Desnotícias:Joãozinho é largado no meio da estrada

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.


BOI NA CHUVA, INTERIORRRR - SÃO PAULO


Cquote1.png Meu filho não estava fazendo nada demais. Ele foi injustiçado Cquote2.png
Mãe de Joãozinho
Foto tirada depois de o ônibus escolar chegar à escola

Mais uma vez, Joãozinho é alvo de polêmicas. Ele fora abandonado em uma estrada vazia ao sol do meio dia, há mais de 8000 mil Km da cidade de São Paulo, quando voltava para casa de transporte escolar. Joãozinho fora posto pra fora pois havia feito muita bagunça dentro do ônibus, deixando a professora à beira da loucura.
Segundo a mãe de Joãozinho, ele não havia feito nada demais. Coisas como chamar a professora de vadia gostosa, puxar as calcinhas das amiguinhas, fumar dentro do ônibus, fazer piadas imorais, enfiar o lápis no olho dos desafetos e tentar comer a Mariazinha são coisas perfeitamente normais que qualquer garoto de 10 anos faria. Ainda segundo a mãe, Joãozinho não era o único que estava comendo a Mariazinha fazendo bagunça. Por causa da confusão, o motorista e um professor que acompanhava os estudantes chicotearam Joãozinho e o jogaram para fora do ônibus com um pontapé na bunda.

Joãozinho e seus amigos haviam saído do ensaio de um coral de Natal em outra escola de outro planeta município. E lá mesmo, já havia começado a confusão. Segundo a professora (que pediu pra se aposentar e ser internada no hospício), Joãozinho não deixava ninguém em paz: Trocava as letras da música de natal por trechos das "Gaiola das Popozudas", fazia xixi na professora de canto, entre outros.

Cquote1.png Toda hora que passava na lombada todo mundo jogava um livro na cabeça do motorista. Daí o professor gay falava: 'Parem, mininus'. De repente o ônibus parou lá no acostamento, daí eu pensei ‘caralho, fudeu pra mim, o motorista vai comer minha bunda’ Daí ele olhou para mim e falou: 'Filho da puta. Já que você nao sossega, então vai andar até a escola com este saco de cimento nas costas. Quero ele na minha garagem. Ouviu?' Cquote2.png
Joãozinho contando tudo que aconteceu

De acordo com a mãe do garoto, o filho foi deixado em um ponto de ônibus. Ele andou 500 metros na beira da pista, 300 metros no deserto, 600 no espinheiro, 800 no pântano e mais 1000 metros em um lixão próximo.

A mãe foi avisada pelo ricardão borracheiro que havia encontrado Joãozinho vendendo bala no sinal para poder comprar uma passagem para casa.

Cquote1.png O motorista deixou o filho dele meu filho para trás. Ele não tem noção de quantas pessoas ele iria colocar fogo do que poderia ter acontecido Cquote2.png
Mãe do Joãozinho

O motorista do transporte escolar e o professor foram mandados ajoelhar no milho e depois foram abandonados no meio do Haiti, para nunca mais abandonarem outras crianças pela estrada.



Fontes[editar]