Cara do violão

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Puta que pariu em! Cquote2.png
Renato Russo revirando-se no túmulo sobre Cara do violão
Cquote1.png Cala a boca, por favor Cquote2.png
O rolê inteiro sobre Cara do violão
Cquote1.png E toda vez que você sai, o mundo se distrai Cquote2.png
Música cantada pelo Cara do violão
Cquote1.png Eu sou um cara da música, saca? Cquote2.png
Cara do violão sobre como ser mala
Cquote1.png Aiii, ele toca violão e canta! Cquote2.png
Alguma cocota sobre Cara do violão
O otário cara do violão é aquele que sempre carrega consigo um violão, cavaquinho e derivados. Não importa se é uma viagem familiar, role com os amigos do colégio, ele sempre vai sacar seu instrumento e começar a tocar as mesmas quatro músicas. Acompanhado de uma voz de quem tem catarro na garganta e pausas dramáticas entre as estrofes da música, esse sujeito consegue acabar com a alegria de todo mundo. Isto é porque seu repertório tem apenas umas duas músicas do Legião Urbana, alguma do Chico Buarque e o mais novo membro do clube: Vitor Kley. E as habilidades do cara não são lá muito desenvolvidas. Depois de três meses de aula aprendendo a tocando Oasis, tudo que ele espera é que as novinhas se impressionem com seus quatro acordes.

Origem[editar]

Acredita-se que um dia, algum filho da puta decidiu trazer um violão para a faculdade. Antes, as rodas de conversa tinham só erva e críticas ao governo Vargas (nazistas, fascistas, racistas), até que tiveram a ideia de nos castigar para todo o sempre. Na época, o sujeito responsável pelo violão tocava bossa nova, afinal ninguém tinha playlist universitária no spotify (era década de 50, caralho). As minas foram abaixo com sua linda voz rouca- engrossada no dia anterior com suco de couve- levando a figura do Cara do violão a se popularizar. Agora, os adolescentes poderiam finalmente mostrar esse lado sensível que escondiam. Com o surgimento do Legião Urbana, Los Hermanos e outros putos, o consumo de violões triplicou, já que naquele momento, todos os adolescentes queriam tocar Anna Júlia nas festinhas e confraternizações juvenis.

Como identificar um Cara do violão[editar]

Em 95% das ocasiões, ele carrega em suas costas uma guitar case com seu violão acústico. Só não para cagar porque o peso da dor nas costas e contrai os músculos da digestão. Fora isso, ele sempre está com algum instrumento na mão, pronto para sacá-lo quando você menos espera. Na hora h, ele apoia a case em algum canto e senta, esperando que a multidão pare tudo que está fazendo para ouvir seu show. Normalmente, canta alguma música pseudo romântica, só esperando as minas se derreterem. Para falar a verdade, tudo que ele mais quer é alguma novinha para catar no banheiro dos fundos do rolê, faculdade ou no famoso cantinho, mas nenhuma delas realmente se importa com ele. Depois de três músicas e um coro de "Selvaaageeeem" da parte de todos, as pessoas param de dar ibope pro coitado. É conhecido por frases como "Essa é bem famosa em, quero ver todo mundo cantando" e "Alguém quer pedir alguma música? eu busco no cifra club" quando na verdade todos querem que ele cale a boca logo.

Aparência[editar]

Por ser um cara mais musical e sensível, é visto com camisetas dos Beatles e Pink Floyd, mesmo que ele deve ter escutado só umas cinco músicas de cada um. Outras peças muito comuns da roupa do indivíduo são tênis all star (quanto mais destruído, melhor) e pelo menos uma camisa xadrez, da qual ele arregaça as mangas na hora de tocar. Normalmente deixa o cabelo em um comprimento médio para poder jogá-lo para atrás em movimentos com hype de Justin Bieber, por mais que o Cara do violão deteste com todas as suas forças cada uma das músicas do albúm Purpose. É claro, menos quando alguma gata pede para ele tocar alguma.

Como escapar[editar]

Não há escapatória. Um cara desses não tem controle sobre ele mesmo quando ele avista um violão É como um crackudo quando avista um cristal. Não da para fugir ou tentar controlá-lo, nem mesmo esconder o instrumento. O cara do violão sempre vai pedir para tocar. E sempre vai acabar tocando para ser chato pra porra entreter a galera.

Derivados do Cara do violão[editar]

Poesia acústica #6[editar]

Esse é chato para caralho e na falta de empatia pelos outros ele ainda tem um gosto musical lamentável. É uma mistura de trapper gang gang bro skr skr skr com jovem cultzinho poeta. Pois é, é a mistura dos infernos. Mas pior que isso é só o tipo de música que ele canta. Carregado de letras como rap consciência sobre as dificuldades de viver na favela, escritas por ele mesmo, esse jovem na maioria das vezes é branco e rico.

Por favor, me da um pouco de buceta eu to em necessidade Romântico[editar]

Como todo Cara do violão, seu principal foco é atrair garotas. Mas no caso desse em particular, a necessidade é mais extrema. O repertório romântico é de músicas escritas por ele mesmo, que comparam o brilho das estrelas com o teu sorriso. Detalhe que ele canta a mesma coisa para todas, na esperança de conseguir pelo menos uma das garotas. Conta também com Morena do Vitor Kley ou alguma desses cantores que se lamentam.

Rockeiro[editar]

Na falta de sua guitarra, esse sujeito toca todo o seu repertório de rock pauleira no braço de poucas casas do violão. Não, não estamos falando de Hey Jude. Sempre com uma palheta no bolso, o cara se esforça muito para tocar algum riff de qualquer música, o que fica trágico, já que segundo ele "fica muito ruim no violão, é que eu to sem minha guitarra". A opção de não tocar nada não parece válida para ele, então na maioria das vezes acaba repetindo os dois primeiros acordes daquela música do Nirvana.