Brave Gear Tribute

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Brave Gear Tribute é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, o Agente 47 tenta descobrir o sentido de sua vida.


Brave Gear Tribute
BG Capa-Otaku.jpg
Desenvolvedor TOMOSHIBI
Ano 2004
Gênero Steampunk-RPG-Yaoi
Plataformas PC, Play Station 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9... 666, Super NES, Mega Drive, Orkut, entre outras porras noobs.
Avaliação (Dr. Roberto) 24%
Idade para jogar Livre (a depender de seu grau de viadagem).

Cquote1.png Você quis dizer: Knight of Knights que preta com enredo Cquote2.png
Google sobre Brave Gear Tribute
Cquote1.png Você quis dizer: Tijolo Gear Cquote2.png
Google sobre Brave Gear Tribute
Cquote1.png Experimente também: Extreme Gear Cquote2.png
Sugestão do Google para Brave Gear Tribute
Cquote1.png Hâ! Sey! Heii!! Cquote2.png
Gear sobre Brave Gear Tribute
Cquote1.png Aquele ali não é o filho do Cloud com o Sephiroth? Cquote2.png
noob sobre Brave Gear Tribute
Cquote1.png Com seis episódios?!! Como é que essa merda não é conhecida até hoje?? Cquote2.png
nerd sobre Brave Gear Tribute
Cquote1.png Só tem dois personagens jogaveis... Tá explicado porque não fez sucesso Cquote2.png
outro nerd sobre Brave Gear Tribute
Cquote1.png Sou mais o NOSSO enredo... Cquote2.png
um fdp fã de KoK sobre Brave Gear Tribute
Cquote1.png O jogo em em japonês... Tem versão brasileira?? Cquote2.png
Otário que não sabe bulhufas do que se passa em Brave Gear Tribute
Cquote1.png Jogo de bicha!!! Cquote2.png
Mário sobre Brave Gear Tribute
Cquote1.png Pela primeira vez concordo contigo... Cquote2.png
Sonic sobre Brave Gear Tribute
Cquote1.png Isso eu não aprovo!! Cquote2.png
Ciro Bonttine sobre Brave Gear Tribute
Cquote1.png Prefiro Kingdom Hearts... Cquote2.png
gamer gay sobre Brave Gear Tribute
Cquote1.png Tem para PlayStation 2? Cquote2.png
Guri retardado que pensa que Playstation 2 é o único videogame do mundo sobre Brave Gear Tribute
Cquote1.png Preciso mesmo dizer o que acho disso? Cquote2.png
Jack Bauer sobre Brave Gear Tribute
Cquote1.png ... Cquote2.png
Dr. Roberto sobre Brave Gear Tribute
Cquote1.png Bota essa p0##@ na conta do Papa.. Cquote2.png
Capitão Nascimento sobre Brave Gear Tribute

Brave Gear Tribute (também conhecido pela sigla Bv Bg) é um jogo do gênero Clockpunk-otaku-Semi-RPG criado dois anos após Knight of Knights, sendo que conta com coisas bem mais noobs, nerds, emos e gays que todos os jogos antigos da Tomoshibi ainda não haviam adquirido (em especial, criatividade).

Sobre o jogo[editar]

Midna é humana! ALERTA DE SPOILER GAMÍSTICO!

Este artigo gamístico pode conter spoilers que revoltam os nerds, como o fato de que:
Gaia mata Cronos!!

Portanto, leia com cuidado.

Aqui você abusa de golpes especiais e seqüência que só ninja é capaz de fazer (mas que aqui qualquer idiota pode executar)
Se você souber japonês, não terá problema em comprar coisas por aqui; caso contrario sairá fazendo merda por todo lado e terá uma baita dor de cabeça

