Azir

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Golem.gif Este artigo é da mãe Terra!

Cuidado com terremotos e vulcões em erupção. Em caso de dúvidas, assista Volcano ou jogue Quake.

Cquote1.svg Você quis dizer: Cquote2.svg
Google sobre Azir
Cquote1.png Prrrruuu! Cquote2.png
Azir sobre ele mesmo

AzirSquare.png

Azir, o Imperador das Areias é um campeão de League of Legends da rota do meio, caracterizado por ser um mago insuportavelmente irritante e que pode mudar completamente o rumo de uma luta, sobretudo pelo fato de ser especialista em isolar um alvo e lhe encher de porrada num canto, muitas vezes sem que o adversário tenha muitas opções de reação ou fuga. Diferentemente do estereótipo clássico de magos, que ficam a distância arremessando magias sobrenaturais com gestos esquisitos de mão, Azir é conhecido por invocar soldados de areia ao invés disso, os quais irão fazer todo o trabalho sujo enquanto ele fica à salvo bem longe da briga propriamente dita.

História[editar]

Azir era filho de um poderoso faraó do Antigo Egito, que em sua época era conhecido como Shurima. Seu pai era uma espécie de Mr. Catra daquele império, e tinha uma caralhada de filhos (mais uma porrada de outros filhos não-reconhecidos em cartório). Entretanto, seu pai o odiava, pois enquanto todos os seus demais irmãos adoravam deuses com cabeça de animais, Azir fazia orações para um tal de Áton. Isso somado ao fato de Azir ser o filho mais novo anulava completamente suas chances de um dia ser faraó, sendo que no máximo conseguiria se tornar o líder de alguma favela de Shurima.

Cquote1.png Prruuu! Quem você está chamando de pombo? Cquote2.png

Aceitando o fato de que linhagem real não o impediria de ser um zero à esquerda, Azir decide fazer o que qualquer desocupado faria: passa seus dias na biblioteca. Azir matava as aulas de educação física do professor Renekton para ficar dia e noite na biblioteca, lendo pergaminhos e se alimentando das traças que achava entre as folhas.

Certo dia Azir acaba fazendo amizade com um hebreu escravo que ele ilegalmente chamou de Xerath, que era o responsável por tirar o pó dos livros e colocar naftalina nas estantes para espantar cupins e baratas. Assim como Azir, Xerath adorava fugir de suas responsabilidades diárias para perder tempo na biblioteca. Dessa grande falta de trato social, os dois acabam se tornando amigos, e Azir usa toda sua influência para nomear Xerath como seu servo pessoal, já que ninguém mais queria ser amigo de um cara esquisito com costumes estranhos.

Certo dia, em um caravana em busca do túmulo de Imhotep, Azir e a família real foram atacados por um bando de múmias selvagens, onde todos os irmãos de Azir acabaram indo para o saco. Azir foi o único que sobreviveu pelo fato de se fingir de morto, já que fisicamente era um molenga incapaz de empunhar até mesmo um canivete. Como acabou ficando sem qualquer alternativa, o rei, a contragosto nomeou Azir como seu herdeiro, desejando todos os dias que um raio caísse dos céus e mandasse o filho maldito para os quintos.

O desejo do rei se concretizou, mas anos maios tarde o raio acabou caindo na cabeça de sua esposa, transformando-a em carvão imediatamente. De desgosto, o rei acabou se suicidando, já que sem esposa e com um filho que não podia nem olhar para cara, a vida seria uma merda. Azir então tornou-se imperadorm nomeando Xerath como seu braço direito.

Tudo ia bem até que no dia da cerimônia para conversão de Azir em um deus do egípcio (que eles chamavam de "Ascendente"), Xerath, durante um surto psicótico, acaba usando uma macumba da brava para jogar Azir no fogo, tomando seu lugar como Ascendente. Entretanto, como a cerimônio estava preparada para Azir, ao invés de se tornar um deus animal, Xerath acaba se transformando numa geladeira ambulante, e decide se vingar da humanidade.

