Cities In Dust

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é sobre um HIT!

É uma música chata, repetitiva e seu vizinho adora. SOLTE O SOM!

Music madonna.jpg
Davesolo.gif

Roger Waters deu sua benção a este artigo!

Obrigado! Este artigo se sente mais forte agora :)

Clique aqui para mais abençoados.

Gothar.jpg Este artigo foi possuído e agora é seguidor do Arquiduque das Trevas e Imperador do Mal,
Lord Göthar Tenebrian
.

Vamos desejar e admirar o Profeta Tenebrian!

Cquote1.png Louvem-me, aceitem o Goticismo!!! Cquote2.png


Babel fish.gifTraduzindo: Cidade empoeirada
Babel Fish sobre Cities In Dust
Cquote1.png Você quis dizer: Cities In Lava Cquote2.png
Google sobre Cities In Dust
Cquote1.png Você quis dizer: Run To The Hills Volcanic Version Cquote2.png
Google sobre Cities In Dust
Cquote1.png Você quis dizer: Pioneira no sensacionalismo Cquote2.png
Google sobre Cities In Dust
Cquote1.png Crucial na escolha da minha carreira! Cquote2.png
Datena sobre Cities In Dust
Cquote1.png All they are is dust in the wind! Cquote2.png
Kansas sobre Cities In Dust
Cquote1.png Poeira, poeira, poeira, levantou poeira! Cquote2.png
Ivete Sangalo sobre Cities In Dust
Cquote1.png Não posso ouvir! Cquote2.png
Alérgico sobre Cities In Dust

Em 1984, o Iron Maiden lançou um hit deamático e de desespero batizado “Run to the Hills”, e fizeram muito sucesso com isso. Então, uma banda que queria introduzir o Goticismo na música, chamada Siouxsie & The Banshees, que estava de saco cheio de ser conhecida só como a banda que deu na maior boa vontade em troca de uns trocados do Malcom McLaren, o maior cafetão produtor do punk de todos os tempos, o Sid Vicious pro Sex Pistols e a banda onde Robert Smith tocava sempre que rodasse a baiana nele e demitisse todos os médicos curandeiros que andavam com ele resolvem fazer o mesmo. Mas, cantar sobre o que?. Eles ainda procuravam algo pra fazer uma música pra fazer sucesso e acabar com esses rótulos que já estavam enchendo o saco. Então, em 1986, o vulcão do Monte Vesúvio entra em erupção. Lava, fogo, desespero e pisoteamentos. Siouxsie estava pensando numa maneira sensacionalista de fazer uma música que retratasse o que se passou ali, assim, surgindo CITIES IN DUST, que logo após seria muito usada em mash-ups com “Run to the Hills”, por serem de desespero, e com “Dust in The Wind”, por ser uma outra música empoeirada. O nome foi escolhido com o máximo de cuidado possível, algo bem eufemista, ou seja, resolveu não citar lava em momento algum, pois poderia causar um desespero maior pros italianos que tiveram que correr mais que corredores quenianos em maratonas, e queria fazer aquele esquema de “Construir essa cidade com Rock n’ Roll”. A ideia seria batizar de “Cities in Lava”, mas, concluíram que isso seria coisa de Black Metal, e preferiram só exaltar só a poeirada que o desespero causou, assim, fazendo muito sucesso entre pessoas que sensibilizaram com a tragédia e na mira do Ministério da Saúde, alegando que a música fazia mal aos alérgicos, e criando um nicho musical, mas, que seria usado muito no ramo jornalístico, e sendo muito apreciado por nomes como José Luiz Datena, sinônimo de Sensacionalismo no Brasil. Faz parte do álbum Tinderbox, infamemente conhecido como “Tinkerbell”, e levantou uma questão crucial na música. O quão sádico pode ser alguém pra conseguir sucesso relatando tragédias? O que se sabe é aquilo: a mídia já nos faz ficar acostumados com tragédia, e a Siouxsie viu mais de 8000 coisas pra escrever a música, algumas na ordem: lucro, solidariedade com as vítimas, a vontade de calar a boca dos caras do The Cure após a bilionésima briga entre os vocalistas das bandas e mostrar definitivamente que traíram o movimento punk.

