Assassin's Creed IV: Black Flag

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Credo! Quatro Assassinos - A Maldição do Pérola Negra
Assassin's Creed IV.png

Capa do jogo, agora com muita inclusão social

Informações
Desenvolvedor Abstergo Enterteinment
Publicador Bugsoft
Ano 2013
Gênero Simulador de parkour; Simulador de Piratas do Caribe
Plataformas Pra tudo quanto é console
Avaliação 75%
Idade para jogar Livre

Assassin's Creed IV: Black Flag é uma prequel do título Assassin's Creed III, e apesar do título enganoso é o oitavo título da série Assassin's Creed, já amplamente massificada em 2013, data de seu lançamento. O jogo prometeu trazer muitas inovações e um protagonista muito mais carismático que os anteriores, Edward Kenway, um pirata impostor que na verdade é apenas a versão de alta resolução de Guybrush Threepwood, porém com o mesmo caráter de um jovem Ezio Auditore. Na verdade, o jogo é apenas uma versão piorada do GTA, com barcos e velas em vez de carros e motores.

Enredo[editar]

Introdução[editar]

No presente, o jogo se passa em 2013, um ano após os primeiros jogos Assassin's Creed que contam a história do carnaval de 2012 (fim do mundo conforme Nostradamus e o calendário maia). Neste jogo você é um brilhante retardado cientista que estuda o Kama Sutra as experiências vividas por antepassados num laboratório secreto da Ubisoft em Montreal utilizando uma tecnologia inovadora chamada Animus, uma cama extremamente desconfortável onde você deita e tem sonhos ruins, e no caso sonha com Justin Bieber, cujo nome artístico no século XVI era Edward Kenway. Enquanto você revive as memórias de Justin Bieber pirata, você está trabalhando para uma organização de templários chamada Hidra, que usa a trademark de "Microsoft"-"Ubisoft", e lá a sua nova ajudante gostosinha é Melanie Lemay. Estes templários planejam usar você como objeto sexual fantoche pra assassinar todos os praticantes de parkour do mundo, seres altamente odiados pelos funcionários da Microsoft.

A saga de Edward em Assassin's Creed IV começa após ele sair de sua casa para ir navegar em alto mar deixando sua corna para trás para comer putas em Havana e um dia conseguir muito dinheiro. No começo Edward é um corsário inglês, mas acaba desempregado e precisa então virar um pirata, porque os meses estavam passando e sua esposa na Inglaterra com certeza já o estava chifrando e ele precisava voltar para casa com as toneladas de ouro prometidas.

Se passando por assassino[editar]

Aventurando-se no Caribe Edward é atacado por um navio onde lá está um assassino que te bombardeia como um trouxa enquanto você tenta miseravelmente destruir o navio inimigo sem sucesso. Edward escapa da morte e nada até uma praia onde avista um lendário praticante de parkour pulando numas estruturas de madeira feitas por samoanos e o pirata decide segui-lo por ter gostado de suas estilosa roupa branca. Ao capturar e matar este praticante de parkour Edward descobre que ele vai ganhar uma recompensa de 10 mil cruzados (na cotação do Chaves) e ficar milionário caso entregasse um dildo de cristal para os templários, então Edward decide se passar por tal assassino para ficar com a grana. Antes de fugir da ilha de Fernando de Noronha, Edward encontra um dos tantos turistas retardados que habitam aquele local, um comerciante que foi capturado pelos ingleses (por incrível que pareça ninguém ali ouviu os canhões e baderna toda da briga de navios de mais cedo) e Edward decide ajudá-lo matando todo mundo para poder embarcar no navio daquele comerciante retardado e ir para Cuba. Chegando lá Edward já se encrenca com uns amiguxos que resolvem fazer uma briguinha, e depois de espancar todo mundo a poliça vai atrás de você por ter batido nos caras, e por incrível que pareça os policias não prendem nenhum amiguxo seu. Após uma boa corrida matinal você lembra que esqueceu seu documento para receber a recompensa e por isso invade uma fortaleza gigante que tem apenas 6 soldados vigiando (afinal estamos falando de Cuba, e não da Alemanha ou algo decente).

Ao entregar a recompensa para os Templários você vê quatro caras que parecem um grupinho sertanejo, sendo que um deles é o Ditador Raul Castro o então atual governador de Cuba e grão-mestre templário, o outro é um cara dono de todos os navios de Cuba, o outro só um cara que usa uma armadura, e o quarto é o prefeito de Havana. Edward entrega para o velho um cubo de cristal usado por atrizes pornôs de alta categoria para enfiar no rabo, mas o velho acredita que aquele cubo é a chave para um observatório secreto onde existe um pay-per-view vitalício de Big Brother de todos os países do mundo, inclusive do Big Brother Brasil, e que assim ele poderia saciar a sua tara voyeur suprema.

