Dead Rising

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Dead Rising é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, alguém usa PSI Rockin.


Insurreição Morta
Ded Raising.png
Logotipo da série
Gênero hack and slash de zumbi
Desenvolvedor Capcom
Publicador Microsoft Studios
Plataforma de origem Xbox 360
Primeiro lançamento Dead Rising 1 (2006)
Último lançamento Dead Rising 4 (2017)

Dead Rising é mais uma enfadonha e desoriginal série de jogos de zumbis, nada que já não tenhamos visto e revisto. A franquia porém age como se o mercado já não estivesse saturado de jogos de zumbis e já lançou uns 10 jogos, todos iguais uns aos outros e iguais a tudo o que já vimos em Left 4 Dead Dead Island e similares. A grandiosíssima novidade que a série Dead Rising trouxe para o gênero de zumbis foi a capacidade de encher a tela com aproximadamente mais de 8000 zumbis retardados, tudo com a cômoda possibilidade de apenas 30% do jogo dar pau e travar.

A franquia foi amplamente bem recebida devido à sua grande originalidade. Pessoas de todas as partes do mundo, já saturadas com seriados, filmes e jogos de zumbis viram em Dead Rising mais uma franquia para fazerem mais do mesmo sobre matar zumbis. Mais uma grande ideia genial da Capcom, afinal a empresa que já tinha os direitos de Resident Evil nas mãos, para que fazer um jogo de survival horror de verdade se podemos apenas encher a tela de zumbis e criar um hack and slash disso?

Jogos[editar]

  • Dead Rising 1 - Inicialmente um exclusivo de Xbox 360 e depois lançado para demais consoles para não deixar a Capcom falir, este foi o fracasso mais bem sucedido da história dos jogos de survival horror, uma vez que nerd parece ter paixão por coisas de zumbis e não cansam de jogar a mesma coisa, Dead Rising 1 traz tudo o que esse público precisa, com mais de 10 horas de gameplay da mesma coisa de sempre.
  • Dead Rising 2 - A mesmíssima coisa do primeiro jogo, a originalidade estava tão baixa que até o protagonista parece o Frank West só que com o cabelo oxigenado.
  • Dead Rising 3 - Insistindo na crônica falta de originalidade que vinha se tornando tão típica da série, dessa vez o terceiro jogo da franquia introduz cenas em ambientes mais externos como uma cópia descarada de Walking Dead.
  • Dead Rising 4 - Quarto jogo da série. Você já entendeu. Tudo a mesma porcaria.

Jogabilidade[editar]

Há quem genuinamente goste dessa poluição visual a que chamam de Dead Rising.

A série Dead Rising é caracterizada sobretudo pela ampla variedades de armas para matar as insistentes cópias de zumbis geradas proceduralmente. Produtores e fãs da série se orgulham sobretudo da capacidade do jogo lotar a tela com mais de 8000 zumbis sem que o jogo trave ou dê pau [carece de fontes], como se isso fosse novidade e nunca tenhamos visto algo do tipo em qualquer hack and slash.

Personagens[editar]

  • Frank West - Personagem desprovido de qualquer carisma e absolutamente desconhecido, a Capcom precisou enfiá-lo no Marvel vs. Capcom 3 para tentar ver se as pessoas começavam a conhecer mais quem seria Frank West e a franquia Dead Rising, e claro, sem sucesso, sendo ele o menos escolhido naquele jogo. É um fotógrafo da Playboy que tenta ser marrento igual ao Duke Nuken (eu já disse nesse artigo que essa franquia caracteriza-se pela flata de opriginalidade?).
  • Chuck Greene - Protagonista de Dead Rising 2. Tipo um Frank West, só que mais marombado e oxigenado.
  • Nick Ramos - Protagonista de Dead Rising 3. Uma clara tentativa de fazer um Daryl Dixon (Walking Dead) frustrada pela falta de carisma.
  • Chase Carter - Esse personagem é tão irrelevante e seu nome foi tão mal escolhido pelos produtores, que ao se pesquisar seu nome aparecem resultados apenas de uma modelo loira gostosa. De todo modo, em Dead Rising foi o protagonista do quarto jogo. Irrelevante.
v d e h
Dead Rising logo.png