Desnotícias:La mano de Dios leva Maradona

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

BUENOS AIRES, Argentina

Cquote1.svg Do pó veio, no ficou e ao pó retornará Cquote2.svg
Deus sobre Maradona

Quando Maradona tentou decapitar o goleiro inglês e marcou um gol por acidente


Após mais de trinta anos de luta contra os mais diversos problemas de saúde, desta vez Diego Armando Cheiradonna não conseguiu driblar a morte, falecendo de parada cardiorrespiratória enquanto se recuperava de uma cirurgia na cabeça em sua casa dentro de um tigre. Foi, desta vez em outro sentido, o fim da linha. Os médicos ainda não revelaram se a parada que resultou em sua morte foi resultado do consumo de drogas que fez com frequência, mas Dona Morte já declarou que isto não tem nada a ver com o falecimento desta lenda do futebol mundial, já que ambos costumavam cheirar cocaína e gatinhos nos fins de semana. Curiosamente, nos últimos anos ele estava só o pó.

Maradona, com 60 anos de idade, foi um ícone da cultura argentina, considerado um dos maiores artistas marciais da história, pois conseguiu aplicar uma shoryuken dentro de um jogo de futebol e não ser expulso por isso. Foi dono de uma das maiores carreiras não apenas da história do futebol, mas também do esporte e da humanidade em geral. Tinha faro apurado, cheirava bastante a gol, tanto que mesmo aposentado ainda continuou cheirando. A comoção nacional atingiu a imprensa nacional, comprovado na página principal do Olé que diz "até morrendo D10S foi primeiro. Chupem brasileiros pelotudos". Tano Pasman, editor-chefe do La Nación, escreveu em nota "No lo puedo creer, la puta que me parió". A Igreja Maradoniana já declarou que La mano de Dios o levou, e que em três dias Diego está de volta. Ele foi só curtir uma festinha com seus grandes amigos Cheirão e Amy Winehouse. Os traficantes de Buenos Aires agradecem.


Fontes[editar]

Compartilhe
essa desnotícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram