Apagão aéreo de 2006

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é relacionado à história.

Se você vandalizar, Nikita Khrushchov vai te beijar!

Tempos-modernos01.jpg
Boieng da Trans Brasil indo pro brejo.jpg Olha o(a) Apagão aéreo de 2006 vindo!
Olha o(a) Apagão aéreo de 2006 indo!

Este artigo fala sobre coisas que avuam pro alto.
Clique aqui pra ver quem mais vai pelos ares. Literalmente.
U telec2k.jpg

Este artigo discute coisas intrínsecas aos anos 2000!
Se você nasceu nessa época, não teve que temer a Skynet ou o Bug do Milênio.

Algo que é comum na aviação civil brasileira: atrasos de voos. Agora imagina no meio de uma crise...

Apagão aéreo de 2006, nome popular da crise que rolou no setor aéreo no Brasil entre 29 de setembro de 2006 até lá pro final de 2007, causados por diversos problemas entre os aeroportos, os controladores de voo, a ANAC e também o facto de brasileiro não saber punir culpados reais, em especial se forem gringos, estadunidenses e gatos. DLC DE TRIPULAÇÃO!

Opa opa, vamos voltar pra nossa programação normal...

Coisas que prenunciavam a crise[editar]

  • Mãe Dinah;
  • 2004: A FAB já avisava que a grana tava sumindo, o presidente Lula tava mandando o dinheiro de investimentos no setor pras Ilhas Cayman e não sobrava um puto praticamente pro setor;
  • 2006: O Tribunal de Contas da União alertou todo mundo de Brasília que se continuassem a chupar a grana e enfiar nos próprios rabos nem os jatinhos deles iriam funcionar mais. Mas, com medinho do Mensalão ainda forte, e mais uma campanha pra todo mundo achar que o país estava tudo numa boa, e assim garantir a reeleição do Lulalá, botaram panos quentes e pronto. Mas aí a Varig começou a seguir o caminho da Transbrasil, da PanAm e da Vasp e acabou sem chimarrão, indo à falência. Com isso, tiveram que às pressas reorganizar todos os ienzi voos programados e vendidos pela empresa, já que já tava uma porra aguentar quase nenhuma mais no país, daí mais uma pede as contas, fodeu. E essa agonia começou a afetar tudo: aeroportos, pilotos, co-pilotos, passageiros, comissárias de bordo, flanelinhas do aeroporto e até mesmo o carinha da lanchonete de frente pro local de taxiamento aéreo.

O cabrum[editar]

No dia 29 de setembro de 2006 começou de facto a treta. Com o acidente com o Voo Gol 1907, que o Boeing da empresa acabou levando uma rasteira em pleno ar de um jatinho Legacy controlado por dois americanos que no momento estavam assistindo a um pornozão pirata da Alexis Texas antes dela começar oficialmente a carreira e que tavam tudo pouco se fodendo pros instrumentos de voo e pros controladores (que também estavam numa bagunça fodida porque os instrumentos deles não detectavam que um avião iria fazer o outro girar feito Handspinner BeyBlade - não tinha spinner ainda, porra, sem anacronismo nessa porra, já basta citar pornô de uma atriz que só começou a carreira um ano depois, porra! - e que acabaria nesse roda a roda rumo à floresta Amazônica virando um monte de pedacinhos que se espalhariam pela porra toda), e no fim o acidente expôs a desgracença que tava o setor.

Oito controladores que trabalhavam lá no momento foram tudo afastado pra investigação de se a culpa era deles, o que levou a uma sobrecarga dos poucos que sobraram. Putos, eles começaram a uma operação-padrão, ou seja, se todo dia já tem atraso mesmo em aeroporto, agora que a porra vai ficar lerda mesmo pra subir. Esse espetáculo começou no dia 27 de outubro de 2006, sendo que sete dias antes já tinha dado uma merda num dos radares da Cindacta 2, o que foi já o primeiro indício de sabotagem que levaria todo mundo a parar de vez por meses a fio. Nem avião de papel conseguia sair na hora certa no país. Em meio aos Jogos Pan-Americanos de 2007, ir pro Rio de Janeiro só se fosse usando o sistema de balsas que o King Size do Rio de Janeiro tanto venera, apesar que a Jumbo Cat ainda ficava causando uma suruba de inúmeras execuções...

Desdobramentos do papelão[editar]

Chegaram a instaurar duas CPIzzas pra apurar as responsas por essa crise fodida, mas não adiantou muita coisa. Nesse período tão caótico ainda o povo tinha de aguentar Marta Suplicy mandar sua frase mais famosa:

Cita3.pngRelaxa e goza porque assim você esquece de todos os transtornos!Cita4.png
Marta Suplicy em sua frase mais icônica de sexóloga fingindo ser política. Agora você entendeu a gente repetir em uma caralhada de artigos essa frase né?

Ou ver o assessor especial da presidência da república (que porra de cargo é esse?) Marco Aurélio "TOP TOP" Garcia fazendo um gestinho gostoso ao ver que a culpa de outro acidente, o voo TAM 3054 que explodiu no galpão da própria empresa ao aterrissar lá no Aeroporto de Cagonhas, poderia ter sido um problema nos spoilers do avião que não avisaram nada com antecedência, e a falta de groove e swing na pista do aeroporto, acidente esse que aumentou fodidamente a crise, mas o Marquinho simplesmente mandou um foda-se pra dor da população.

Por fim, láaaaaaaaaaaaaaa pelo final de 2007, com a queda do ministro da defesa Waldir Pires e a reorganização aos poucos dos voos, já que muita gente passou a gastar horrores com empresas de outros países pra voar de boinha sem frescura, a situação voltou relativamente ao normal. Ou seja, só uns 20 atrasos de voos por aeroporto por dia, nada demais...