Depois de haver criado um jogo onde seu único objetivo é espancar todo mundo e ir adiante, a Tomoshibi finalmente tomou vergonha na cara e resolveu voltar ao tradicional esquema de "RPGs com enredo". Com tudo dessa vez eles quiseram fazer algo o qual nunca havia sido feito antes: dividir o jogo em 6 capítulos (ou 2 trilogia para ser exato), sendo que você deve baixar um episódio de cada vez. Não é nem preciso dizer que isso causou uma grande admiração (e revolta) alem de um ódio profundo de todos os malditos gamers nerds fãs para com a Tomoshibi e seus joguinhos de quinta categoria. Para piorar as coisas, o joguinho ficou extremamente restrito a dois míseros personagens jogáveis; com isso, o que seria (supostamente) um supremo sucesso para a Tomoshibi, acabou se resultando num traste esquecido e de menor fracasso em relação aos seus jogos anteriores, alem de um baita prejuízo para multi mini-empresa-japinha.

Os personagens-emos do jogo[editar]

O jogo possui apenas dois personagens jogáveis, mas abrange em meio a pessoas-principais propriamente ditas um total de 8 personagens: 2 n00bs emos a escolha, 5 chefões n00bs e ainda mais emos (com exceção de 1 que é fodão – sim! Só poderia ser o último) e um único herói cabra-homi que vive dando uma de bad boy lobo solitário; claro que se inseríssemos os inimigos e figurantes dessa joça, o número de personagens seria bem maior. São estes os noobs emos dessa série:

Cloud Gear[editar]

Gear PAAPU.jpg

Engrenagem Gurin é o personagem principal dessa história alem de ser o mais gay, emo e nerd entre todos os outros. Ele é o primeiro noob cara jogavel com que você começa o jogo (claro! Se ele é o protagonista do jogo...) e possui golpes muito frescos fortes, tanto que os fãs preferem jogar mais com ele pelo fato de serem preguiçosos ou não saberem japonês para selecionar a outra personagem dele agüentar as armas de artilharia pesada. Gear tem uma irmã que vive metendo-o em confusão alem de acordá-lo todo santo dia com uma marretada no colchão (ui!). No primeiro episódio ele é o único personagem jogavel que vai libertar todos os outros e te dar a chance de transar jogar com a sua irmã nos demais episódios.

Sakura Laya[editar]

Laya NOKO.jpg

Laya Papu é a irmã gêmea (e puta) de Gear. É uma das poucas (se não a única, ou não) personagem feminina do jogo que só será enrabada destravada no segundo episódio. Laya é a responsável por toda a confusão trambicagem da história. É ela quem vive chamando Gear pro cantinho para participar de aventuras sexuais suicidas e perigosas (o que deixa o pobre garoto traumatizado). Ela não possui nenhum golpe especial e por ser uma garota está sempre fugindo de medo dos inimigos enquanto Gear fica na mão levando uma surra atacando os inimigos de longe com varinhas de condão e arco e flecha. Pulando estes defeitos, Laya é a única personagem que quer porque quer que Gear pare com tanta viadagem e vire homem (razão porque ela vive dando a buceta para ele).


A seguir, os emos-não-jogáveis

Kuririn Targel[editar]

Suposto pai de Targel (que diferente de seu filho, é muito macho)

Também conhecido como "o careca do machado" é um dos cafetões chefões mais gays do jogo. Ele aparece nos episódios 2 e 3 (e logo depois você não terá mais notícias dele). Targel é um cavaleiro que mora em uma pirâmide Egípsia Maia acompanhado de vários eunucos cavaleiros mancos, até que um dia é expulso de lá e com isso é obrigado a viver numa caverna nos confins do mundo.

Batman e Robin Stoner e Allan[editar]

O casalzinho homossexuais vendo seus rivais partirem para mais uma aventura suicida

São os dois gays chefões que nunca se separam. Esse casal de bambis dupla irá encher o teu saco nos episódios 2, 3 e 5 (e depois desaparecerão misteriosamente...). Eles são guerreiros árabes caçadores de recompensa que começaram seus negócios numa caverna perto de Eunucolândia, e logo depois são chamados para um torneio de touradas gladiadores; no final das contas os dois perdem toda a grana com os combates e vão morar em uma outra caverna de pior qualidade.

