Conker the Squirrel

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Sims-2.jpg Este artigo é sobre uma celebridade virtual feita de pixels e polígonos que vive de um lado pro outro aventurando-se dentro do nosso HD.

Portanto, não vandalize, seu n00b!


Conker the Squirrel
Conker Personagem.jpg
Idade 25 anos
Profissão Traficante
Parceira Berri the Chipmunk
Família Sem importância
Amigos Franky, Mrs. Bee, Jugga, Marvin
Comida Preferida Berri
Sonho Ser mais famoso que o Alvin
Frase preferida "Ok..."

Cquote1.png Você quis dizer: Alvin e os Esquilos Cquote2.png
Google sobre Conker the Squirrel
Cquote1.png Você quis dizer: Miles "Tails" Prower Cquote2.png
Google sobre Conker the Squirrel
Cquote1.png É um pervertido, isso sim! Cquote2.png
Capitão Óbvil sobre Conker
Cquote1.png Meu primo distante... Cquote2.png
Ray sobre Conker
Cquote1.png Isso... assim... demais... Cquote2.png
Berri sobre Conker

Conker hungover.gif

Conker the Squirrel é um personagem famoso(ou não) da Rare que, apesar de sua aparência engraçadinha e fofinha, é um bêbado-seboso e pervertido cujo seu robbe é traficar drogas e matar pessoas inocentes.

Seu caráter[editar]

Conker fazendo o que sabe de melhor: mandar bala em qualquer otário que aparecer

Chega a ser uma piada dizer que Conker é um sujeito de caráter, já que suas principais características tendem a ganância, bebedice e perversão. Ele não possui amigos, apenas seguidores, e é o rei da cocada-preta(por só se meter em situações pretas) de um mundo virtual localizado noku do Acre. Ou seja, uma entidade podre com a qual ninguém jamais irá querer fazer contato.

História de vida[editar]

Conker depois de mais um dia inteiro bebendo com seu comparsa Jeremias.

Dicípulo de Chuck Norris, Conker é mais um daqueles tipos de sujeito que teve uma vida cheia de altos e baixos (com mais tendências pra baixos do que pra altos), sendo que até hoje não se sabe de quem é a culpa dele ter se tornado o que é realmente é hoje; dai envolve-se os pais, amigos, coligados, brincadeira de criança, TV paga, fliperama, figurantes, lugares que freqüentava, zoofilia entre outras coisas. A verdade é que toda a sua história começa muito gay bem e terminou muuuuuuiiiiiiiiiiiito melhor pior, o que acabou sendo proveitoso apenas para a empresa pra quem trabalhava, que decido fazer de sua vida a inspiração e (des)manual para milhares de aborrecente que vivem enchendo a cara, dirigindo drogado pelas ruas e freqüentando a Crackolândia no Rio de Janeiro e São Paulo. Sua fama não se tornou tamanha assim como outros ícones dos videogames (tipo o Mário, Sonic, Crash e Pac Man), mas as poucas pessoas que o conheceram tiveram suas vidas completamente mudadas e começaram a perceber que a vida real pode ser bem mais excitante quando se tem um furry tarado como modelo para si.

Desfecho da infância[editar]

Conker quando era um pirralho. Ô mininho lindio!!

Tudo começou quando a empresinha quase-falida de Conker fez contrato com a Não-intendo para atingir fama e sucesso ainda criança (tendo como inspiração a Maisa e todo o resto de pirralhada que já trabalhou no Bom Dia & Cia), e vendo como o bichinho era engraçadinho e gay o suficiente para alienar a mente de criancinhas inocentes, decidiram fazer um jogo de plataforma pro tão idolatrado (e aviadado) portátil da época, o Playboy GAYme Boy(ola) Colorido, tudo ao estilo mais Disney possível: florestinhas encantadas, bosques coloridos, céu aberto com arco-íris, bichinhos que viram purpurina, mais de uma tonelada de clichês e até a participação da família Restart nessa bagaça; e assim surge Conker's Pocket Tales, contando as aventuras criançola de Conker e sua miguxa Berri (que era morena e kawaii, muito diferente do que tu conhece hoje...), passeando por vários lugarzinhos a fora enfrentando o chefões purpurinas com seu estilingue de nozes (sim! Isso soa muito idiota). Depois disso ele até chegou a fazer participações especiais em outros joguinhos da Não-intendo (que nem o Dikkey num plágio do Mario Kart), e com a chegada da era 3D a Rare decide fazer um novo joguinho, o qual nunca veio a existir e só deixou Conker muito puto com isso. Logo a fama reduziu de 1% a -0% e Conker acabou indo parar no olho da rua bem como todo o resta de sua turminha furry que de nada prestava.

