Devil May Cry

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Devil May Cry é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Alguém vê mais uma calcinha em Soul Calibur.


Tinhoso Deve Chorar
Devil May Cry dance logo.png
Logotipo da série a partir do quinto jogo em 2019
Gênero poluição visual na tela
Desenvolvedor Capcom
Publicador Capcom
Plataforma de origem Super Famicom
Primeiro lançamento Devil May Cry 1 (2001)
Último lançamento Devil May Cry 5 (2019)

Cquote1.png Em um momento eu vejo o James Bond no filme O Inferno de Dante, depois aquele jogo foleiro Dante's inferno e agora mais um Dante aqui... QUE PORRA É ESSA, TÃO BAGUNÇANDO MINHA COMÉDIA, BANDO DE FDP, PNC, ATTWHORE, PCC, INSS, UCT DOS INFERNO... PODEM IR, MAS DEIXAI TODA ESPERANÇA VÓS QUE ENTRAIS Cquote2.png
Dante Alighieri sobre mais um Dante no Inferno
Cquote1.png Tudo pau no cu poser do caralho, esses adolescentes não leram um verso sequer de Divina Comédia Cquote2.png
Crítico literário sobre Dante de Devil May Cry
Cquote1.png Dante? Que Dante?? Cquote2.png
Aquele que foi comido atrás da estante
Cquote1.png Nunca Vi nada igual Cquote2.png
Stevie Wonder sobre Devil May Cry
Cquote1.png This is SPARDAAAAAAAAAAAAAAAAAAA! Cquote2.png
Leônidas sobre Sparda
Cquote1.png Ai o Dante é tão lindu!! Cquote2.png
guria retardada sobre Devil may cry
Cquote1.png Dévil Mai Créu Cquote2.png
MC Créu sobre falar Devil May Cry corretamente.
Cquote1.png Filhos de uma gostosa. Cquote2.png
Sparda sobre Dante e Vergil
Cquote1.png Esse é irmão desse!! Cquote2.png
Theo Becker sobre Dante e Vergil.
Cquote1.png Resultados 1 - 12 de mais de 9.999.999.999 em Português para Dante Sparda. Cquote2.png
Orkut sobre quantidade de Dante na sua falida rede social
Cquote1.png Vô copiar tua cara Cquote2.png
Nero sobre Dante

Devil May Cry (br: Demônio Chora em Maio / pt: Diabo Pode Chorar) é uma série de jogos da Capcom (exceto DmC: Devil May Cry que é de uma empresa chamada Ninja Theory) que deveriam ser um spin-off de Resident Evil 4, mas ficou sobrenatural demais e ganhou a franquia própria. Sua função é dar aos players a chance de fuder uns capetas ao apertar apenas um botão do controle, coisa que jamais fariam na vida real.

Jogabilidade[editar]

Em qualquer jogo de Devil May Cry você deve simplesmente fazer duas coisas: Matar qualquer coisa que se mexa e encontrar objetos mitológicos, blasfemos ou de formas estranhas espalhados pelo cenário. A ideia é não criar muitas dificuldades, para que o público-alvo de pré-adolescentes consiga jogar até o fim.

Durante o game, Dante arrebentará paredes, tetos, castelos flutuantes e arranha-céus imbatíveis no decorrer das cutscenes que são transmitidos nas fases... Porém quando for a hora de você pegá-lo para jogar, ele muito estranhamente não conseguirá por abaixo meros portõezinhos gradeados... Me pergunto se sou eu que não sei jogar direito.

Outro fator muito recorrente é que nenhum inimigo de Dante sequer conseguirá te tocar caso você esteja forte e de sangue cheio. Mas quando você estiver quase morrendo, até aquele inimigo de bosta que nunca conseguiu lhe tocar e não hita quase nada, lhe matará.

Você nunca conseguirá completar todos os golpes e armas de Dante, por mais orbs que pegue. * Nenhuma arma será melhor que a Rebelion. Então, pare de realçar armas e use os orbs vermelhos pra coisa que preste. Como comprar uma pizza de calabresa pra Dante, ele agradece. A mesa de Bilhar de Dante sempre reaparecerá em jogo posterior ao jogo em que Dante a partiu ao meio... então não se preocupe.

Jogos[editar]

