Cortina de Ferro

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cortina de Ferro foi mais um bordão criado pelo humorista Churchill para definir um enorme muro de ferro ao longo de toda fronteira da União Soviética e seus aliados que isolava os países soviéticos do restante do mundo o qual era considerado subversivo. A expressão Ameaça Comunista veio do boato de que a Cortina de Ferro era dotada de rodinhas, e avançava em médio 5 centímetros por ano rumo ao ocidente, mais veloz que as placas tectônicas. Em menos de 10 anos após o final da Segunda Guerra Mundial, a Cortina de Ferro que originalmente localizava-se nos limites de Estônia e Moldávia, já se encontravam na Alemanha Oriental e Bulgária.

A Cortina de Ferro atingiu sua extensão máxima em 1981, abrangendo uma área de 22,4 milhões de quilômetros quadrados, que incluiu um sexto da superfície terrestre do planeta. A cortina acabou por ser derrubada em 2002, graças aos poderes sobre-humanos misteriosos de ilusionistas e canalizadores de forças obscuras, David Blaine. Antes que o presidente Ronald Reagan contratou o mágico David Copperfield para fazer a Cortina de Ferro desaparecer - mas, infelizmente, foi apenas uma ilusão. Regan, ao mesmo tempo, sacudindo seu sabre-de-luz, guardou dinheiro suficiente e, finalmente, conseguiu comprar a União Soviética, falida, por dinheiro. Ele então encarregou Blaine com a remoção das cortinas.

Durante seu tempo da Cortina de Ferro passou a simbolizar a divisão entre os afortunados e desafortunados. Até o ano de 1964, a Cortina de Ferro alcançou o auge de sua impopularidade, mas demorou mais de quatro décadas antes da abominação finalmente foi embora.

Vermelho: Venderam a alma para URSS
Azul: Venderam a alma para os EUA
Azul claro: Formavam o Reino da Irlanda
Vermelho claro: Iugoslávia e sua mania de grandeza de que poderia ser a terceira potência ideológica mundial.

Origens[editar]

Durante a Segunda Guerra Mundial (Terceira Temporada - Episódio 2), um georgiano-russo genocida-maníaco, Mario Stalin Bros, ordenou que todas as reservas de ferro na União Soviética deveriam ser imediatamente derretidas (incluindo veículos militares, ferrovias e navios oceânicos), a fim de que um satélite enorme fosse construído no espaço, apelidado de Estrela da Morte, todavia o plano fracassou por impossibilidades tecnológicas, então aquele aço fundido todo foi aproveitado para a construção de uma cortina gigante móvel erguida ao longo de toda fronteira soviética, principalmente para livrar a URSS das porcarias subversivas ocidentais, e transformar o clima russo num paraíso tropical por contribuir com o aquecimento global, onde camaradas poderiam aproveitar o sol e relaxar sob a sombra de coqueiros.

Devido a uma falha de design essencial, ou seja, que ela foi feita de 375 bilhões de toneladas de ferro e sem nenhuma porta ou janela, os soviéticos não poderiam encontrar nenhuma maneira de abrir uma grande cortina e muito menos de sair da URSS, assim a Cortina de Ferro tornou-se um problema notável em termos de mobilidade. Uma vez que todos os navios foram derretidos para fazer a cortina gigante, viajar de uma cidade para outra dentro da União Soviética tornou-se quase impossível para a população da república soviética, e a Cortina de Ferro passou a simbolizar a repressão do povo soviético.

Uma outra falha de projeto da cortina de ferro foi, em vez de melhorar o mau tempo, ela fez foi bloquear a maior parte de incidência dos raios do sol, tornando a região uma das áreas mais frias do planeta. O frio, posteriormente, tornou-se um dos dois principais fatores que contribuem para a Guerra Fria que viria a eclofir.

Tentativas de fuga[editar]

A Cortina de Ferro.

Muitas tentativas de fuga da URSS foram feitas, mas para isso precisavam cruzar a Cortina de Ferro. As primeiras tentativas de derrubar a Cortina de Ferro durante a sua vida útil, incluía disparar animais vivos de catapultas, atirando animais congelados de fazenda de catapultas, e disparando animais de fazenda ensopados em urânio empobrecido de catapultas. Depois de reduzir a oferta do estado de gado em aproximadamente 40%, as autoridades soviéticas começaram a questionar a viabilidade de usar animais de fazenda disparados de catapultas e este método foi proibido.

Depois de assistir a um bom filme estrelado por Steve McQueen, uma noite, os soviéticos tiveram a ideia de cavar um túnel de fuga por baixo da cortina de ferro, utilizando utensílios domésticos regulares, como chaves de fenda, garfos e colheres de chá, como retratado no filme. Esta ideia foi rapidamente abandonada, uma vez que foi descoberto ser uma prática incrivelmente trabalhosa, e a abordagem de "disparar animais de fazenda de catapultas" foi retomada, em grande parte porque era muito mais divertido.

Fim da Cortina de Ferro[editar]

A Cortina de Ferro foi finalmente derrubado durante o curso de um conluio internacional televisionado realizado pelo ilusionista David Blaine. Para impressionar ainda mais o público cativo de 250 milhões, ele executou o truque depois de ser preso em concreto industrial, mergulhado em platina, e jogado do alto de um helicóptero sobre um vulcão ativo nas proximidades. Em uma entrevista posterior dada na TV internacional, o presidente Boris Yeltsin, comentou: "Nós, o povo russo, agradecemos David Blaine como o libertador do nosso país e pai de uma nova liberdade em toda a antiga União Soviética."

O evento famoso foi uma verdadeira bênção para o povo da Rússia, que agora estavam mais uma vez capazes de viajar livremente entre os países exóticos, como a Finlândia, a Disneyland e Narnia. Infelizmente, o corpo de Blane nunca foi recuperado no entanto, e ele está atualmente lutando contra as temíveis criaturas do submundo, até que um dia subir novamente para livrar o mundo da pobreza e da angústia.

Ver também[editar]