Chris Higgins

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
A verdade sobre o "apagão" de Higgins: 0:45 - Ela deixa Jeisom doidão, dando para ele algumas garrafas de Cachaça Nabunda, conhecida pelo alto teor alcóolico e pela rapidez com que deixa o pinguço no Mundo da Lua.

Chris Higgins é a protagonista e final girl do filme Sexta-Feira 13 - Parte 3. Diferente de todas as outras pessoas que entram na mira de Jeisom, Higgins não ficou correndo como uma doida, pois sabia que isso é inútil, já que o vilão saber usar o teletransporte. Ao invés disso, ela foi pegando todas as armas que encontrou pelo caminho, para tentar matar o vilão. Ela sabia que não conseguiria, já que ele é imortal, mas como o filme já estava no final, ela tinha a certeza que conseguiria nocauteá-lo, o que lhe daria alguns anos para fugir. O plano dela deu certo, pois com uma machadada certeira, ela botou Jeisom pra nanar, e conseguiu fugir de Crystal Lake sã e salva, ou melhor dizendo, apenas salva, pois assim como Alice Hardy, ela endoidou de vez.

História[editar]

1:45 - Estando ambos de cara cheia, Jeisom e Higgins se entregam ao amor que sentem um pelo outro, deixando que os desejos carnais lhes conduza para o motel.

Pouco se sabe sobre o passado de Higgins, pois ela não o revela para não deixar evidente a velhice que se avizinha. Porém, de acordo com as nossas pesquisas, ela nasceu em sua casa, mais precisamente no banheiro, fruto de uma feijoada estragada que sua mãe comera 9 meses antes. Teve um nascimento complicado, pois não conseguia sair, já que a sua cabeça era oblongamente maior do que o resto do corpo, e a sua mãe era bem magra. Higgins só conseguiu nascer após um pai-de-santo ter a ideia de usar um pote de vaselina para derrapá-la para fora do útero materno.

Apesar de todos os problemas do parto, Higgins não mostrou nenhuma sequela, pelo menos nenhuma evidente. Apesar de não ter ficado com nenhum problema físico, parte de seu cérebro ficou perdido entre o cordão umbilical e os rins de sua mãe, o que iria lhe causar problemas mais tarde, quando ela precisaria de muitos miolos para enfrentar um cereal killer chapadão conhecido como Jason Voorhees. Para esconder sua deficiência mental, Higgins começou a malhar na academia do Paulo Cintura, pois se fosse gostosa, não precisaria ter uma grande capacidade mental para ter sucesso na vida. Seu plano deu certo, após muitos anos malhando freneticamente, Higgins conseguiu conquistar o seu espaço na vida e no coração dos seus amiguinhos de escola, que nem percebiam a sua falta de capacidade mental, eles notavam apenas na abundância de capacidade peital e bundal.

Na adolescência, mesmo sendo burra como uma porta, Higgins era uma das garotas mais populares de seu colégio, pois era magra e líder de torcida, o que era suficiente para elevá-la ao posto de garota mais cortejada do lugar. Nunca estudou, mas nem precisava mesmo, ela simplesmente dava um beijinho nos nerds, que automaticamente ofereciam-se para fazer a sua lição de casa. Na hora das provas, apesar de não ter muito intelecto, ela dava um jeitinho de colar, escondendo as respostas debaixo da sandália (esconderia debaixo da saia, mas como todo mundo ficava olhando para lá, inclusive os professores, ela percebeu que isso não seria uma ideia muito inteligente). O único problema é que ela sempre colava errado, o que lhe rendia um zero, que rapidamente se transformava em 10, pois ela não hesitava em dar o toba para os sortudíssimos professores, que após o momento, saíam da sala com um largo sorriso cheio de dentes no rosto.

2:18 - Imagem auto-explicativa. A partir deste momento, Jeisom gamou em Higgins, e jurou que jamais se separaria da moça, nem que para isso ele precisasse matá-la, degolá-la e usar sua cabeça como suporte para a webcam.

Pouco antes de entrar na fase adulta, Higgins começou a se preocupar com o vestibular e com a faculdade, pois não poderia usar os seus atributos físicos para convencer a banca avaliadora a admití-la, até porque, além de serem desconhecidos de todos, eles já tinham mais de 300 anos, e ter relações com eles poderia ser considerado necrofilia. Higgins ficou tão nervosa com a situação que entrou em estado catatônico, o que obrigou os seus pais a levarem-na até o chalé da família, onde Higgins poderia relaxar um pouco e evitar a fadiga. Porém, chegando lá, Higgins, que já estava uma pilha de nervos, xingou a sua mãe de boba, chata, feia e cara de mamão, o que provocou a fúria da velha, que acertou um pescotapa na sua filha insolente, pois não admitia que era tudo isso, mesmo sendo mesmo. Com raiva de sua mamãe querida, Higgins saiu correndo para a floresta, e tinha como plano ficar escondida por lá até o outro dia, apenas para matar os seus pais do coração.

