Boca do Acre

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png A nossa educação é a mais melhor do Brasil Cquote2.png
estudante da Boca do Acre
Cquote1.png Nossa cidade é a prova que o diabo existe Cquote2.png
morador de Boca do Acre sobre sua quebra
Cquote1.png Tem rapé, cogumelo e daime Cquote2.png
traficante de boca do acre
Cquote1.png põe no microondas Cquote2.png
morador de Boca do Acre sobre noia que não pagou o rapé

Boca do Acre é a única cidade do Acre localizada fora do estado do Acre. Tanto o rio, como a rodovia que passam na cidade só tem ligação com o Acre. É, de acordo com os seus próprios habitantes, uma cidade 20 vezes maior que a cidade de São Paulo, localizada na divisa entre o Amazonas e o Acre.

História[editar]

Rua de Boca do Acre pela manhã, ainda sem o trânsito de canoas típico da região.

A terra não era de ninguém. Nem ao menos os índios habitavam essa região. Em 1878 o comendador João Gabriel de Carvalho e Melo fez fortuna explorando as Seringueiras e buscava um lugar para começar uma plantação de maconha, que na visão dele geraria muito mais grana que borracha.Ele juntou uma turminha de seringueiros para fazer uma expedição. O plano era subir o Rio Purus em direção ao inexplorado Acre, que nem existia na época. Eles encheram um barquinho de mudas de maconha e subiram o rio e depois de semanas de viagem o rio se dividia e João achou que ali seria um bom lugar para começar a plantação. Fundou ali um centro espírita ao redor do centro Boca do Acre foi se desenvolvendo.

A cidade se tornou o polo amazonense da maconha e atraiu muitos aventureiros em busca de riqueza fácil. Entre eles estava Alexandre de Oliveira Lima que era um exímio jogador de poker ficou sabendo que nessas terras poderia iniciar uma plantação de maconha e a lei não iria fazer nada para impedi-lo, e assim alugou um barco com suas economias e partiu rumo a Boca do Acre. Lá chegando cercou um bom pedaço de terra e plantou muitos quilos de maconha e se tornou o Barão da Maconha de Boca do Acre. Conforme as plantações de maconha foram prosperando na cidade alguns índios bêbados começariam a ir ali comprar pinga e alguns foram ficando. Aconteceu que a maconha se tornou ilegal no Brasil e as plantações de maconha entraram em decadência. O Exército invadiu algumas plantações e incendiaram tudo. Os índios Yawanawas resolveram aproveitar da situação e montaram ali uma rota de comércio de rapé e outras substâncias legais. Fundaram uma tribo na divisa com o Acre onde se comunicava com a rota do comércio de Wachuma integrando Boca do Acre no comércio internacional de produtos alucinógenos legais como cogumelos alucinógenos, peyote e ayahuasca.

Atualmente as FARC tomaram conta de Boca do Acre montando ali um laboratório de drogas experimentais além de um cativeiro onde estão uma dúzia de sequestrados.