Borderlands 2

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Borderlands 2 é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Marisa Kirisame rouba outro objeto em Touhou


Bode Lands 2
Borderlands 2.jpg

Capa da versão hackeada para PS Vita

Informações
Desenvolvedor Gearbox Software
Publicador 2K Games
Ano 2012
Gênero RPG com tiro e muitos DLCs mesmo
Plataformas Prei 3, Caixa 360 e Janela
Avaliação 60%
Idade para jogar 5+ (da pra andar de carro e fazer um acidente)

Cquote1.png Que porra é essa? Cquote2.png
Qualquer um sobre Zero
Cquote1.png Esse jogo tem muito lag véio Cquote2.png
Alguem com um computador da Positivo sobre Borderlands 2
Cquote1.png Aquele soldado preto do primeiro jogo morre. O passarinho daquelemexicano cachaceiro também Cquote2.png
Alguém fazendo spoiler sobre Roland
Cquote1.png Tem muitas armas Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Borderlands 2
Cquote1.png Uma pena que meu ponto fraco seja assim tão grande e brilhante Cquote2.png
Último chefão mais fácil de todos os tempos sobre seu peitoral brilhante
Cquote1.png Duas palavras: Nenhum reembolso! Cquote2.png
Marcus sobre as vendas deste jogo
Cquote1.png Se a Hyperion quer matar o Valt Hunter, nãos eria melhor apenasd desligar as máquinas que o ressuscita sempre? Cquote2.png
O que todo jogador se pergunta

Borderlands 2 é o maior DLC/expansão de Borderlands 1, lançado em mídia física para Prei 3, Caixa 360 e Janela, com gráficos melhorados[carece de fontes] de uma arte em cel shading e uma nova infinidade de armas inúteis que você não poderá carregar por poder carregar só umas 15, armas estas utilizadas para matar hordas repetitivas de inimigos que tem o mesmo sistema de ressuscitar usado pelo jogador, e por isso parecem infinitos.

Enredo[editar]

Como na vida, o jogador deve começar por baixo, limpando banheiros.

Cinco anos após os eventos de Borderlands 1, com o fim da opressão fascista que assolava a região, o planeta de Pandora foi tomado por homossexuais fãs de BDSM que infestam todos cenários do jogo. Para sustentar uma demanda cada vez mais crescente por purpurina, o eridium (matéria-prima da purpurina que consiste num metal roxo bem brilhante) tornou-se largamente explorada e rentável, tornando-se o mineral mais cobiçado daquele planeta. Jack, o Bonitão, é o presidente da Hyperion Corporation, empresa dona de um sistema de imortalidade o qual contraditoriamente serve para ressuscitar o jogador, o qual Jack tenta matar o jogo inteiro, mas não usa para ressuscitar a si próprio, quando é assassinado no final do jogo.

O jogo começa com um atentado a um trem, no qual o grupo de Vault Hunters (Caçadores de Bucetas) cai numa emboscada criada pelo grande vilão do jogo, Jack, o Gostosão, explodindo o trem e assim começando o jogo. Depois de escolher um personagem dentre quatro opções genéricas, vamos acordar na neve, e embora Jack nos explodiu um trem cara, vamos nos levantamos como novos, quando somos imediatamente recebidos pela última coisa que você desejaria ver na vida: O Claptrap!

Jogador agonizando, mas basta matar alguém que os ferimentos se curam milagrosamente.

O grande objetivo do jogo é combater o monopólio imperialista que o grande vilão Jack deseja impor no planeta Pandora. Ele é dono da Hyperion Corporation, uma mega-corporação fabricante de correntes, algemas, chicotes de aço, dildos, rifles, pirocas de plásticos, robôs sádicos, ona-holes, dakimakuras, robôs com braços em formato de pirocas de aço, plugs anais e mais de 1 quintilhão de outros brinquedos sexuais criados proceduralmente, cujo mercado é abundante no planeta de Pandora onde não existem mulheres (exceto a Moxxxi e aquela gorda do ferro-velho) e todos devem se contentar com punheta, afinal seria politicamente incorreto fuzilar a face de mulheres caso os banidos não fossem apenas homens (homossexuais). Numa cruzada para restaurar os bons costumes, o jogador deve promover um genocídio de homossexuais e assassinar o dono desta empresa nefasta de brinquedos sexuais, o que inclui matar também Angel, a atriz pornô do primeiro jogo.

Para concluir tais ousados objetivos, o jogador deve chegar ao Santuário, nome de um gueto onde vivem Marcus (ex-cafetão e vendedor de armas), Moxxxi (atual cafetina da cidade), Scooter (mecânico cuja poesia pode levar pessoas a cometerem suicídio), Dr. Zed (o açougueiro da cidade), Tannis (uma arqueóloga lésbica) e os quatro protagonistas do jogo anterior, que só precisaram de 1 jogo para aprenderem que é idiotice sair fazendo missões para os outros e que é muito mais cômodo ficar dentro de casa mandando o jogador imbecil ir fazer missões em seu lugar. Tal cidade, protegida por um campo de força, quase foi destruída, quando Angel, a prostituta do primeiro jogo que passa os dias com um ventilador ligado na cara, trai a sua confiança baixando o escudo deixando-a suscetível a um ataque. Mas graças aos poderes da TPM de Lilith, a cidade é envolta por sua menstruação e ganha a habilidade de voar, livrando-se assim do ataque.

