Clichês dos jogos de plataforma

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
No Wikipedia.png QUEBROU A CARA!

Os espertalhões da Wikipédia NÃO têm um artigo sobre: Clichês dos Games de Plataforma.

331px-Longcat.jpg Prepare-se para ler:
Esse artigo é muuuuito grande e pode causar cegueira.
Pense duas vezes e não seja tão idiota antes de ler algo assim
Quantas vezes você já se deparou com isso?

Cquote1.png Você quis dizer: Plágios de jogos Cquote2.png
Google sobre Clichês dos jogos de plataforma
Cquote1.png Essa idéia foi primeiramente NOSSA!!! Cquote2.png
Odisseu 100 sobre Jogos de Plataforma
Cquote1.png É, mas eu roubei reinventei... Cquote2.png
Nintendo sobre Clichês dos jogos de plataforma
Cquote1.png ...e eu plagi aperfeiçoei... Cquote2.png
Sega sobre Clichês dos jogos de plataforma
Cquote1.png ...e eu a destrui concretizei! Cquote2.png
Sony sobre Clichês dos jogos de plataforma
Cquote1.png Ei! Eu também fiz alguma coisa, cacete!!! Cquote2.png
Microsoft sobre Clichês dos jogos de plataforma
Cquote1.png Pra mim é tudo a mesma coisa... sem exceção!! Cquote2.png
Gamer sobre Clichês dos jogos de plataforma
Cquote1.png É tão original quanto anime shounen. Cquote2.png
Otaku sobre Clichês dos jogos de plataforma
Cquote1.png Sou mais jogar RPG... Cquote2.png
Nerd sobre Clichês dos jogos de plataforma

Os clichês dos jogos de plataforma, como o próprio título já diz, são aquelas coisinhas descaradamente repetidas e batidas existentes em vários games de plataforma, quer seja 2D ou 3D, que se repetem, desde clássicos como Mario Bros. e Sonic até jogos mais recentes, como Rayman e God of War.

Sobre esses clichês[editar]

Já notaram a baita criatividade dos jogos para fazer inimigos?

Sabe aquela sensação deslavada de "já vi isso em algum lugar" que você tem ao jogar aquele seu joguinho de ação-aventura plataforma favorito? Não, não é Déjà vu; você realmente viu aquilo antes. A essas poucas vergonhas que achamos ser coincidências damos o nome de Plágios (sim! É esse o nome mesmo, sem mais nem menos), mas como Plágio chega a ser uma expressão até mesmo... forte, usamos como eufemismo o termo Copyright Clichê, para nos referirmos a alguma coisa geralmente muito repetitiva. A verdade é que jogos de plataforma não são nenhum pouco criativos, afinal tem sempre aquele personagem que foi inspirado em outro, usa as mesmas habilidades de sempre, alem de passar por aqueles mesmos cenários que todo mundo já está cansado de ver mais de 8000 fases exatamente iguais.

Notem a originalidade...

Apesar da falta de originalidade desses plágios baratos, poderíamos atribuir a culpa disso tudo aos primeiros jogos de plataforma originais, ou melhor, as próprias empresas que não prestaram queixa por violação de sua marca registrada e deixaram que outras lhe roubassem copiassem a idéia (sendo que nada é de graça e tudo na verdade foi apaziguado na base dos cinquentinhas). Atualmente todos os jogos de plataforma são plágios de outros em algum tipo de coisa, mas há sempre quem prefira o falciê melhorado ao invés do original espalhafatado (quer seja em jogabilidade 2D ou 3D).

Clichês nos Personagens[editar]

Todos os personagens de jogos de plataforma possuem exatamente uma única missão: chegar ao final da fase (daí vai por diferentes razões para chegar até lá como salvar uma donzela, destruir um Império, salvar um planeta/cidade/país, se tornar o mais poderoso entre outros). A seguir veremos algo que muito se repete entre esses bonecos feitos de pixel e polígonos:

Personagem que mata os inimigos num único pulo[editar]

Se tem uma coisa que faz qualquer personagem de videogame se sentir "o cara" é quando ele acaba com a raça de seus inimigos numa paulada só, de preferência com um pulo na cabeça. Isso já virou simplesmente modinha para protagonistas de jogos de plataforma, tanto que já chega até a ser raro ver personagens desse tipo que não matem seus inimigos num simples pulinho, como é o caso de Megaman, Samus e a galera de Metal Slug. Entre os mais famosos que realizam essa façanha estão:

