Celes Chere

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Celes, a Mulher Macho


Celescosplay.jpg
Nome Completo Celes Cheira
Classe Cavaleira Rúnica
Rebelde
Terra Natal Onde os Fracos Não Têm Vez
Parceiros Locke Cole (friendzone)
Parentes Matou todos
Inimigos Imperador Gestante
Kefka
Equipamento Preferido Espadas e o crânio dos inimigos
Habilidades Dar porrada em traidores

Celes Chere é a ex-general do exército do Imperador Gestante, uma loirinha de olhos azuis que recebeu treinamento do BOPE, tornando-se um elemento de alta periculosidade que mata a cobra mas não pega no pau, por ser macho.

Ela é aquela típica personagem valentona metida a machão no estilo Erza Scarlet que mete medo em todo mundo, por ser especialista em todos os tipos de artes marciais, manuseio de armamentos e uso de magias que se possa imaginar. Porém, no fim das contas, apesar de parecer invencível, indestrutível e inexorável, acaba dependendo sempre dos outros membros do grupo para conseguir derrotar os vilões apelões. É o interesse amoroso de Locke Cole, mas o deixa na friendzone, já que se interessa mesmo pela Terra Branford, que apesar de ser híbrida de monstro, possui tudo aquilo que Celes não tem, ou seja, feminilidade, suavidade, paciência e compreensão.

História[editar]

Celes em sua infância, quando ainda não precisava matar gente, apenas levantar 50 quilos no supino e fazer 35 séries de rosca direta por dia.

A princípio, Celes era apenas uma garotinha retardada que brincava com panelinhas e bonecas de vodu, até que o Imperador Gestante, que estava precisando de soldados, resolveu sequestrá-la e usá-la como cobaia, socando energia arcana em seu toba pra ver se ela virava uma maga de combate. A experiência deu certo, e a loirinha de olhos azuis passou a ser capaz de soltar kamehameha pelas mãos e peidar raios e trovões.

Agora a única pessoa no planeta capaz de usar macumbas, de tacar bolas de fogo em seus inimigos e de congelar os outros com tempestades glaciais, Celes recebeu treinamento espartano dobrado, pois o Imperador Gestante queria aproveitar as novas habilidades da pequena pra transformá-la na melhor e mais perfeita máquina de combate que já existiu, capaz de matar mais humanos por segundo do que a punheta.

Nos porões do castelo, Celes era espancada, torturada, morta, ressuscitada, espancada novamente, vítima de tentaculofilia, obrigada a levantar 50kg no supino reto sem fazer cara feia, mais uma vez espancada, obrigada a mexer o pinto sem piscar o cu e quando estava quase morta em definitivo, era largada em uma poça de vômito e recebia uma espada, para aproveitar a fúria do momento e vingar-se, matando o maior número possível de filhos da puta capachos do imperador, tarefa esta que ela desempenhava com perfeição, upando habilidade com espadas no processo, no mesmo esquema de upar que mais tarde viria ser adotado também pelo Dragonborn.

Celes passou a adolescência inteira destruindo, matando, esfolando, estuprando, matando mais um pouco e bebendo o sangue de inocentes em nome de seu mestre, Gestahl, que ela odiava de paixão, mas continuava obedecendo por medo de ir pra forca. Por ser sanguinária, diabólica e meter o foda-se durante as missões, Celes foi promovida a general, pois Gestahl acreditava em seu potencial destrutivo e Kefka, o bobo da corte, se divertia muito quando ela empalava pessoas inocentes sem motivo algum. Tudo ia na maior tranquilidade, com as matanças rolando por todo o reino, até que Celes foi bater de frente com um esper fodão que tava enterrado nas minas de cobre de um país distante. Ela até poderia ter vencido a batalha, mas os seus dois ajudantes inúteis atrapalharam a missão, morrendo queimados em menos de dois segundos de luta, o que distraiu Celes e a fez perder sua primeira batalha na vida, fato do qual ela nunca se perdoou.