O que Higgins não sabia era que estava em Crystal Lake, lugar zelado amorosamente por Jason Voorhees, que não admite que filhos insolentes desrespeitem suas mamãezes e seus papaizes. Então, para botar ordem na bodega, Jeisom tentou colocar Higgins no cantinho da disciplina, mas não conseguiu porque a desgraçada era forte demais, mesmo sendo apenas uma garotinha. Após levar um chute no saco, Jason perdeu a paciência com Higgins, e resolveu drogá-la com Cavalo Power e fazer sabe-se lá o quê com ela. Após fumar por dois segundos o paninho suspeito de Jeisom, Higgins apagou, e não se lembra de nada, ou prefere não lembrar-se, já que tem muita vergonha de admitir que dormiu com um sujeito que se parece com o Sloth, dos The Goonies.

No filme[editar]

7:15 - Após uma noitada que foi pura agitação, ainda sob o efeito de dorgas pesadas e das altas doses de cachaça, Higgins e Jeisom juram amor eterno um ao outro. Jeisom levou isso a sério. Higgins, não.

Dois anos após ter sido abusada sexualmente por Jeisom, e de ter ganhado um trauma que demorará 13 reencarnações para sair de sua cabeça, Higgins voltou para Crystal Lake, para passar umas férias agradáveis com o seu namorado idiota e com os seus amigos que são pura confusão. Estando de volta ao lugar onde adquiriu 95% dos seus traumas, Higgins esperava livrar-se do passado, aproveitando as belezas do lugar e se divertindo bastante. O que ela não sabia é que Jeisom estava mais vivo do que nunca, apenas esperando pelo momento estropício, ops, propício, para enfiar seu machete na cabeça de toda aquela galera desrespeitosa, que bebe, fuma (ou leva fumo) e transa em seu querido acampamento.

Para potencializar os resultados de sua terapia, Higgins levou seu namorado Rick para atrás da moita, onde os dois extravasaram as emoções de uma maneira bastante surreal. Após 5 horas se libertando das tristezas do passado, Higgins finalmente conseguiu acalmar-se, ganhando auto-estima (e talvez um filho). Após todos estes momentos de agitação, Higgins e Rick resolveram voltar para o chalé, para continuarem com o que começaram atrás da moita comerem alguma coisa, e conversarem um pouco com os amigos, se bem que eles provavelmente já estavam em momentos mais íntimos, já que os adolescentes dos filmes da série Sexta-Feira 13 só pensam em sexo.

Rick, o belo namorado que Higgins arrumou, para tentar esquecer de Jeisom.

Porém, chegando no chalé, Higgins e Rick não ouviram nenhum barulho, sequer um gemido, o que acharam estranho, afinal, se um único adolescente já consegue acabar com a paz em uma vizinhança, vários reunidos então formam uma zona completa. Mesmo estando com medo do que poderia ter acontecido com seus amiguinhos, Higgins foi investigar os cômodos superiores do chalé, enquanto seu namorado banana foi investigar o terraço, que era o lugar mais seguro. Após algumas andanças, Higgins não encontrou nenhuma alma no lugar, apenas alguns lençóis sujos de sangue, mas ela nem deu muita importância para isso, pois imaginava que alguma de suas amigas tinha perdido o cabaço naquela noite, o que seria perfeitamente normal. Então, Higgins desceu para a sala principal, achando que o pessoal tinha apenas ido tomar uma cevas no meio da floresta, e que nada de anormal tinha acontecido. Mas... Quando chegou no cômodo principal do chalé, ela foi surpreendida por um maluco trajando uma máscara de hóquei, que estava armado com um machado de lenhador e não aparentava ser um sujeito muito cordial. Obviamente, Higgins saiu correndo em disparada, o que não adiantou muita coisa, já que Jason sabe usar o teletransporte com perfeição.

Jeisom não gostou nada quando ficou sabendo que levou chifres, e, como não é corno manso, partiu pra cima de Higgins, que só não morreu porque contava com a imortalidade de final girl.

Não podendo fugir, e muito menos se esconder, até porque o chalé era do tamanho de um cocô de pombo, Higgins entrou em uma salinha, onde Jason tinha escondido um presunto que ele tinha matado com uma faquinha de cortar pão. Percebendo que Jason estava se aproximando, e iria conseguir capturá-la, Higgins não pensou duas vezes: Arrancou a faquinha de cortar pão do pescoço de sua ex-colega, e desceu-a na mão de Jason, que ficou atordoado por receber este golpe inesperado. Depois disso, Higgins foi pro tudo ou nada, desferindo vários golpes em Jason, que usou suas esquivas de pugilista para safar-se dos cortes. Porém, em um momento de inteligência, que nunca antes tinha tido, Higgins desistiu de tentar acertar a cara de Jason, que era impossível, e desferiu o golpe na perna do vilão, que nada pode fazer para defender-se deste golpe baixo. Aproveitando-se do momento de dor de Jason, Higgins entrou no banheiro, e estava pretendendo pular a janela, para sair de vez do chalé. Após quebrar o vidro com uma cadeira, ela quase conseguiu pular, porém Jason, que era muito astuto, segurou na jaqueta de Higgins, que por alguns momentos pensou que estava morta. Porém, como contava com a imortalidade de final girl, a jaqueta rasgou-se misteriosamente, e ela caiu lá embaixo, ganhando alguns minutos para correr, mesmo isso sendo inútil.