Anos mais tarde Azir acaba sendo despertado pelo sangue de Sivir, que tinha acabado de ser picada por uma naja. Após banhar o corpo de Sivir num oásis, ele acaba acaba sendo contemplado pelos poderes divinos da Ascensão, herdando os poderes do Grande Gaara do Deserto. Atualmente Azir tem como principais objetivos reconstruir seu império e meter a porrada em Xerath, pelo seu grave crime de traição aos parças.

Habilidades[editar]

Azir prestes a investir contra um campeão inimigo e morrer miseravelmente numa fracassada tentativa de fazer uma boa "play".

Uma característica de Azir é que ele tem muito mais velocidade de ataque que boa parte dos outros magos, o que possibilita que ele burste qualquer indivíduo focado na velocidade da luz. Muitas vezes nem mesmo tanques são capazes de parar essa desgraça, já que ele tem ferramentas que possibilitam negar o avanço dos mesmos por certo período de tempo, como a sua habilidade ultimate, por exemplo. Apesar de tudo, ele ainda é um mago, e portanto, tem vida e resistência medíocres, o que abre brechas para que ele muitas vezes evapore numa luta de equipe sem fazer o seu papel. Em termos de personalidade, como quase todos os campeões de Shurima, Azir nada mais é do que um plágio descarado de um deus egípcio, o que mais uma vez reforça o quão criativa a Riot Games é.

Legado de Shurima (PASSIVA): Azir põe em prática suas habilidades de arquitetura e projeta uma torre em cima de torres já caídas, que causa dano em noob's que adoram correr atrás de abates embaixo delas. Como Azir conseguiu seu diploma pela Internet, essas construções são de péssima qualidade, caindo sozinhos algum tempo depois por não levarem em consideração os princípios básicos de ondulatória.

Areias da Conquista (Q): Os soldados de Azir fazem um ↓,←,Y da Kitana e vão voando em direção aos inimigos, só que por terra ao invés de ar. Os soldados causam dano, e essa habilidade é usada em geral para colocar os adversários na range do ataque básicos deles. No passado o alcance dessa habilidade costumava ser alta, hoje em dia é tão miserável que para poder aplicá-la eficientemente, você precisa ter dedos suficientes para usá-la em harmonia com as demais habilidades.

Surja! (W): Azir canaliza os poderes de seu bijuu, o Shukaku da Areia, e invoca um soldado feito de areia em sua frente, que ganha velocidade de movimento. Essa habilidade é o pilar principal da mecânica do Azir, e todo seu combo gira em torno dela. Ou seja, sem essa habilidade, Azir não passa de um pombo crescido, já que não faz porcaria nenhuma. Os soldados atacam no lugar dos ataques básicos de Azir, caso ele esteja a uma distância correta deles (geralmente pequena, fazendo com que o jogador de Azir se torne um alvo fácil para qualquer bicho do jogo que saiba focar).

Areias Oscilantes (E): Azir realiza uma Corrida Naruto em direção a um de seus soldados, ganhando um escudinho miserável caso acerte um campeão inimigo dando sopa pelo caminho. Essa habilidade é quem vai definir se o jogador de Azir vai fazer uma jogada digna dos holofotes, ou se vai fracassar miseravelmente e virar motivo chacota na partida. Geralmente acontece o segundo caso.

Decreto do Imperador (R): Azir usa a formação do Rei Leônidas de Esparta e invoca uma muralha de soldados com escudo para inibir o avanço do inimigo, empurrando para trás quem for acertado por ela. Essa habilidade pode ser usada tanto para evitar avanço de inimigos, como para foder com a vida de qualquer noob pego de surpresa, já que ela direciona o alvo para qualquer lugar que focar. Entretanto, na maioria das vezes não há motivos para preocupação, já que quase nenhum jogador de Azir sabe usar eficientemente ela.