Denise (Mato Grosso)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Denise
"Capital estadual da fofoca"
Bandeira de Denise.png
Bandeira
Aniversário 6 de Maio
Fundação Nem a prefeitura sabe.
Gentílico Denisiense
Localização
Localização de Denise
Estado link={{{3}}} Mato Grosso
Municípios limítrofes Arenápolis, Barra do Bugres, Nova Olímpia e Alto Paraguai
Distância até a capital 203km km
Características geográficas
Área 1 300,924 km²
População 8 494 (há controvérsias) hab.
Idioma Não disponível
Densidade 6,53 hab./km²
Altitude 666 metros
Clima Quente, muito quente, quentíssimo!
Fuso horário UTC -4
Indicadores
IDH 0,736 (medíocre) PNUD/2000
PIB R$ R$ 1 122 938,317 mil (mentirinha básica) IBGE/2008
PIB per capita R$ R$ 14 059,58 (mais uma mentirinha básica pra coleção) IBGE/2004

Cquote1.png Nova Olímpia é muito feia! Cquote2.png
Tangaraense sobre Denise
Cquote1.png AQUI É DENISE!!!! Cquote2.png
Denisiense irritado, Amanda virou uma Denisiense arretada! sobre Comentário do tangaraense

Denise é um município bem pequeno do estado de Mato Grosso. Pra resumir como é a cidade, faça o seguinte: Pegue Branquinha, uma cidade do interior de Alagoas; Diminua bastante a população; Diminua a proporção de alagoanos para 75%. Adicione 20% de nordestinos de outros estados, 2% de pessoas realmente mato-grossenses, 2% de pessoas do resto do Brasil e 1% de Paranaenses; Empobreça tudo (mais ainda); Coloque um brejo cortando a cidade; Esverdeie tudo. Pronto! Aí está Denise.

História[editar]

Vista aérea de Denise, repare como o brejo é maior que o perímetro urbano.

Primeiro registro de alguma habitação nos arredores se deu em 1942, quando uma famosa chamada Duas Antas (em homenagem aos dois homens) se especializava na coleta e extração de ipecacuanha, um tipo de capim utilizado para fazer pessoas vomitarem, algo muito saudável.

Em 1976 já era distrito de Barra do Bugres, um importante polo comercial local de ipecacuanha, o que torna a região a capital mundial dos bulímicos. Poucos anos depois, em 1981, surge o povoado, focado numa agricultura de subsistência de plantio de cana-de-açúcar, o que se fez necessário importar todo tipo de alagoano para trabalhar nas precárias condições das antigas roças da cidade.

Em 1982 Denise saiu do isolamento com a construção da MT-123, uma das rodovias mais esburacadas do mundo, agora todos podiam se deslocar de jegue (ou com seus carros e caminhões de suspensão indestrutível) para a capital Cuiabá. Neste mesmo ano era criado o município de Denise, que recebe o nome em homenagem à mais famosa puta alagoana que ali trabalhou em 1981.

Economia[editar]

Assim como Nova Olímpia, Denise é um vilarejo perdido no meio de um grande canavial. Canavial este que pertence às Usinas Itamarati, conhecida como uma grande senzala do século XXI devido a forma carinhosa de como trata seus funcionários.

Na cidade, ou se trabalha na usina, ou no comércio que está falido, ou no serviço público que é o cabide de empregos da cidade.

Política[editar]

Graças ao antigo prefeito, Denise é (era) uma cidade verde. Não, isso não quer dizer que seja muito arborizada ou que seja uma cidade sustentável. É que o prefeito além de pintar todos os prédios públicos de verde, colocou iluminação verde em vários pontos da cidade. Com o novo prefeito foi removida toda iluminação verde, dando lugar a uma amarela que faz as poucas árvores e gramados (mato) da cidade parecerem secos, semelhante a típica vegetação da caatinga, trazendo boas (ou não) lembranças a alguns moradores. No último mandato foram derrubadas mais árvores que o número de habitantes da cidade. Tornando-a mais perto das temperaturas infernais da capital.

População[editar]

Muitos moradores alagoanos criticam a cidade, mas não saem dela de jeito nenhum. Só no dia em que a Usinas Itamarati falir. O maior sonho do denisiense é se mudar de Denise, sendo o seu lugar preferido Tangará da Serra, a qual consideram uma megalópole.

Bairros[editar]

A cidade, na prática, se divide em dois bairros: Centro e Morro do Calango. Apesar de não existirem mais calangos no Morro do Calango.

Saúde[editar]

O único hospital da cidade é particular e não funciona direito. Qualquer coisa tem que ir pra Tangará da Serra.

Transportes[editar]

Ruas esburacadas, seja no setor urbano quanto nas rodovias, Na cidade tem um Encontro de Motos que é considerado o melhor da região. Mas é composto somente de possantes e estridentemente ruidosas Honda CG 125.

Os únicos meios de transportes públicos são fornecidos pela senzala municipal, que são os Mercedes cor cinza, ou pegar "bigu" em caminhão canavieiro (risco de morte).

Lazer[editar]

Nenhum. Quando é feriado na cidade, se vê mais moradores em Tangará da Serra do que na própria cidade. Mas quando o Banco do Brasil é assaltado, o programa preferido da população é presenciar o helicóptero pousando no campo de futebol da cidade.

A Festa da Igreja Matriz dizem que é melhor que o Rock in Rio, mas lá está sempre vazio, então tal afirmação ainda não foi comprovada.