Crença

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Conforme o realismo, a diferença básica da crença para o empirismo é que as balas são reais, e Deus não.

Crença é uma proposição aleatória da mente de cada um, creio eu, é um estado mental inconscientemente consciente subjetivo, que pode ser verdadeiro ou falso e, portanto não tem objetivo algum de ser, pois não comprova e nem desmente, apenas polui as ideias. Uma crença não responde nada, só trás mais dúvidas.

Uma admitida como verdadeira é uma crença, mas uma hipótese admitida como verdadeira é verdade não-justificada. A grande popularidade da crença é que ela diz respeito à afeição pelo o que acredita, como por exemplo, uma lésbica não sabe explicar por que é lésbica, mas tem a crença de que os homens são péssimos amantes (não passam de 10 minutinhos no máximo), portanto "crença" se refere a uma parte de um desvio espiritual ou moral.

Como exemplo, quatro tipos de crenças:

  1. Muitas pessoas acreditam em extraterrestres sem nunca terem visto um, nunca terem sido abduzidas por um ou nunca terem fumado um, apenas por causa dos filmes, das teorias da conspiração e daquele balão meteorológico.
  2. Outras pessoas acreditam em Deus, apesar de nunca O terem visto, nunca terem trocado uma ideia com Ele, apenas por causa de uns livros loucos que parecem enredo do seriado Hércules.
  3. Já certas pessoas acreditam que não existe vida alienígena inteligente, mesmo sabendo que o universo é formado por trilhões de estrelas e trilhões de sistemas solares com bilhões de planetas com o mesmo potencial que a Terra.
  4. E certas pessoas não acreditam em Deus, esses materialistas que através da complexidade do raciocínio do ser, do pensamento e da consciência, tudo claramente propõe a existência de um ser superior e infinito, mas só porque alguém inventou que átomos existem insistem nessa ladainha.

Entendeu o que a crença? Ela simplesmente nunca faz sentido. É tudo questão de ponto de vista.

Filosofia[editar]

Segundo uma análise epistemológica, para a crença de uns isto seria blasfêmia e um passaporte para o Inferno, mas para a crença de outros é apenas uma descontração.

Crenças filosóficas é o que mais há, você pode acreditar em Deus, pode acreditar no nada, pode acreditar na imortalidade da alma, pode acreditar no Deus Espaguete Voador, pode acreditar que a LaninhaDoidinha do Orkut não é fake, pode acreditar que é virgem, pode acreditar no que quiser e fundar a crença filosófica do "[insira qualquer nome aqui]logia" (ou então aderir a alguma já existente).

Metafísica[editar]

Para a metafísica, a crença é um objeto imaginário que pode ser comprado numa igreja, numa mesquita ou numa sinagoga. Atualmente crenças também podem ser adquiridas nas universidades, escolas e televisão.

Os Três Patetas Ryle, Davidson e Fodor (já ouviu falar em algum deles? Não né, pudera, só proporam merda em seus estudos) defenderam o mentalês, uma língua universal e intraduzível da mente de todos humanos, ou seja, quando você chega em casa após aquele swing e crê que "deveria ter usado uma camisinha", e aquele australiano viril e saradão também pensa "I should have used a condom" apesar da frase diferente, a crença é a mesma, a AIDS é a mesma. E após esse raciocínio inútil todo, Frege por sua vez foi mais prático com sua teoria proposicional que diz que a proposição é o que interessa, não a língua.

Epistemologia[editar]

Platão foi quem diferenciou crença de conhecimento, dizendo que conhecimento é uma crença verdadeira justificada, e que crença é só uma hipótese de verdade.

O desafio da epistemologia é diferenciar o modo como cada um conhece suas próprias crenças do modo como cada um conhece as crenças dos outros. Agora para quê isso, não se sabe, depois a filosofia reclama quando é taxada de irrelevante.

Religião[editar]

A crença religiosa tem o poder de controlar a mente, extorquir e persuadir através de ameaças de Inferno. Darth Vader se sente um amador.

As religiões são os principais produtores de crenças, portanto se estiver com falta de crenças é na religião que você pode depositar suas angústias de medo da morte.

A crença religiosa é também referida como o oposto da ciência, porque as propriedades físicas e químicas não precisam ser determinadas com precisão, basta acreditar. O único problema é que a crença é bastante difundida nas ciências também sem nem os cientistas saberem. É a crença que faz os cientistas acreditam que a raça humana não passa de um conjunto aleatório de átomos.

Catolicismo[editar]

No catolicismo a crença tem um significado muito próximo de . A fé é a virtude de acreditar no que na realidade não existe, enquanto a crença é a virtude de acreditar nos raciocínios desenvolvidos pela fé.

Islamismo[editar]

No islamismo, a crença foi tecida em tapetes e vendida, enquanto a verdade absoluta está no Alcorão, não é crença (segundo o islã).

Psicologia[editar]

O estudo da crença é mais um dos campos subjetivos e bizarros da psicologia, onde a crença é aceita como uma representação mental das necessidades. Para Freud o que sua mãe e seu pai fizeram contigo em sua respectiva infância influencia positivamente em todas suas crenças quando adulto.

Atualmente a crença anda em extinção, ninguém mais tem crenças, para quaisquer dúvidas, as pessoas apenas correm para digitar no Google e aceitam os primeiros resultados da pesquisa como crença verdadeira justificada.