Deus Ex

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Este artigo fala da série de jogos, se procura pelo jogo de 2000 consulte Deus Ex (jogo).
Virtualgame.jpg Deus Ex é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Kratos mutila mais um inimigo para conseguir orbs vermelhas.


Deu Sex
Deus Ex Universe.png
Logotipo da série
Gênero Simulador de Samara com FPS
Desenvolvedor Peidos
Publicador Quadrado-Eunuco
Plataforma de origem PC de Playboy
Primeiro lançamento Deus Ex 1 (2000)
Último lançamento Deus Ex: Mankind Divided (2016)

Deus Ex (do latim: "Do Sex" ou "faça sexo") é uma série de jogos que ninguém conhece, ou que se conhece não dá a mínima. São todavia jogos que fazem um sucesso absoluto entre os hipsters, um nicho conhecido por gostar de coisas desconhecidas. Pouco se sabe sobre Montreal, mas provavelmente devem ser pessoas bem confusas, pois a produtora do jogo, a Eidos Montreal, simplesmente não se decide o que serão os jogos dessa série e muito menos para que plataforma vão lançar suas porras. O primeiro jogo era exclusivo para PS2, aí quem gostou teria que comprar um Xbox para jogar o segundo Deus Ex exclusivo para o outro console, aí terceiro jogo só saiu pra console e não pra PC, então o quarto jogo foi exclusivo para PC, aí quando lançam o Deus Ex: Mankind Divided pra todos consoles em 2016 ninguém nem sabe do que se trata e alguns acham que é o primeiro jogo da série pois nunca viram um Deus Ex antes.

Jogabilidade[editar]

A única coisa em comum entre os jogos de Deus Ex é o fato de serem todos em primeira pessoa e você não ter um pênis, já que se olhar para baixo nada verá. Além disso, em todos os jogos, o que você faz muito é andar, principalmente nos primeiros jogos, já que nos jogos mais recentes foi substituído a andança pelo hábito de ficar se esfregando em paredes, caixotes e qualquer coisa que estiver no cenário, atendendo assim certos fetiches muito demandado pela sociedade gamer do século XXI.

A série Deus Ex sempre foi indecisa, seja em não se decidir para qual console lançar, seja o estilo de jogo que não se mantém por nenhuma continuação. Começa o primeiro jogo apenas como um game de gestão de inventário, já que você passa mais tempo arrumando itens e selecionando-os do que jogando propriamente dito, e termina com um jogo que parece um Call of Duty genérico futurista com alguns gadgets de SPlinter Cell.

Jogos[editar]

  • Deus Ex - Tosqueira puríssima que venceu o prêmio de jogo menos pior de 2000 no Festival Gamístico de Tangamandápio. Embora lançado em 2000, possui gráficos de 1990, embora alguns afirmem que denegrir os gráficos desse jogo é exagero, pois faz parte da história matar bonecos de papelão, pois o objetivo é justamente andar em cenários de Doom (com melhores texturas, é verdade) e matar bonecos usando espadas feitas de Minecraft.
  • Deus Ex: Invisible War - Sequência que tentou descaradamente copiar Perfect Dark, esquecendo-se que o N64 já estava sando de linha. Neste jogo controlamos um transexual chamado Alex D., que pode se identificar como homem e mulher, dependendo do gosto sexual do jogador. Habitando num futuro distópico onde o mundo é feito de papelão, o seu objetivo dessa vez é roubar comida e matar uns bandidos com paralisia facial.
  • Deus Ex: Human Revolution - O jogo que muitas acreditam ser o primeiro da série, porque é o primeiro que não vai pra lata de lixo após alguns minutos jogando e ficou mais conhecido. Você controla Jensen, um ex-figurante do clipe Beat It do Michael Jackson, que luta para tentar ganhar mais reconhecimento, já que ele é um protagonista que ninguém conhece. O objetivo dessa vez é pegar caixas, porque você é acumulador, e ficar se esfregando em paredes sempre que possível, e fazendo o máximo para não te flagrarem fazendo essa pouca vergonha.
  • Deus Ex: The Fail - Jogo que consegue ser pior que seu predecessor porque foi lançado para o PC da Xuxa e os gráficos tiveram que ser piorados vertiginosamente. Mas o jogo continua focado stealth, sendo necessário pegar por trás o máximo de bandidos possíveis.
  • Deus Ex: Mankind Divided - Após tantos jogos fracassados, a Eidos rendeu-se à modinha e lançou um Deus Ex: Call of Duty, que não pode receber esse título por direitos autorais, mas a ideia é a mesma: Um FPS genérico.
v d e h
Deus Ex logo.png