Bancada de jornalismo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Bancada de jornalismo é aquela parte do jornal que você não sabe se chama de apresentadores, ancoras(afundada está a credibilidade), porque dizem que ancora é só um, mas na maioria das vezes são dois, ou jornalistas mesmo, porra. Alguns são bons outros tem cara de boceta que acabou de foder, uma risada bem forçada, irônica e ao mesmo tempo gozada: Por isso, cara de boceta gozada. Alguns desses jornalistas até são bons, mas como a credibilidade dos telejornais está pior do que a Wikipédia, por motivos que muitos explanam, mas os jornais continuam, em geral, a mesma bosta de sempre.

Mas e a bancada?[editar]

SBT aposta no charme das jornalistas. Não faz mal se depois de certo tempo o charme estiver muito enrugado, nada que maquiagem estilo Coringa não resolva.

É sobre a bancada, exatamente. Porque sempre sentados? E porque sempre tentando manter uma certa compostura, se a maioria dessas criaturas perde a compostura com a maior facilidade? Se acha que não repare em algumas das faces, algumas vezes, a expressão não tem nada haver com a noticia dada. E algumas são aquilo que foi mesmo colocado na introdução, nem se pode dizer cara de bunda pois vai além disso. A única coisa concreta é a mesa, corrigindo, a bancada, ao menos essa costuma ser caprichada e não conta mentiras.

Saem mentiras das bocas forçadas de jornalistas, nem sempre por suas culpas, mas alguns parecem mesmo combinar com as lorotas proferidas, não se pode acreditar na figuras, apenas reparando bem no semblante. E algumas caras não seriam aprovadas nem para conversar com cliente de mercado, de tão estranhas: Pense apenas em quando você estava mexendo numa boceta, mas tinha acabado de foder essa mesma boceta, olhou bem de pertinho? Então, não sei se foi porque a guria não ficou bem satisfeita(comigo aqui, o bonzão, isso só ocorre se eu fizer bêbado, acredite), ou se ela dormiu, e a vagina começou a se refazer da trepada, pois a cara d algumas criaturas de bancada de jornalismo, parece algo assim, uma cara meio debochada, meio forçada, e que NUNCA combina com a notícia proferida, talvez nem essas pessoas acreditem mais no que estão fazendo.

Se usassem uma privada, ao invés da bancada, seria melhor, ao menos a merda seria feita literalmente, e é uma boa ideia, poderiam apresntar o jornal numa privada, com a as saias erguidas ou calças arriadas e se cagassem ou pelo menos mijassem, ao dar as notícias, seria mais fácil de entender.

O padrão não é muito diferente, mas alguns prezam mais, por exemplo pra jornalistas mulheres em maior número, como na emissora do Silvio, prezam pelas sérias, mas acima de tudo, querem apenas que elas mandem bem no charme... Mas não se pode esperar que o charme continue o mesmo depois de mais de dez anos de casa, por isso algumas, além da maquiagem, recorrem à cirurgia plástica, pra continuar convencendo sobre a beleza, já que as notícias não convencem... é... pensando melhor, nenhuma das duas coisas convence mais em alguns casos, ao menos a simpatia poderia existir, mas até o sorriso é forçado e lembra mesmo o Coringa. Dos caras, eles não tem tanto o problema da idade, já que quanto mais velho, mais passa ares de sabedoria, o que não ocorre com a maioria das jornalistas, pior ainda se tiverem cara de megeras, daí complica mais do que as notícias 100% plausíveis.

O problema[editar]

Não, não, não há nenhum problema com a bancada, com as criaturas que fazem jornalismo, que se empostam nas bancadas, mas não convencem nem com as caras de bunda, nem com os sorrisos forçados(mais debochados do que simpáticos), nenhum problema mesmo, desde que se veja como se estivesse vendo um programa de humor, porque os programas de humor(mesmo sem terem graça), estão lá pra isso mesmo: Se pintar com quilos de corantes na carcaça e fazer palhaçada, não tem o mínimo compromisso com dignidade e podem se envolver e mergulhar de cabeça em tudo que for merda, se atolar na merda, descer ao nível da besta, descer a um nível menor do que o da besta, dar a maior importância ao que não tem importância nenhuma, e deixar passar o que tem de importante.

Por isso camarada, basta ver jornal(se quiser ver aquelas caras cheias de maquiagem, arrogância e falta de conteúdo), ou não ver, mas se ver, veja como se estivesse num show de stand-up, daí ao menos você pode até dar risada.