Barrageiro

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandeira do Brasil.jpg CRIME OCORE NADA ACOTECE FEIJOADA

Aê, meu, este artigo é verde-amarelo, mano! Só fala de futebol, come feijoada, exporta travestis, puxa o saco dos EUA, paga imposto pra caralho e põe a culpa no governo pela ausência do Prêmio Nobel.

Cquote1.png Pião é o animal mais parecido com o homem. Cquote2.png
Charles Drawin

Um barrageiro batendo um barro.

Classificação[editar]

Barrageiro é um gênero de quadrúpedes semi-aquáticos, da família Cornoridae, nativo da puta que pariu, sendo o único gênero ainda existente dessa família. Todas eles habitam exclusivamente as regiões onde há igarapés, rios, brejos ou qualquer tipo de corrente de água (mesmo que seja a buceta de uma égua) exceto alguns barrageiros metidos a gente, que chegaram à região sul-americana da Terra do Corno, introduzidos por meio de enseminação articial. A maioria dos barrageiros são baianos, especialmente os baianos de Paulo Afonso. Ainda existem os barrageiros maranhenses, potiguás e outros paraibas que se acham o máximo.

Uma barragem edificada com o barro do barrageiro.

Os maranhenses sao os mais perigosos, por terem a fama de comedor.eles conseguem seduzir qualquer mulher que eles quizerem. Nao importa se é casada ou solteira.

Sua obra[editar]

As represas feitas pelos barrageiros são levantadas para proteger a família desse simpático mamífero quadrúpede da fome. Dotado de um cérebro um pouco menor que uma ervilha dentro do vácuo de sua achatada cabeça, o barrageiro constrói seu lar no meio dos rios (apesar de muitas vezes também fazê-lo nos puteiros ou debaixo das pontes). Embora sua louvável inteligencia não ser capaz de entender o verdadeiro objetivo de sua profissão, muitas obras grandiosas já foram erguidas por essa raça infame, como por exemplo a usina hidrelétrica do Itaipu, Tucurui, Paulo Afonso, Roda D'água e a Usina hidrelétrica do Rio Lava-Gato.

Efeito devastador[editar]

Eles se vão mas os catarrentos ficam

Quem já assistiu filmes de invasões alienígenas deve imaginar e, quem já sobreviveu a uma construção de barragem sabe o que é o efeito devastador da passagem dos barrageiros pelas cidades onde eles constroem barragens. As mulheres se encantam com o poder conquistador do fedor de subaco que esses inimigos do banho tem. Acreditam piamente que esses infelizes vão assumir a paternidade de seus catarrentos, ficam se melando por esses porcos sujos de cimento e poeira de ferrugem e não esperam a segunda cantada para abrirem suas pernas na esperança de que um espermatozoide infame atinja seu óvulo e permita que mais uma filho de uma puta e sem pai venha ao mundo. Quando os barrageiros vão embora, deixa uma porrada de mulher barriguda, uma porrada de perebentos e uma porrada de corno em seu rastro de destruição.

Gosto Musical[editar]

Eles tem a mania de ouvir e fazer ouvir sua músicas de corno que toca no mais alto volume em seus celulares comprados do Paraguai ou uns caxotinhos barulhentos onde enfiam uns pendrives com suas malditas "músicas."

  • Funck
  • Axé
  • Musica do Ximbinha
  • Amado Batista
  • Tiririca

(E outras músicas, desde que seja música de corno)

Onde achá-los[editar]

Itaipu, Tucurui, Paulo Afonso, Aripuana, Porto Velho, Altamira, Porto Primavera e outras vítimas de suas destrutivas invasões.

Fuja para as montanhas enquanto eles não ache você!