Araguaiana

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Mais uma cidade de "criativo" nome Cquote2.png

Cquote1.png É uma cilada Bino! Cquote2.png
Pedro dirigindo na MT-100

Araguaiana é uma cidadezinha desconhecida lá no meio do nada, reconhecida como uma versão piorada de Barra do Garças.

História[editar]

A moderna e inóspita estrada de acesso à Araguaiana.

Inicialmente uma terrinha habitada por índios, a treta começou quando bandeirantes paulistas pioneiros atravessaram pela primeira vez o Rio Araguaia, e do outro lado metade deles morreram atingidos por dardos envenenados no pescoço cuspidos de zarabatanas. Os bandeirantes responderam extinguindo esses índios.

Araguaiana durante muito tempo não passou de uma roça lá longe... É... Até hoje ainda não passa de uma "roça lá longe", mas tudo bem.

Em 1986, mesmo com apenas meia-dúzia de habitantes, a roça foi elevada a município só para fazer número no Mato Grosso.

Atualmente é só mais um pequeno sítio no caminho da Rota da Muamba.

Geografia[editar]

Não passa de mais uma cidade na fronteira com Goiás que desperdiça todo o potencial turístico do Rio Araguaia co falta de projetos da incompetente prefeitura.

Cultura[editar]

A cidade possui uma tradição local bizarra conhecida como Lundu, uma dança folclórica que vem da macumba, praticada durante a Folia de Reis, quando um bando de cachaceiros saem pelas ruas de casa em casa pedindo uma garrafa de pinga. E todo hora que ganham alguma, dançam "É na boquinha da garrafa" ao som de viola e pandeiro. Sempre com letras cômicas, como: "Jacaré bangela tá na lagoa, Debaixo da samambaia, Eu quero dançar c´a moça, Essa véia me atrapaia".