Assassin's Creed (jogo)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Assasino! Credo!
Assassino Credo.png

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Bugsoft Acre
Publicador Bugsoft
Ano 2007
Gênero Simulador de parkour
Plataformas PolyStation, PC da Xuxa
Avaliação 70%
Idade para jogar ¨Livre

Assassin's Creed foi o primeiro jogo lançado para PlayStation 3, criado para os sonystas terem orgasmos em terem para si um ambiente de interação livre (exceto pelos locais onde tivesse que nadar ou aparecesse uma barreira bizarra feita de polígonos que te desincronizaria).

Enredo[editar]

O personagem principal chato que ninguém quer jogar é Desmond Miles, um barman descendente de praticantes de parkour que se fudeu totalmente porque foi capturado pela Microsoft Abstergo, empresa que controla tua mãe tudo que existe, inclusive tua mãe (empresa que é também inimigo dos praticantes de Parkour). A Abstergo submeteu Desmond a uma série de sodomias testes de lobotomia anal numa máquina chamada Ânus-mus, que tem como função mostrar para o usuário a vida de seus antepassados através de um tratamento de choque nada agradável ao usuário.

O jogo em si então ocorre nestas memórias de Desmond num passado distante e se passa na Acre, isso mesmo, os confins do Brasil é homenageado sendo retratado como Terra de Alá, durante a 69ª Cruzada. No jogo Você é Altaïr, um acriano praticante de Le Parkour que não sabe nadar. Altair faz parte de um credo de praticantes de Parkour que são fanáticos em fazer cenas para o Jackass, mas ele se torna uma vergonha para os seus pares porque ele é o responsável por fazer uma baita cagada, deixando os Templários roubarem a fórmula secreta da Coca-Cola, apelidada de "Peça do Édem".

O Osama Bin Laden (nome de batismo, Al Muallin), o mestre dos praticantes de Parkour de sua época, enfia uma adaga no cu de Altair e tira todas as suas habilidades, pois no mundo dos praticantes de parkour as coisas são assim, se você toma uma facada você esquece tudo que aprendeu durante toda sua vida treinando, só para ter que reaprender tudo em uma semana, e Altair é assim rebaixado para a classe mais noob dos praticantes de Parkour (o Novice rebelde), aquela classe que você começa nos seus RPGs favoritos.

Altair fazendo o salto mais básico do jogo (básico pra ele).

Querendo ser fodão de novo e reconquistar sua honra, Altair deve matar 9 cristãos e muçulmanos específicos, afinal ele caiu para a mais baixa patente de sua ordem, ficando submetido até aos desejos dos ateuzinhos de Facebook, que assim o ordena a ir cometer tais assassinatos. Altair vai para as cidades mais "conhecidas" da terra de Alá, como Jerusalém, onde ele é constantemente atacado pelos membros da Al Qaeda, Damasco onde ele atacado por membros do Talibã, e o Acre que é retratado no jogo como um local existente no jogo, um lugar onde Altair tem que aturar mendigas que o persegue e que estragam toda a missão, além de retardados que te batem por qualquer coisa (e só batem em você) e os soldados da Microsoft restantes no mapa, tornando o Acre um local hostil. Ao longo de todo maçante jogo Altair tem que fazer todas as mesmas missões só pra no final matar algum Cruzado (que tu não conhece pois fica dormindo na aula de história).

Os nove alvos seriam então: Tamir um comerciante de enciclopédias que batia na porta de todo mundo e que portanto deveria ser dizimado a todo custo, Garnier de Naplouse um doutor morador do Acre que abusava de seus pacientes, Talal um cafetão de putas de Jerusalém, Abul Noku um gordo que deve ser eliminado porque o jogo tem mensagens gordofóbicas (o único gordo do mundo é assassinado), William of Montferrat um cavaleiro folgado que faz porra nenhuma e deve ser punido por sua preguiça, Majd Addin um refugiado árabe, Sibrand um nerd de cabelinho ridículo que também deve ser eliminado por seu mau gosto, Jubair al Hakim um bibliotecário que finge ser alfabetizado e deve ser eliminado por ser um poser, e por último o Robert de Sablé um careca que foi o primeiro CEO da Microsoft e que deve portanto ser eliminado por motivos óbvios sendo ele claro o último e derradeiro alvo.