Havana[editar]

Após isso você aproveita e faz um tour pela cidade com um mendigo que é seu prisioneiro por ter fumado muito ópio, mas o chamam de "O Sábio" porque é a pessoa que diz saber o caminho para o tal Observatório secreto. Como qualquer visitante de Havana, você aproveita e fica vendo a periferia de Cuba (Cuba é uma periferia) após uma boa caminhada aparece uns praticante de parkour querendo te matar para resgatar esse tal mendigo, mas são todos idiotas e Edward mata a todos e leva o Sábio para residência do governador onde depois de muito blá blá blá eles te dão 1 guarani pela recompensa roubada, mas Edward reclama pelo preço e pega a recompensa de volta arranjando confusão com Raul Castro e a máfia de lá, sendo preso e mandado para um navio negreiro onde encontra Jacaré (ex-dançarino do É o Tchan), aquele que viria a ser seu primeiro-imediato, e juntos fodem tudo, roubam um navio e escapam.

Pirataria em Nassau[editar]

Para aumentar a sua tripulação, posteriormente Edward decide ir para Nassau encontrar seus antigos amigos bêbados e sapatonas. Edward então decide criar uma nação pirata baseada no sucesso do Paraguai que havia sido criado na América do Sul. Ele então precisa realizar diversas missões em plantações de cana-de-açúcar, para conseguir a matéria-prima do goró dos piratas. Para montar a defesa, Edward rouba um galeão e ainda rouba uma mansão em Inagua que a torna sua moradia.

Na medida em que construía a sua nação-pirata, Edward descobre que uma das tantas sapatonas de Nassau, chamada de James Kidd, é na verdade Thammy Miranda, uma Assassina da Ordem dos Praticantes de Parkour (puta merda cara, sério os caras estão mesmo ruins). Aí ela (ou ele) te diz que você não deve procurar só dinheiro e uma lição de moral barata de quem é comunista feminista e se acha dona da verdade.

Ignorando essa lição de moral barata, Edward ainda continua com seu objetivo de criar sua nação pirata, mas Nassau foi atingida por um surto de dengue, e ele junto com seu amigo Barba Negra precisaram ir no SUS ver se a achavam alguma vacina para a doença, e óbvio que só encontraram ampolas estragadas e vencidas. Após precisarem fazer muita licitação, protestos e essas coisas, Edward e Barba Negra finalmente conseguem os remédios, e o esforço foi tanto que Barba Negra decide se aposentar. No dia de sua aposentadoria, Barba Negra é atacado por funcionários do INSS, que aparecem dizendo que ele receberá apenas 5% de toda sua contribuição do FGTS, uma verdade facada em suas costas, literalmente, e Barba Negra morre.

Abandonado numa ilha deserta[editar]

Antes que pudesse decidir o que fazer, Edward sofre um motim, e ele é abandonado no Atol das Rocas junto com seu ex-parceiro Tom Hanks. O amigo ficou maluco, toda hora tentava roubar Edward, mas aí toma um couro, e eles ficaram só 2 meses naquela ilha de Caras até um barco com a Xuxa aparecer e o salvar dali.

Final: A procura do Observatório Mágico[editar]

Edward então decide que vai encontrar o pay-per-view grátis vitalício de todos Big Brother do mundo, e para tal tem que encontrar Pedro Bial, que devido às suas rimas é conhecido como "O Sábio". Após bater em alguns traidores para arrancar esta informação, Edward descobre que precisa ir para São Tomé e Príncipe encontrar Pedro Bial, que se refugiou lá após ter sido substituído por Tiago Leifert no BBB17. Pedro Bial por ter ficado isolado naquela ilha começou a cultivar um grande bigode, e após ganhar a confiança de Edward os dois se tornam aliados e até roubam um galeão português que estava repleto de uma carga de bugingangas, bem típico do que eles exploravam no Brasil.

Pedro Bial então se revela ser a sétima encarnação de um deus egípcio qualquer e por ganância ele próprio se apossa de todo o pay-per-view grátis de Big Brother de todos os países do mundo, que é uma sala de cinema, e trai Edward jogando-o numa vala, dando umas porradas nele e prendendo-o. Preso, ele encontra também ali encarcerado a sua amiga Thammy Miranda (Mary Read) e sua namorada, a modelo Anne Bonny, que não puderam ser executadas por estarem grávidas. Quando Edward consegue escapar, graça s a ajuda de um macumbeiro Thammy Miranda morre, junto com a maior parte dos bêbados da ilha dos praticantes de Parkour, e Edward cai numa tremenda fossa, pois ele sonhava em um dia comer a Thammy.

Para tentar se redimir, Edward troca seu imediato, deixando o dançarino do É o Tchan de apelido "Jacaré" para tornar-se um figurante no Programa do Didi e seguir o seu sonho, colocando em seu lugar no navio uma gostosa com um decote, Anne Bonny. As missões finais consistem em matar mais templários e voltar ao Observatório onde Raul Castro está entretido vendo Big Brother sem parar, e finalmente assassiná-lo.