Personagem usuário de alguma técnica milenar[editar]

Como se já não bastasse ter só que pular no sujeito pra matá-lo, os personagens ainda contam com alguma técnica milenar só mesmo para deixar as coisas mais... interessantes. Nesse ponto pode-se esperar todo tipo de maluquice, desde praticas mal-sucedidas de Le Parkour até habilidoideiras que desafiam as leis da física, como voar usando os cabelos, virar um gigante temporário ou até realizar o poderoso roundhouse kick do grande Chuck Norris. Veja alguns exemplos abaixo:

Personagem que usa algum item (ou arma) especial[editar]

Alguns personagens (como se já não bastasse o pulinho fatal e sua fama de habilidoido) se rebaixam para não levar o crédito de tão fodão assim (mesmo sendo os personagens fodões os mais adorados hoje em dia), para isso, durante o jogo, eles contam com algum item especial/ mágico/ noob que geralmente tem como única vantagem matar os inimigos com mais destreza ou pelo menos arrancar mais life do indivído-o que de costume; no fim das contas essa arma chega a se tornar só um peso para as mãos do personagem tão idiota quanto matar seus inimigos na base da porrada. Eis os exemplos:

Personagem já indicado a escolha pelo próprio jogo na tela de seleção[editar]

Quantas vezes você se deparou com aquela velha tela de Select cheia de otáros carinhas a escolha, vai me dizer que nunca prestou atenção que o teu joguinho já vem selecionando logo de cara o personagem principal do jogo? Esse deve ser um dos clichês mais antigos desde que inventaram os ajudantes e cobaias do protagonista. O pior é que não é só em jogos de plataforma que aquele bendito Select já está bem em cima do "cara da capa", pois esse mesmo plágio clichê se repete em jogos de luta, ação, tiro, nave, survival horror e até RPGs, sendo que até hoje não se sabe que começou com essa babaquice. E olha só como não há exceções:

Ajudante do protagonista[editar]

É aquele noob insignificante que fica seguindo teu personagem por onde quer que você vá. Poucas vezes eles lhe oferecem algum tipo de vantagem, como vôo, carona ou até mesmo apanhar no teu lugar; isso porque na maioria das vezes não passa de um babaca que só quer ficar te olhando, não para se tornar que nem o protagonista, pois nunca sairá do posto de inútil, mas talvez porque não tenha nada melhor pra fazer que não seja te seguir. Exemplos abaixo:

Personagem que faz algum gesto comemorativo[editar]

Como as fases são extremamente repetitivas, enfadonha, muitas vezes os protagonistas dos jogos de plataforma tendem a ficar de saco cheio de tanto morrer com isso tudo. De modo que, sempre que ele chega no final da fase, costuma fazer uma dancinha, um gesto ou uma frase igualmente repetitiva. Exemplos abaixo:

Clichês nas Fases[editar]

Já perceberam que todo jogo de plataforma tem sempre aquela zona que se passa na selva, na água, no fogo, na base ou em qualquer outro lugar que você já estava esperando por algo parecido? Pois é. Mesmo que um jogo tenha mais de 1000 continuações, ele sempre terá essas fase batidas por falta de novos lugares para explorar (e o pior é que isso se repete mesmo que as fases sejam em outros planetas):

Fase na Floresta[editar]

Geralmente a primeira fase dos jogos de plataforma se passa numa floresta; motivos? Ninguém sabe (provavelmente ele foi dar um passeio pela floresta enquanto seu lobo não vem e acabou se perdendo... ¬¬). São também as fases mais conhecidas, cheia de planícies e planaltos, com arvores para se subir, galhos para se balançar, alguns loopings e muito, mais muuuuuuuuuuiiiiito mato mesmo. Há quem diga que o primeiro jogo de plataforma foi inspirado depois de um programa entre um nerd e sua miguxa no meio dos arbustos. Veja os exemplos:

Fase no Centro da Cidade[editar]