Porém, na missão final de assassinar o temido Robert de Sablé, Altair descobre que foi enganado e que seu alvo é um travesti chamado Maria Thorpe, e como o jogo traz uma mensagem de aceitação da sexualidade alheia, Altair poupa a travesti, e na verdade futuramente até viria a casar com ela. Altair assassina o rival Robert de Sablé na frente de Ricardo Coração de Leão num duelo, quando lhe é revelado que Osama bin Laden na verdade trabalhou para o governo norte-americano durante todo esse tempo, e que aquelas missões de assassinar gente de má índole na verdade era tudo uma conspiração facista.

Depois de matar todo mundo da Listinha de Natal Negra do mestre Osama, Altair descobre que foi traído pelo seu mentor e que agora está mais fudido ainda, por que todo mundo na Terra de Alá quer a cabeça dele agora. Furioso, Altair mata metade do mundo, incluindo alguns dos seus irmãos praticantes de parkour e no final de sua jornada luta contra o seu próprio mestre que está com a fórmula secreta da Coca-Cola (Peça do Éden), também conhecida uma das 24 Esferas do Dragão. A Peça do Éden cria alucinações na cabeça Altair e ele fica doidão achando que não pode se mexer, mas como ele aprendeu que poderia pensar em pôneis, consegue se livrar do feitiço, se mover e matar o velho vagabundo do Osama, depois arremessando seu cadáver no meio do oceano para jamais ser encontrado novamente, e assim pegando o corpo do benito só para ele.

Após matar o simpático Osama Bin Laden, você pensa (ou não) que acabou o jogo, mas está redondamente enganado, você ainda terá que aturar um vídeo no qual Desmond acorda e percebe que os funcionários da Microsoft são templários e que pretendem matá-lo (eu nem imaginava). Mas aí ele é salvo por uma enfermeira gostosa chamada Lucy Stillman, que na verdade era uma funcionária da Google (praticante de Parkour) infiltrada na empresa. Após eles brincarem saírem para falar com o seu superior (que ninguém sabe quem é) Desmond descobre que pegou os super poderes do Altair através do Animus (Aff) e devido à altas exposições a Yu-Gi-Oh!, começa a ver hieróglifos feitos com sangue por alguma vítima anterior dos templários (é, o Desmond não foi a primeira cobaia da Abstergo). Então o jogo acaba da maneira mais ridícula possível e sem responder nada, obrigando as pessoas a comprarem Assassin's Creed II.

Jogabilidade[editar]

Assassin's Creed é um jogo simulador de parkour com elementos de causar baderna, portanto o jogador tem toda a liberdade de escalar edifícios, escalar casas, escalar encostas, escalar buracos e escalar pessoas, sendo possível também causar baderna controlada, assassinar só uma ou outra pessoa de vez em quando e brigar com policiais contratados pela Microsoft (os Templários). Todavia não é possível nadar, porque árabes tem fobia à água, então mantenha distância dela.

A grande marca da série, apresentada já no primeiro jogo, é a Hidden Blade (Dildo Assassino, em português), que consiste numa manopla especial que Altair usa da qual ele pode projetar um dildo assassino para roubar a dignidade, discretamente, de um alvo que escolha para utilizar tal arma, deflorando suas vítimas que caem no chão envergonhadas demais para se levantarem depois de sentir o que as atingiu por trás.

Embora o jogo tenha trazido muita inovação, quando começar um diálogo você pode ir fazer seu café, terminar seu dever de casa, lavar a louça, ir ao dentista, enfim, procurar algo melhor para fazer, pois além de ser impossível pular os monótonos diálogos, eles duram sempre quase umas 30 horas, mais ou menos.

v d e h
Assassins-Creed-logo.jpg