Gaara Black Sword[editar]

Black Sword esbanjando-se todinho em seu modelito mais fashion (hum... boiola!)

É o chefão com o visual mais emo rockeiro metaleiro e ridículo da face da Terra. Ele é um Cavaleiro Negro e aparecerá nos episódios 3 e 4 (sendo que nesse último ele morre e não, não é você que vai botá-lo para se ferrar...). Black Sword começou seus negócios como um cavaleiro qualquer e logo foi chamado para ser gladiador, se tornando o único vencedor das arenas... até que um dia é derrotado (sim, é por voc... ou melhor, por Gear/Laya). Com isso ele foi até a Igreja rezar para São Nunca por um milagre, mais acabou recebendo foi um chute na bunda seguido de uma fudição eterna com a visita de Dona Morte.

Undertayker Undenn Kenoy[editar]

Gear soltando a franga para cima de Undenn

É o único cabra-macho no meio de tantas bichas-emos (sendo que este ainda se encontra com um jeitinho meio suspeito...). Undenn aparece nos episódios 4 e 5 (onde resolve tirar um cochilo até o final dessa merda série) apenas lutando com aquele que será o seu último chefão. Não se sabe muito sobre seu passado devido ao fato dele ser um bad boy do jogo não mostrar muita coisa a seu respeito. Tudo que podemos dizer é que ele provavelmente não tem amigos (com exceção de Gear... e veja lá) e nem família (provavelmente ele matou os próprios pais e o resto os irmãos), vive de cabeça baixa, com uma mão no bolso e a outra segurando sua espada (hum...), só aparecendo em situações realmente pretas dando uma de borçal fodão (e ainda apanhando feio pro chefão final).

Vegeta Cardeal "Dark" Dungeon[editar]

Dungeon plagindo a apresentação de Sword... ou não.

É o verdadeiro (e principal) vilão dessa joça (isso para não dizer que também é o Chefão Final dessa budega). Irá aparecer nos episódios 4, 5 e 6 (sendo que no 5 você não o enfrenta, só conversa fica xingando a mãe dele). Dungeon é o chefão menos gay emo e o personagem mais fodão de todo o jogo. Ele é um cardeal que foi escomungado da Igreja Católica no movimento da Santa Inquisição juntamente com Martinho Lutero; a diferença é que Lutero criou uma nova religião enquanto Dungeon optou por dominar o mundo com uma seita maligna. Depois de ter contratado uma porrada de vilões-bibas que só fizeram apanhar para Gear e Laya, ele resolveu fazer o serviço por conta dele mesmo (seguindo um velho dito popular de "se quiser uma coisa bem feita faça de barriga vazia... não, não, éhh faça você mesmo o seu pão de cada dia... não, ainda não é isso.. eh, se fizer uma torta bem feita.. todos que dela comerem,.. ficarão de barriga cheia.. É alguma coisa desse tipo!..). Não satisfeito com isso, ele invoca os poderes do Cão para acabar de uma vez com os dois (e teria conseguido se não fosse o intrometido do Undenn se intrometendo em assuntos alheios).

Itens e armas[editar]

Gear tentando suicídio (para piorar numa sala cheia de armas proibidas)

Todos os itens dessa budega são os de qualquer maltido jogo de RPG disponível para noobs e nerds. Eis alguns itens dessa droga:

  • Rolos de papel higienico Pegaminhos
  • Moedinhas (plagindo o Mário para poder comprar novas bugigangas)
  • Sacos de dinheiro (que valem mais que a joça anterior)
  • Alimentos(para você não morrer de fome)
  • Armas especiais (como espeto de frango, placa de sinalização,frigidera,pedaço de pau e etc.)

entre outros itens vagabundos de grande ajuda.

Alem disso, algumas armas podem lhe conceder poderes cósmicos e felomenais. Todos os azuis e verdes (para dar um tom de masculinidade) só são usados por Gear, e os vermelhos e rosas (que são cores mais frescas) só são usadas por Laya... ou não.

