Dark Souls III

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Dark Souls III é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Ike solta mais um Great Aether.

Três Almas Afrodescendentes
Dark Souls III capa.png

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor FromSoftware
Publicador Namco Bandai
Ano 2016
Gênero Jogos Impossíveis, eroge-leve, Yandere Simulator com a fire-keeper
Plataformas PolyStation 4; Cubo 1; PC da Xuxa
Avaliação 50%
Idade para jogar Não recomendável

Cquote1.png I used to be an adventurer like you, but I took an arrow in the knee, an axe in my head, a sword in the back, a scythe in the chest... Cquote2.png
Ashen One para Dovakiin

Dark Souls III é o terceiro da franquia Souls, desenvolvido pela misteriosa From Software, aclamada por outros jogos fáceis de enredo claro como Demon's Souls, Dark Souls, Dark Souls II e Bloodborne. Trata-se de um tps-fps-gdr-arpg em terceira pessoa tal qual os jogos antecessores da série, sendo que Dark Souls III é um jogo que trouxe muita inovações, as quais não iremos listar aqui senão o artigo terminaria agora.

História[editar]

Como já é praxe na série Dark Souls, o enredo é meramente especulativo e dedutivo baseado apenas em suposições e conjecturas de fãs nerds que não tem mais o que fazer de suas vidas, não havendo em nenhum momento do jogo alguma explicação objetiva do que diabos está fazendo ou porque diabos estamos fazendo o que estamos fazendo.

O jogador desperta como um zumbi em Lothric, um reino localizado entre Andorra e Tuvalu Ulterior o qual outrora já foi extremamente próspero, mas o seu soberano Gwin esqueceu de pagar a conta de gás e agora o tal Fogo está se extinguindo, sendo necessário que alguém se suicide na fogueira para manter a chama acesa, e cabe ao jogador realizar isto... Pois é, após o fiasco de Dark Souls II, o roteirista Hidetaka Miyazaki decidiu apostar num plot seguro e copiou o enredo do primeiro Dark Souls, para não ter perigo de decepcionar ninguém.

Assim começa a jornada nesse mundo misterioso repleto de inimigos hostis no qual o jogador, que é referido como "Escolhido do Cinzeiro", deve encontrar os quatro reis preguiçosos e colocá-los de volta em seus tronos em Firelink Shrine, nem que seja só seus restos mortais caso se neguem a voltar. O primeiro desses reis na verdade é um bando de fanboys que fazem cosplay do Artorias, mas que possuem um grupo tão forte de haters que acabaram assumindo um dos tronos.

O segundo rei a ser caçado é Aldrich, conhecido como "O Comedor de Deuses", este está impossibilitado de retornar ao seu trono porque após comer Gwynevere e aqueles peitões todos, descobriu que havia contraído gonorreia, o que explica porque ele é podre da cintura para baixo, e revoltado com a vida.

O terceiro rei a ser caçado é Yhorm, um gigante deprimido que se isolou no meio do nada após estar sempre sofrendo bullying devido à sua cara de cu, literalmente uma cara de cu, tanto que ele se recusa a comparecer no Firelink Shrine com medo de Aldrich estar lá e ficar com vontade de comer a sua cara de cu.

O quarto rei são os príncipes Lothric e Lorian. Ambos portadores de autismo, com o agravante de Lothric ter deficiência mental e Lorian transtorno de défict de atenção, por serem assim tão lesadinhos, obviamente nem sabem que deveriam estar no trono de Furelink Shrine, e por isso devem ser enviados à força, com o jogador cortando a cabeça de ambos.

Um vez todos os reis reunidos no salão principal, o jogador pode viajar para o Vale do Cinzeiro, onde enfrenta o Lorde do Cinzeiro. Conforme as escolhas feitas no jogo, há a possibilidade de até quatro finais diferentes: No primeiro final o jogador pode se suicidar na fogueira; No segundo final o jogador pode pegar a fogueira e se tornar o próximo Lorde do Cinzeiro; O jogador pode invocar a firekeeper transformá-la em sua escrava sexual e reinar junto com ela; Ou ainda o jogador pode invocar a firekeeper e matá-la, o que faz o Sol ser apagado, faz muito sentido.

Jogabilidade[editar]

Um típico duelo em PvP de Dark Souls III.

Dark Souls III é a mesma coisa dos jogos anteriores, consiste em você sair andando sem ter um mapa, morrendo miseravelmente em armadilhas, inimigos toscos, chefes, até você ficar preso em algum chefão e desistir do game. Exceto as pessoas sem vida social, que aí podem passar uma infinidade de seu tempo tentando superar algum chefe, para depois desperdiçar mais horas tentando passar do outro chefão. Nesses momentos sempre surgem os sabichões alegando: "mas eu zerei Dark Souls III em 4 horas sem morrer nenhuma vez", estes casos são de seres vivos que nem humanos podem ser denominados, talvez sejam uma involução de homo australopitecus.

