Desnotícias:Na União Soviética, as mulheres abusam de VOCÊ!!

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

MOSCOU, Russia - Uma mulher de 32 anos chamada Valéria Kaikovsky foi presa acusada de ter estuprado 10 homens indefesos. Ela é apenas o caso emblemático da onda de estupros contra homens que vem botando medo no "Sexo Frágil" da Antiga União Soviética.

Na União Soviética Rússia, as coisas podem ser desde um pouco diferentes.

Estupradora alega que eles pediram[editar]

Cquote1.png Ora, esses homens ficam andando com essas roupas curtinhas nas ruas, ficam nos provocando e quando chegamos neles eles negam! Pediram pra ser estuprados! Cquote2.png
Valéria K. sobre Homens Russos

De acordo com a chefe de polícia da Ex-Capital Soviética, Maria Kokanovsky, desde a queda da União Soviética, vem crescendo o número de estupros contra homens:(ou não)

Cquote1.png Bem, é que na época da URSS, a gente tinha muitas policiais nas ruas, e assim os homens ficavam seguros. Porém, ultimamente, devido à falta de recursos, existem menos policiais nas ruas, porém a população masculina ainda não se adaptou a nova realidade, e continuam se comportando como se estivessem seguros. Aqui vai o meu apelo: homens russos, lembrem de que as ruas são perigosas. Evitem sair sozinhos, evitem usar saias e outras roupas provocativas. Só VOCÊ consegue se previnir de ser vítima de um estupro! Cquote2.png
Maria K.

Espelho Quebrado[editar]

Entrevistamos uma das vítimas, que vamos chamar de Alexandrovsky*.

Cquote1.png Me sinto violado. Estava guardando minha castidade para o casamento, e fui deflorado brutalmente por essa mulher. Não consigo mais me olhar no espelho, me sinto sujo, usado. Meu pai fica do meu lado o tempo todo, mas minha mãe acredita que eu provoquei isso, e não fala mais comigo! Ainda não saiu o teste de gravidez, fico muito preocupado com essas coisas. Cquote2.png
Alexandrovsky

  • Nome fictício utilizado para preservar a identidade da vítima
Até completamente assustadoras!

Fontes[editar]