Os Episódios[editar]

Como já foi dito, o jogo é dividido em 6 episódios onde você vai passar horas-e-horas baixando um capítulo de cada vez que no final das contas só vai lotar ainda mais o teu "Disco C" te deixando sem saber o que fazer com tantas pastinhas na tua área de trabalho, documentos ou qualquer outro lugar em que você enfiar essas porras todas. A seguir os episódios:

Episódio 1 – O Resgate (de quem?)[editar]

Gear achando a engrenagem que serviu de inspiração para a criação dessa bosta

Todo o enredo se desenraba desencadeia quando Gear aparece fazendo o que sabe de melhor: Dar para alguém Dormindo. Nesse mesmo instante Laya, que vinha da aldeia vizinha para visitá-lo, aparece e o desperta ao estilo Amy Rose e com isso os dois começam a falar um monte de bosta em japonês, sendo que no fim da conversa Laya some e você, conseqüentemente, fica sozinho no quarto. Daí Gear sai de casa e vai até o vilarejo onde pergunta para alguns otários moradores do lugar se estes haviam visto um tal puta pirralha de cabelo rosa que não fosse a do anime Naruto que era sua irmã gêmea (ou não), sendo que ninguém sabia e ele teve que sair pela estrada a fora. Depois de várias e várias horas matando noobs, ganhando grana, comprando armas e salvando níveis, Gear encontra uma rosca engrenagem e resolve usá-la como vibrador guardá-la consigo. Entrando numa pequena cova (compacta por fora, mas gigante por dentro) ele mata mais alguns otários até que finalmente encontra a puta da sua irmã que está sendo refém de um dragão. Após plagiarem um esquema tosco de contos de fada, Gear e Laya resolvem ir até o final do "cenário 1" onde chegam até a vila onde Laya mora...

Fim do 1° Ato

Episódio 2 – Pirâmide Egípcia Maia[editar]

Prepare-se para muita areia e desidratação nesse capítulo

Os dois otakus irmãos chegam até o "cenário 2" onde ainda não fazem ideia do que diabos vão fazer. Após tomarem um o único caminho que estava disponível no jogo, resolvem matar alguns monstrinhos bakas e sem querer querendo acabam indo parar no deserto do Saara onde encontram vários eunucos soldados que estão guardando uma pirâmide. Depois que falaram um monte de merda em japonês onde você não entende porra nenhuma, os dois manos voltam alguns quarteirões e vão parar numa floresta onde encontram uma caverna. Lá eles se deparam com Stoner e Allan e os enfrentam. Depois de terem apanhado feio para os dois irmão-emos, a dupla de bibas mercenários desaparecem e Gear e Laya vão novamente para o deserto onde entram numa pirâmide; lá, depois de terem massacrado mais noobs e chegarem ao nível 25, enfrentam o mais poderoso dos eunucos cavaleiros do deserto (e também desse ato): o mauricinho do Targel, que ao final da briga (depois de ter tomado uma surra com seus dois capangas mancos mil vezes piores que o casalzinho gay de mercenários) foi obrigado a abandonar sua casinha latino-americana juntamente com seus dois namorados capangas defeituosos...

Fim do 2° Ato

Episódio 3 – O Gladiador No Coliseu[editar]

Pelo visto Brave Gear teve uma certa cooperação nos cenários do filme Crepúsculo...