Outro lugar nada criativo que certamente nunca sai de moda. Para alguns jogos com o enredo baseado no futuro ou com uma porrada de robôs e máquinas envolvidas, essa é que se torna a primeira fase. Como é que ele é? Se tu mora numa cidade lógicamente já sabe como é que é, né idiota? Uma pancada de apartamentos e prédios por tudo quanto é de lado, ruas movimentadas, pessoas andando pra lá e pra cá contando apenas com uma pequena dose de loucura como mutantes que querem te matar, bombas explodindo tudo e raramente efeito-torres-gêmeas. Claro que aqui ninguém respeita as leis de trânsito, então por precaução nem se atreva a atravessar a rua. Veja os exemplos:

Fase Aquática[editar]

Também conhecida como aquela fase da água, é uma das mais odiadas em qualquer jogo de plataforma. Muitas vezes essa zona nada mais é do que uma enorme piscina extremamente fuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuunda e sem tratamento básico, onde os personagens alem de ficarem mais lerdos e terem que enfrentar míseros peixinhos, também tem que ficar atentos para o tempo que passam embaixo d'água, o que se torna principal motivo para o jogador detestar tanto assim essa fase, pois se o persongem passar um mísero milésimo a mais que o tempo permitido dentro d'água, é afogamento na certa; dai pode dizer adeus a 1-Up seguido de Glub! Glub! Glub! Glub!... Veja os exemplos:

Fase no Fogo[editar]

Para muitos, o segundo pior tipo de zona que existe, pra outros, a fase mais foda do jogo. Na maioria das vezes é uma fase dentro de um vulcão em erupção (sim! Eu disse EM ERUPÇÃO!) com lava pra todo lado e inimigos que ficam usando lança-chamas em ti do início até o fim do estágio. Pelo menos aqui quando você cai no lago de lava nem precisa se preocupar no quesito morrer afogado, pois se cair vai morrer queimado logo de cara mesmo. O mais impressionante em fases desse tipo é que o personagem, por mais humano, fracote ou empacotado que seja, não fica suado e nem mesmo chega a expressar que está sentido calor ou a ponto de derreter. Resumindo: É a fase no Inferno! Veja os exemplos:

Fase no Deserto Egípcio[editar]

Como se a fase dentro do fogo já não distribuísse calor fuficiente para torrar o personagem, também tem sempre aquela fase que se passa no deserto do Saara egípcio, cheia de pirâmides, múmias, areia movediça, escorpiões e todas as outras porqueiras que só tem lá pra essas bandas que se acham asiática. Geralmente o chefão desse tipo de fase é um faraó foderosão que usa o poder de Rá pra te fuder. Veja os exemplos:

Fase na Caverna[editar]

Sem dúvida a fase mais sem graça que existe (ou não). É aquela zona escura (não tanto quanto a última) com uma porção de morcegos por todos os lados e o teto todo pontiagudo. Espinhos metálicos grandes e mineiros serão indispensáveis para essa fase. Geralmente é aquele tipo de fase que qualquer um se pudesse pularia para próxima sem nem ao menos saber que tipo de chefão o espera no final (o qual sem duvida deve ser o uma escavadeira gigante). Veja os exemplos:

Fase na Neve[editar]

Outra zona que já deu no saco é aquela baseada no Polo Norte, Antártida, Alasca, Rússia ou qualquer outro lugar no mundo que tenha neve 24 horas por dia. Geralmente é aquele tipo de fase onde do nada vai acontecer uma avalanche, você vai descer uma montanha de snowboarg ou será perseguido pelo abominável Homem da Neves. Também encontrará uma porção de pinguins, ursos polares, focas, lontras e toda aquela cambada de bichos que só se encontram no meio da neve, sem falar também que aqui cair dentro d'água pode ser fatal, a menos que seu personagem suporte -100°C ou esteja usando alguma roupa de mergulho que suporte tal temperatura. Faz um certo jus a fase na caverna, pois em certos momentos você entrará em uma... de gelo, é claro né, seu noob?. Veja os exemplos:

Fase na Praia[editar]