Turbulentos anos da adolescência[editar]

Conker com seus comparsas maconheiros prontos para mais uma suruba no morro. Adolescentes... tsc, tsc!

Desapontado por seu único jogo não fazer sucesso nem depois de ter levado um pé na bunda da Rare, Conker acabou se envolvendo com más influências e caiu logo de vez no mundo da drogas e da putaria, enchendo a cara nos barzinhos de esquina do Rio, visitando freqüentemente a Crackolândia, participando de contrabando de drogas e até se tornando cliente vip de prostíbulos famosos, onde diariamente trabalhava na ordenha.

A que ponto Conker chega a causar problemas

Certo dia, depois de ter dado um calote na baranga da Berri (que agora já estava bem mais gostosa e tesuda), Conker resolveu se chapar até espirrar cachaça pelo nariz só pra esquecer os problemas. Nessa bebedeira toda, e com o carro apreendido por no dia anterior ter negado pagar todas as multas anteriores (e ainda agredir o guardinha com uma garrafa de Skol), Conker acabou tendo que voltar pra casa as 2:00h da manhã, só que como havia passado da medida em suas tragadinhas começou a perambular feito um bebo no meio fio, e assim acabou indo parar num fim de mundo. Depois de retomar a consciência tentou inutilmente reencontrar o caminho de casa, e juntando isso a seus delírios promovidos por anos de consumo a maconha e crack, resultou numa situação muito fuleira onde tudo quanto era de objeto tinha vida sem falar de sua aventura que se tornou uma das mais bizarras e pejorativas de toda história dos games, envolvendo um palheiro-robô-mutante, um demônio com um pênis enorme, um grande monte de bosta que canta opera, uma pantera bombada que quer come-lo (nos dois sentidos) e até o alien famoso dos cinema; tudo isso no universo de Matrix (putz?), sendo que no final Conker vira o rei do Mundo Proibido.

De boa depois que começou a ser o chefão do tráfico de drogas no Rio de Janeiro

Por fim depois de contar toda essa experiência sem noção pra galera da Rare e da Não-intendo, os quais viram que a história era bem mais excitante que GTA, a situação virou filme um jogo de sucesso e você com toda certeza pagou pra ver isso quando procurou comprar as escondidas de seus pais o game Conker's Bad Fur Day (a menos que você tenha sido mais esperto e baixado essa bagaça pra jogar no emulador de N69).

Alistamento militar e maior idade[editar]

Nem mesmo no exército, esse sujeito safadinho tomou jeito; pelo contrário: pirou de vez!!!

Como se já não bastasse ter feito sucesso só na base da perversão e baixaria nos consoles da Ñ-intendo, Conker continuou sua vida como traficante e cafetão (pegando as gatas mais cobiçadas dos games e de praxe metendo ponta num bando de machos da Nintendo), o que não o livrou da cadeia, e nem mesmo lá o miserável tomava jeito. Vendo que deixar esse maldito furry preso, não adiantava porra nenhuma, após completar 18 aninhos e virar homem feito (se é que podemos dizer que ele é homem, quando na verdade é só um esquilo mais sacana que o Alvin), Conker foi convocado para o exército e chamado para participar da 2378690870º Guerra Mundial Gamística, onde podia sair matando e estuprando todo mundo sem se preocupar por ir em cana. No seu tempo de militar conheceu mais uma porrada de gente nova, que nada mais eram do que outros furries revoltados que viviam na mesma situação de miséria e sacanagem que ele em tempos remotos; dai mais uma série de animálias são contratadas pela Rare em plágio com a Disney, Pokémon, Star Fox e até Ursinhos Carinhosos para deixar a suruba mais troncha ainda.

Ainda chegou a convocar pobres infelizes pra participar de sua carnificina

Seu envolvimento no exército fez com que sua fama aumentasse ainda mais, o que levou Conker a forçar a barra com a Rare e ameaçá-la de morte se ela não começa-se a paga-lo bem melhor que aquela merda a qual Conker chamava de salário. Dai sobrou pra empresa pedir um aumento pra Não-intendo, mas como ela só tem olhos pro Mário (que Mário?) tá pouco se lixando pra carreira do esquilo safado, fez foi dar um pé na bunda pela segunda vez na coitada da Rare; o desespero foi tão grande que sobrou pra Conker pedir um empréstimo pra Bill Gates, fazendo assim um bico no Xbox. Isso deu no maior tororó pra cima da Rare, mas como nas grandes empresas tudo só funciona na base de drogas e sacanagem, Conker acabou se dando bem no final de sua carreira com o lançamento de sua historia na terceira idade: Conker Live & Reloaded, que alem de ter garantido muito mais dindin pro Mr. Gates, promoveu muito mais educação para a criançada ensinando como matar pessoas no exército, trazendo ainda um bônus especial de sua juventude num designer mais realista. Por fim Conker se aposentou cheio da grana e até hoje continua sendo o chefão do tráfico no Rio alem de se passar por cosplay da série Alvin e os Esquilos, trabalhando como cafetão nas boates de Las Vegas nos fins de semana.