De volta para o vilarejo do "cenário 2", a dupla de bambis manos seguem pelo último caminho destravado dessa vila (sem saberem eles que será a primeira etapa mais cansativa dessa joça). Primeiramente, passando por um bosque no estilo de Crepúsculo, chegam até uma dunas; das dunas vão para uma caverna labirinto (só ai já se foram 2 horas de seu precioso dia); da caverna para outras dunas montanhosas; dessas dunas montanhosas para outra caverna-labirinto (passam-se mais 4 horas com você nesse jogo); dessa caverna para outras dunas (caralho, mermão! Será que esse capítulo não tem criatividade para cenário não?!); Das dunas para um campo (finalmente!) que se divide em dois caminhos: um caminho vai para outras dunas com uma caverna-labirinto (de novo...) e o outro caminho vai direto para um novo vilarejo. Depois de chegarem nesse novo vilarejo, Gear e Laya vão para um coliseu localizado bem no centro da local e falam mais um monte de porqueira em japinha com o organizador do torneio, onde no final são mandados para o outro caminho que dá pras outras dunas com a caverna (Isso! Grite de desespero, filho...), onde encontram Targel novamente e seus dois escravos sexuais capangas e mais uma vez os derrotam. Com isso eles voltam ao coliseu e preparam-se para a hora da pancadaria: primeiro os dois enfrentam uma série de soldados mancos; depois enfrentam Stoner e Allan (de novo...); em seguida lutam contra mais cavaleiros mancos; e por último (mas não menos importante) o metaleiro do Black Sword (que com medo de perder a sua reputação de melhor gladiador para esses dois gays, contou com a ajuda de dois cavaleiros-capangas-mancos). Após derrotá-los, Gear e Laya ficam mesmo no "cenário 3" para não terem que voltar todo aquele caminho grande e repetitivo do cacete...

Fim do 3° Ato

Episódio 4 – A Vingança do Papa Na Catedral[editar]

Gear pronta para pagar pelos seus pecados...
...e aqui vemos Dungeon fazendo Sword pagar pelos dele

Depois de terem ficado no vilarejo do "cenário 3", nossos "zeróis" partem pela únca porta destravada desse capítulo em um novos cenário simplesmente assustador que mais parece estar no filme de Van Helsing. Depois de terem matado mais noobs ainda, enfrentar uma frota de almas-penadas e, ainda por cima, terem se segurado para não se borrarem de medo, os dois otakus chegam a uma Igreja onde decidem rezar um pouquinho pedindo a proteção de São Judas Tadeu Nunca. Com isso eles descem para o cemitério da Catedral onde matam mais monstrinhos e fantasmas (matar fantasmas? Putz!) e na última sala reencontram Black Sword (que finalmente tomou vergonha na cara e decidiu enfrentá-los que nem homem). Depois de ter apanhado feio, Black Sword recebe a visitinha hospitalar (ou não) do Cardeal Dungeon, que resolve acabar logo de uma vez por todas com a raça dos três idiotas (mas só consegue matar mesmo é o cavaleirinho de preto). Minutos antes de matar Gear e Laya, Undenn surge do nada e bloqueia o golpe de Dungeon. Com isso Gear desmaia de tesão emocão...

Fim do 4° Ato

Episódio 5 – A Porta (que porta?..)[editar]

Cquote1.png Esqueci que para abrir a porta tem antes que matar esses bichos... Cquote2.png
Gear sobre a Porta (logo aos fundos)
Os chatos de galocha desse capítulo

Com sua primeira derrota, Gear queria voltar até a catedral para ter uma revanche com Dungeon (e rever seu amado Undenn segurando aquela espada tão grande e grossa... UUUUIIII!!!), mas infelizmente não podia pelo fato do jogo ter bloqueado o caminho que dava para lá nesse novo capítulo. Por causa disso os dois irmãozinhos tiveram de seguir pelo único caminho destravado desse ato. Após terem chegado numa caverna, Gear e Laya (re) reencontram outra vez-de novo-novamente a dupla de bichinhas mercenários Stoner e Allan (que certamente não se cansam de apanhar e já estão te dando no saco, não é?)e após vencer-los (como sempre) prosseguem caminho em diante, saindo pelo outro lado da caverna e matando vários e vários bichinhos-noobs (que certamente também já estão te enchendo). Depois de um bom tempo, os dois chegam a um grande palácio de mármore (onde com certeza você vai salvar o jogo e seguir em diante). Dentro do palácio os otakus enfrentam quatro golens elementares diferentes: o da água, do fogo, da terra e do vento e depois chegam numa sala onde encontram Undenn caído no chão e o fdp do Dungeon (que o tinha derrotado. É óbvio... ¬¬). Depois de uma conversa japonesa onde você não entende absolutamente porra nenhum, mas claro, que é uma sessão de xingamentos, o Cardeal ultrapassa uma porta invisível e Gear junto com Laya resolvem socorrer Undenn, mas ele manda os dois carinhas se foderem irem atrás de Dungeon antes que seja tarde, mas como em qualquer RPG meio shounen, eles o perdem de vista e se deparam no final do cenário dentro de uma sala com 2 golens (um da luz e outro das trevas) e uma Porta no final da sala (ah! Essa é a porta...). Os otakus matam os dois golens restantes e vêem a Porta se abrindo sozinha (OMG!)...