É aquela velha fase que vive concorrendo com a da floresta ou da cidade para ser a primeira do jogo. Uma zona completamente composta por areia, água, sol e clima tropical; tá quase pra uma fusão das fases do deserto egípcio com a aquática, só que em contraste com esses dois, a zona não é uma grande duna no meio do nada (pois tem água e barraquinhas de limonada com guarda-sol pra todo lado) e também não é possivel nadar aqui, pois o destaque é a práia, não o mar seu animal. Terá sempre uma série de castelos de areia, ilhas em algum canto (na maioria das vezes, com algum tesouro de pirata escondido por lá) e uma porrada de siris e águas-vivas pra fuder com teu pé. Diferente da fase no fogo, aqui você não vai derreter com o calor dos infernos. Veja os exemplos:

Fase nas Ruinas Antigas[editar]

Não sei se você já notou, mas em qualquer jogo de plataforma (até mesmo aqueles baseados no futuro) tem sempre uma fase provedora de velharias em conserva, ou melhor dizendo, inspiradas em patrimônios históricos; quase tão empolgantes chatas quanto a fase da caverna, em zonas como essa você se depara com uma porrada de colunas gregas quebradas, estatuetas maias, pedaços de moradias astecas, coliseus da Roma Antiga dentre outras tralhas já ultrapassadas. É o tipo de fase que faz qualquer gamer se apaixonar por história, ou largar os estudos para ser um arqueólogo (parece estranho, mas faz sentido...); Fases como essa tem sempre um imperador romano, soldado espartano ou até mesmo um viking como chefão, senão aparece é uma estátua gigante mesmo pra te fuder. Veja os exemplos:

Fase "do carrinho"[editar]

Para dar mais emoção no jogo e não ficar aquela mesma monotonia de sempre é que todo game de plataforma tem a fase "do carrinho". É aquela fase muito rápida, onde você tem que pensar rápido, olhar rápido, realizar movimentos rápidos, pois qualquer deslize resultará numa morte rápida. Zonas como essa mais parecem um arcade, pois nem mesmo o botão Pause te ajudará a ter um tempinho de vantagem. Felizmente esse tipo de nível tem sofrido mutações ao decorrer de vários jogos, sendo substituído por uma pedra gigante que vem logo atrás de você, uma manada de dinossauros te perseguindo, a água/ lava/ areia que te faz ter que ficar subindo de plataforma até o topo ou até o próprio cenário de despedaçando e te forçando a ter que chegar no final do estágio antes que seja tarde. Veja os exemplos:

Fase na Usina Nuclear[editar]

Como se já não bastasse a criatividade para diversas áreas para fases em cidades, tem também aquela fase dentro de uma usina radioativa cheia de plutônio e urânio alem de vários outros produtos bélicos, químicos, atômicos e bombásticos altamente tóxicos que explodem com qualquer movimento brusco. Muitas vezes é uma fase cheia de dar as roscas e parafusos com uma série manivelas que ficam em constante movimento e exalando gases nobres totalmente prejudiciais a saúde; o mais estranho é que, assim como na fase do fogo onde o personagem não morre derretido só com a temperatura local, aqui também não a casos de morte imediata por inalação desses gases tóxicos. Veja os exemplos:

Fase na Base Militar[editar]

Já lá pra perto do final do jogo, há sempre uma fase onde você invade uma Base militar, um Império flutuante, ou até uma nave espacial que como já é de praxe vai ter sempre o dobro triplo quíntuplo de perigos das fases anteriores. Marcado sempre por uma porrada de maquinas por tudo quanto é lado, soldados em todos os cantos, robôs que atirando pra todo canto, raios (que parece) lasers entrando em você por todos os cantos, bombas de nitrogênio que canta, entre outras frescuras pseudo-tecnológicas. É muito comum em jogos baseados no futuro e alguns do passado (se é que existia máquinas já na Idade Média ou pré-histórica). Veja os exemplos:

Fase no Castelo Mal-Assombrado[editar]

Outra fase que nunca vem a ser dispensada em nenhum jogo de plataforma. Castelos sempre foram inspiração alvos de plágios para joguinhos desse tipo, onde personagem sai andando por várias salas e corredores repleta de fantasmas e assombrações, usando como chefão na maioria das vezes um lobisomem, vampiro ou coisa do tipo. Em geral, são os tipos de cenário que nunca irão fazer falta em clássicos como Castlevania e joguinhos da Disney. Veja os exemplos:

Fase no Espaço[editar]

