Brasnorte

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Brasnorte é um nada, uma cidade no fim de mundo, especificando, fim do mundo ainda é um lugar bom, a cidade é mais empoeirada do que em casa de gente velha. Essa cidade com nome de empresa de frigoríficos de frango fica no norte do Mato Grosso, distante 15 horas de balsa de Cuiabá e 66 horas de burrico de Rondônia, em poucas palavras, é apenas mais um município insignificante do Mato Grosso que será esquecido logo logo.

História[editar]

Isso é uma cidade?

Brasnorte não possui história, pelo menos que se saiba ou seja divulgada, porque onde quer que você procure, nada encontrará sobre Brasnorte, quem vai querer saber sobre Brasnorte, me diz quem tem interesse em conhecer Brasnorte? Como alguém consegue atingir o cúmulo da desocupação que é pesquisar sobre Brasnorte na Desciclopédia? TEM QUE SER MUITO LOCO DA CABEÇA!

De acordo com os documentos o lugar foi transformado em município em 1986, mas os motivos dessa cagada ninguém sabe, e agora está lá. Esse nome bizarro Brasnorte é uma memória ao último pau-brasil que foi cortado lá.

Trocando miúdos, devido ao alto índice de galinhas andando na rua de Brasnorte, é muito difícil encontrar qualquer outra informação sobre essa roça.

Geografia[editar]

Nesta cidade bizarra o clima encontra-se dividido em duas estações bem definidas, a época de chuvas pra cacete entre janeiro e março, época que é impossível chegar o sair de lá porque o povoado é engolido por um mar de lama. E a época do frio entre abril e setembro, fenômeno que ocorre devido aos ventos alísios advindos dos campos de maconha da Bolívia.

Existe uma lenda que diz que em 1975 nevou em Brasnorte. É claro que fazer um calor no Polo Sul seria bem mais fácil.

Economia[editar]

Maconha claro, é o que mais tem, além dos madeireiros em busca de madeira ilegal, já que na cabeça deles a floresta é grande demais e derrubar só umas árvores não vão fazer mal algum.

O grande lucro dessa cidade, todavia, vem das casa das primas, movimento de dinheiro este que contribui para o crescimento econômico de Brasnorte, em termos, é isso que mais enriquece.

Se terra e barro valessem dinheiro, Brasnorte seria uma das cidades mais ricas do mundo.

Quanto à população urbana (semi-inexistente) é composta por 99,99% de funcionários públicos puxa-sacos que ficam o dia todo tomando coca na rua ao invés de trabalhar... Claro que nunca são concursados, isso não existe em Brasnorte, o prefeito sempre dá um jeitinho.

Política[editar]

Nada a declarar, apenas que vira e meche o nome do prefeito está nos jornais, acusado de desviar dinheiro, mas é claro que ele não fez isso... É só olhar a cara de santo dele.

População[editar]

Uns 15.000 habitantes, 10.000 mil somente de índios, que se convém às custas dos poucos que trabalham. O resto está dividido em galinha, vaqueiro, peão, entre outros, além de políticos mentirosos, claro.

Transportes[editar]

A cidade possui pouco mais que 10 ruas asfaltadas, e o prefeito municipal ainda insiste em postar em suas revistinhas de merchandising (claro, pagas com dinheiro público) o total de ruas pavimentadas em cm² para parecer mais do que realmente é. Os ônibus escolares não tem freio e as pontes são de madeira semi-podre.

Lazer[editar]

O que as pessoas mais se divertem em Brasnorte é num clube cuja água da piscina é tão suja que nem mosquito da dengue se cria ali.

Tem também os diversos botecos, onde rolam em altos índices a brincadeira de quem afunda o outro primeiro na faca.

E claro, o ponto de encontro é a única avenida do vilarejo, onde um monte de babacas metidos a playboy ficam dando voltas e mais voltas achando que estão abalando alguém, mais só está é pagando de otário e gastando a gasolina do pai, que depois disso o pai acaba tomando o carro, e deixando os merdinhas sem andar por uns 3 meses.