Complexo do Castelo de Mir

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


O Complexo do Castelo de Mir é um castelo e patrimônio mundial que fica na Bielorrússia. Ele foi feito por um grupo de banqueiros judeus ricos (para fazer um castelo tem que ser rico, ora). Quando ele não pertencia aos judeus, alguma família ricaça o dominava, e em casos raros a Bielorrússia tinham o controle do Castelo de Mir. Isso mesmo, apesar do castelo ficar dentro da Bielorrússia, o governo nunca recolhia impostos, porque ele era muito passivo fraco e não mandava em ninguém.

História[editar]

O Castelo de Mir fazendo poluição visual na colina em que está localizado.

Ele foi feito por judeus que fugiam da Inquisição Espanhola, na época dominada por Adolf Hitler. Como a grande maioria dos indivídios que formavam esse grupo eram banqueiros ricaços, eles decidiram fazer um castelo para se proteger e posteriormente dominar um pedaço da Europa, formando um reino e depois dominando o mundo.

Como a Bielorrússia ficava bem longe, lá era um refúgio perfeito. Com a força do dinheiro do esforço e da perseverança, fizeram um castelo enorme para demonstrar aos seus inimigos que eram ricos e poderosos. Eles construíram o Castelo de Mir numa área proibida pelo governo de abrigar construções, mas nem se preocuparam com isso, já que o governo bielorrusso não conseguia nem controlar o país, então não poderia expulsar os judeus de lá.

Mas eles não esperavam que um duque local pudesse dominar toda a região e confiscar o castelo. Esse duque queria ter um castelo para ele, mas era pão-duro e não pensava em usar o próprio dinheiro para financiar as obras, então tomou o castelo. Nesse período, o castelo foi reformado para parecer maior e dar inveja aos outros nobres. Para isso, as reformas basearam-se em detalhes idiotas que não faziam nenhuma diferença e só encareciam o castelo.

Para fazer todas essas reformas, o duque pegou dinheiro emprestado, mas não devolveu a grana ao banco. Para escapar das dívidas, fugiu e abandonou o catelo, que ficou abandonado por séculos. Nessa época, ele não servia para nada. Na época que Napoleão dominou a Bielorrússia, o castelo foi quase destruído. Sua demolição foi ordenada porque ele causava poluição visual na área ocupada poe ele. Mir foi reconstruído e passou um longo período sendo casa daas famílias mais ricas da região.

Uma família rica comprava o castelo, morava uns anos nele e o vendia para outra família rica. Isso acabou quando os judeus retomaram o castelo. Na Segunda Guerra, os nazistas tomaram Mir e mataram os judeus usando a pena de morte, que consistia em escutar Fresno até os tímpanos estourarem. Depois da guerra, oa comunistas sviéticos tinham o controle de Mir.

Hoje[editar]

Recentemente, o governo cansou de ser trouxa e tomou o castelo para si, mandando todo mundo tomar Noku. Hoje, a Bielorrússia não faz nada com o Castelo de Mir, que está desocupado, servindo apenas para que o país tenha mais um Patrimônio Mundial.