Brand

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Dani daniels anikka albrite and karlie montana.jpg Este artigo é queeeente!

Se quiser editar este artigo, entre numa geladeira, ligue o ar condicionado no máximo e beba uma coca-cola gelada. E não lute contra K'!


Cquote1.png Você quis dizer: Tocha Humana Cquote2.png
Google sobre Brand

BrandSquare.png

Brand, a Vingança Flamejante é um dos infinitos campeões que permeiam o vasto e psicodélicos universo de League of Legends. Sua função é a de mago, sendo tipicamente utilizado na rota do meio (embora também seja um ótimo ladrão de kills se usado como suporte na rota inferior por alguns filhos da mãe). Brand é conhecido por ser um piromante que causa um dano absurdo em área, sendo um dos magos mais odiados e mais insuportáveis presentes no game. Caso algum noob feede o desgraçado, fica muito fácil para ele fazer um pentakill em alguma batalha de equipes, uma vez que a habilidade ultimate do miserável pode saltar de inimigo em inimigo até varrer todo mundo da face da Terra. Em termos de personalidade, Brand é uma poço de ódio e rancor, e seu maior desejo é ver o mundo arder em chamas, provavelmente porque não teve o amor dos pais quando era criança. Acredita-se que Brand tenha sido um dos primeiros integrantes da Tropa dos Lanternas Vermelhos.

História[editar]

Brand caindo na farra, relaxando tranquilamente por saber que ninguém vai se arriscar a se aproximar a menos de 5 metros dele, uma vez que qualquer infeliz sabe que será burstado e banido da face da Terra em menos de 0,000005 segundos.

Não se sabe ao certo como Brand surgiu, mas tudo indica que ele nasceu no início dos tempos. Tudo começou quando Lúcifer, na época um pequeno arcanjo sacana, quebrou o vaso preferido de Deus e tentou culpar seus outros irmãos por aquela arte. Entretanto, ninguém pode enganar Deus, e como castigo por aquela mentira cabulosa, Deus baniu Lúcifer para o Inferno, onde ele ficaria de castigo por toda a eternidade (literalmente) para refletir sobre o que fez. Porém, como era orgulhoso e birrento demais, Lúcifer se recusou a isso, e decidiu que faria daquela pocilga o seu novo lar, onde ele reinaria com garras de ferro.

Entretanto, não se pode ser um rei sem servos, escravos ou seguidores. Tendo isso em mente, Lúcifer decidiu que ficaria com todos os seres humanos rejeitados por Deus (assassinos, estupradores, pedófilos, políticos, LOLzeiros, enfim, todo tipo de escória), e faria deles seu próprio povo. Aqueles mais levados e que tinham algum potencial ele transformaria em demônios, que passariam a atuar como sua tropa de elite particular. Os outros que eram levados e que não tinham qualquer habilidade aproveitável, ele simplesmente torturaria por toda a eternidade, para espantar o tédio.

Entretanto, para poder torturar as almas dos condenados, Lúcifer precisava criar uma ambientação apropriada, do contrário, ninguém o levara a sério. Foi então que ele decidiu encher o Inferno de fogo e labaredas, já que não existe nada mais detestável e insuportável do que um calor de rachar. Logo, Lúcifer compra um lança-chamas da Polishop, preenchendo cada lacuna do Inferno com as chamas eternas. Porém, como o Inferno ainda estava em construção, haviam algumas pequenas rachaduras nas paredes lugar. Sem que ele percebesse, uma pequena parte dessas chamas escapa para o plano terreno por uma dessas rachaduras, e assim que essa chama toca o chão, ela cria vida, tornando-se assim Brand.

Por motivos óbvios, Brand é sempre o primeiro da lista de convidados para os churrascos de fins de semana.

