Bake-kujira

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Bake-kujira é um yokai na forma de uma baleia mutante gigante esqueleto. Não, isso não é piada.

Etimologia[editar]

Seu nome vem de "Bake", que é assar em inglês, e "Kujira", o primo de Jon Kabira, o maior narrador da história do Winning Eleven.

Lenda[editar]

Bake-kujira em sua forma mais fofa e um pouco menos feia.

Para aqueles seres que vivem na ilha isolada, as baleias são animais vingativos, mais do que os gatos até, que quando são mortas por quem quer que seja, passam a vagar por aí em forma de espíritos espalhando a chamada "Maldição da Baleia", que faz com que qualquer um que as aviste e as suas próximas vinte de nove gerações sofram com fome, miséria e pau pequeno que não pode ser aumentado nem com aquela bomba vendida no Mercado Livre. No que diz respeito a "bake-kujira", por ser uma baleia cadavérica, ela espalha uma versão estendida e remasterizada da maldição, muito mais potente, que adiciona o efeito de broxa para quem a ver.

No único conto da carochinha mencionado pela Wikipédia, em uma tarde quente de inverno, um marinheiro de primeira viagem usou a força máxima de seu braço de punheteiro para lançar seu arpão e tentar espetar a cabeça de uma baleia gorda que estava nadando de boas. Porém, quando o arpão estava chegando perto, a baleia usou uma magia antiga babilônica para fazer o arpão passar batido por seu corpo, depois riu da cara dele, gritou "Fora Nobunaga" e saiu voando. Isso é verdade, eu estava lá, era o arpão.

No ano de 1983, um grupo de atoa achou uma ossada de baleia na praia. Já que baleias são animais raros, que aparecem apenas sob um eclipse que ocorre a cada 300 anos, eles acharam que a tal ossada era da bake-kujira original, e a batizaram de "bake-kujira real".

Ligações externas[editar]