Quase que plagiando jogos de naves, há sempre aquela fase que se passa bem no meio do cu do espaço. Muito parecida com a fase em bases militares (inclusive competindo com esta para ser uma das últimas nesse joguinhos), esta fase quase sempre pode se passar num trajeto onde você sai saltitante de uma zona para outra ou num planeta desconhecido e com pouca gravidade (na maioria das vezes te levando pra esse lugar por um portal dimencional), o qual estará enfestado de aliens, naves atirando pra dedeu, asteroides e com qualquer passo infalso sendo fatal, pois pode te levar direto para o fundo do universo. No entanto fases desse tipo tendem a ter algum objeto trapaceiro para ajudar teu personagem, tipo um fogete propulsor de costas, sapatos a jato ou até mesmo uma nave (sim! isso é 100% plágio de Shoot'em Up!, e nós avisamos desde o início). Quase sempre o chefão dessa zona será uma nave gigante ou um alien gorducho e feio pra caralho que imita o ciclope do X-Men. Veja os exeplos:

Last Story tempestuoso/ sinistro/ obscuro[editar]

Last Story, pra quem não sabe, é o nome que se dá a última fase de qualquer platform game que tenha um enredo (ou seja, qualquer um). Em geral esse tipo de fase tende a ser a mais difícil de todas, e de fato é. Acontece que o seu visual é sempre o mesmo em todos os jogos: escuro e tempestuoso, cheio de raios, trovões com um chefão extremamente sinistro e foderoso. Atualmente virou mais que fundamental last's story terem um visual muito dark e seus chefões serem as mais absurdas aberrações genéticas existentes na face do universo. Veja os exemplos:

O Special Stage[editar]

Há quem diga que todo jogo de plataforma que é verdadeiramente de plataforma tem que ter no mínimo um Special Stage (ou Estágio Especial) que são sempre aquelas estúpidas fase que nada tem haver com o jogo em si, mas só estão presentes para fazer o personagem ganhar 1-Up, um energético, alguma droga comistivel ou até mesmo um arma de destruição em massa quando este consegue destruir umas naves, recolher um determinado número de moedas, ou bulinar por todo o cenário até achar a coisa desejada. Veja os exemplos:

Clichês nos Inimigos e Chefões[editar]

Se tem outra coisa que é tão batida quanto o visual dos personagens e a originalidade das fases do jogo, com certeza são os inimigos do jogo, que são praticamente todos iguais, e os chefões que está sempre te esperando no final da fase.

Inimigos que ficam em um único canto ou andando só num determinado lugar[editar]

Já repararam que inimigos de jogo de plataforma tem a estúpida mania de nunca sair do lugar? No máximo só ficam rodeando um único canto do cenário (correspondente a 0,000000000001% da fase como um todo). Claro que a coisa ficaria bem mais difícil se eles saíssem correndo atrás do personagem, mas a verdade é que esse tipo de clichê os deixa tão secundários e inúteis quanto figurante de jogos. Dá só uma olhada logo abaixo:

Chefão Gigantesco[editar]

Certamente a coisa mais copiona em todo santo game de plataforma. Com se já não bastasse ter que enfrentar um chefão no final de cada zona que só morre depois de receber umas 10 á 15 90 pancadas (as vezes até mais quando o bicho possui uma barra de energia), ele é incrivelmente grande, e não é só grande do tipo grande, é o grande do tipo muito GRAAAAAAAANNNNNNDEEEEEEEEEE!!! Normalmente eles são beeeeeeeeeeeem maiores que o personagem exatamente para você não ter aquela desculpa de que não está conseguindo atingi-lo, por isso a razão do Complexo de Gigantismo, o que acaba deixando o jogo mais parecido com o clássico combate bíblico de Davi & Golias. Exemplos logo abaixo:

Chefão Rival[editar]

Em contraste com tantos chefões grandalhões, outro tipo de chefão muito batido também que surgiu de uns tempos pra cá é o chamado chefão rival, onde o boss é um carinha exatamente do seu tamanho só que muito mais poderoso que você, mas em compensação muito mais burro. Você o enfrenta numa espécie de briga mano-a-mano sendo que durante os rounds tudo pode acontecer, desde uma apelação, até trapacear mandando algum capanguinha ajudá-lo em seu trabalho sujo.Um dos casos mais famosos desse tipo de chefão é o Knuckles dos jogos do Sonic, que está sempre esperando o azulão no final de algum stage para enchê-lo de pancada. Veja outros casos:

