Cisgênero

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Cachorro cisgênero ou transgênero.

Segundo os praticantes da queimação de rosca e seus simpatizantes, cisgênero seria a pessoa que gostou do gênero com o qual nasceu, logo, realmente se identificou com ele, compartilhando receitas de bolo e trocando figurinhas e tazos. Por exemplo, suponhamos que isto seja uma caveira um homem que nasceu homem realmente acha que é um homem, independente de saber instalar um chuveiro ou de assistir a reality show de casamento. Esse homem, que chamaremos de Roberval sem motivo algum, é uma pessoa cisgênero. Outro exemplo, totalmente oposto ao de Roberval, é o de mulher que nasceu mulher mas acha que é um pato: isso seria uma patossexual. Ainda hoje, existe uma difícil aceitação a respeito de que isso realmente exista, até porque essa ideia é muito recente e normalmente demora um pouquinho para a galera se aceitar...

Definição[editar]

Segundo a OMS, a ONU e o FMI, cisgênero seria todo e qualquer animal que come com o rabo se identifica com o gênero com o qual nasceu. Essa palavra é originada do sânscrito australo-polinésio, significando "ao lado de", e foi criada por um filipino conhecido pelo pseudônimo Tcherecotcheco. Ele já estava cansado de sofrer heterofobia das ladyboys da ilha, então criou a palavra numa atitude desesperada de último relance. Tempos depois, foi perseguido pela máfia gay e morreu em combate, em uma luta de espadas. Coincidentemente, a palavra também é apropriação cultural do termo cis da química orgânica, que a utilizava junto ao termo trans para se referir ao transtorno de identidade de rota de cadeias carbônicas de moléculas de gordura em cada ômega, que traduzido do sânscrito australo-polinésio é o mesmo que dizer se a molécula vai ser reta ou torta, logo, foi a alternativa que encaixou perfeitamente para definir quem não era travesti.

Funkeiro gringo coach de desenho artístico putasso com os cisgêneros.

Em primeira instância, a palavra não foi bem aceita na comunidade LGBT, contudo, após a chacina que a máfia gay provocou, em um ato de repúdio e solidariedade aos vitimados, foi adicionada a palavra aos dicionários homoafetivos. Contudo, atualmente o termo é usado apenas para fazer memes feministas, chamando as pessoas que elas não gostam de sua laia de "homem branco cis hétero".

Discussões[editar]

A ideia da cisgeneridade é uma novidade recentemente inédita, porcamente discutida e que gera muita polêmica: quem é contra os transsexuais automaticamente seria contra essa ideia de "cisgênero" existir. Para eles, cisgênero é o mesmo que normal e qualquer outra coisa é uma aberração esquizofrênica pedófila em potencial, a pessoa não pode se identificar como mulher sendo homem porque isso seria um defeito da Matrix, logo, Roberval só poderia se identificar como homem se tiver nascido homem, e a moça patossexual só poderia se identificar como um pato se tivesse nascido como um. Já os travequeiros de plantão afirmam que cisgênero realmente é real, contra-argumentando que a pessoa não pediu para nascer daquela forma. Como esse é o único argumento deles, é o bastante para que os críticos, normalmente conservadores e feministas radicais, acharem que os apoiadores LGBT vivem perdendo as discussões. Os apoiadores, por outro lado, costumam dar tijoladas nos críticos, antes e depois de perderem a discussão...

Algumas discussões são tão feias quanto a Damares Alves que já causaram até mesmo caos mundial: a França, sede do grupo guerrilheiro pseudo-feminista de vagabundas e um dos maiores vetores de raiva, ameaçou invadir a Turquia caso ela admitisse que cisgênero realmente fosse real de novo esse trocadilho. Porém, ela apelou para a mãe Rússia, que apartou o caso enviando cidadãos russos em crise de abstinência de bater na esposa. Um estudo posterior, de um pesquisador francês (o mesmo da Cloroquina) super imparcial, mostrou que o nível de hostilidade com turcos na União Europeia aumentou em 10% desde que isso aconteceu.