O jogo traz uma infinidade de armas, sendo que 99% delas são inúteis, bem como armaduras, que como em todo bom RPG, aquela armadura mais ridícula é justamente a mais forte, forçando o jogador a ser uma aberração ambulante, ajudando de certa forma a ajudá-lo a entrar no clima de desespero e desesperança que todo jogo de Dark Souls se propõe a trazer. Os combates também continuam a mesma coisa de modo que ninguém deve sair atacando sem parar devido ao consumo de stamina e que rolar feito um maluco é a melhor alternativa tornando combates entre jogadores um verdadeiro circo de cambalhotas. De acordo com o jogador médio toda arma de Dark Souls III é OP e deve nerfada, mesmo a espada quebrada.

A única inovação que o jogo trouxe em relação aos jogos anteriores foi a existência de uma barrinha azul nova de magia, consumida para soltar as magias, fogos e milagres, de modo que agora o jogador deve gerenciar a quantidade de Yakults (Estus Flasks no inglês) entre Yakult tradicional e agora Chamito que serve para restaurar magia.

Chefes[editar]

Ilustração de uma luta contra chefes no jogo.
  • Iudex Gundyr - Só para se apresentar ao jogador novato um ambiente calmo e pacífico do que é o conceito de "chefe" em Dark Souls, a From Software decidiu colocar este chefe-tutorial após os primeiros 10 minutos de jogo, respeitando assim a tradição da série de eliminar n00bs logo no começo. Todavia, jogadores mais acostumados conseguem superar este chefe facilmente, mesmo que ele empunhe uma arma de 6 metros de comprimento pois é extremamente lento e se o jogador não tiver vergonha de ficar rolando feito um retardado mental, o que para o jogo é bom, consegue superar este chefe facilmente, inclusive quando no meio da batalha brota de suas costas uma massa gelatinosa horrível com o poder mágico de penetrar cada objeto no cenário como chão, parede e o que mais estiver na frente. E ele é apenas o começo.
  • Vordt of the Boreal Valley - Uma espécie de urso polar de armadura empunhando um tacape que está constantemente soltando purpurina cujos efeitos é o de deixar o jogador desconcertado e tímido e assim mais lento. Apesar do tamanho, este chefe inicial introduz os novatos a outra sina muita comum em jogos de Dark Souls, que é explorar bugs e glitches para derrotar chefes, e no caso deste, ele pode ser facilmente derrotado se você ficar parado sob a sua barriga, onde poderá se mover tranquilamente sem sofrer qualquer dano. Lembra de nada? Não?
  • Curse-Rotted Greatwood - Um ent gigante com graves problemas de acne e lepra, cercados por adoradores que o tratam como uma divindade e como recompensa por sua lealdade serão todos constantemente mortos pela árvore podre enquanto esta executa seus ataques desconcertados. Na metade do embate a árvore faz questão de abrir um buraco no chão, dispensando todos estes adoradores e vindo para o mano-a-mano, tornando a luta muito mais fácil para o jogador, levando legitimamente acreditar que a árvore é o mais estúpido dos seus servos.
  • Crystal Sage - Apenas um personagem renegado de Final Fantasy IX doado pela Square-Enix para ser reaproveitado como chefe aleatório qualquer. Como todo chefe de Dark Souls que se preze, ele foca em ser um filho da puta chato pra cacete, que fica se teletransportando e arremessando em cima de você jujubas, doces de alcaçuz e polígonos de The Sims.
  • Deacons of the Deep - Ao adentrar nos porões de uma catedral você se depara com uma horda de dezenas de padres pederastas agindo suspeitamente e fazendo coisas suspeitas, eles se aglomeram e parecem esconder no meio deles alguma coisa, talvez um coroinha que está ali para ser abusado. Cabe ao jogador então por fim a esta pouca vergonha e espancar o padre que estiver com um sinal de fogo em cima de sua cabeça simbolizando que ele está com ideias pervertidas e obscenas sobre menores de idade. Apesar de ser um chefe que envolve um tema polêmico e pesado, a sua dificuldade é comparável à batalha contra Pinwheel em Dark Souls, uma das mais fáceis do jogo. No final ele faz o favor de dropar o manto papal que permite que o seu personagem faça o cosplay do papa.
  • High Lord Wolnir - Rei maluco que cometeu um genocídio gigantesco e sem sentido antes de se trancar em uma caverna escura feita por Vinícius de Moraes, sem teto, sem parede e nem chão. Ainda teve a brilhante ideia de colocar esta caverna em um copo que absolutamente ninguém vai tocar.
  • Old Demon King - É velho, é um rei, é um demônio, está armado com um tacape gigante em está em chamas. É apenas um fanservice e está ali esperando que o jogador coloque um fim à sua vida pois não aguenta mais sofrer daquela maldita tuberculose. Para os mais sádicos é possível deixá-lo com pouco HP e vê-lo agonizar lentamente. Em torno dele estão demônios de Izalith mortos.
