Colniza

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Cquote1.svg Você quis dizer: Cozinha Cquote1.svg
Google sobre Colniza

Colniza é uma das cidades mais isoladas do mundo, para você ter uma ideia do absurdo de longe que essa roça está, o Acre é ali pertinho! Isso mesmo!

História[editar]

A Avenida principal de Colniza. Essa cidade é literalmente um faroeste. Repare na bela paisagem que mescla terra para todos os lados, com botecos feito de madeira.

Povoado que surgiu através dos pioneiros que desbravaram o interior do Brasil na busca do mítico Acre, o lugar é tão isolado, que nem índios existiam por ali. Esses pioneiros sofreram com a distância, isolamento, febre amarela, antigas armadilhas incas, areia movediça, anacondas assassinas e várias dessas coisas que até hoje são encontradas lá.

Tornou-se município 1988, apesar do movimento de criação do município ter começado em 1980, é que para levar a documentação no lombo do jumento para ir até Cuiabá e voltar, é no mínimo oito anos.

Atualmente é um município esquecido, isolado, desconhecido, irrelevante, inóspito, inútil, quase no Acre, e possui uma pequeníssima população de 30 habitantes, quase todos roceiros e vaqueiros.

Economia[editar]

Economia baseada nos pequenos produtores rurais e latifudidos onde criam vacas. Trabalho não falta, é verdade. Existe muitas vacas para cuidar e ordenhar.

A cidade é o maior importador mundial de rondonienses.

Geografia[editar]

Esta cidade fica muito perto do Acre, e isso é verídico, não precisa-se dizer mais nada sobre isso.

Política[editar]

Colniza detêm o recorde de correspondências arquivadas e ignoradas pelo governo matogrossense em Cuiabá, todas sobre assuntos falando da dificuldade do povo colzinense em ficar isolado naquele meio do nada sem descentes transporte, comunicação, delegacias, hospitais, escolas e esgoto.

Comunicação[editar]

Os primeiros gramofones só foram chegar ali no final do século XX, e o primeiro telégrafo no início do século XXI. A Internet então, ninguém mal sabe o significado dessa palavra...

Atualmente, a principal comunicação é realizada eficientemente por uma complexa e intrincada rede infindável de fofocas. Qualquer fato relevante ou não (como o marido que apanhou de mulher, cheque sem fundos, brigas, mulher que fugiu com outro, etc...) é instantaneamente vinculado, divulgado, e ampliado nesta incrivél rede de fofocas. Essa rede é acentuadamente sensível a informes de cunho passional (traição é um prato cheio pra esse povo!) e notícias sobre mulheres grávidas (e especulações dos possíveis pais). Uma vez que o nome do pobre cristão é postado na rede de fofocas, o processo se torna irreversível, nunca mais o coitado sai dela.

Os jornais são onde existem jornalistas que estranhamente não dão espaço após as acentuações e escrevem "voçê" ao invés de "você", mas que são os cidadãos aptos a dar aulas de português nessa cidade inóspita e carente de escolas de ponta.

A internet via radio. Pouco utilizada pois sua velocidade é sofrível, pois os computadores funcionam à lenha, tecnologia revolucionária para região rica em madeira, mas fazem da conexão uma grande merda.

Transportes[editar]

Colniza está localizado a 1200 quilômetros de Cuiabá que está localizado mais 1200 quilômetros de uma civilização descente mais próxima. Ou seja, não é exagero simplesmente dizer que Colniza está no cu do mundo.

Para chegar nesse lugar, com certeza meios convencionais como carro, caminhão, jegue, avião, helicóptero, canoa são impossíveis. Os únicos jeitos de chegar em Colniza é através de trator, para-quedas ou nascendo lá.