Deslivros:Alice no País da Cocaína

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Nuvola apps bookcase.png
Este artigo é parte do Deslivros, a sua biblioteca livre de conteúdo.


Litoral do País da cocaína,(ou não)

Capítulo 1[editar]

Depois das aventuras no país das maravilhas, Alice virou uma menina muito desocupada e vagabunda feito sua mãe; vivia vadiando nos becos e ruelas do Complexo do Alemão. Depois de um puta tiroteio que matou seu tio (a única pessoa que se importava com a menina e a criou), Alice enlouqueceu e quis se vingar dos malditos bandidos que fizeram isso. Ao lado de seu barraco todo fodido vivia um lobo esquisitão e meio maluco, que tinha a mania de espiar a vida de Alice. Então, esse lobo ouviu Alice maquinando seu maléfico plano:

Cquote1.png Aqueles comédia vão ver, vou passar o sal em cada um deles! Cquote2.png
Alice

Então, o lobo (com uma deficiência que normalmente deixa os afetados no tamanho e forma de um coelho) apareceu e convidou ela para cheirar cuecas podres, ela por sua vez aceitou. A menina seguiu o lobo-coelho sem se preocupar com sua mãe, que provavelmente estaria se prostituindo; o lobo-coelho levou-a até uma porta onde dizia:

Aqui encontrarás bucetas lindas

A menina que era burra pra dedéu, lembrou que no seu país, drogalópolis, eles chamavam cocaína de buceta. Alice, com muito receio, entrou naquela pequena porta.

Capítulo 2[editar]

Ao entrar ela se encantou, pois estava nada mais nada menos do que no maior abrigo de cheirados do mundoBandeira do Brasil Brasil. Alice, que era a maior malaca cheira-pó do setor, ficou de queixo caído e disse:

Cquote1.png Puta meu, agora eu vou cheirar até perder os pelos do nariz! Cquote2.png

A garota, com encantamento nos olhos, pegou um baseado, banhou com tequila, vodka, vinho, cerveja, anabolizantes, uma caralhada de remédios e fumou... fumou... fumou tanto que chegou a ter alucinações e viu um gato roxo, gay, que lhe dizia pra seguir o caminho das cartas barris de chocolate com rum. Sem pensar muito, pois estava beeeeeem noiada, seguiu as instruções do gato e ela chegou num quintal cheio de barris de rum em forma de cartas que cantavam e pintavam flores pretas de vermelho, então ela bêbada e sem vergonha na cara, coçou suas partes intimas e foi lá perguntar para as cartas-barris estavam fazendo, e elas, olhando para a garota com desespero nos nipes responderam:

Cquote1.png Porra, fumamos as flores da rainha e só ela pode fumá-las; eram flores importadas das favelas do Rio ESTAMOS FUDIDOS ESTAMOS FUDIDOS... Cquote2.png

Capítulo 3[editar]

Alice sem entender nada, abriu uma e bebeu todo o rum que tinha, depois ouviu uns passos pesados no chão, as cartas logo se encolheram e se postaram no chão para reverencia-la, Alice como não sabia o que era vadiado demais a fazer seguiu-as. Quando a rainha apareceu, pisou diretamente nos dedos, ja engeçados, de Alice...a mulher, indignada gritou:"Sua vaca louca, sai de cima dos meus dedos,porra!". A rainha com raiva pulou em cima dela, e houve uma explosão nuclear mas nem todos morreram, e tudo começou a ficar azul e todo mundo pensou que estava tendo um pesadelo,mais na verdade não era, era só os efeitos das drogas quando o efeito foi passando tudo começou a ficar amarelo então todo mundo percebeu que não era normal essa situação e começou a estranhar. Depois de um tempo quando viram um infinidade de cores tipo: verde,amarelo azul todos ficaram tranquilos pois perceberam que estavam em mais um artigo doido da Desciclopédia,(ou não).