Como Brand tinha surgido a partir das chamas do Inferno, a única coisa que existia em seu coração era raiva e fúria, e assim Brand faz o que sabia fazer de melhor: começa a tocar fogo em tudo que vinha pela frente. Brand se tornara incontrolável, e como no início dos tempos ainda não haviam surgido os hidromantes e os dobradores de água, nada poderia pará-lo. Vendo a cagada que seu filho vagabundo havia feito, Deus, irritado com toda aquela bagunça, se vê obrigado a entrar em ação, e assim aprisiona a chama de Brand numa montanha de gelo lá onde Judas perdeu as botas.

Com o passar das décadas porém, o lugar onde Judas perdeu as botas acaba se tornando propício para a vida, e um continente inteiro se desenvolve ao seu redor, e passa se chamar Runeterra, sendo o palco de inúmeras civilizações. Certo dia, um parente distante de Barba Negra conhecido como Kegan Rhode é atraído para a montanha pelo brilho da chama de Brand. Não se sabe porque caralhos o tal pirata teve a brilhante ideia de colocar a mão na chama (provavelmente por ser masoquista), só o que se sabe é que as chamas daquela entidade infernal tomaram o corpo do infeliz e o transformaram novamente em Brand.

Mais uma vez a solta pelo mundo, Brand finalmente poderia tornar a tocar o terror na humanidade de devastar todas as formas de vida com o fogo do seu ódio. Porém, os demacianos (os quais, diferentemente dos noxianos adoravam Deus e não Satã), com a ajuda divina, conseguem aprisionar Brand mais uma vez, cortando seu barato novamente. Demacia então baixou a regra: ou Brand faria o que eles mandassem, ou seria mergulhado numa piscina de 1000 litros. Brand então acaba tendo de lutar nos campos da Justiça, e de sobra, é obrigado a fazer bico de churrasqueiro nas festas de fim de ano de League of Legends. Puto da cara, Brand jura vingança, prometendo que um dia voltará a tocar o terror na humanidade novamente.

Habilidades[editar]

Brand na fase de rotas é aquele típico personagem porre. Por possuir um dano alto, não vai demorar muito para sua vida evaporar mais rápido do que gelo dentro de um vulcão. A única maneira de você durar na rota contra o infeliz é sabendo a hora exata de evitar as habilidades do dito cujo, sobretudo do seu W. Entretanto, falar é fácil, já que na prática, quase ninguém consegue tamanha proeza, já que o simples fato de ter um Brand do outro lado da rota já é suficiente para causar certa pressão psicológica e deixar as pessoas desconcertadas. Apesar de Brand ter sido originalmente projetado para a rota do meio, ele também costuma ser usado como suporte, sendo um ótimo personagem para aquelas pessoas que gostam de pegar os kills do Ad Carry para deixá-lo fraco (cinicamente pedindo desculpas pelo "erro" depois) e ter assim um pretexto fajuto para comprar itens de dano mágico ao invés de suporte. Essa última situação é muito comum em elos baixos, onde em geral a noção de jogo é das piores possíveis e onde muitos infelizes tem a tendência natural a priorizar kills ao invés de objetivos de jogo. Vale lembrar que como as habilidades de Brand se baseiam em ferrar de diversas maneiras possíveis a vida do inimigo por meio do efeito concedido pela sua passiva, existem várias combinações de combo que podem ser usadas por Brand para te torrar o saco. De uma forma ou de outra, você em geral vai ter dores de cabeça

Brand feedado, prestes a usar seu combo roubadamente apelão e acabar sozinho com todo o time adversário.

Labareda (Passiva): Uma das passivas mais irritantes do jogo, aplica nos alvos o efeito "Incandescente", praticamente transformando todas as habilidades de Brand em um Incendiar 2.0 cujo dano é baseado na vida do alvo. Como se essa apelação já não fosse suficiente, essa habilidade se acumula por três vezes, e assim que atinge o máximo de acúmulos, o alvo é envolvido por um círculo de ritual satânico que explode (literal e figurativamente) após dois segundos. Essa é uma daquelas perfeitas habilidades trolls, muito útil para finalizar aquele filho da mãe que conseguiu sair de vida baixa das lutas em equipe com um flash.

