Coal Chamber

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Arband.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!

Gothar.jpg Este artigo foi possuído e agora é seguidor do Arquiduque das Trevas e Imperador do Mal,
Lord Göthar Tenebrian
.

Vamos desejar e admirar o Profeta Tenebrian!

Cquote1.png Louvem-me, aceitem o Goticismo!!! Cquote2.png

Cquote1.png Ele grita feito uma bicha! Cquote2.png
Monte de Merda sobre Dez
Cquote1.png Emo? Nada! Isto é Funk Porradão Cquote2.png
Tati Quebra Barraco sobre Coal Chamber

História[editar]

Os Rappers/Funkeiros

A história do Coal Chamber começa em 1957, no Paquistão. Dez vezes 4, Rayna, Meegs-Eggs e Bug-Error se juntam, formam a banda e começam a divulgar seu trabalho na localidade através de um rapper amigo do preto joía que produziu disco da banda sozinho. De boca em boca, de bunda em bunda, a banda vai ganhando fãs e começam rolar shows em clubes Gays como o Baile da Meia-Noite, Gays da Alegria e Noite sem Preconceito e também em pequenos morros do sul. Após algum tempo fazendo esses shows, o Coal Chamber recebe uma proposta da Roadrulez Records. Dino Cagares, guitarrista do Fear Factory e o produtor Rosca Robinson chamaram a atenção do agente da FBI, Monte de Merda, para a merda dessa banda chamada Coal Chamber. O agente fica impressionado com a agressividade da faixa "Loco Bobo" (primeira música dos rappers) e com o vocal sinistro de Dez:

Cquote1.png Ele grita feito uma bicha! Cquote2.png
Monte de Merda sobre Dez


Qual o Estilo desta P****?[editar]

Muitos rotulam a banda como Rappers pela voz abusiva de Dez e porque ele queria ser negão, outros chamam de Funk, eles também lançaram algumas músicas no estilo Emo, pois sabe como é que é, essa banda segue aquilo que dá dinheiro!

Continuando...[editar]

Mas quando tudo estava bem, um problema surge. Segundo Dez: "Encontrei minha alma gêmea, ele era peludo e não conseguia entrar num acordo em relação a horários de cabeleiro/depilação e a pessoas com as quais eu trabalhava. Abandonei a banda por causa dele e fiquei fora por quase um semestre depilando-o, sempre sentindo falta dele. Eu sentia a falta da música, dos shows, de estar com meus amigos e de fazer música com eles. Foi quando Meegs-Eggs bateu uma para mim e disse: - Olha só, nenhum dos vocalistas se encaixaram na banda. Nós realmente tínhamos uma mágica, vamos tentar novamente e deixar o passado para trás.

O Retorno da Bicha Loca[editar]

Com o retorno de Dez agora vezes 5, a banda fecha contrato com o Roadrulez no final de 75 (sim, demorou mais chegou) e assim começa a procura pela pessoa certa para capturar a essência do Coal Chamber em um CD. Um produtor gay. No final das contas a banda acabou arrumando não apenas um, mais 2 produtores: Gay Gordon e Gay Baumgardner. Gay Gordon (que na época não era ainda vocalista do Orgya) era um músico conhecido na cena de Afeganistão e Gay Baumgardner era o engenheiro de som do NRG Recordings (um estúdio). Com toda a equipe formada, a banda levou 10 anos para gravar todas faixas.

Sucesso?[editar]

Em Fevereiro de 97 foi lançado o primeiro álbum do Coal Chamber com 2 cópias vendidas (uma para o avô de Dez e outro para seu noivo, que acabou "comendo" o CD). O álbum também ganhou um clip da música "Loco Bobo" que teve a direção do amigo e companheiro de noites Nathan "Karma Que Entra" Cox, que foi produzido em Outubro do ano seguinte ao retrasado. Com o lançamento do CD a banda entrou na sua primeira turnê pela favela do Cocáia, na Ozzfest e abriu shows do Balão Mágico e Racionais MC.

Discografia[editar]

Coal Chamber - Coal Chamber (o rly?) (1997)
Coal Chamber - Samba Music (1999)
Coal Chamber - Emo Dark Days (2002)
Coal Chamber - The Best Of Emo Music (2004)

Ligações externas[editar]

Letras de Coal Chamber no Vaga-lume