Agora derrotada por um bicho escroto, ela não teve coragem de voltar para casa, pois não aguentaria fazer cara de cu para seu mestre e ter chupar o pau dele enquanto implorava por perdão e pela própria vida. Assim, Celes uniu-se a Locke Cole, um bandido de quinta que furta tranqueiras de otários desavisados, ajudando o cara a destruir o império que um dia ela fez parte. E nesta tarefa ela não falhou, matando um monte de lacaio figurante com sua espada de ódio e assistindo de camarote o assassinato a sangue frio do imperador que lhe concedeu os seus poderes.

Novo Mundo[editar]

Presa nos calabouços da capital do império Vector, após falhar em sua missão de matar 500 cidadãos inocentes em 2 horas. Neste período de tempo, Celes conseguiu eliminar apenas 476, e nunca se perdoou por isso.

Após matar seu grande amigo Imperador Gestante com pisões na cabeça, Kefka fez umas paradas muito loucas em umas estátuas que garantiam o equilíbrio do mundo, o que destruiu metade do planeta e matou mais da metade dos humanos. No meio desta treta, Celes e o seu bonde foram pegos na muvuca, ficaram inconscientes e cada um foi jogado em uma parte do mundo. Celes foi parar em uma ilhota de bosta, junto de Cid, um velho meio boiola que anda com uma roupa amarela cafona.

Após um ano inconsciente, sendo cuidada e comida por Cid, Celes finalmente desperta de seu coma, apenas para ver que o mundo tava uma porra. A princípio, achando que tava todo mundo morto, ela planejou largar as lutas e passar seus últimos ânus com Cid naquela ilha mesmo, aproveitando as noites tocando violão e apreciando as estrelas. Mas como o destino é um brincalhão, após sofrer com tripas inflamadas, o velho acaba morrendo, cagando os planos de Celes, que não vendo mais alternativas, resolve se matar, mas até nisso ela falha.

Não prestando nem pra se matar, Celes decide pegar a velha balsa que Cid fez e ir explorar o mundo, para ver se encontrava mais alguém que sobreviveu a bosta que Kefka fez. Aos poucos, passando em todas as cidades, ela conseguiu encontrar todos os seus amiguinhos, e até fez amizade com um cara novo, um maluco mascarado chamado Gogo que faz mímicas no semáforo para ganhar a vida.

Agora com o bonde completo e reforçado, Celes liderou seus companheiros na missão da derrubada do ditador Kefka, que obrigava os humanos a fazerem danças cafonas em sua homenagem. Apesar de ser apenas uma humana inferior, Celes, por ser uma das protagonistas, conseguiu bater de frente com Kefka, que estava com poderes de Deus, e após uma batalha rápida de dez minutos, conseguiu derrotar o palhaço satânico batendo na cabeça dele com sua espada de titânio. E assim acabou o reino de terror, e Celes pôde voltar para a sua programação normal de estripadora de humanos.

Jogabilidade[editar]

A loira é uma cavaleira rúnica, ou seja, ela é um boneco tank que consegue usar espadas e magias, e usar bem ainda, algo que nem o protagonista Cecil Harvey conseguia fazer em Final Fantasy IV. A classe de Celes é tão roubada e op que, quando perceberam que ela tira a graça do jogo, se é que algum FF tem graça, os japas vaporizaram esta classe dos jogos subsequentes.

Apesar de preferir lutar com espadas, machados e armaduras pesadas, como qualquer homem de verdade, por possuir extenso treinamento marcial, Celes pode causar dano mesmo com seus ataques desarmados, especialmente com sua técnica secretona dos cinco pontos que explodem o coração, aprendida com o Pai Mei em sua passagem pelo interior da China. Por essa e outras, o mais recomendado é deixar Celes na linha de frente, apanhando e batendo com potência máxima nas lutas contra inimigos, protegendo os magos papeis e os assassinos feitos de porcelana, apesar da própria Celes causar mais dano do que eles mesmos, mesmo eles sendo especialistas em assassinatos e mortes.

Galeria[editar]