Cauterizar (Q): Basicamente, Brand lança um Hadouken de fogo no noob alvo, causando dano e atordoando o infeliz caso este esteja incandescente. É a habilidade perfeita para parar o avanço de inimigos e também para garantir que o alvo focado fique parado assistindo sua vida evaporar com o resto do combo apelão de Brand. O pior de tudo é que não tem muito o que fazer caso seja pego por essa habilidade, já que os 1,5 segundos de atordoamento são mais do que suficiente para que Brand te mande para o colo do Capeta sem que você consiga fazer porcaria nenhuma, sobretudo se você estiver com algum campeão papel.

Pilar de Chamas (W): Brand faz uma oração para seu senhor e mestre, Satã, que após um certo período de tempo, lança diretamente do Inferno uma coluna de fogo por debaixo da terra, causando um dano sobrenatural em área em e ferrando com sua vida. Caso o infeliz tenha o azar de já estar sob o efeito Incandescente, o dano dessa habilidade será 25% maior, fazendo com que um ADC por exemplo, morra sem nem mesmo ver a cor da team fight direito.

Cauterizar (E): Brand incorpora o espírito do Avatar Aang e faz surgir um gêiser de fogo no inimigo, o qual em geral não vai ter como escapar, já que essa habilidade não é skillshot. Caso o indivíduo já esteja na merda e com o efeito Incandescente, a explosão se espalha para qualquer infeliz que esteja por perto. Mesmo que seja a habilidade mais sem-graça e desinteressante de Brand, em geral ela é muito boa para iniciar combos, já que ela vai aplicar o efeito da passiva em um pobre coitado qualquer e abrir as brechas para que ele aplique todo o resto de seu combo. Também é muito boa para acabar com toda a onda de minions (aqueles bichinhos coloridos que ficam andando até as torres) da sua rota, uma vez que ela é capaz de se espalhar para os mongoloides que estejam próximos do alvo original.

Piroclasma (R): Brand é possuído pelo fantasma de um jogador de Dungeons & Dragons e lança uma fireball gigante no alvo, que vai saltando de inimigo em inimigo e causando lentidão nos sortudos agraciados com a mesma. Em síntese, essa ult é uma das mais insuportáveis do jogo, pois vai causando um dano absurdo em todo mundo que é pego por ela, além de causar lentidão em geral e ainda por cima aplicar o efeito de acúmulo da passiva. Somando essa ultimate roubada com o resto de seu combo, essa desgraça é capaz de ferrar sozinho com todo o seu time, sobretudo se você foi um incompetente que feedou Brand no early game. Essa ult também é ótima para ferrar com ganks, já que com ela, mesmo que Brand esteja sozinho contra dois, ele te mata e ainda por cima manda para a vala também o seu jungle, mesmo que ele acabe sendo morto no processo.

Dicas e curiosidades[editar]

  • Pelo amor de Odin, não tenha a brilhante ideia de fugir em linha reta de Brand caso a coisa fique preta. É só disso que ele precisa para pegar um kill fácil em cima de você e ainda por cima rir da sua cara ou ainda mostrar a maestria só para tirar onda.
  • Quando você perceber que Brand está vindo em sua direção para usar o seu W em você, não adianta fugir, pois ele vai dar um jeito de acertar a habilidade em você e te finalizar com o resto do combo OP dele. O mais adequado é você ficar parado e esperar a animação da habilidade para depois tentar desviar. Obviamente que as chances de você ser bem sucedido em se esquivar são mínimas, mas pelo menos você não vai morrer miseravelmente sem ao menos tentar fazer algo direito.
  • A dancinha de Brand no jogo trata-se na verdade da dança do fogo, o que leva a crer que em algum momento de sua vida Brand já foi membro de alguma tribo indígena, dessas que costumam aparecer em desenhos animados americanos fajutos.