Enredo:[editar]

Imaginem aquela Garota correndo nua no Vietnã, só que na Itália quando a merda aconteceu. Então, seria ela a narradora da música, e que mostra como a cidade recebeu a erupção do vulcão, a repercussão e seu legado pra sociedade.

Letra:[editar]

Original:[editar]

Water was running, children were running
You were running out of time
Under the mountain, a golden fountain
Were you praying at the Lares shrine? But

Oh, oh, your city lies in dust, my friend
Oh, oh, your city lies in dust, my friend

We found you hiding, we found you lying
Choking on the dirt and sand
Your former glories and all the stories
Dragged and washed with eager hands

Oh, oh, your city lies in dust, my friend
Oh, oh, your city lies in dust, my friend
Your city lies in dust

Water was running, children were running
We found you hiding, we found you lying
Water was running, children were running
We found you hiding, we found you lying

Your city lies in dust, my friend
Oh, oh, your city lies in dust, my friend

Hot and burning in your nostrils
Pouring down your gaping mouth
Your molten bodies blanket of cinders
Caught in the throes and...

Oh, oh, your city lies in dust, my friend
Oh, oh, your city lies in dust, my friend
Oh, oh, your city lies in dust, my friend
Oh, oh, your city lies in dust, my friend
Your city lies in dust, my friend

Oh, oh, your city lies in dust, my friend

Tradução:[editar]

Água estava correndo, crianças estavam correndo
Você estava ficando sem tempo
Sob a montanha, uma fonte dourada
Você estava suplicando no santuário dos Lares? Mas

Oh, oh, tua cidade jaz em poeira, meu amigo
Oh, oh, tua cidade jaz em poeira, meu amigo

Te encontramos escondendo, te encontramos mentindo
Sufocando na sujeira e na areia
Tuas glórias anteriores e todas as histórias
Arrastadas e lavadas com mãos ávidas

Oh, oh, tua cidade jaz em poeira, meu amigo
Oh, oh, tua cidade jaz em poeira, meu amigo
Sua cidade jaz em poeira

Água estava correndo, crianças estavam correndo
Te encontramos escondendo, te encontramos mentindo
Água estava correndo, crianças estavam correndo
Te encontramos escondendo, te encontramos mentindo

Tua cidade jaz em poeira, meu amigo
Oh, oh, tua cidade jaz em poeira, meu amigo

Quente e queimando nas suas narinas
Derramando em sua boca aberta
Seus corpos derretidos encobertos de cinzas
Entalado na garganta e...

Oh, oh, tua cidade jaz em poeira, meu amigo
Oh, oh, tua cidade jaz em poeira, meu amigo
Oh, oh, tua cidade jaz em poeira, meu amigo
Oh, oh, tua cidade jaz em poeira, meu amigo
Tua cidade jaz em poeira, meu amigo

Oh, oh, tua cidade jaz em poeira, meu amigo

Babel Fish:[editar]

A água estava correndo, as crianças estavam correndo
Você estava correndo fora do tempo
Sob a montanha, uma fonte de ouro
Você estava rezando no santuário de Lares?

Mas, oh, oh, sua cidade jaz em poeira, meu amigo
Oh, oh, sua cidade jaz em poeira, meu amigo
Nós encontramos você se esconde encontramos você está mentindo
Sufocando na sujeira e na areia
Suas glórias anteriores e todas as histórias
Arrastado e lavado com mãos ansiosas

Oh, oh, sua cidade jaz em poeira, meu amigo
Oh, oh, sua cidade jaz em poeira, meu amigo

Sua cidade está na poeira da água estava correndo,
as crianças estavam correndo
Encontramos você se esconde nós o encontramos deitado
água estava correndo, as crianças estavam correndo
Encontramos você se esconde, nós a encontramos deitada

Sua cidade jaz em poeira, meu amigo
Oh, oh, sua cidade jaz em poeira, meu amigo

Quente e queimando nas suas narinas
Derramando em sua boca aberta boca
Seus corpos fundidos manto de cinzas
Entalado na garganta e ...

Oh, oh, sua cidade jaz em poeira, meu amigo
Oh, oh, sua cidade jaz em poeira, meu amigo
Oh, oh, sua cidade jaz em poeira, meu amigo
Oh, oh, sua cidade jaz em poeira, meu amigo
de sua cidade encontra-se em poeira, meu amigo

Oh, oh, sua cidade jaz em poeira, meu amigo