Após tal traição, o jogador deve rumar ao maior cabaré do planeta, onde se certificará de matar Angel de modo lento e doloroso, trazendo assim a fúria de seu principal cliente, o grande vilão Jack, contra quem travará um duelo final épico, pois o mesmo, após matar Roland (personagem totalmente descartável) e sequestrar Lilith, decide evocar o Godzilla para a batalha final. Após matar Jack, o jogador ganha a honra de poder usar o rosto dele, inclusive se você for a Maya ou a Gaige.

Jogabilidade[editar]

Cenário após uma batalha intensa. Pena não haver slots para guardar estas milhares de armas inúteis.

O jogo nos traz novamente a já consagrada mistura de FPS com RPG, onde caso não tenha bom level nem armas boas, vai apanhar e morrer sem parar, mas caso conquiste algum level e acha uma ou duas armas raras, tornarar-se invencível, até mesmo porque ao morrer, ainda tem chance de matar um inimigo e ressuscitar na hora, e se morrer de verdade, você apenas volta no check-point mais próximo.

O jogo traz 6 quintilhões de armas, como é a marca registrada da série Borderlands, mas estranhamente o jogador dispõe de apenas 27 slots para guardar todas estas trihlões de armas, escudos, livretos e granadas. O começo do jogo é até contido, você passa pelo menos 2 horas com a mesma pistolinha foleira e talvez uma shotgun. Mas depois que avançar no jogo, vai encontrar bazucas em toda lata de lixo que abrir e nem poder carregá-las por lá estar com o inventário cheio.

O jogo teoricamente traz a opção de um multiplayer cooperativo online, mas se você clicar para encontrar alguém, vai descobrir que é a última pessoa no mundo jogando online esse negócio, e vai continuar jogando sozinho mesmo.

Personagens[editar]

Ao invés dos desenvolvedores manterem a única coisa que deu certo no jogo anterior, que era o carisma das personagens principais (exceto o Roland, que nunca foi carismático mesmo), o trio de quatro personagens principais foi completamente substituído por 6 personagens novos (2 tendo que ser comprados com dinheiro de verdade)

Os protagonostas do jogo. Nenhum tem carisma.
Axton The Commando Um ex-fuzileiro naval onde ele alcançou o posto de sargento (com o distintivo preso na testa em cima da sobrancelha e não no ombro como uma pessoa normal, já demonstrando seus primeiros claros sinais de distúrbio mental). Disputa com Jack quem é o mais gostosão de Pandora, e para se fazer de descolado está frequentemente com um fone de ouvido fingindo que ouve algum tipo de música. Esse personagem usa uma turreta pra fuder com os inimigos, sendo ele é o pior dos quatro personagens principais, pois só sabe lançar uma bola de metal que se transforma em uma torre que atira, lança foguetes, cria um escudo, transmite televisão e faz pipoca. As perícias de classe, em essência, são o fortalecimento dos tiros, o que não faz o menor sentido, mas tudo bem.
Maya The Siren - A unica personagem mulher do jogo (sem DLCs) é uma Siren, uma rara raça de prostitutas de luxo que são identificadas por suas tatuagens de órgãos genitais por seus braços. É uma mulher traumatizada pois sofreu abusos na infância e por isto está de TPM constante. Ama misturar técnicas de fazer bolhas de sabão com macumbas e magia negra, assim tendo ela a capacidade de criar enormes e belas bolhas de sabão, algo completamente inútil em combate contra os inimigos, mas muito bonito.
Salvador The Gunzerker - Um anão bombado sendo disparadamente o mais ridículo dentre os personagens jogáveis. A sua principal habilidade é ser ambidestro, algo que ninguém mais no mundo é, sendo ele é o único a saber usar duas armas ao mesmo tempo e matar tudo que ver pela frente. Possui as melhores skills e fica melhor ainda se tiver duas metralhadoras. Este bêbado anão, dado o seu mau desempenho sexual, ditado pelo álcool, está determinado a matar tudo que se mover na frente de seu caminho. Sua baixa estatura (54 cm) é devido ao uso indiscriminado de esteroides anabolizantes e drogas.
Zero The Number Assassin - Um motociclista sem motoclube, com uma cabeça em forma duvidosa. A sua infame habilidade é a de tornar-se invisível por 5 segundos e lançar um holograma que entretém o público por 5 segundos, na esperança de infligir algum dano cerebral na plateia com uma quantia miserável de dano. Este personagem é inútil como uma folha contra um tanque, mas é muito escolhido por ser um estereótipo de anime sendo o predileto dos otakus. A sua outra habilidade é saber usar um rifle sniper, mas de que adianta se todas as outras classes de personagens também podem usá-los?
Gaige The Preschooler Mechromancer - Uma adolescente de 15 anos que decidiu que seria uma boa ideia levar seu robô assassino à feira de ciências. Com ajuda de papai e de conteúdo adicional caro e desnecessário, foge de seu planeta após uma carnificina causada por seu bichinho e, talvez por abuso de narcóticos, decide tornar-se Vault Hunter em Pandora. Só pode ser usada se você pagar um dinheiro a mais.
v d e h
Borderlands logo.png