Sabendo que não adiantaria correr, Higgins, mesmo sabendo que seria loucura, pensou em mudar a estratégia, e partir para a ofensiva. Então, pegando um pedaço de pau, ela ficou escondida atrás da porta e, quando Jason passou, ela desceu a cacetada na nuca do vilão, que pela primeira vez na vida viu algums estrelinhas. Com Jason temporariamente fora de combate, Higgins entrou em uma kombi que estava nas proximidades e acelerou com tudo, cheia de vontade de sair daquele lugar doido. Porém, não querendo que sua última vítima fugisse, Jeisom, que já estava recuperado, entrou na frente do carro, pensando que isso intimidaria Higgins, mas logo se arrependeu, e teve que usar o seu salto ninja para escapar do atropelamento, pois a garota não estava mais nem aí pra nada. Higgins tinha tudo para conseguir fugir de Crystal Lake, porém, como estava em um filme de terror, onde as coincidências sempre acontecem, a kombi ficou sem gasolina na metade do trajeto, mesmo tendo sido reabastecida há 1 dia. Então, com a kombi parada, Jason tentou estrangular Higgins, assim como tinha feito com Rick, aproveitando-se da burrice da garota, que tinha deixado os vidros abertos. Porém, no segundo momento de sanidade de sua vida, Higgins fechou o vidro, prendendo as mãos do cereal killer e ganhando mais alguns minutos para fugir.

Ao invés de fugir para algum lugar bem longe, Higgins resolveu esconder-se no celeiro, um lugar que não tem saída. Quando percebeu que sua vítima tinha entrado ali, Jason esbanjou felicidade, se é que ele sabe o que é isso, pois agora ele poderia concluir o seu serviço de uma vez por todas. Porém, Higgins já tinha armado uma arapuca para o vilão da máscara de hóquei. Enquanto procurava pela sua vítima nos lugares onde normalmente ficam os cavalos, Jason finalmente encontrou sua vítima, de uma maneira bem inesperada, pois ela caiu do céu, nocauteando-o na hora. Mesmo assim, como Jason é duro de matar, mesmo vendo estrelinhas pela segunda vez na vida, ele não desistiu de caçar a imortal Higgins, que tinha subido no segundo andar do celeiro. Indo atrás dela, Jason teve mais uma surpresa, pois a garota apareceu do nada, e lhe acertou uma pazada na nuca, nocauteando-o pela terceira vez. Para completar o serviço, Higgins prendeu o pescoço de Jason em uma corda, e jogou-o para fora do celeiro, deixando-o pendurado e aparentemente morto.

Pensando estar salva, Higgins abriu a porta do celeiro com toda a tranquilidade, sonhando com a hora em que deitaria em sua cama e esqueceria que tudo aquilo tinha acontecido. Porém, como Jason é mais difícil de matar do que o próprio demônio, ele ainda estava vivo, e com uma disposição incrível para matar Higgins. Após se desprender da corda usando as suas habilidades ninjísticas, Jason estava pronto para sentar a machetada no pescoço de Higgins, porém, como a garota estava protegida pelo diretor, um negão motoqueiro que Jason achava que já tinha mandado para o inferno apareceu do nada, e teve a ideia idiota de atacar Jason. Obviamente, ele virou picadinho, porém, enquanto Jason estava dissecando o negão, Higgins teve tempo para pegar um machado, que ela desceu no cabeção de Jason, que agora sim morreu, ou não. Com o vilão morto, ou pelo menos fora de combate até o próximo filme, Higgins fez a mesma coisa que Alice Hardy: Entrou em um barco, remou um pouco tentando chegar sabe-se lá onde e dormiu dentro da embarcação, acordando apenas no outro dia, e tendo a alucinação de que Jason a puxava para dentro do lago. Após este sonho idiota, Higgins foi levada para o hospício, onde está comendo gelatina até os dias atuais.

Feitos de Higgins[editar]

  • Esfaqueou Jeisom 2 vezes. Tentou esfaqueá-lo mais 10 vezes, mas o vilão possui uma esquiva de pugilista, e conseguiu safar-se dos cortes.
  • Acertou uma paulada no cabeção de Jeisom, que ficou quase 2 minutos vendo estrelinhas, como se estivesse em Street Fighter.
  • Acertou uma pazada na nuca de Jeisom, que ficou mais de 4 minutos desmaiado.
  • Amarrou uma corda no pescoço de Jeisom, e jogou-o pela janela do 2° andar, numa tentativa clara de enforcá-lo.
  • Estando no telhado do celeiro, quando viu que Jeisom estava bem embaixo, Higgins jogou-se com seus 60 quilos em cima dele, causando uma grande dor de cabeça ao vilão.
  • Acertou uma machadada na caixa d'água de Jeisom, que deixou-o desacordado até o próximo filme, o que lhe deu alguns anos para fugir.