  • Devil May Cry 1 - Primeiro jogo da série, uma porcaria como qualquer coisa do PlayStation 2 que não fosse o Bomba Patch. É nesse jogo que nos é apresnetado pela primeira vez o protagonista Dante, um meio-demônio com uma paixão avassaladora por couro justo, cabelos descoloridos e estuprar demônios. A desculpa para ele sair do conforto de seu escritório para cortar capirotos é fornecido por uma ex-stripper chamada Trish, uma vadia anêmica que explode o escritório de Dante, forçando-o tomar alguma atitude. O jogo podia ser zerado apertando apenas um botão do controle, assim a franquia angariava os seus primeiros fãs pré-adolescentes. A missão de Dante, já desde aquela época, era derrotar o senhor do mal rei dos demônios, na oportunidade, um chamado Mundus.
  • Devil May Cry 2 - Jogo que os fãs da série preferem nem relembrar que existe, traz um roteiro o mais trivial possível. Nesse jogo Dante está sofrendo com fortes dores lombares resultado de reumatismo e artrite, por isso não consegue se mover muito bem pelos cenários mas precisa continuar matando demônios mesmo assim. Os desenvolvedores ainda desperdiçaram tempo em garantir um segundo personagem jogável pra essa porra, tão monótono e monótono que, pelo resto da saga, nunca mais é visto ou ouvido: Um ninja travesti iluminado por uma cor de cabelo chamativa e de gosto duvidoso que exibe habilidades ginásticas questionáveis, chamado Lucia. Dante e o travesti Lucia se unem para deter o delírio do proprietário de uma multinacional que quer se tornar imortal.
  • Devil May Cry 3: Dante's Awakening - O terceiro episódio fala da juventude descomplicada de Dante e seu irmão Vergil, que, para variar, querem abrir um portal para o mundo demoníaco. O jogo é finalmente o que todos estavam querendo: a luta épica entre Dante e Vergil, e eles lutam várias vezes para ver quem se torna o rei do PlayStation 2. No final, Vergil rouba a espada de Dante e ele precisa recuperá-la. Aqui, a vadia que acompanha Dante não tem nome ou o pai dela deu um nome MUITO antinatural para a menina, que é chamada apenas de "Lady".
  • Devil May Cry 4 - O protagonista muda e se torna um certo Nero, membro de uma seita satânica que imola crianças em nome de Sparda. Ele só quer bater punheta em paz, mas o Papa e a Igreja Católica não permite isso, e Nero precisa passar o jogo inteiro fugindo (e eventualmente espancando religiosos) para conseguir um espaço para sua bronha. O jovem está ligado à linda boêmia Kyrie, uma garota frágil e encantadora que vai morrer virgem se depender do vício de Nero por punheta.
  • DmC: Devil May Cry - Jogo altamente odiado pela fanbase porque substituiu Dante por um moleque mimado criado pela avó em apartamento a base de leite com pera cortadinha e muito Ovamaltine, o novo protagonista de nome Donte desprovido de qualquer carisma. Lançado em 2013, a Capcom prefere fingir que esse jogo não existe e lançaram o verdadeiro Devil May Cry 5 em 2019. Apesar do reboot ter sido um sucesso nas críticas (provando mais uma vez que opinião de crítico de video game não serve pra merda nenhuma), os fãs encheram tanto o saco da Capcom que a empresa desrebootou o reboot, e trouxe a séria clássica de volta, pra alegria geral.
  • Devil May Cry 5 - Lançado para a geração PlayStation 4/Xbox One, o jogo é apenas fanservice mesmo, tem tudo que os fãs querem, até Devil Arm de moto e todos personagens interagindo como se estivessem numa sitcom, aprofundando seus maravilhosos laços de amizade. É o jogo para presentear a meia-dúzia de fãs dessa franquia.

Personagens[editar]