Mundo do tráfico e Cia.[editar]

Cara de Conker ao ver os lucros das vendas de crack nos seus domínios

Tudo indica que Conker começou a se envolver no mundo das drogas um pouco tempo antes de lançar sua segunda biografia gamística (o Conker's FDP BFD), onde já em sua pré-adolescência comprava maconha escondido dos pais e ainda envolvida Berri no mundo da putaria pra que com a grana que ela consegui-se ele pude-se ficar mais chapado ainda. Depois que virou o rei do Mundo do Contra Proibido (para pirralhos e menores de 18), Conker virou um mafioso do tráfico de drogas no Rio de Janeiro: comprou a avenida paulista e a propriedade da Crackolândia onde entupiu de caras para cuidarem de seus investimentos alucinógenos. Dai já é de se imaginar o que veio depois: polícia, tiroteio no morro, playboyzinhos fumando todas, um bando de gostosas dançando fuck funk, Bope, bebedeira e sangue pra tudo quanto é lado. Como viciado que é viciado nunca aprende, Conker continua administrando essa budega, nadando na grana dos otários e ainda pouco se fudendo pra quem tá na cadeia (tendo o cu comido por um negão) ou com a cabeça no saco.

Casos e acasos[editar]

Pobre Berri...Se soubesse que Conker bota ponto nela todo santo dia, não estaria dando uma de gostosa pra cima dele...

Assim como meia dúzia de mascotes e outros protagonistas de jogos, Conker é considerado um pegador (não! Não to falando daquele troço que tu bota no varal, idiota), onde cata tudo quanto é de gostosa em qualquer lugar e a qualquer hora. Apesar de ser um comendo nato e tarado, sua vida nem sempre foi assim; Durante sua infância era tratado feito capacho pelos coleguinhas alem de meio boiola e só tratar Berri como amiguinha (coisa de viado mesmo), sendo que sua vida deu uma revira volta desde que entrou pra puberdade, onde começou a ser tão mulherendo quanto Ataru Moroboshi, Tom, Sonic the Hedgehog, Miguel e Tony Stark. Suas cantas e persistência pra cima de Berri resultou numa queda louca da gostosa por ele, e com isso os dois começaram a namorar, mas como Conker é um baita de um safado-tarado-cafetão, ficava pulando cerca com várias outras garotas, o que deixava Berri muito "p" da vida. Só para citar um exemplo de como Conker era completamente infiel, haja vista o que rolou entre ele e Jugga depois que ele humilhou Buga the Knut mostrando sua enorme bunda para todos os seus inúteis súditos. Com isso Berri deixou o vagabundo pra lá, mas acabou voltando pra ele minutos antes de bater as botas, no mesmo estilo da Trinity. Atualmente Conker continua pegando tantas gostosas quanto qualquer tarado de sua espécie (Ou não).

Curiosidades[editar]

  • Conker ainda é procurado em mais de 50 países por tráfico de crack e maconha;
  • Conker nunca teve licença para porte de armas, nem mesmo depois de ter se alistado no exército;
  • Berri é mais uma dentre 970 vadias que Conker era pago para comer;
  • Rare até hoje é vítima das borradas de Conker;
  • Bill Gates é pago para produzir cópias das biografias de Conker no mundo todo;
  • Conker é um dos piores melhores dicípulos de Chuck Norris;
  • Jugga nunca mais sentiu um macho de verdade depois de sua experiência com Conker;
  • A vida de Conker é uma baixaria para os pais de criancinha viciadas em Restart e RBD;
  • Doutor Roberto não aprova a vida de Conker;

Ver também[editar]

Nem a Ñ-intendo 69 escapou na fúria de Conker
Corpo cerveja.jpg Cquote1.png TOMA CACHAÇA, CARAI!! Cquote2.png

Este artigo tem cheiro de porre! O autor está caído na calçada, gorfando álcool puro. Melhore este artigo e ganhará uma dose de pitú, mas se vandalizar, será obrigado a tomar uma dose de Natasha!

v d e h
ConkerLogo.PNG