Fim do 5° Ato

Episódio 6 (até que enfim!) – O Catelo do Drácula Tempo[editar]

Gear e Laya no mais novo filme do Drácula (notem que a porta é feita de chocolate branco).
Gear enfrentando o chefão final: uma fusão de Dungeon com Satã

Gear e Laya chegam num cenário escuro, completamente sem pé nem cabeça que mais parece um filme de terror defronte um castelo mal-assombrado (ou não). Lá entrando (já que não podiam sair desse cenário novo) vêem um grupo de retardados pessoas vestidas de branco prontas para a Parada Gay Carreata da Paz, mas que não podiam ir porque a chefia não tinha deixado. Muito putos com isso, Gear e Laya perguntam onde podem encontra-lo e os mano dizem que ele estava num portal travado com o desenho de um solzinho e uma luazinha; a única forma de destravar esse troço é matando os golens do Sol e da Lua que estavam presos no tempo e espaço (daí vamos para a segunda etapa mais cansativa dessa budega, mas como essa é ainda mais complicada e cansativa que a outra, só diremos que você tem que ficar viajando pelos portais localizados no fim de cada labirinto); Depois de terem matado os dois monstrengos e chegado ao nível 90 (ou não), Gear e Laya vão para o portal Sol&Lua e chegam a um lugar cheio de relógios gigantes onde encontram o maldito Cardeal pela última vez (será?). No início os dos irmão conseguem enfrentá-lo e depois de desfarelar as duas vidas do filho da puta, Dungeon faz um jutso de invocação fundindo-se com o Capeta e virando Evil Dungeon (e ele ainda se dizia ser um cara santo... aidentro!!). Após uma série de renovações de vida, Meteoros de Pégasus, Kame Hame Has, Hadoukens e Alex Fulls, a dupla de otakus conseguem matar o Cardeal e logo em seguida morrem também o castelo começa a desabar. Para a sorte deles, um clarão evita coisa pior levando-os de volta para de frente a Porta final do "cenário 5" (uma viadagem extra da parte da produção). Depois disso, os dois irmãos voltam para casa passando por todos os cenários anteriores até chegar no "cenário 1" do jogo como se nada tivesse acontecido.

Fim de Jogo!

Como muitos gostariam que o jogo terminasse (mas Gear, como uma boa bicha, dispensou essa possibilidade... pena!)

Situação dos personagens ao final do jogo[editar]

GAME OVER (?)
  • Gear vira macho (ou não) reencontra seu amado Undenn;
  • Laya decide entrar para um seminário de freiras;
  • Targel acaba indo morar num pensionato de péssima qualidade;
  • Stoner e Allan oficializam o namoro e se casam;
  • Black Sword morre (mas não morre e vai morar com Targel);
  • Undenn aceita Gear de braços abertos continua sendo macho... ou não;
  • Os Figurantes continuam suas vidinhas miseraveis como se nada tivesse acontecido;
  • Cardeal Dungeon morre (na verdade ele se mata, pois não agüentava mais toda essa viadagem);

Ver também[editar]

...e a engrenagem?[editar]

Hipoteticamente, era uma chave para abrir a tal Porta do "cenário 5", mas como ela se abriu sozinha não serviu para PN (se não, Gear encontrou uma outra utilidade para ela).

Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Brave Gear Tribute no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg
Sabbiduneutrop.jpg

Brave Gear Tribute é do Clube da Xuxa!!!

...e vai cortar seu cabelo.
Fale sobre o Clube da Xuxa no seu flog, pois Adolfinho está de olho...