O que será isso? Mas parece ser legal.
  • Dante (ou Alucard) - É o grande protagonista rebelde da série, um vagabundo de quinta que não faz porra nenhuma a não ser comprar pizza sem pagar e fazer serviços de extermínio de demônios a partir de seu escritório fudido sem qualquer infra-estrutura. Entre seus clientes do Serviço de Extermínio estão sempre: Arkham, Trish, Lady, Lucia, V, Dercy Gonçalves e de vez em quando, Vergil, com o auxílio de um médium no caso. O Batman tem 40 anos e é milionário... Alucard de Castlevania tem 400 anos e é multi-trilhonário... Porém Dante Sparda tem 200 anos e vive numa espelunca, onde trabalha e mora, devendo a todo mundo e nunca tem dinheiro pra pagar dívida de jogo. E sobre se Dante tem namorada, nem se iluda, Dante nunca se declarará para nenhuma das mulheres do game, pois caso não reparou ainda, ele odeia melação e está cagando e andando pra todas elas. Se você quer ver mocinho e mocinha se amando e chorando, vá jogar Final Fantasy porra!
  • Trish - É uma puta e ex-vendedora de desodorantes anti-transpirantes femininos, uma loira vadia que aparece do nada em uma moto e pede para Dante sair matando demônios de um castelo. Inicialmente usada como laranja para Dante cair em uma armadilha, ela se arrepende por começar a ter um sentimento por Dante, mas como a aparência dela é igual a da mãe de Dante, o protagonista sempre sente remorsos quando vai comer ela. Os fãs adoram ela porque tem jeito de santa cheia castidade mas que no fundo é uma baita de uma vadia.
  • Lady - Na verdade seu nome é Mary, mas ela o mudou porque odiava esse nome, então escolheu um ainda pior. Ela é daltônica, por isso usa lentes de contatos de cores diferentes para cada um dos olhos. Depois de ter sido considerada a personagem mais "sem sal" da série, perdendo até para um travesti sem graça chamado Lucia, os produtores deram uma recauchutada nela a partir do Devil May Cry 4, uma perfeita funilaria e pintura com silicone tanto para os airbags quanto para o spoiler traseiro. E hoje até rivaliza com a Trish sobre ser a mais gostosa da série.
  • Vergil - Gêmeo do mal de Dante que tem uma capa de cor gelada, depois de acabar com todos os meta-humanos de Dakota City na série Super Choque, quer ser a todo custo cada vez mais poderoso para curar sua impotência sexual. Odeia Dante com toda sua alma, pois ele pega todas as boazudas e peitudas do jogo, deixando assim apenas os homens para Vergil (bem, isso explica a voz). Inicialmente, Vergil é apenas um mero antagonista coadjuvante, mas os fãs adoraram o jeito metido a fodão dele e logo ele acaba aparecendo mais. Vale ressaltar que as pervertidas adoram escrever fanfics incestuosas e yaois Entre Vergil sendo seme e Dante sendo uke e Nero sendo uke uke. Vergil no terceiro jogo cai de um penhasco, mas sobrevive é claro.
  • Lucia, Gloria ou qualquer outra com o busto maior que 90 cm - Garota com decote aclamado, veste-se sempre com menos de 1KG de roupa ou simplesmente roupas apertadinhas que valorizam as curvas, essas são as características marcantes das personagens femininas em Devil May Cry, e Lucia, que na verdade é um travesti, busca valorizar isso para parecer bem feminina. Não importa muito a história das boazudas, ou elas são usadas como laranjas para Dante cair numa armadilha ou são usadas para criar insinuações sexuais e isso atiçar os pré-adolescentes (fanbase da série) em achar que há temas sexuais no jogo. Está ali para agradar os pervertidos e nerds. No fim Dante descobre que Glória era Trish disfarçada, o que o deixa broxa.
  • Donte - Odiado por muitos e adorado por quase ninguém, é uma versão menos carismática do Dante, possui esse nome porque há uma regra muito clara entre os fanboys da série que diz "Donte call him Dante". Ele é tipo um Justin Bieber ex-integrante de boy band que está todo revoltado, altamente odiado por qualquer fã da franquia e protagoniza um jogo o qual todos fazem questão de fingir que nem existe, o DmC: Devil May Cry.
  • Nero - Produto da inseminação artificial do Vegil. Na verdade, seu cérebro é mais uma das cópias do famigerado programa de produção de CDs piratas. Um dia, ele se revoltou com o intenso regime de trabalho que seu dono lhe impunha e assumiu forma humano usando um feto dos laboratórios da Umbrella Corporation, tendo sido afetado por modificações que, por coincidência, era neto de Sparda, ganhando assim: A cara e os cabelos de cor grisalhos; A God Hand do Gene; E golpes cabulosos com a Yamato do Vergil. Transportando-se para o universo de Devil May Cry, o "protagonista" vivia numa igreja com sua amiguinha nariguda, Kyrie, ganhando a vida gravando CDs piratas. Por ser o rejeitado pelos pais adotivos e pelos meio-irmãos fica muito puto e faz um monte de merda, mas quem arruma todo o estrago no final é o Dante mesmo, por ele ainda ser apenas um moleque.
  • V - É a vigésima segunda letra do alfabeto o terceiro personagem jogável de Devil May Cry 5. Trata-se de um cospobre do Kylo Ren de Star Wars. Ele é um gótico aidético que anda por aí com uma bengala que ele usa pra enfiar no cu dos perguntadores. Como ele é merda demais pra lutar, ele tem a ajuda de alguns dos chefões do primeiro Devil May Cry, que agora atuam como Pokémons de estimação e derrotam os demônios enquanto ele fica atrás só coçando a bunda e lendo poemas que nem um idiota.
  • Nico - É a personagem inventada pra o Devil May Cry 5. Ela é uma lésbica maconheira que constrói os braços mecânicos do Nero, algumas armas do Dante, e os vibradores da Kyrie (sério). Curiosidade, ela é filha do Agnis do Devil May Cry 4, agora como aquele nerd filho da puta conseguiu comer alguma mulher para ter uma filha, ninguém sabe.

Anime[editar]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Devil May Cry (anime).

Existe também um anime em que Vergil e Nero não aparecem, apesar de Lady e Trish sim, nesse anime Dante está mais escroto do que nunca, agora ele é viciado em poker, além de terrivelmente azarado, além de ser viciado em sunday de morango e pizza, ele tem um empresário e logo no começo já tem que dar uma de babá com uma garotinha que receberá uma herança milionária, mas no final ele acaba adotando a garotinha com quem mantém uma relação extra-conjugal, Lady está mais vadia também, agora ela briga com Trish pela rola de Dante, mas este continua com Paty (a garotinha) e elas se tornam lésbicas, o melhor que vemos nessa série com certeza é a enorme quantidade de sangue durante as lutas. Fora isso, eles não fazem praticamente nada.

v d e h
Devil-may-cry-logo.png