No final a mulher corna de Edward resolve se vingar e o trair também, mandando para ele uma filha que não se sabe se é sua ou não, provavelmente não, pois Edward não estava lá 9 meses atrás comendo a mulher.

Quanto ao protagonista bestão e sem nome de 2013 que trabalha na Ubisoft, um clone de Pedro Bial, mas com bigode, aparece tentando matá-lo, mas ele é impedido e morto por um segurança. Para manter a tradição de todo Assassin's Creed ter um final merda e inconclusivo.

Jogabilidade[editar]

Dizem que é o Assassin's Creed menos bugado da série.

O jogo promete um vasto mundo enorme repleto de coisas para explorar e fazer, mas na verdade é o menor Assassin's Creed de toda a série, pois o tal mundo imenso é formado em 95% apenas por água e um monte de ilhotas copiadas umas das outras, com uma coisinha a mais ali e acolá, com a disponibilidade de apenas três míseras favelas onde nem dá para praticar parkour direito, as cidades de Havana, Kingston e Nassau

Agora Assassin's Creed é recheado de batalhas navais e os fãs dizem que os combates entre navios são a parte mais emocionante e legal do jogo, afinal a mecânica do jogo respeita completamente a lógica de uma batalha em alto mar tornando o jogo bem imerso, afinal se você mandar toda a sua tripulação abaixar o inimigo automaticamente vai errar todos tiros de canhão que disparar, algo muito plausível.

O sistema de combate continua bem similar aos jogos antigos, com mais armas de fogo, mas de resto tudo está similar, como o fato de que você pode tomar tiro, ser esfatiado, pular num rio, brincar na selva e mesmo assim jamais sua roupa branquinha estará suja (patrocinado pela OMO).

O jogo presa pelo realismo e imersão do jogador, afinal aborda temas históricos com personagens que realmente existiram, então é muito comum você entrar e sair de um capim quantas vezes quiser onde você esconde milhares de corpos sem que ninguém perceba, ou você ser a única pessoa com arma de toda a população que usa capuz e roupa branca e mesmo assim nenhum guarda saberá quem é você se rasgar um poster ou outro. Aliás, todos os guardas normais portam um revolver, mas eles só atiram quando você faz parkour ou fica num lugar onde ele não alcançam para uma briga de espada.

Outros fatores que agregam realismo ao game é que você pode levar tiro, ser metralhado, ser afogado, mas se correr um pouquinho para longe e ficar parado uns instante existe um milagre divino que faz você se recuperar de qualquer machucado durante a batalha.

Inimigos[editar]

Os inimigos mais comuns no jogo são ingleses, espanhóis e caçadores de recompensa, todos estes meros capachos para você bater e envenenar como quiser numa clara mensagem anti-europeia. Os inimigos são assim divididos em:

  • Guarda normal - Você pode bater nestes paspalhos com qualquer coisa que você pode por nas mãos, ou com as próprias mão mesmo já que eles são tão ruins. Demoram um século para te dar um golpe. Porém, você pode desarmar estes guardas, socá-los na cara dele quanto quiser, até você fazer a sequencia eles não morrem.
  • Guardas ágeis - Você nunca vai conseguir bater neles se não usar o golpe de quebrar defesa, ou então pegá-los pelas costas desatentos. Do contrário todo golpe seus erá esquivado com eles dando um passinho para trás, mesmo tendo uma parede atrás dele, pois tem o poder de atravessá-las também.
  • Guardas brutamontes - Usam a merda de um machado e ele é gordo pra caralho forte o suficiente para te derrubar com um só golpe, mas igual ao guarda ágil basta você quebrar a sua defesa e pronto, já era.Mais ele lança a merda de um bombinha e te derruba.Raramente você morre ao não ser que você for um jumento incapaz de racionar e com Q.I a baixo -10000(mais isso não duvido já que você acessou Desciclopédia).Mais se a bomba cair perto de algum inimigo seu ele morre (por ser tão inútil) se você derrubar o guarda brutamonte antes que lance a granada, a granada explode na cara dele e ele morre.
  • Guardas de espingarda - Só aparecem quando você vai assaltar a fazenda do Dado Dolabella ou atacar um navio, sendo que raramente aparecem na cidade. Essas bestas são tão incapazes que quando eles miram demoram cerca de 1 ano para atirar e mesmo assim erram ou você desvia do tiro dele. Você pode matá-los com qual quer coisa igual ao guarda normal.
  • Capitão - A mais bicha do exército, usa uma capa e fica olhando para você com uma carinha de nojo, mas ele é tão inútil quanto a todo restante de seu exército, pois sós abe te dar um chute e atacar, quase não usando a sua pistola pois ele sabe que nem te causa dano. Para derrotá-lo é apenas esperar o momento dele te atacar e assim chutar o saco dele, fazer uma sequencia, e morreu.
v d e h
Assassins-Creed-logo.jpg