Cocotá

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandeira rj.jpg Coé, merhmão, eshte arhtchigo eh CARIOCA!

Não vandalize, senão a chapa vai ficarh quentche, cara. Agora deixa eu irh na praia pegarh um bronze nesse sol de 50 graush, comendo unsh bishcoitosh.


Cquote1.png Você quis dizer: Cacuia Cquote2.png
Google sobre Cocotá
Cquote1.png Você quis dizer: Ilha do Governador Cquote2.png
Google sobre Cocotá
Cquote1.png Você quis dizer: Cocota Cquote2.png
Google sobre Cocotá

Cocotá é um pseudo-bairro que fica encravado num canto da Ilha do Governador, do lado da Cacuia e na mesma região de Bancários, o que pra você que não é dessas áreas é tudo a mesma merda, tudo é Ilha do Governador.

História[editar]

Cquote1.png Ficando em Cocotá você corre o risco de ficar a ver navios Cquote2.png
Idiota tentando fazer um trocadilho.

Um grupo separatista do grupo separatista de Cacuia (separatistas de separatistas? ahn?) decidiu parar de ser dependente e tentar aproveitaar o único bem que tinha, a praia de Cocotá, que, também fica cheia de cocotas. Depende ainda muito de Cacuia, tanto que os separatistas dos separatistas deixaram de ser separatistas e voltaram a ser separatiastas do primeiro grupo separatista citado como separatista. Entende?

Consegue o feito épico de mesmo não tendo nenhuma indústria extremamente poluente, estar entre os bairros mais poluídos do Rio de Janeiro, presumindo-se que isso se dá devido aos peidos de todos que vão na praia do bairro. Vai ver é para aparecer também, ninguém nem imagina que esse bairro exista mesmo, daí tenta aparecer por algum motivo.

Por isso também é tão violento, muito devido ao incrível roubo de côcos (cocôs também, em alguns casos) que ocorre no bairro. A ocorrência dessas modalidades de crimes aumenta a cada dia, o que chega a fazer com que as pessoas deixem de comprar côco e passem a consumir apenas Suco Del Valle, e de sabor groselha, só para afastar qualquer chance de serem roubados. Alguns travestis aproveitam isso e tomam logo o Lico de Cair Pinto alí, até pra ver se conseguem vender por algum preço o instrumento.

Por alí também tem a praia de Olaria, que, para sorte de Cocotá, só não vira bairro de Olaria porque já existe um Olaria (sim, mesmo tendo um nome horrível existe um bairro com ele) e porque o território seria minúsculo. E a prefeitura um quiosque. O prefeito um ambulantes provavelmente vendedor de óculos piratas...enfim.

Lazer por lá[editar]

Bom, tecnicamente....só se afundar na água com variante pra se atolar na areia ou entrar dentro de um ralo do esgoto e ficar brincando de ser Tom e fingir que uma das ratazanas de lá seja o Jerry. Sem ser isso, não há nenhum outro divertimento. Ou até tenha, visto as obras de arte que existem na praia. Ou pode também fazer a típica farofada no mesmo lugar, colocar funk ou pagode no último volume de seu fuscão tunado e achar que isso é divertimento, bom, a esoclha é sua.