  • Dragonslayer Armour - Continuando a mania dos produtores do jogo em profanar Ornstein e reutilizá-lo sem parara até o último recurso, dessa vez a batalha é contra a armadura ambulante dele. A luta sobre uma ponte é tão revoltante e sem sentido que seus amigos ficam passando voando e cuspindo em você como um sinal de desprezo por toda essa bossfight!
Finalmente um close da bunda dessa dançarina.
  • Dancer of the Boreal Valley - O autor deste artigo gostaria de escrever algo engraçado sobre este chefão, mas infelizmente durante a luta estava muito ocupado tentando ver a bunda dessa mulher para tirar um bom print-screen.
  • Oceiros, the Consumed King - Um dragão brisado nas drogas, na verdade já foi um humano comum mas exagerou tanto no crack que ficou deformado parecendo o dragão. Segura uma criança invisível em seu colo, eventualmente esmagado-a no chão. É o chefe mais tóxico da série, viciasdo em todo tipo de droga, Biotônico Fontoura, Red Bull, crack, Coca-Cola, maconha, sendo ele umc rackudo noiado que passa a batalha inteira falando nada com nada e errando os ataques.
  • Champion Gundyr - Apenas o Iudex Gundyr 2.0, com mais HP, mais força, mas só.
  • Ancient Wyvern - A primeira e única batalha de chefe da história de Dark Souls que recompensa a covardia: A solução certa para derrotá-lo é correr através de uma pista de obstáculos até o topo de um castelo, de onde será executado um plunging attack simples que vai acabar com a vida desse chefe em um golpe só. A verdadeira dificuldade está em aceitar a ideia de quem achou que esta batalha poderia ser considerada um chefe de Dark Souls.
  • Nameless King - O filho mais velho de Gwyn e atestado de que a criatividade de Miyazaki realmente acabou, uma vez que toda a história desse personagem foir etirada de fanfics criadas após Dark Souls 1 e de teorias de vídeos do Youtube. O chefe em si é apenas um príncipe renegado por sua tara em zoofilia com corvos gigantes, que tenta intimidar com uma cacetada de golpes rápidos mas que basta o jogador imitar malabarista de circo com muitas roladas que vence fácil esse chefe.
  • Pontiff Sulyvahn - O papa puto com com duas sabre de luz de Star Wars que tentam extorquir suas almas. Em dado momento ele se multiplica em dois por reprodução assexuada, tal qual os equinodermos, e se você está esperando que o dano infligido pelo sósia seja mais baixos do que o original, então você não entendeu ainda a proposta dos jogos de Dark Souls.
  • Abyss Watchers - Você já se perguntou o que aconteceria caso Miyazaki desses ouvidos aos fanboys de Artorias na saga de Dark Souls? Agora você tem a resposta.
  • Aldrich, Devourer of Gods - Tarado que se auto-denomina "O Comedor de Deuses", mas que justamente por essa sua tara caiu em perdição aod escobrir que tinha todas as DSTs possíveis em decorrência de suas aventuras sexuais. Por isso seus ataques variam muito, ele é capaz de arremessar flechas mágicas, lanças de alma, almas roxas, chamas, bolas de papel, elásticos, peidos, suvaqueiras e assim por diante e assim por diante. Ele é o resultado de alguém que levou muito à sério o provérbio "você é o que você come" e começou uma cruzada de comer deuses, mas como ele não tinha calculado a homossexualidade do que seria isso, decidiu comer então a gostosa da Gwynevere, mas aí ficou com indigestão e seus pelos pubianos cresceram tanto que ficaram 10 vezes maiores que seu próprio corpo.
  • Yhorm the Giant - Gigante cuja particularidade é ter caneleiras extremamente duráveis. A única maneira de derrotá-lo é encontrar uma espada escondida em seu cenário e utilizá-la para soltar Hadoukens, tornando-o um dos o chefe mais insignificantes. Há ainda aqueles poucos que não viram a arma secreta ou acreditam que são fortes o suficiente para matá-lo "normalmente", e nesses casos Yhorm tem o poder de mudar a religião desses jogadores para o agnosticismo, pois não há Deus que explique a raiva que ele causa.
  • Lothric e Lorian - Dois irmãos gêmeos, sendo o primeiro um jovem afeminado e autista, enquanto o segundo é um cego, doente e paraplégico. É justo salientar porém que o irmão maior, embora esteja fraco e doente, puxa golpes com sua espada capaz constranger até mesmo o chefe final. Quando o irmão mais velho morre, o mais jovem (que durante toda a luta está seguro no topo sem fazer nada para a ajudar seu irmão) se revela ser um necromante e revitaliza o corpo de seu irmão tranmsformando-o num capacho.
  • Soul of Cinder - Diz a lenda que se você gritar como um louco "Uau, é o cara da capa do jogo, eu não esperava!" o chefe vai reconhecer o seu valor e vai desistir sem lutar. Para aqueles que tiveram que lutar contra ele, o último chefe oferece uma batalha equilibrada bastante semelhante a um PVP, apenas contra um jogador com mais força, mais resistência, mais destreza, mais HP, mais armas (e não vai ser abrandado pelo peso destes) e com a possibilidade de usar feitiçaria, milagres e piromancias indeterminadamente.