Colono

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Mazzaropi02.jpg Enxada-2.pngEsti artigu é caipira, sô!!Enxada-1.png

Este tar di artigu pareci caipira, foi escritu purum caipira, ô ele é de fato
CAIPIIIIRRA!!!

Num istraga eli naum, si não nóis crava a inxada pra riba docê!


Luís Henrique da Silveira.jpg Se quésh quésh, se non quésh, dish!

Este artigo é catarinense! Já entrou em coma alcoólico na Oktoberfest, sabe o que é boi-de-mamão, tem um poster do Guga e pensa que é alemão!

Venha para o lado barriga-verde da força você também!

Colono
Colono.jpg
"Urcozio olha isso aqui"
Localização Oeste de link={{{3}}} Santa Catarina
Noroeste do link={{{3}}} Rio Grande do Sul
Sudoeste do link={{{3}}} Paraná
Idioma Alemão, Italiano, Polonês
Características Físicas Mãos grossas, estatura média-alta, membros fortes, barrigão de chopp, dirige um Fúquê
Características Mentais Católico até no nome (mas fala porco dio e comete avareza diariamente), fala sua língua nativa misturada ao português, fanatismo pelo Grêmio ou Inter.
Social
Popularidade Baixo, ruim, pobre... Diminuindo, devido ao êxodo rural pós-2000.
Inteligência Médio-cre Média, De bobo nóis não tem nada só a cara de coitado.
Profissões Comuns Trabalhador rural, dona de casa.
Nível de Corrupção Icon 00 percent.png Nula, no máximo rouba umas espiga de milho da roça do vizinho.
Manejo
Alimentação Pon, cúca, salame, polácha, grústuli.
Moradia Propriedade rural, com aviário ou chiqueiro.
Vícios Pescar, caçar, bocha, baralho, Oktoberfest, bailão com cerveja 3 por 10.
Doenças Avareza (Italiano), Cirrose (Polaco), Teimosia (Alemão).
Mídia
TV Globo Rural, Canal do Boi, Galpão Crioulo, Aparecida
Cinema Isso non ecziste
Música
Emblem-sound.svg
Bandinhas, Chitãozinho e Xororó, Gino e Geno.
Ilustres
Crystal Clear action bookmark.svg
Padre Quevedo, Badin, Gisele Bündchen


Cquote1.svg Você quis dizer: Chopp e bandinha? Cquote2.svg
Google sobre Colono
Cquote1.svg Xéssica, non que tu tá andando com esse maconheri? Cquote2.svg
Colono sobre sua filha saindo com Playsson
Cquote1.svg URCOZIO Cquote2.svg
Colono sobre "puta que pariu"
Cquote1.svg PORCO DIO Cquote2.svg
Colono sobre "toma no cú"
Cquote1.svg Ein Prosit, ein Prosit der Gemütlichkeit Cquote2.svg
Colono alemão querendo invadir a polônia enchendo a cara
Cquote1.svg Soldi, bira, putane e foguetoni Cquote2.svg
Colono italiano enchendo a cara
Cquote1.svg ...Fosse nós arranjar briga? Cquote2.svg
Colono polaco enchendo a cara


Colono é a versão sulista do caipira, composta por imigrantes europeus que resolveram vir neste cú do mundo para tomar graspa, comer torresmo e jogar truco em paz longe do caótico continente europeu, que depois que a igreja se vendeu aos Franceses, vivia em guerra interna e toda vez que alguém ia pra pôtéga xogá páraio tinha que sair na espada com algum Francês filho da puta.

Causos[editar]

Com a Europa pegando fogo, em 1800 muitos imigraram para o sul tupiniquim (o que já deu ruim pois estourou a Guerra dos Farrapos), passados estes causos todos viviam bem, montaram suas propriedades, seus frigoríficos, exportavam seus produtos, ganhavam bem, faziam Oktober, faziam Kerb, faziam Bailões com música de bandinha, geravam filhas gostosas e filhos de 1,90m, tudo perfeito. Mas no final dos anos 90 a renda alta da regão atraiu novas tribos no habitat para dar uma remexida nos genes e na segurança pública, em especial os tais dos playssons que trouxeram a cultura do carro rebaixado e som automotivo, a região digna de ser chamada de Europa Brasileira acabou virando mais lugar qualquer do Brasil, festas regionais como a Oktober e os bailões estão uma merda pois agora toda edição termina em briga e do lado de fora parece um ringue de vale tudo (vale faca, vale revolve, vale facão, etc) misturado com uma rave.

Fúquê, o auto padrão do Colono

Sobre[editar]

Um colono é identificável pelo seu dialeto com ere puxado, falar tudo no singular e coisas como pon, polacha, xota (letra J), leiTE quentE, vinTE E duas, urcuzio, ma hôme, isso non eczisite, etc, pela sua estatura média-alta, membros fortes porém com pança de chopp, corpo branco que nem papel e braços queimados igual de caminhoneiro e geralmente dirigem um Folksváguen pois seu primeiro carro foi um Fusca, fora do oeste são encontrados na Praia do Suvaco (pois lá todos os colonos se encontram e levantam o braço pra cumprimentar) e na Praia dos Ingleses, há um que outro no Mato Grosso mas estes geralmente foram expulsos do sul por dar calote em todo mundo.

Hoje em dia[editar]

Atualmente o colono está entrando em extinção na medida em que a região é tomada por playssons e ideias de jerico (para aqueles que querem fazer os Estados Unidos do Sul sinto lhes dizer que agora é tarde), como desgraça pouca é bobagem e santo de casa não faz milagre, os jovens colonos acabam abandonados neste fim de mundo por causa de um fenômeno chamado rodeio alemão litoralização, onde as colonas saem estudar em alguma capital e devido a sua beleza acima da média, acabam por se relacionar com piá de bosta que dirige fusca 6 cilindros e ficam por lá, não dando continuidade à cultura do colono na região e gerando filhos que falam leiti quenti, vinti duas, não escutam bandinha e nem bebem chopp.

Devido o causo, os jovens colonos, sem mulher e sem muito soldi, deveriam reiniciar o ciclo, de ir se enfiar no meio do mato pra jogar truco e tomar graspa em paz longe do (agora) caótico sul, pegando suas trouxas e seu fúquê e se bandinado por Mato Grosso ou qualquer lugar do norte, mas percebendo que esse país está um lixo por igual, a maioria resolveu (pra conseguir trepar sem pagar antes dos 20) aderir a cultura híbrida da do carro rebaixado e som automotivo com a do colono, ao invés de Oktober e bailão estão fazendo evento de carros, leia-se evento de fusca rat-look caindo os pedaços, brasília rebaixada e gol quadrado, com uma musicalidade duvidosa e cerveja com gosto de nada (importante: é encontro de Air Cooled e VW, se você aparecer de Civic ou Opala vai tomar garrafada), catando nestes eventos só o refugo que sobrou na barranca do rio Uruguai.

Vídeos[editar]

Para ouvir enquanto joga truco e bebe chopp

Jovem colono em tempos difíceis

Colono e seus causos na praia do suvaco

Veja também[editar]