Chefão que só morre se outra coisa, que não seja você, o atinja[editar]

É o tipo de clichê que dá mais raiva que tudo no jogo. Trata-se de um chefão que de início é aparentemente indestrutivel (eu disse aparentemente), pois qualquer golpe vindo do personagem não arranca nem mesmo 0,00000...0000001 do life dele, mas quando você joga algum objeto pesado pra caralho nele ou faz com que as bombas que ele lança o atinja ai sim é que o dito cujo começa a se ferrar. É o típico chefão que você sempre enfrenta nos jogos do Mário, onde ele só irá derrotá-lo quando apertar o botão do alçapão que está atrás do Bowser.

Clichês em outras besteiras[editar]

Dentro do jogo ainda há muitas coisas muito clichês espalhadas pelas zonas ou até mesmo jogabilidade semelhantes (ou descaradamente iguais) a de outros games. São estas as outras besteiras que nunca sairão de moda:

A Passagem Secreta[editar]

Tá vendo a passagem secreta? Não? Olhe mais de perto...

Em todo jogo de plataforma sempre terá o que se chama de parede falsa, onde é possível quebrá-la e com isso abrir um novo caminho aleatório no jogo. É quase uma espécie de trapaça do jogo, só que sem aquela frescura de ter que digitar algum código ou apertar uma sequência estúpida de botões para destravar uma nova passagem. Em geral estão aqui só para tornar o teu joguinho mais fácil (a fim de chegar logo no final dessa joça) ou mais difícil (sim! Existem passagens secretas filhas da puta!), mas tenha sempre certeza de que ela está por ai, em algum lugar, em algum canto exatamente onde você menos espera...

O Buraco Infinito[editar]

Já avisamos pra olhar aonde você pisa!!

Se tem algo realmente indispensável em todos os jogos de plataforma é o maldito Buraco Infinito. Pode-se dizer que sem o buraco infinito, os games de plataforma não seria nem de longe o que são hoje; chegam a ser até fundamentais só para dar aquele clima de suspense em níveis onde você só deve pisar unicamente em bloquinhos minúsculos para chegar ao outro lado, e a menos que o personagem não saiba pular pra caralho terá o desespero de pular de um em um, tomando o máximo de cuidado possível pois um único errinho de cálculo e... AAAAAAAAAAAAAAA.... Powt! (em todos os casos nem mesmo se escuta o barulho da queda pois... é um buraco INFINITO!!!). Por via das dúvida olhe sempre aonde pisa.

A Plataforma Falsa[editar]

Uma delas certamente vai cair assim que você pular

Já repararam que durante o teu joguinho no momento em que você está pulando em vários bloquinhos tem sempre um que assim que você fixa os pés nele do nada ele se parte, cai ou vira pueira? Ou quando você está andando num piso qualquer tem um que tipo vira um alsapão e te faz ir direto pro andar de baixo ou pra mais longe ainda? Tão malditas quanto esses imensos buracos profundos citados acima, são essas plataformas falsas (ou plataforma do caralho), onde basta dar uma simples encostadinha nela e esta desaba mais rápido que qualquer outra coisa no universo, te fazendo cair junto com ela certamente para a morte eterna. Em muitos jogos elas estão cituadas em lugares indesejaveis, como emcima de espinhos, lava, água ácido (pra te matar tão rápido assim, só pode ser corrosivo!), piso elétrico ou de preferência em um buraco infinito (exatamente 99% dos casos onde mais aparece). Como escapar? Sendo mais rápido que a velocidade de queda NÃO HÁ! MWAHAHAHAHAHA!

As Armadilhas[editar]

Vai arriscar pegar esse 1-Up?

