • Grunge;
  • Bichas;
  • Roupa brega no geral;
  • Era comum os homens usarem roupas femininas e mulheres, masculinas;
  • Sapatos e sandálias volumosos com plataforma;
  • Ganga com ganga;
  • Botas de combate Doc Martens, Timberland, etc.;
  • Cores néon e estampadas geométricas;
  • Bijuteria cafona como colares choker (tipo coleira de cão), pulseiras de plástico, anéis de humor, etc.;
  • Roupa estupidamente larga por alguma razão desconhecida;
  • Maquiagem cheia de autocolantes, glitter, quase sem sobrancelha, etc.;
  • Vestuário esportivo;
  • Tecidos brega como cetim, veludo, fanela, bombazine, etc.;
  • Penteados vindos do Inferno como espetado, cabelo descolorado, tranças embutidas, ganchos de borboleta, brilhantes strauss, etc.;
  • Malhas que provocavam urticária uma comichão infernal.

No Brasil[editar]

Após uma conspiração armada pela Globo, pelo Google e pela Wikipédia, Fernando Collor de Mello ganhou as eleições, mas a festa durou pouco e Collor foi dedurado pelo irmão, que morreu de Remorsite Aguda causada por doses elevadas de chá de Simancol. FHC então surgiu como o salvador da pátria e criou a moeda Real, que deu um pouco de alegria à ralé tão sofrida.

No final da década as atrações semanais do Gugu ainda no SBT faziam a alegria dos adolescentes entusiasmados com a beleza de muitas dançarinas que entravam de surpresa no palco. Foi a época das Enciclopédias Barsa e da extinta Revista Veja, hoje transformada num semanário de humor.

Ver Também[editar]

Lista de anús anos 1990 até 1999
<< 1990 - 1991 - 1992 - 1993 - 1994 - 1995 - 1996 - 1997 - 1998 - 1999 >>