Magallanes y Antártica Chilena

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Antártica Chilena)
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Isso non ecziste, la Antartica es un territorio argentino! Cquote2.png
Arrogância Argentina sobre Magallanes y Antártica Chilena

Província da Antártica Chilena conhecido também como Pedagião do Pontão

Antártica Chilena é a última província chilena e do mundo também. Considerada a província mais fria do mundo.

História[editar]

Chilenos de Santiago perdidos na Antártica Chilena pensando esta no Deserto do Atacama

A região da Antártica Chilena é formada por toda aquela região no Estreito de Magalhães no intuito de fundar no local um grande pedágio para as embarcações que na época antiga eram numerosas por ali. Parecia ser um hobby europeu fazer viajens suicidas pelo mundo.

Após a construção do Canal do Panamá, o pedágio chileno entrou em decadência até falir.

Sobrou então uma base militar secreta de Pinochet, que podia torturar, matar e enterrar na região quem quisesse sem se preocupar com testemunhas ou denúncias.

Nos dias atuais a região é um desgosto e serve apenas para aparecer no Fantástico e as pessoas decidirem que ali é o último lugar no mundo em que irão.

Sustenta na Antártica também a Villa Las Estrellas, uma cidade parecida tirada de um faroeste no Pólo Sul.

Política[editar]

Uma estação de pesquisas chilena da mais sofisticação caindo aos pedaços

Formada por dois tipos de territórios, a Antártica Chilena tem a região antártica propriamente dita, habitada por chilenos que não sabem até hoje por que nasceram e a região de Horns na América do Sul onde vivem pescadores que levam turistas desavisados para a Antártida.

A região não tem direito a prefeitos e governador, quem manda por ali é o dotador chileno em pessoa ou o GreenPeace.

Geografia[editar]

O único território antártico sul-americano bem sucedido (decentemente bem sucedido pelo menos), a Antártica Chilena é muito habitada, seja por pinguins, focas ou humanos, pois o clima da região se assemelha muito ao do Rio Grande do Sul e pessoas podem viver por ali, mesmo que esquizofrênicas.