Certamente você nunca esperava que daquele cano saísse uma planta carnívora, ou que aquele inimigo surgisse sem avisar, ou que aqueles espinhos viessem do chão, ou que aquela porta viesse a te partir no meio, não é? Pois é. Mais uma droga repetitiva nesses bizarros joguinhos que te fazem passar mais de uma semana tentando zerar. Não confunda inimigos e perigos visíveis com armadilha, pois como o próprio nome já diz, são aquelas coisas perigosas que te pegam de surpresa, só que diferente das pegadinhas do Mallandro essas não tem graça nenhuma (a não ser pra aqueles otários que ficam te aperreando enquanto te vêem jogar). Claro que por mais difícil que um jogo seja nada realmente te pega de surpresa: há sempre um vestígio no chão ou no céu, uma mancha sem sentido no ar, um objeto de cor diferente ou qualquer outra frescura que venha a te avisar que mais adiante tem alguem (ou alguma coisa) que vai te pegar. Então preta atenção, seu muleque!

Objetos que podem ser lançados nos inimigos[editar]

Lá vai o casco!!!

Como se já não bastasse o personagem poder socar, chutar, cabecear, esganar, esfaquear e matar os inimigos na base do tiro, tem ainda que ter aqueles objetos de auto-ajuda que só estão lá para serem lançados nos pobres infelizes que querem te fuder no jogo. Pode ser uma caixa, barril, pedra, bloco, casco, bola de plasma ou qualquer outro troço que você possa imaginar. De fato, nem há necessidade desses trambolhos espalhados no cenário, mas como sempre tem que aparecer alguma coisa para facilitar teu serviço é que essas bugigangas aparecem. Agora, pelo amor de Odin, faça bom uso disso e não jogue onde não deve.

Item localizado numa área inalcançável[editar]

Não conseguiu pegar? Tenta de novo!...

Às vezes você deve ficar pensando: Por que diabos o criador do jogo inventou de botar esse item bem ali, se ninguém nunca vai conseguir pegar? Será bug? De forma alguma! Por vez ou outra você irá encontrar aquele item maravilho que todo mundo deseja obter, mas, infelizmente, localizado exatamente bem na casa do caralho onde nem mesmo sendo ninja é possível alcançá-lo (ou não). Então pra que colocá-lo numa altura inatingível, preso dentro de quatro paredes inquebráveis ou logo abaixo de um bloco que ao tentar pega-lo te levará para a morte certa? Este é mais um mistério que só mesmo uma mente nerd e sem sentido saberá a resposta. Para tanto evite se consumir de raiva por não alcançar o bendito troço e siga o jogo em diante... Não seja noob!

Modo Multiplayer[editar]

Não confunda o cara que está jogando contigo com aqueles inúteis intitulados ajudantes.

Antes esse tipo de coisa só era visto em joguinhos de luta e era chamado de 2 player, mas logo os games de plataforma também adotaram esse sisteminha e com o passar dos tempos não era só possível duas pessoas jogarem juntas o mesmo jogo, mas três, quatro, cinco... Até dez 1000 ou mais (aja plug pro videogame com tanto controle!). Não demorou muito para que TODOS os jogos de plataforma adquirissem esse mero e bizarro clichê, onde o cenário às vezes fica completamente lotado de carinhas pulando e correndo de um lado pro outro destruindo tudo a sua frente. São situações como esta que fazem qualquer um sentir pena do pobre chefão que os espera no final da zona; não terá nem mesmo a oportunidade de pensar a quem deve primeiro atacar...

Password ou Cheat que aparece depois de se completar uma fase[editar]

Decore a seqüência assim que receber pra não ter que ir jogar aquela porrada de fases tudo de novo!

Outra coisa que já deu no saco em platform games é quando alguém consegue fechar finalmente uma fase e daí aparece aquele codigozinho com letras e números formando um nome totalmente sem pé e cabeça para caso você perca todas as vidas ou saia do game pra jogar mais tarde não precisar ter que passar por tudo aquilo de novo desde o início. Esse tipo de clichê também sofre muitas variâncias podendo ser em forma de letras, números, sequência de imagens, setas em determinadas direções, bola/ xis/ quadrado/ triângulo ou tudo isso misturado num código só, o que chega a ser muito cansativo, pois você terá sempre que levar um bloquinho de anotações pra frente do videogame toda vez que for jogar essa desgraça. Ainda bem que esse tipo de clichê foi substituído hoje em dia por um tal de Memory Card. Vale lembrar que jogos com password para PC possuem erros o tempo todo, então caso queira jogar algum joguinho com essa porra, nem se atreva a sair da frente da máquina até concluir essa joça por completo (se é que você vai conseguir zerar, otário!).

Ver também[editar]